a história do prédio Coutinho e a inveja dos bufos

Curioso?
Não conhecia a historia deste prédio. Até pensei que estava ilegal, ia contra o ordenamento do território. Muito estranho dada a persistência dos moradores. Mas vejo que afinal a historia será outra.
Aqui fica a partilha de Helena Trindade Lopes, a minha querida antiga professora de Pré-Classicas e uma amiga.

Helena Trindade Lopes

O Prédio Coutinho – “…Que Deus lhes perdoe” ou ” de vez em quando tenho vergonha de ser portuguesa…”

Começo por dizer, para não haver dúvidas, que sou amiga de um dos filhos do antigo proprietário e construtor do prédio Coutinho, o médico António Coutinho, que eu considero um dos melhores seres humanos que conheci na vida. Posto isto, digo:

A minha relação com o prédio Coutinho estabeleceu-se quando, após ter casado com um vianense célebre, há 44 anos, fiz a minha primeira viagem a Viana do Castelo. Recordo-me bem de nos estarmos a aproximar da cidade e de avistar, ao longe, uma imponente construção que se destacava – juntamente com o Hotel de Santa Luzia no topo da montanha – na paisagem da cidade. Para mim, que nasci em Lisboa, olhei com admiração para aquela construção que representava, claramente, a modernidade numa cidade bonita, do litoral, mas com todos os tiques de uma cidade “pequena” e provinciana ( e com esta caracterização já comprei algumas más vontades contra este meu post). Tive, mais tarde, ocasião de visitar dois dos andares do prédio Coutinho e comprovei a qualidade dos seus interiores, a generosidade das suas áreas e, sobretudo, a magnífica vista sobre o rio Lima…
Entretanto, fui também assistindo – ao longo destes 44 anos de casamento – à discussão sobre o prédio Coutinho. De um lado, os detractores, aqueles que diziam que se estava perante um monstro arquitectónico – semelhante ao Imaviz, em Lisboa, pois são da mesma época ( se calhar o Imaviz será o próximo a ir abaixo) – que arruinava a paisagem da cidade e do outro, aqueles que defendiam a modernidade, a visão, a comodidade e uma outra forma de estar na cidade em sintonia com aquele rio que os romanos chamaram do “rio do esquecimento”… Para mim, que não era de Viana, foi desde o início muito claro o que estava em jogo. Os detractores eram aquelas personagens que a História chama de bufos, “olho grande” ou simplesmente invejosos. Gente que não suporta a fortuna alheia e que deseja sempre o mal ao seu semelhante. Do outro, estavam as mulheres e os homens de coração livre e que eu chamaria de cristãos por referência a Cristo e não à instituição Igreja.
Os Vianenses não perdoavam, no fundo, a um dos seus que tivesse triunfado e que demonstrasse o seu êxito de uma forma tão evidente… E foi assim que tudo começou…
A isto juntou-se uma personagem – que eu própria defendi no momento da sua prisão, pelo insólito de toda a situação – que ousou dizer em voz alta que o prédio era um aborto. Chamava-se Sócrates, foi 1º Ministro de Portugal e foi o principal responsável pela aprovação da Lei(s) que levou à “expropriação” do prédio Coutinho…
Imaginem, meus caros amigos e cidadãos, que amanhã alguém dizia que a vossa casa devia ser expropriada por razões de “utilidade pública” ou de “impacto ambiental”. Imaginem, por favor, que era convosco, com os vossos pais ou com os vossos filhos.
A terrível maquinação que um governo socialista – e uma autarquia socialista – levaram a cabo contra o prédio Coutinho e, sobretudo, contra os seus moradores, não tem paralelo na história recente de Portugal.
As únicas demolições que aconteceram, depois do 25 de Abril, em Portugal, foram de construções “ilegais” erguidas no período revolucionário na praia de Faro. Mas o prédio Coutinho não é uma construção ilegal… Então o que se passa?
Passa-se Portugal naquilo que tem de pior. As invejas e as prepotências. As pequenas vinganças pessoais. As merdas mal cheirosas da gente deste país…

Num momento como este tenho muita vergonha de ser portuguesa. Tenho vergonha de todos os políticos do meu país. Do Bloco de Esquerda ao PC, que já estariam no terreno a defender os “indefesos cidadãos” se o prédio Coutinho fosse na Cova da Moura ou na Brandoa em vez de ser em Viana de Castelo. Tenho vergonha de todas as organizações cívicas e de todos os meios de comunicação social que já teriam aberto e fechado telejornais com as imagens dos “idosos desamparados” se estes idosos fossem negros, ciganos ou migrantes… Gente que comprasse votos!
Tenho vergonha, tenho muita vergonha!

Assim sendo, num momento como este, só posso exprimir, em voz alta, as palavras que Cristo, o mais revolucionário de todos os homens que eu já conheci, proferiu ao ser torturado na cruz: “Que Deus lhes perdoe…”

P.S. – Solicito a todas as minhas amigas e amigos, mulheres e homens que defendem os valores da liberdade, da integridade e do “bem”, que partilhem este meu post nas vossa redes. Amanhã pode acontecer-vos a vós, aos vossos pais ou aos vossos filhos.

Continuar a lera história do prédio Coutinho e a inveja dos bufos

Please follow and like us:
error

planeta terra- nova colonização, a do lixo

TERRA, PLANETA DE LIXO E POLUIÇÃO

Mais de 3 biliões de toneladas de lixo são produzidos anualmente pela civilização actual que já está sofrendo o impacto do que provoca à Natureza e vai desencadeando os chamados acontecimentos de “Juizo Final”.

Nenhuma outra civilização encheu o planeta de tanto lixo como a do século XX-XXI que sofrerá as consequências de tanta ganância e ambição pelo consumismo e materialismo desmedido que levará a Humanidade à destruição, sobrevivendo apenas aqueles que habitarão a Terra após esta sofrer a necessária Renovação.

Na verdade, sabem os “Engenheiros Siderais” o que devem fazer ao 3º Planeta do Sistema Solar que está ficando doente e carece urgentemente duma Cósmica Intervenção, podendo ser submetido a um processo de Tratamento nunca realizado em sua estrutura desde a sua Fundação, sendo os elementos Água e Fogo os que mais vão ser utilizados para a necessária “Purificação”.

Quem puder entenda…

Pausa para reflexão!

Rui M. Palmela

Image may contain: sky, ocean, cloud, outdoor, nature and water
Image may contain: outdoor and water
Image may contain: cloud, sky, outdoor and nature
Image may contain: sky, cloud, twilight and outdoor
Rui M. Palmela

TERRA, PLANETA DE LIXO E POLUIÇÃO

Mais de 3 biliões de toneladas de lixo são produzidos anualmente pela civilização actual que já está sofrendo o impacto do q

See more

Please follow and like us:
error

Dalai Lama warns the whole of Europe could become ‘Muslim or African’ if migrants are not returned | Daily Mail Online (não consegui reverificar a notícia)

The Dalai Lama, who was granted asylum by India in 1959 after he fled the Chinese, said only a ‘limited number’ of migrants should be allowed to remain in Europe.

Source: Dalai Lama warns the whole of Europe could become ‘Muslim or African’ if migrants are not returned | Daily Mail Online

Please follow and like us:
error

“O neoliberalismo aplica a necropolítica – deixa morrer pessoas que não são rentáveis.” – Resista! Observatório de resistências plurais

A ativista e escritora Clara Valverde discorre sobre os efeitos da necropolítica enquanto forma de governar para opor segmentos excluídos e segmentos incluídos na sociedade.

Source: “O neoliberalismo aplica a necropolítica – deixa morrer pessoas que não são rentáveis.” – Resista! Observatório de resistências plurais

Please follow and like us:
error

milhares de crianças desaparecidas (tráfico e outras coisas que ninguém investiga..

As crianças fazem parte dos 32 mil migrantes mortos ou desaparecidos no mesmo período, embora a OIM alerte que os dados estejam incompletos e que o número real de vítimas seja certamente maior, em particular entre menores, cujos casos são menos relatados do que os de adultos.

Todos esses dados são recolhidos pelo Projeto de Migrantes Desaparecidos da OIM, que divulga um relatório anual desde 2014 e que neste ano conta, pela primeira vez, com a colaboração do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). (…)

Please follow and like us:
error