mitologias e páscoa

 

 

 

Aos amigos,

Um poucochinho de mitologia e um Feliz dia de Pascoa

 

                                   

                                    Hipnos e Tânatos

                                    Fonte Wikipédia livre

                                          Hipnos                              

Na concepção da sociedade atual, com tantas motivações para se ficar alerta, o dormir é, para muitos o mesmo que perder tempo, um roubo de horas vividas, um exercício para a morte. Desde a antiguidade a mitologia dava ao sono, processo biofisiológico rítmico, cíclico, subordinado a estímulos elétricos e neuropsíquicos, a importância para manter o homem em estado hígido.  Os grandes estudiosos do assunto, psicólogos e pesquisadores da mente, são unanimes: há no domínio de Hipnos, deus do sono, filho da noite (Nyx) e de Érebo (a treva primordial), irmão de Tânatos, deus da morte, outro mundo ainda não totalmente desvendado, que comanda o subconsciente e  favorece a criatividade.  Quando esse processo neuropsíquico é afetado por doenças (físicas ou psíquicas) ou por comportamentos que prejudiquem a rotina, aparece a insônia que, frequente, mina a qualidade de vida.  Dormir o que se precisa ajuda a manter-nos física e psicologicamente saudáveis, mantém-nos vivos.

Aqueles que, por necessidade ou tipo de trabalho, são obrigados a trocar o dia pela noite, necessitam de mais tempo para descanso e de algumas compensações financeiras e sociais,  como aposentadoria mais precoce.  Mas nem sempre o preço pela falta de sono é só esse. Os pesquisadores são enfáticos;  a falta de um sono reparador leva a um déficit cognitivo e motor, a alterações de humor, a fadiga crônica, a maiores riscos de acidentes e erros que prejudicam os relacionamentos sociais e familiares. A história mostra essa tendência. Relatos de tragédias como a do Titanic(1912),  a do petroleiro da EXXON Valdez (1989), a da usina nuclear de Chernobyl (1986), foram acidentes que ocorreram à noite, quando equipes submetidas a longas jornadas de trabalho sem o descanso necessário, com privação de sono, tiveram falhas ou cometeram mais enganos que o normal.   Embora não divulgado a priori, soube-se posteriormente que a equipe de manutenção do ônibus espacial Challenger havia trabalhado exaustivamente na noite anterior, para reparar o defeito numa peça do tanque de combustível. Problema que ficou aparentemente resolvido… até a explosão do ônibus.

Mas como tudo tem exceções, há também aqueles que julgam a noite a parte do dia mais produtiva, pela quietude e sossego de que se dispõe. Poetas, escritores, artistas, cientistas, cérebros diferenciados há que encontrem nessa ocasião o seu melhor tempo. O Nobel de Química de 2003, R. MacKinnon disse: “Meus momentos mais produtivos são aqueles em que não consigo dormir”. Em geral são mentes privilegiadas que conseguem funcionar tanto pela atividade cerebral racional, como pela intuição, quando esta está liberada, sem o controle e censura da racionalidade, como um caleidoscópio que pelo movimento ao acaso mostra novas e inesperadas formas de visão.  Para os filósofos a intuição é uma modalidade rápida, fugaz, privilegiada de conhecimento, que tem papel decisivo na criatividade, seja artística ou cientifica. Mesmo nestes casos, as pesquisas comprovaram que o repouso noturno aguça duas vezes mais o sentido intuitivo dos que repousam, do que os que não repousam adequadamente. Logo Hipnos tinha razão em se deitar numa cama de penas macias, numa caverna escura junto a uma das margens do Lethe, o rio do esquecimento. Dormir não é perda de tempo, dormir faz bem à vida.   

Maria Eduarda Fagundes

Uberaba, 30/03/13

o

.
__,_._,___
Please follow and like us:
error

timor lorosae notícias 31 março 2013

TIMOR LOROSAE NAÇÃO – diário


LABEH LOKE ESKOLA DIPLOMA MULTIMEDIA JORNALISMU

Posted: 30 Mar 2013 11:45 AM PDT

Kuarta-Feira, 27 husi Marsu 2013
Dili, Direitor Eskola Vokasional Lalenok Ba Ema Hotu (LABEH), Rui Manuel da Silva ba reporter CJITL konfirma avizu ne’ebe oras ne’e distribui iha sidade laran  katak  LABEH loke ona ba publiku Eskola Diploma Profesional ba Multimedia Journalism (TV, Radio, Printing no Online).
Iha nia servisu fatin, Kampung Baru, Rui haktuir katak Diploma Profesional ne’e kompletu ho fasilidade hanesan Internet Wireless, Libraria Jornalismu, ekipamentus Radio no TV, iha mos Studio Radio FM ne’ebe sei sai fatin pratika ba estudantes.
“Ami iha dosente ne’ebe atu hanorin mesak S2 no S1, Experencia servisu iha media tinan barak, iha nivel nasional no mos internasional, maluk dosente sira ne’e inklui Edgar Xavier ne’ebe servisu tinan tolu ho SAPO.TL no dosente seluk maka Pelagio Doutel no Antoninho Bernardinho ne’ebe hasai kursu komunikasaun social husi Estados Unidos  Amerika no Australia” Haktuir Rui.
Ba CJITL, Rui hatutan katak ba etapa ida ne’e LABEH sei simu deit estudantes na’in 50, Prosesu rejistrasaun sei to’o iha loron 12 Abril 2013. (CJITL/Ofelia)
PEDRO LAY HALO AUDIENSIA HO PR KONABA SERVISU OPERADOR INTERLIGASAUN FOUN

Posted: 30 Mar 2013 11:40 AM PDT

Kuarta-Feira, 27 husi Marsu 2013
Dili, Iha Segunda feira semana ne’e (25/3), Prezidente Repúblika (PR), Taur Matan Ruak, simu audiénsia Ministru Transporte no Komunikasaun, Pedro Lay, iha Palásiu Prezidente Nicolau Lobato hodi informa kona ba serbisu Ministeriu nian liuliu iha parte transportes aério no marítima.
Ministru Pedro Lay hafoin enkontro haktuir katak  mai esplika ba Prezidente kona ba prosesu serbisu Ministeriu nian no Prezidente fó hanoin, fó sujestaun oinsá mak bele hadi’a liu mekanismu serbisu nune’e bele atinji obejetivu.
Liu ida ne’e Minstru Pedro Lay informa mós ba Chefe Estadu kona ba serbisu operador telekomunikasoens iha Timor-Leste hanesan; Timor Telecom, Vitel no Telkomsel ne’ebé asina ona akordu interligasaun entre kompanhia tolu ne’e hodi fó espasu ba klientes sira atu bele liga ba operador sira seluk. (*/CJITL)
TELEKOMCEL – TT LOKE INTERNET GRATUITA IHA MERKADU MANLEUANA

Posted: 30 Mar 2013 06:01 AM PDT

Radio Liberdade Dili – Tuesday, 26 March 2013 – Written by sumariu jornal Independente
Radio Online Fonte Jornál Independent  – Atu atrai komunidade sira hodi sosa sasan iha merkadu Manleuana, Telecomcel ho Timor-Telecom (TT) loke internet gratuita iha merkadu ne’e.
Ministru Comersiu Industria no Ambiente (MCIA), António da Conceição informa, kompañia Telecomcel ho TT oferese internet gratuita iha merkadu ne’e hodi apoiu governu atrai ema barak ba merkadu ne’e.
Internet gratuita ne’e hahú estabelese wainhira MCIA loke feira durante loron hat (22-26 marsu) iha merkadu Manleuana hodi fan produtu.
“Governu serbisu hamutuk ho TT no Telecomcel sei fasilita ba imi internet gratuita iha fatin ida ne’e”, dehan António, (22/3) foin lalais.
Internet grtuita ne’e sei kontinua nafatin no MCIA mos sei koopera hamutuk ho Banku Nasionál Comersiu Timor-Leste (BNCTL) hodi loke nia espasu iha merkadu ne’e. atu nune’e bele iha ligasaun direita ho negosiante sira no idozu sira mos bele simu sira nia osan iha fatin ne’e.
Iha fatin hanesan, reprezentante  TT, Manuel hateten, Apoiu politika Governu hodi oferese internet gratuita ba publiku.
Manuel promote, bainhira governu loke merkadu hanesan ne’e iha distritu hotu TT pronto oferese internet gratuita. Loke internet gratuita, Manuel dehan, hodi sadik mos Timor-oan atu asesu para buka mos matenek no halo peskiza.
Manuel husu atu komunidade ne’ebé mak uza internet tenki ho didiak tanba internet bele lori ema bá matenek nomos bele lori ema ba buat a’at. “Internet mos bele estraga mentalidade no prestiju Timor-oan nian,” dehan Manuel.
Entretantu, reprezentante kompañia Telecomcel,  José Lay dehan, Telecomcel fó mós internet gratuita iha merkadu Manleuana hodi dada ema ba vizita merkadu ne’e n sosa sasan iha merkadu refere.
Aliende internet gratuita kompañia rua ne’e mos sei loke sira nia loja iha merkadu refere hodi fan sira nia produtu. ***
COREIA DO NORTE DECLARA “ESTADO DE GUERRA” COM COREIA DO SUL

Posted: 30 Mar 2013 03:14 AM PDT

Jornal i – Lusa – foto Reuters
A Coreia do Norte anunciou hoje que entrou em estado de guerra com a Coreia do Sul, informou a agência de notícias sul-coreana, Yonhap.
“A partir de agora, as relações inter-coreanas entraram num estado de guerra e todos os assuntos entre as duas Coreias serão tratados de acordo com o protocolo de guerra”, anunciou a Coreia do Norte numa declaração que vincula todo o governo e instituições do país.
Ameaças. Exercícios militares levam Coreia do Norte a apontar mísseis aos EUA
Joana Azevedo Viana – Jornal i
Rússia veio pedir calma às partes envolvidas para evitar que “espiral fique fora de controlo”
É um exercício da musculatura militar que começou na madrugada de ontem e que está a preocupar a comunidade internacional: perante exercícios militares conjuntos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, a Coreia do Norte pôs as suas bases de mísseis em estado de prontidão para um ataque a alvos em solo norte-americano e a bases militares que o país tem no Pacífico.
A notícia foi avançada em primeiro lugar pelos media estatais norte-coreanos, dizendo que o líder do país, Kim Jong-un, aprovou um plano de preparação para ataque imediato a alvos americanos. Horas depois, no rescaldo de um encontro com líderes militares, o jovem líder do regime terá dito “que chegou a hora de acertar contas com os imperialistas dos Estados Unidos perante a situação prevalecente”, citado pela agência estatal KCNA. “Qualquer provocação imprudente da parte das suas forças estratégicas gigantes e nós atacaremos sem misericórdia o território dos EUA, as suas bases militares em teatros operacionais no Pacífico, incluindo [as ilhas do] Havai e Guam, e as suas bases na Coreia do Sul”, acrescentou.
As acções estão a ser vistas pelos analistas como retaliação pelo uso de dois bombardeiros B-2 pelos EUA, que sobrevoaram a Coreia do Sul na quinta, em mais uma fase da série de exercícios militares que os países têm levado a cabo.
Os media em Pyongyang avançaram depois, ao início da tarde em Lisboa, fotografias e pormenores da “reunião de emergência” de Jong-un com líderes militares, na qual definiram a estratégia de possíveis ataques com mísseis aos alvos americanos citados. A capital tornou-se, a essa hora, palco de uma manifestação de apoio à decisão do líder por milhares de cidadãos e soldados.
Ao mesmo tempo, a agência estatal sul–coreana Yonhap citou fontes militares norte-coreanas a informarem de movimentações de tropas e veículos nas instalações de mísseis de médio e longo alcance do regime liderado por Jong-un, confirmando o estado de alerta para atacar os EUA “a qualquer momento”.
Perante a escalada de tensões, a comunidade internacional e os analistas desdobraram-se em avisos e análises da situação. A Rússia veio de imediato pedir calma a Washington, Seul e Pyongyang, sublinhando o actual “ciclo vicioso” que se vive e lembrando que as sanções aprovadas no início do mês pelo Conselho de Segurança da ONU à Coreia do Norte são “adequadas” e “consensuais”.
“A situação pode ficar fora do controlo e está a caminhar para uma espiral de um ciclo vicioso”, disse o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, pedindo “a todas as partes que não exercitem o seu músculo militar”. “Estamos preocupados com o facto de estarem a ser tomadas acções unilaterais nas proximidades da Coreia do Norte, com aumento da actividade militar, depois da reacção adequada e colectiva do Conselho de Segurança”, acrescentou em conferência de imprensa.
Por sua vez, os EUA criticaram a ameaça. “Os Estados Unidos são perfeitamente capazes de se defenderem e aos seus aliados”, disse a porta-voz do Pentágono, a tenente-coronel Catherine Wilkinson. “A retórica belicosa da Coreia do Norte e estas ameaças segue um padrão projectado para aumentar as tensões e intimidar os outros.” A Casa Branca veio acrescentar que esta acção só “isola ainda mais o país”.
Quase todos os analistas excluem a hipótese de uma guerra, admitindo porém a hipótese de bombardeamentos semelhantes aos que em 2010 mataram quatro cidadãos de uma pequena ilha sul- -coreana e 46 tripulantes num navio de guerra de Seul. Kim Yong-Hyun, especialista em assuntos da Coreia do Norte da Universidade sul-coreana de Dongguk, disse à AFP que as declarações do regime de Pyongyang “não devem ser interpretadas como sinal de guerra iminente”, sendo “uma reacção esperada ao voo dos B-2”.
You are subscribed to email updates from TIMOR LOROSAE NAÇÃO
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610
Please follow and like us:
error

PÁSCOAS

RAFAEL CARVALHO FOI O TOCADOR DE VIOLA DA TERRA NO 19º COLÓQUIO E ESCREVE ASSIM SOBRE A PÁSCOA

Domingo de Páscoa… quando acordávamos sabendo que no pequeno-almoço já podíamos ir ao folar procurar o nosso ovo, descascar e comer com um belo copo de café com leite…

mesmo aquelas casquinhas irritantes de ovo que ficavam sempre coladas já faziam parte do gosto e seguia tudo barriga a baixo…

era tão divertido o dia de comer o folar como o dia em que minha mãe cozia a massa e nos deixava passar o pano com os ovos batidos por cima dos folares… e a gente andava de roda na cozinha desde o bater a massa até sair o último folar do forno…

e folares não eram muitos… que ovos também não eram em abundância.

depois era o milho cozido com sal, era e é, até a “beiça” ficar assada de tanto comer enquanto íamos vendo pela centésima vez os Dez Mandamentos…

Não era Páscoa sem dar o Ben-Hur, Quo-Vadis ou os Dez Mandamentos… mesmo aquele mini-série “UN Bambino ChIamattO Jesus” (nem sei escrever) que a gente já não podia digerir todos os anos pela mesma altura, fazia parte da tradição.

Ao acordar neste Domingo também aparecia (às vezes) um ovo de Páscoa, pequenino, que minha mãe escondia lá pela sala e a gente procurava num frenesim. Um a cada um… ou mesmo um coelhinho pequenino, não importava, tudo marchava…

E era também normal, antes do almoço, ficarmos a assistir à bênção Urbi et Orbi.

Um excelente Domingo de Páscoa a todos, cada um com as suas memórias e tradições passadas e/ou atuais.

Please follow and like us:
error

POESIA

Nas pontas estão o Torga e o Nemésio. E Os outros?

Além do Torga e do Nemésio nas pontas, estão, da esquerda para a direita, um que eu não sei quem é, depois o Afonso Duarte e depois o Quintela.

Abraços.
Eduino (de Jesus)
TORGA59_n

nas pontas estão o Torga e o Nemésio. E Os outros?

“PENITÊNCIA”Este viver de líricas fragrânciasfaz-me corar,lá, onde a minha alma é toda-a-gente

como Deus manda.

Nas pálpebras a lágrima – o aljôfar,

como se diz no bem falar romântico;

dentro, a secura nua e crua dos desertos

onde não há sombra nem pão.

Ponho a minha casaca de cometas,

a ígnea farda de falar às musas,

e olho os esfarrapados

com literária piedade e o coração calado.

Caridade, perdão; Rainhas Santas

de palavras a passar na procissão das frases

e, se me tocam na pele,

fecho-me rápido como os dedos no cabo de um punhal.

Assim, estar assim, dói!

(neste doer de pôr em rezas…)

– Vamos! Quero o caminho de Estar para Ser;

talvez esta hora traga a da feliz viagem!

Esta hora!… a minha última descoberta:

terra fiel de paraíso ou horta?

Se vem chuva do céu, no céu me espero?

Se há água só nos poços, sobe ou desço?

Triste Vasco da Gama

no Mar das Trevas das perguntas velhas,

gastas, regastas, roídas

como cachimbos em segunda mão!

Ai, um pouco do travo do Eclesiastes!

– Vanitas vanitatum! (em latim

estas coisas ressoam bem melhor…)

enfim! Rei ou Poeta – figura de passar.

Confesso: não me confesso

para que me cuspam filosofias e saberes.

Quero a certeza de abraçar irmãos

para ser e sermos antes que a morte venha!

Quero o que negue em nós

o animal raivoso, a besta impura;

mas não quero o pecado de não ter pecados

enquanto houver pecadores.

ANTÓNIO DE SOUSA in “Sete Luas”, Lisboa, 1954 – 2ª edição

Unlike ·  · Share · 54 minutes ago ·

-- 
Chrys Chrystello, An Aussie in the Azores /Um Australiano nos Açores, http://oz2.com.sapo.pt
_______________________________________________
Noticias-aicl mailing list
[email protected]
http://lists.lusofonias.net/mailman/listinfo/noticias-aicl

nas pontas estão o Torga e o Nemésio. E Os outros?
“PENITÊNCIA”

Este viver de líricas fragrâncias

faz-me corar,

lá, onde a minha alma é toda-a-gente

como Deus manda.

Nas pálpebras a lágrima – o aljôfar,

como se diz no bem falar romântico;

dentro, a secura nua e crua dos desertos

onde não há sombra nem pão.

Ponho a minha casaca de cometas,

a ígnea farda de falar às musas,

e olho os esfarrapados

com literária piedade e o coração calado.

Caridade, perdão; Rainhas Santas

de palavras a passar na procissão das frases

e, se me tocam na pele,

fecho-me rápido como os dedos no cabo de um punhal.

Assim, estar assim, dói!

(neste doer de pôr em rezas…)

– Vamos! Quero o caminho de Estar para Ser;

talvez esta hora traga a da feliz viagem!

Esta hora!… a minha última descoberta:

terra fiel de paraíso ou horta?

Se vem chuva do céu, no céu me espero?

Se há água só nos poços, sobe ou desço?

Triste Vasco da Gama

no Mar das Trevas das perguntas velhas,

gastas, regastas, roídas

como cachimbos em segunda mão!

Ai, um pouco do travo do Eclesiastes!

– Vanitas vanitatum! (em latim

estas coisas ressoam bem melhor…)

enfim! Rei ou Poeta – figura de passar.

Confesso: não me confesso

para que me cuspam filosofias e saberes.

Quero a certeza de abraçar irmãos

para ser e sermos antes que a morte venha!

Quero o que negue em nós

o animal raivoso, a besta impura;

mas não quero o pecado de não ter pecados

enquanto houver pecadores.

ANTÓNIO DE SOUSA in “Sete Luas”, Lisboa, 1954 – 2ª edição

Unlike ·  · Share · 54 minutes ago ·

--
Please follow and like us:
error

o lugar da ponta delgada

UMA ESTRATÉGIA BEM CONSEGUIDA

O lugar da ponta delgada: Colonizados sim!

olugardapontadelgada.blogspot.pt

“Esta cidade da Ponta Delgada é assim chamada por estar situada junto de uma ponta de pedra de biscouto, delgada e não grossa como as outras da ilha, quase rasa com o mar, que depois, por se edificar mais perto dela uma ermida de Santa Clara, se chamou

Sábado, Março 30, 2013

Colonizados sim!

Quando o sentir-se colonizado já de si cria repulsa, é duplamente revoltante assistir à impreparação, falta de cultura e estatuto, e completa falta de prestígio e civilidade dos que (embora umas vezes mais hábil, outras de forma mesmo atabalhoada) da “colónia autónoma” só se lembram para humilhar e/ou “sacar”. E não são só “relvices”, como a de equivaler as Assembleias Legislativas do Açores e da Madeira a Assembleias Municipais. São também muitas outras “aldrabices”, como a putativa “extensão da plataforma continental”, milagre geofísico com o qual se pretende abocanhar as riquezas do Mar dos Açores, aliás, como outrora foi feito com as do Brasil, Índia, Angola …, ou até a mais recente “sacanice” ao reduzir o conceito de solidariedade à autorização de acréscimo do endividamento camarário para responder a uma questão que claramente afecta os Açores em geral, não só uma ilha, muito menos um só município!
O preconceito colonial português é velho, e quando muda é para pior. Se há diferenças entre os “velhos colonialistas” e os “colonialistas da nova vaga” estas em nada favorecem os actuais. Uns, os de então, escorados pelo que à época se pensava sobre o assunto, pelo menos não ignoravam que muito antes da Índia, Angola, Moçambique, Cabo Vede e S. Tomé, já os Açores reivindicavam a sua independência. Os de hoje são, quase todos, “uns relvas”!
“A Administração Colonial Portuguesa” (Carneiro de Moura, Livraria Clássica Editora, 1910) é prova de como o tempo passa mas “a escola” permanece. Vale bem uma leitura na íntegra, mas, até porque ajuda a perceber muito do que ainda hoje acontece (e quanto mais de direita for a “administração colonial” tanto pior), deixo-vos com esta parcela da pág. 14 da referida obra:
“ (…) A colonização portuguesa da Madeira e dos Açores está de há muito no regime pleno de assimilação, e Cabo Verde, Angola, Índia, S. Tomé e Moçambique têm sido regidas quase inteiramente pelas leis gerais da metrópole. Mandam deputados ao parlamento, e até se lhes aplica a urdidura política administrativa do continente. E no entanto é nos Açores que as tendências separatistas são mais notadas, de onde não se pode concluir que a política de assimilação não evita a independência das colónias, que alguns julgam ser mais facilitada pelo regime da autonomia.”

Já vai longa esta quaresma. Boa Páscoa!

A.O. 30/03/2013; “Cá à minha moda” (revisto e acrescentado e com outro título) 

Please follow and like us:
error

arqueologia subaquática nos Açores

 

O inicio da arqueologia subaquática nos Açores – vindo directamente de uma outra era geológica (1997), eis o segundo dos 3 Bombordos dedicado à baía de Angra do Heroísmo.

https://vimeo.com/62997404

Os naufrágios da baía de Angra – 1997

vimeo.com

Os primórdios da aventura, numa outra era geológica.
Please follow and like us:
error

FERNANDO PESSOA É VÍTIMA DE “FACEJACKING”

Fakebook dos Escritores, onde Fernando Pessoa é vítima de “facejacking”

Já imaginaste uma conversa no Facebook entre os heterónimos de Pessoa e Luís de Camões, D. Sebastião e Almada Negreiros? Rafael Martínez deu-lhes vida e criou contas aos génios da literatura que, agora, se encontram no “Fakebook dos Escritores”

Texto de Ana Mota e Pedro Santos Ferreira/ JPN • 26/03/2013 – 15:25

 

Pega-se em grandes autores clássicos e contemporâneos como Fernando Pessoa (e heterónimos), Luís de Camões, Dan Brown e Stephen King, e inventa-se a sua conta no Facebook. A brincadeira de Rafael Martínez começou há pouco mais de um mês e já é um sucesso.

 

Em entrevista ao JPN, o autor do “Fakebook dos Escritores” explica como tudo começou. Inicialmente, o objectivo era pôr vários autores a conversar em banda desenhada. Contudo, como não foi possível e, até agora, não se proporcionou, os escritores foram “introduzidos” numa nova realidade: o Facebook.

 

Quem visita a página, apercebe-se que o escritor que está mais vezes “online” é Fernando Pessoa, isto por interesse próprio de Rafael e porque a obra do autor de “A Mensagem” é a que mais o intriga e fascina. Aproveitando os heterónimos (Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis), Rafael Martínez tenta transportá-los para “o nosso mundo”.

 

Mas o que leva um jovem português de 23 anos a pensar e escrever diálogos humorísticos entre escritores que marcam a cultura e a literatura internacional? A ideia surgiu de uma brincadeira que Rafael costuma ter com os amigos e que consiste em supor o que é que personalidades com grande formalidade, diriam ou pensariam sobre determinado assunto, através do Facebook — tudo graças ao interesse despertado pelo professor de Língua Portuguesa, durante o ensino secundário.

 

Os números estão a exceder as expectativas de Rafael Martínez, visto que a página conta com mais de 15 mil seguidores no espaço de dois meses. No entanto, Rafael garante que a ideia da banda desenhada “ainda é uma hipótese” para o futuro. Para já, a hipótese é a “transposição de algumas coisas para formato de vídeo”, algo que não está totalmente definido, afirma o jovem.

 

A página foi fundada a 28 de Janeiro e, desde aí, Padre António Vieira já foi rejeitado pelos peixes, Alberto Caeiro já perdeu as ovelhas, Fernando Pessoa foi vítima de “facejacking” e Luís de Camões já desvalorizou o feito de Michael Phelps.

 

Please follow and like us:
error

joaquim morais alves um macaense de trás-os-montes

JOAQUIM MORAIS ALVES, era secretário-geral da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (STDM), sendo um dos colaboradores próximos de Stanley Ho. Natural de Vila Real, veio a Macau com 16 anos e por aqui ficou até o último dia da sua vida em 27 de Março de 2003. Não era por acaso que os seus amigos lhe apelidavam de “Macaense dos Trás-os-Montes”.
Sempre dedicado às mais variadas formas a vida pública desempenhou funções de grande responsabilidade, entre outras, as de presidente do Leal Senado de Macau, presidente da Comissão de Implementação da Língua Chinesa na Administração de Macau e membro do Conselho Judiciário de Macau. Foi fundador da Companhia de Electricidade de Macau. Foi ainda presidente da Associação Promotora da Instrução dos Macaenses (APIM) , presidente da delegação de Macau da Cruz Vermelha Portuguesa e presidente do Comité Olímpico de Macau.
Deputado à Assembleia Legislativa, em duas legislaturas distintas: em 1980-1984, eleito por sufrágio directo pela lista da Associação para a Defesa dos Interesses de Macau (ADIM), encabeçada por Carlos d’Assumpção; e em 1996-1999, nomeado pelo Governador de Macau.
A sua acção pública em prol de Macau e das suas gentes, valeu-lhe o título Cidadão Emérito de Macau conferido pelo Leal Senado. E de Portugal foi agraciado com os t’tiulos de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique (1973), Grande Oficial da Ordem do Mérito (1995), Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (1999) e, atítulo póstumo, o de Grã-Cruz da Ordem do Mérito (2005).
Até sempre, amigo!
Wednesday at 05:13 · 
Please follow and like us:
error