lembrando Daniel de Sá

existem alguns textos sobre o Daniel de Sá que foram apresentados nos colóquios da lusofonia e que merecem ser conhecidos os quais estão há anos compilados no Suplemento 2 dos Cadernos Açorianos em

https://www.lusofonias.net/acorianidade/cadernos-acorianos-suplementos.html#

https://www.lusofonias.net/acorianidade/cadernos-acorianos-suplementos.html#

morreu o dono do chá da Gorreana

Faleceu subitamente, esta madrugada, o conhecido empresário Hermano Athayde Mota, proprietário das famosas plantações e fábrica de chá Gorreana.
Consternado com tão triste notícia, apresento as minhas mais sinceras condolências a toda a Família.
Faleceu subitamente, esta madrugada, o empresário Hermano Athayde Mota, proprietário das famosas plantações e fábrica de chá Gorreana.
Consternado com tão triste notícia, apresento as minha mais sinceras condolências a toda a Família.
  • Pierre Sousa Lima Segundo acaba de noticiar o Jornal Açoriano Oriental, o corpo do falecido vai estar no Solar da Mafoma, na Ribeira Seca, concelho de Ribeira Grande, para as últimas homenagens; e às 8h30 de amanhã, realiza-se missa na Igreja Paroquial da Ribeira Seca.
  • Dicionários de Mineirês, Paulistês e Goianês e galinglês….

     

    Dicionário de Mineirês

     

    Antisdonte:   Em algumas regiões de Minas pronuncia-se ÃNSDIONTI .- o mesmo que “antes de ontem” . “Antisdonte eu vi a Lindauva. Tava uma belezura, a minina”.

    Arreda:     v.i. 1. Verbo na forma imperativa (dânnu órdi), paricido cum “sair”:    Arreda prá lá, sô!

    Belzont:    s.p. 1. Capitar das Minas Gerais. 

    Beraba e Berlândia:  s.p. 1. Cidades famosas do Triângulo Mineiro. Diz qui tem uma ôtra famosa que cumeça cum “B” e acaba com “raguari”, lá prá ‘quelas banda! O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou não. Daí fica dizendo que é terra dos triangulinos.E óia que o povo di lá inté acha bão… 

    Cadiquê:   Na forma erudita:         CAUSDIQUÊ – mineirin tentânu intendê o pruquê d’arguma coisa… ‘Por causa de quê?’,

    Confórfô eu vô:        p.q.p. 1. Conforme for, eu vou.

    Dendapia:     dentro da pia. Ex:    “ Muié, o galo tá dendapia”.

    Deu:         o messs qui “di mim”. Ex :     ” – Larga deu, sô !”

    Deusdi:o messs qui “desde”. Ex:   ” – Eu sou magrilim deusdi rapazín !”

    Deusdiqui:    prep. 1. Desde que: Eu sou magrilin deusdiqui eu era muleque!

    Dó:           o messs qui “pena”, “compaixão” :    “Ai qui dó, gentch…!!!”

    Dôdestombago – o mesmo que DODESTONGO. (dor de estômago) “Essa danada da minha úrsera dá uma baita dôdestombago.”

    Embadapia:   Debaixo da pia. Ex.: Muié, ele agora tá embadapia.

    Émezzz:    adj. 1. Minerin dimirado do que contaro pr’ele. Podi tá querêno tamém cunfirmá arguma coisa.

    Espia:       s.p. 1. Nome da popular revista VEJA quando chega na distante e pequena cidade do minerin.

    Estaçã:     s.m. 1. Onde desembarcam os minerin com suas malas cheias de queijo.

    I:             conj. 1. E:         Minino, ispecial, eu i ela, vistido.

    In:            v.t.i. 1. Forma diminutiva:      Piquininin, lugarzin, bolin, vistidin, sapatin etc….

    Intorná:    g.g. 1. Quando não cabe na vasilha. 2. Derramar.

    Jizdifora:       p.d.s. 1. – Cidade minera pertín do RidiJanero, lá prás banda da Vinida Brasil nº 500.000. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou carioca. Daí fica dizendo que é terra dos carioca du brejo.

    Kidicarne: medida empregada na comercialização de carne – quilo de carne – quinze kidicarne = uma arroba

    Kinem:           k.b.lo 1. Advérbio de comparação – igual:      Ela saiu bunita kinem a mãe.

    Lidileite:   Litro de leite.

    Magrilin:   p.d.v. 1. Indivíduo muito magro.

    Mastumate:   Massa de tomate

    Minerin:    (pop.) ou MINEIRIN (forma clássica) – Nativo duistádimínass. Típico habitante das Minas Gerais.

    Montes Claros:         p.d.s. 3. – Cidade minera pertín da Bahia, lá prás banda do Norte das Minas Gerais. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou baianin. Daí fica dizendo que é terra dos baianos cansado, sabe… Aqueles qui num deram conta de chegá em SumPaulo, daí pararo no mei do caminn. 

    Negocin:   p.ludo 1. Qualquer coisa que o minerin acha pequeno.

    Némêss:   – Minerin quereno qui ocê concordi c’ás idéia dêle…

    Nimim:     o messs qui “em mim”. Exempro:     “- Nóoo, cê vive garrádu nimim, trem !…Larga deu, sô !!…

    NNN:        p.o.p. 1. Gerúndio do minerês:          Brincannno, corrennno, innno, vinnno.

    Nóoo:       num tem nada a ver cum laço pertado, não ! É o mess qui “nossa!!” …Vem di:          Nóoossinhora !…

    Némermo:    z.bra. 1. Minerin procurando concordância com suas idéias. Os cariocas aproveitaram a expressão para criar o famoso “Né mermo, irmão?” com variação para o “Né mermo, brother?”.

    Num:        NÃO ã.h. 1. Advérbios de negação usados na mesma frase:         Num vô não. Num quero não. Num gosto não.

    Óiaí:         x.x. 1. Olha aí, ó, toma…

    Óiaqui:     a.b.c. 1. Minerin tentando chamar a atenção para alguma coisa.

    Oncotô:     – .h.j. Expressão de dúvida. Empregada constantemente quando o mineirim vai pra capitar, ou intão pra SumPaulo. (Onde que eu estou?)

    Onquié:    br. Int. .É quan nois num sabe pronde é qui nóis vai. (Onde que e?)

    Óprocevê: (!) – j.t..Mineirin dimirado cum arguma coisa! (olha pra você ver!)

    Ostrudia:  n.x. variação:     ASTRUDIA . É quan um mineirim num qué fazê arguma coisa hoje (outro dia). “Ostrodia nóis vai, cumpadre!”

    Pão di queijo:          k.h.1. – Ísscêis sabe ! Cumida fundamentar na mezz minêra e que disputa c’o tutú a nosss preferênça

    Pelejânu:  O mess qui tentânu:     ” – Tô pelejânu qü’ esse diacho né di hoje! 

    Pincumel:  pinga com mel “Si ocês tá cumeçano a constipá, toma logo uma pincumel que é prá mode sarar” 

    Pópôpó:    – h.xá 1. Pode por o pó? – Mineirinha perguntando quanto colocar de pó para fazer café.

    Pópôpoquin:  o.d.d. 1. Resposta afirmativa.

    Prestenção:   é quan’um mineirin tá falano mais cê num tá ouvino.

    Proncovô:  – É quan nóis inda num discubriu pronde é qui nóis vai e tá quainahora. (para onde que eu vou?) 

    Quainahora:  t.p. Expressão que indica que o mineirm está ficando atrasado:         Si nois num apertá a marcha nóis vai chegá dispois do casório.(quase na hora) 

    Qui Belezura: p.d.t. 1. Expressão que exprime aprovação; quando gostou de alguma coisa.

    Quiném:   advérbio de comparação. Ex:  “É bunita qui dói. Quiném a mãe !”

    Sapassado:   m.p.b 2 – Sábado Passado. 

    Secetembro:  Dia em que se comemora a independência do Brasil. 

    Sô:           fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamém ? :       Cuidadaí, sô !!…

    Tirisdaí:    É quan um trem tá travessado bem in frente di nóis:        Ex Tirisdaí minino! Tá travancando o caminho. (tira isso dai) 

    Tradaporta:   atrás da porta – Receita mineira:  “Si a visita si isqueceu de tomá rumo de casa, cês põem a vassora tradaporta qui num instantim ela vaimbora”.

    Trem:       s.b.p. 1. Palavra que não tem nada a ver com transporte, e que quer dizer qualquer coisa que o minerin quiser: Já lavô us trem? Eu comi uns trem. Vamo lá tomar uns trem? Qui trem é esse atrás d’ocê?

    Triango minero:       m.p.b. 1. Triângulo Mineiro.

    Trosso:     s.b.p. 1 É quiném trem

    Tutu:        t.u.m. 1. – Mistura de farínn di mandioca cum feijão massadím e uns temperin lá da horta. Bão dimais da conta !…

    Tii:           v.i.g.i. 1. O irmão do pai ou da mãe:  Mulher do tii é a txiiiiaa.

    Uai:          u.a.i. 1. – Corresponde a “UÉ”, dos paulistas. Melhor Definição:    “Uai é uai,…uai !”

    Varge:      e.l.a. 1. – Aquele legume verde rico em fibras. Serve tamém pra dizê daquelis lugar nos pé de morro ondi fica chei d’água no chão e que o pessoar usa pra prantá arroz:  (Várzea)

    Varginha:  p.d.s. 2. – Né Varge piquinininha não, viu gente? É uma cidade minera pertín de Sum Paulo. O pessoar da capitár nunca sabe se a turma de lá é minerin ou paulista. Daí fica dizeno que é terra dos parlista frustrado. 

    Vidiperfum:   . s.b.p.3. É donde se guarda aquelas água de chero. (vidro de perfume)

     

    Dicionário de Paulistês

    Ataque de bicha:        Expressão que representa um momento de nervosismo. (Exemplo: Ele me deixou tão atarantada que me deu um ataque de bicha!)

    Azesquerda ou Asdereita:    Termos utilizados normalmente para definir direções a serem tomadas em algum caminho. (Exemplo:            Você então vira Azesquerda e depois Asdereita e segue em frente.)

    Bicão:Aquele que não foi convidado (Exemplo:       Quem é aquele cara de camisa laranja e rosa, boné verde e vermelho? Acho que veio de bicão na festa)

    Bico:          Olhar, avaliar. (Exemplo:           Dá um bico se essa peça tá ok. )

    Bico:          Cara meio atrapalhado, pessoa que faz besteiras freqüentemente. (Exemplo:  Aí o Bico foi lá e tomou o maior fora da garota!)

    Bissurdo:   Absurdo, inaceitável, incrível. (Exemplo:          Essa coisa de seqüestro é um bissurdo!)

    Bocó:         Pessoa lerda, bobo. (Ex:  Cê é um bocó, todo mundo se aproveita do cê).

    Capetoso:  Aquele ser hilário, que adora tirar sarro de todo mundo. (Ex:   Aquele num presta, é capetoso mesmo!)

    Capote:      Cair, escorregar, tombo, queda. (Exemplo:        O Cara fez a curva e tomou o maior capote!)

    Carçá:        Palavra que indica comer alguma coisa para matar a fome. (Exemplo:            Vô carçá o estomago, antes de sair prá balada!!)

    Castelá:     Dar em cima de uma garota. (Exemplo: Vô castelá aquela loirinha ali!! )

    Catando Coquinho:    Termo utilizado em uma situação em que a pessoa quase cai e consegue se levantar. (Exemplo:            Aquele carinha, tomou em tranco do Tonhão e saiu catando coquinho.)

    Cê vá í?:    Pergunta você vai a tal lugar…?

    Ceroto:      Sujeira do nariz. (Exemplo:        Menino! pare de tirar ceroto do nariz!)

    Chovendinho: Dia ou noite com chuva fraca, quase uma garoa.(Exemplo: O cara tomou o capote porque tava chovendinho!)

    Cornetear: Falar alguma coisa de outra pessoa, algo parecido com “fofoca”. (Exemplo:  O Marcio estava corneteando o Fábio ontem )

    Dar uns Péga: O mesmo que ficar ou tirar um sarro com alguem. (Exemplo:        Hoje vou dar uns pega na Maria depois da missa!)

    Deusolivre:     Termo utilizado largamente um todo tipo de conversa, expressa afirmação negativa categórica. (Exemplo:  Deusolivre que eu vou no cemitério a noite!)

    Disgracêra:     Quando tudo/algo dá errado. (Ex:      Aconteceu uma disgracêra comigo ontem, atropelei a fia dum traficante).

    Dormiu no ponto:       Bobear, o mesmo que “marcar bobeira” ( Ex:           O Zé dormiu no ponto e “robaro” o carro dele)

    Drento:      indicativo de local/lugar.(Exemplo:       O material está “drento” da caixa. )

    Erguida:     Levar uma bronca. (Exemplo:    Quebrei o prato e tomei a maior erguida da mãe!)

    Escuita:     Escutar algo. (Exemplo:  Tonico escuita muita moda de viola…).

    Espeloteada:  Pessoa elétrica que tem temperamento forte, birrenta. (Exemplo:   Essa menina é muito espeloteada!)

    Estorvo:     Tudo que atrapalha, inclusive pessoas que atrapalham. (Exemplo:      Aquele bico é um estorvo!)

    Euem:        Não vai fazer, participar ou falar algo. (Exemplo:         Você foi no velório ontem! – Euem tá loco!)

    Farfanho:   entrou meio na lateral (Exemplo:           Estacionei de farfanho na rua)

    Fazer uma fita:          Aparecer, chamar a atenção. (Dei uma passada lá, só prá fazer uma fita).

    Fervo:        Local agitado, festança legal.(Exemplo:            E aí, vamos no fervo hoje na casa do Manezinho?)

    Fianco:       Palavra utilizada para identificar uma ação que não ficou aprumada em linha reta. (Exemplo:    Ela foi estacionar o carro e ficou de fianco.)

    Fiótão:       Pessoa menos preparada, sem experiência, meio bobo. (Exemplo:       Olha lá a besteira que ele fez! Só podia ser fiótão mesmo. )

    Forfé:         Bagunça, agitação. (Exemplo:    Fui no baile e tava o maior forfé!)

    Frio prá Urso: Quando tá frio prá cacete. (Exemplo:            Vou ficar debaixo do cubertô porque tá frio prá urso).

    Frutinha:    Rapaz delicado que não demonstra sua masculinidade (Exemplo:       Olha só! Andando desse jeito só pode ser frutinha!)

    Fumo:         Conjugação do verbo “ir” (Exemplo:      Nóis fumo lá ontem)

    Furar o Zóio:  Enganar, tirar vantagem (Exemplo:   O Túlio vai me vender um módulo por 300 reais, será que está furando meu zóio?)

    Furdunço:  Confusão, normalmente relacionada a festas (Exemplo:           Tava lá na festa e de repente começou uma briga…foi o maior furdunço!)

    Gorfá:        Vomitar. (Exemplo:        Acho que bebi demais, vou gorfá!)

    Isgueio:      A mesma coisa que fianco.

    Lagartear: Não fazer nada, ficar paradão como um lagarto no sol. (Exemplo:       Hoje não tô afim de fazer nada, vou lagartear o dia todo.)

    Manguaça Véia:         Expressão utilizada normalmente quando um indivíduo sofre uma queda ou um tropeção por qualquer motivo. (Exemplo:            Eh! Caiu de novo manguaça véia!)

    Melá os pé:     Tomar todas, beber até cair. (Exemplo:        O marido da Mariquinha méla os pé todo dia no bar!)

    Migué:       Às vezes substitui a palavra “xaveco”. (Exemplo:         Aquela tava difícil, tive que jogar o maior migué nela pra conseguir o que queria.)

    :            Expressão designativa de grandeza/intensidade. Muito. (Exemplo:     O clube que nóis fumo ontem é “mó” legal!!)

    Mocorongo:    A mesma coisa que bocó.

    Morgá:       O mesmo que lagartear.

    Moquiado: Ficar escondido no canto, na espreita.(Exemplo:           O João fico moquiado a noite toda prá pegá a mulher dele no flagrante!)

    Muquifo:    Casa, barraco. (Exemplo:            Hoje a noite eu passo lá no seu muquifo).

    Namorandinho:          Estar com alguém, namorar firme. (Exemplo:          O Fábio está namorandinho a Joana!)

    Nervo:       Termo utilizado quando a pessoa está irritada ou nervosa com algo ou alguem.(Exemplo:           Aquele oreia sêca que trabalha comigo só faz besteira e eu tenho que consertar, isso me dá um nervo!)

    Óia:            Olhar algo, veja, preste atenção. (Exemplo:       Óia só que coisa!)

    Oreia Seca:    Utilizado para designar uma pessoa ignorante, simplório. (Exemplo:     Esse é um oreia seca mesmo, não tem jeito!)

    Orná:         Que combina, fica bom com algo mais. (Exemplo:       Vou comprá essas roda aro 17?!! Vai orná na pick-up )

    Páia:          O mesmo que mentira. (Exemplo:          Esse cara só conta páia, não acredite nele!!)

    Páiero:       É o mentiroso

    Paraô!:      Pare com isso!

    Paroqueada:   Conversa mole, papo-furado, conversa sem interesse.(Exemplo:    Ah!! o Mané fica no bar a tarde toda só na paroqueada com os outros.)

    Pial:           O mesmo que Erguida, uma bronca, chamar a atenção de alguém. (Exemplo: O Zé chegou as 3:00 hs de pé melado e tomou o maior pial da patroa.)

    Pior que é.:     É isso mesmo, concordar plenamente.(Exemplo:     Eu acho que o João é frutinha. Pior que é!)

    Piririca:     Aquela sujeira escura que fica nas dobras da pele dos seus filhos, depois de brincarem o dia todo na rua. O mais famoso é o cordão do pescoço. (Exemplo:     Vá tirar a piririca!)

    Póde erguê:    Não vou fazer, nem pensar de jeito nenhum. (Exemplo:      Preciso que você vá a pé até a cidade. – Póde erguê que eu vô!)

    Ponhá:       Termo muito usado usado para expressar “colocar” alguma coisa alí ou aquí. (Exemplo:            Vou ponhá aquí.)

    Pórva:        Pessoa ou coisa que não presta, que não tem qualidade. (Exemplo:     Comprei uma calça jeans marca pórva mesmo.)

    Posá:          Dormir em algum lugar.(Exemplo:        Posso posá hoje aqui ??)

    Putaquelamerda:       Expressão de espanto. Susto.(Exemplo:        Putaquelamerda, que susto! )

    Quaiá o Bico: Dar muita risada. (Exemplo:  O peão tomou um capote e eu quaiei o bico!)

    Reganhera:    Estado letárgico que geralmente ocorre logo após o almoço, moleza, soneira.(Exemplo:           Comi tres pratos de feijoada e me deu uma reganhera daquelas!)

    Revertério:     Define mal estar, estar passando mal. (Exemplo:     Comi aquela maionese e me deu o maior revertério!)

    Sair vazado:   Atitude de todo bundão que apronta alguma e depois dá cagada. (Exemplo:     O dono do carro tá vindo aí, sai vazado!)

    Samiá:        O mesmo que semear, espalhar algo. (Exemplo:           O Zé foi no quintal samiá o milho.)

    Sartei de banda:         Deixar de fazer algo (Exemplo:         Você foi ajudar a encher a laje na casa do João ? – Euem sartei de banda!!)

    Subir lá em cima / Descer lá em baixo:        Reforço de afirmação. Pra garantir que a pessoa realmente suba pra cima e não para baixo, ou desça pra baixo e não para cima. (Exemplo:  Eu subi lá em cima prá pegar as caixas e depois eu tive de descer tudo lá em baixo!)

    Treta:        Expressão usada quando o indivíduo arruma confusão.(Exemplo:       Passei uma conversa naquela menina e namorado dela ficou sabendo, deu a maior treta.)

    Trincá os côco:           O mesmo que melá os pé. (Exemplo:            Hoje eu vou no bar e só saio quando trincá os côco!)

    Tropinha:   O mesmo que gangue, bando, galera.(Exemplo:            Vamos reuniar a tropinha prá pegar ele depois da aula!)

    Trupicar:   É o mesmo que tropeçar. (Exemplo:      Carlos trupicou e caiu de cara no chão!…)

    Úia:            Olhar coisa ou pessoa interessante, chamar atenção para algo especial. (Exemplo:            Úia que belezura!)

    Vai rendê:  Vai dar certo, algo que vai funcionar. (Exemplo:          Hoje eu vou no baile, vai rendê!!)

    Vaidalá:     Termo utilizado para informar que um caminho te levará onde você quer ir.(Exemplo:        E se eu pegar a Rua Getúlio Vargas, vaidalá? – Ahh vaidalá tambem!)

    Véia carçuda: Mãe ( Como vai a sua véia carçuda? )

    Viela:         Expressão comum usada em afirmações. (Exemplo:     Eu viela hoje.)

    Virô um rebosteio:     Termo utilizado quando tudo dá errado. (Exemplo: Eu tava na rua e a agua do rio começou a subir eu tentei sair e não deu, virô um rebosteio só!)

    Vô chegando: Ao contrario do que parece é utilizado quando você vai embora, esta saindo (Exemplo:            Bom pessoal a festa tá boa, mas eu vô chegando!! )

    Xééé:          Nem pensar, de jeito nenhum, de forma alguma. (Exemplo:     Você vai trabalhar Domingo? – Xééé!)

    Zé Ruela:   Pessoa que só faz besteira. (Exemplo:    Esse cara é um Zé ruela mesmo.)

     

    Dicionário de Goianês

     

    Anêim – Algo que parece ter vindo de “Ah, não!”, que virou “Ah, nem!” Mas, às vezes, é simplesmente usado na frase com um sentido de desagrado. Quando vejo escrito por aí, vejo o povo escrevendo “anein”, “aneim”, “anêim” e outras variantes. Ex.:   se eu ia viajar com a turma e de repente não posso mais, alguém exclama: “Anêeeim! Que pena!”

    Arvre  – Árvore (isso me lembra “As arvres somos nozes“)

    Arvrinha – Árvore pequena.

    Arvrona – Árvore grande.

    Bão mesmo? – É comum usar o “mesmo?” depois de coisas como “e aí, tá bom/bão”, como se pedisse uma confirmação de que a pessoa tá bem e não apenas fingindo que está bem.

    Bão? – Goianês para “Tudo bem?” Também é usada a forma bããããão?

    Calçada  – Pode significar:         1. Lugar para estacionar carros; 2. Local onde se colocam as mesas dos botecos e restaurantes. Note que não existe, em Goiás, calçada no sentido de lugar para pedestre, pois não sobra espaço para pedestres entre os carros e as mesas.

    Chega doeu – Chegou a doer, ou seja, o passado de chega dói.

    Chega dói – Chega a doer. Ex.:     Deixa eu te falar, essa luz é tão forte que chega dói a vista. Na verdade essa forma pode ser usada com quaisquer outros verbos combinados com o verbo “chegar”. Ex.:       chega arranha, chega machuca, chega engasga.

    Corgo – Lê-se córrr-go. Córrego.

    Corguim – Lê-se córrr-guim. Diminutivo de corgo.

    Coró – mesmo que mandruvá.

    Dar rata – Algo como cometer uma gafe. Ou seja, dar rata é o goianês para “fazer merd@”

    De doce – Se “de sal” é salgado, então “de açúcar” é doce, certo? Errado! Em Goiás as coisas não são doces, elas são de doce.

    De sal – Salgado. Ex.:        Pamonha de Sal. (Eu jurava que era de milho… dãã)

    Deixa eu te falar  – Com a variação Ow, deixa eu te falar. Introdução goiana para um assunto sério. Nunca, mas nunca mesmo, chegue para um goiano falando diretamente o que você tem que falar. Primeiro você tem que dizer “ow, deixa eu te falar”, para prepará-lo para o assunto. Em Goiás você precisa seguir o ritual de uma conversação. Ex.:             “E aí, bão? E o Goiás, hein? Perdeu! Tem base? É por isso que eu torço pro Vila. Oww, deixa eu te falar, lembra aquele negócio que eu te pedi…” A forma abreviada é te falar.

    Deixa eu te perguntar – A mesma coisa que deixa eu te falar, mas usado, obviamente, quando você vai perguntar algo.

    Encabulado – Impressionado. Ex.:          Estou encabulado que você nunca tenha ouvido alguém falar “chega dói” antes.

    Madurar – Amadurecer.

    Mais – substituto goiano da conjunção “E”. Ex.:  Eu mais fulano estamos no Goiás.

    Mandruvá – Mandorová.

    Na Goiânia – Em Goiânia.

    No Goiás – Em Goiás.

    Nota:        Dá impressão que o uai é parecido com o ué usado em outras regiões. Mas o ué muitas vezes é usado no caso de a pessoa achar a pergunta estranha. Quem não conhece pode ficar revoltado com o uso do “uai” já que parece que as pessoas estão insinuando que você pode estar perguntando alguma idiotice. Só que as pessoas falam uai por falar.

    Num dô conta – Pode ser traduzido como Não consigo, não sei, não quero, não gosto, etc. No resto do País, não dar conta é usado mais no sentido de “não aguentar”. Por exemplo:         Não dei conta do recado, ou Não dou conta de comer isso tudo sozinho. Já aqui em Goiás é usado para quase tudo. Ex.:        Num dô conta de falar inglês (“não sei falar inglês”); Num dô conta de continuar em Goiânia nas férias (“Não quero/não aguento continuar em Goiânia nas férias); Num dô conta de imprimir usando esse programa (“não sei imprimir usando esse programa”).

    Piqui – Pequi, fruto típico de Goiás, bastante usado na culinária goiana.

    Pit Dog  – Uma espécie de filho bastardo de uma lanchonete com uma barraquinha de cachorro-quente. Apesar desse nome estranho, os sanduíches são muito bons!

    Quando é fé – Algo como de repente, ou até que. Ex.: “Estava no consultório do dentista, ouvindo aquele barulhinho de broca, e quando é fé sai um menininho chorando de lá.”

    Queijim – Rotatória.

    Tá boa?  – Goianês para “Tudo bem?” usado para mulheres. Em outras regiões do Brasil seria interpretado de outra forma…

    Tem base? – Expressão tão goiana que existe até em slogan impresso em bandeiras e camisetas exaltando o Estado:        “Sou goiano. Tem base?”. Pode ser traduzido como “Pode uma coisa dessas?”, só que usado com muito mais frequência.

    Uai – Palavra que normalmente não tem sentido, mais ou menos como o tchê do gaúcho. Usado normalmente em respostas. Ex.:     Pergunta:      Goiano, você vai à festa hoje?; Resposta:       Uai, vou!

     

     

     

    e para o galego falado à inglesa vá a

    novo dicionário de galego falado à moda inglesa

     

    arcaísmos galegos na extremadura

    la voz de galicia

     

    Henrique Costas: «Teñen arcaísmos desaparecidos en Galicia hai séculos»

    O vigués Henrique Costas publica un libro sobre a fala estremeña derivada do galego

    http://www.lavozdegalicia.es/noticia/ocioycultura/2013/11/21/henrique-costas-tenen-arcaismos-desaparecidos-galicia-hai-seculos/0003_201311H21P469945.htm

    Vigo / La Voz  21 de noviembre de 2013  07:29
    24 votos

    Henrique Costas González ven de publicar, en Edicións Xerais,O valego. As falas de orixe galego do Val do Ellas (Cáceres-Estremadura), no que conxuga investigación e ensaio para achegarse ao xeito de falar nos concellos estremeños de Valverde do Fresno, As Ellas e San Martín de Trebello.

     

    -¿Están aceptadas as orixes galegas destas falas?

    -Para a Junta de Extremadura, non. A palabra galego non aparece por ningures para eles. Din que non pode ser galego porque aquilo foi o Reino de León, cando todos saben que aqueles reis asinaban como Reis de Galicia, León e Asturias e que repoboaron aquelas terras con colonos galegos.

     

    -¿As fala moita xente?

    -Máis do 90 % nos tres concellos, incluso os rótulos están nesa variedade do galego. É a comunidade europea de lingua minoritaria que ten o índice máis alto.

     

    -¿En que se parece máis ao galego?

    -No léxico é unha maqueta do galego. Por exemplo, se media Galicia di cerdeira e a outra cereixeira, eles tamén o din. Curiosamente, conservaron as dúas formas. E o que máis sorprende é a gran cantidade de arcaísmos que hai, moitísimos deles que desapareceron en Galicia nos séculos XIII e XIV, e alí son formas únicas. Morfoloxicamente hai variacións como en Galicia, e na fonética non se parece moito porque non teñen vogais abertas, aínda que non ditongan, pero si teñen unha fonética máis parecida ao castelán.

     

    -¿Que pensan eles da súa singularidade?

    -Cando van a Salamanca, din que van a Castela; cando van a Coria, din que van a Estremadura; e cando van a Penamacor, din que van a Portugal. Eles din que son dos tres lugares. Teñen unha conciencia identitaria moi forte por iso se ten conservado o idioma.

     

    -¿Están protexidas?

    -Non, e iso que hai unha lexislación lingüística europea e española. O propio Goberno de Estremadura nin sabe que existen disposicións europeas que as protexen. En Estremadura teñen medo a que lles movamos os marcos cando imos os galegos a investigar

    TIMOR CASAS SAGRADAS – Uma Lulik, Futuro da Tradição

    Uma Lulik, Futuro da Tradição

    Mais

    1.192

    A documentary film about the Sacred Houses of East Timor, where the old animistic culture and the practice of ancestor worship survive up to the present day.

    Film produced by ALGA (Associação Luso-Galega de Antropologia Aplicada) in collaboration with the Secretariat of State for Culture of East Timor

    Edited with FCP

    Uma Lulik, Futuro da Tradição
    https://vimeo.com/31165369
    Um filme documentário do Parlamento Nacional de Timor-Leste
    sobre as casas sagradas de Timor-Leste
    41minutos, falado em português

    https://vimeo.com/31165369
    Uma Lulik, Futuro da Tradição Um filme documentário do Parlamento Nacional de Timor-Leste sobre as casas sagradas de Timor-Leste 41minutos, falado em português

     

    humor lusófono-indigência na aprendizagem de alguns dos nossos alunos.

    Transcrito de um trabalho da Prof.ª Filipa Macedo

    Mas deixa também tristeza pela indigência na aprendizagem de alguns dos nossos alunos.

    D’ Silvas Filho

    *O Convento dos Capuchos foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do monte.*

    (claro! Com o peso demorou 100 anos para subir o monte !!!)


    *A História divide-se em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje*

    (a Futura é particularmente estudada pela “Maya” certamente)

    *O metro é a décima milionésima parte de um quarto do meridiano terrestre e para o cálculo dar certo arredondaram a Terra! *

    (Ups! Até eu me vi atrapalhada para fazer o cálculo. Imaginação tem ele… vai ser matemático de certeza, Portugal precisa de matemáticos com imaginação)

    *Quando o olho vê, não sabe o que está a ver, então ele amanda uma foto eléctrica para o cérebro que lhe explica o que está a ver.*

    (nada mal pensado. Somos uma máquina fotográfica em potência e em funcionamento contínuo)

    *O nosso sangue divide-se em glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e até verdes! *

    (acho que faltam os Azuis!!Ah, mas esses com o apito dourado andam em fuga)


    *Nas olimpíadas a competição é tanta que só cinco atletas chegam entre os dez primeiros.*

    (entende-se agora a prestação de Portugal nos jogos olimpicos!!!)


    *O piloto que atravessa a barreira do som nem percebe, porque não ouve mais nada.*

    (claríssimo!! Se passou a barreira o som quando chega já ele passou, por isso não o ouve. Será?).

    *O teste do carbono 14 permite-nos saber se antigamente alguém morreu.*

    (Assim de momento acho que hoje em dia basta verificar se o coração parou ou se respira… quer dizer… digo eu… mas pelo sim pelo não que se faça o teste do carbono 14, se os gajos do CSI descobrem uiui)

    *O pai de D. Pedro II era D. Pedro I, e de D. Pedro I era D. Pedro 0*

    (E antes foi o Pedro -1, já agora)

    *Em 2020 a caixa de previdência já não tem dinheiro para pagar aos reformados, graças à quantidade de velhos que não querem morrer.*

    (São uns chatos os velhos! Se o Socras topa o “jogo” deles…)

    *O verme conhecido como solitária é um molusco que mora no interior, mas que está muito sozinho.*

    (“tadinho”, espero que não tenha medo do escuro ou das trovoadas, não merece tanto sofrimento)

    *Na segunda guerra mundial toda a Europa foi vítima da barbie!

    (Queria dizer, decerto, barbárie! Ainda não existia os Morangos com Açucar… ai então é que seria lindo, não era a barbie que levava a melhor não!)

    *O hipopótamo comanda o sistema digestivo e o hipotálamo é um bicho muito perigoso.*

    (nem sei que diga… se a protecção dos animais descobre estamos todos tramados)


    *A Terra vira-se nela mesma, e esse difícil movimento chama-se arrotação.*

    (não consigo encontrar melhor definição)

    *Lenini e Stalone eram grandes figuras do comunismo na Rússia.*

    (exactamente, principalmente o Stalone)

    *Uma tonelada pesa pelo menos 100Kg de chumbo.*

    (Diabos me levem…!!!)


    *A fundação do Titanic serve para mostrar a agressividade dos ice-bergs.*

    (claro, nem a experiência podia ter sido feita de maneira diferente; tinha de ser usado um dos animais mais agressivos que se conhece)

    *Para fazer uma divisão basta multiplicar subtraindo.*

    (atenção, não tentem fazer isto em casa, pode ser perigoso… pelo menos complicado é! Pelo sim pelo não peçam esclarecimentos ao futuro professor catedrático de análise matemática)

    *A água tem uma cor inodora.*

    (pois… eu também gosto muito dessa cor)

    *O telescópio é um tubo que nos permite ver televisão de muito longe.*

    (o tipo deve ser “espião” da vizinhança, sinceramente… já ninguém quer aderir ao MEO… anda tudo a “chular” os vizinhos. Será que com o telescópio conseguiu ver a grande penalidade fora da área?!)


    *O sul foi posto debaixo do norte por ser mais cómodo.*

    (obviamente que sim. Tinha algum jeito o contrário, e aposto que foi um alentejano que teve essa brilhante ideia)

    *Os rios podem escolher desembocar no mar ou na montanha.*

    (é isso! Ao nascerem podem escolher… viva a liberdade de escolha!)

    *Os escravos dos romanos eram fabricados em África, mas não eram de boa qualidade.*

    (Racista… só os fabricados na China é que são bons não?!)

    *A baleia é um peixe mamífero encontrado em abundância nos nossos rios.*

    (todos os dias me cruzo com baleias ao atravessar o rio, é tão giro)

    *Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez e estudou os ciclos de Ogino-Knaus. *

    (Não consigo ter palavras, nem quero pensar o que diria ele sobre a actual lei do aborto)

    *Ao princípio os índios eram muito atrasados mas com o tempo foram-se sifilizando.*

    (tal qual como quem escreveu, isto digo eu… cheia de esperança!!)

    *A Terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados do mundo.*

    (questão para se perguntar… quantos planetas tem o mundo?)

    *A Latitude é um circo que passa por o Equador, dos zero aos 90º.*

    (os “circos” deste são mais pequenos que o habitual, mas está bem, é uma opinião a ser estudada!!)

    *Caudal de um rio, é quando um rio vai andando e deixa um bocadinho para trás!*

    (é claro. Caso contrário ficava vazio depois de passar. Deve ser uma forma de o encontrarem)

    *Princípio de Arquimedes: qualquer corpo mergulhado na água, sai completamente molhado. *

    (aí não há dúvida nenhuma)