ESTRUTURAS TROGLODITAS nos açores

Estruturas Trogloditas?
Os Açores com 9 Ilhas com várias idades a Ilha de Santa Maria é amais velha com 8 milhões de anos a ilha São Miguel com 4 milhões de anos e a mais nova a ilha do Pico com 300. mil anos. Os Açores não nasceram para os portugueses descobrirem. O Doutor Gaspar Frutuoso no livro IV Saudades da Terra na página nº 5 escreveu que foram os Cartagineses que as descobriram todas as ilhas dos Açores.
A ilha do Corvo esteve já os portugueses estavam a povoar todas as ilhas Dom Manuel I segundo o cronista Damão de Góis que mandou cortar a escope e martelo para levar para o reino a estátua de cavaleiro Fenício apontando para o Norte?
Magno Jardim, Marcos Álvarez Basarts Jose M. José M. Espinel Cejas,Agustín Demetrio Pallarés Lasso e Chrys Chrystello

Continuar a ler

património abandonado dos açores2

S.O.S. Açores shared a memory.
4 hrs

Mirante de Laranjal.

Alguns Mirantes tinham um vigia permanente.
Se alguém se magoava ia para para vigia no Mirante.
Na pate debaixo do Mirante havia alguns apr

See more

Image may contain: sky, plant, outdoor and nature
Image may contain: outdoor
Image may contain: cloud, sky and outdoor

Exportação de Laranja.

Mirante de Laranjal.

Alguns Mirantes tinham um vigia permanente.
Se alguém se magoava ia para para vigia no Mirante.
Na pate debaixo do Mirante havia alguns aproveitamento para embalar as laranjas nas caixas no fundo de cada caixa levava as folhas secas das maçarocas eram desfiadas entre vários pregos para ficar ás tiras (como fossem a fibra de madeira) e eram transportadas em carroças até ás barcaças para ir até ao navio que ficava ao largo ( ainda não existia o Porto de Cidade de Ponta Delgada mais tarde Molhe de António Oliveira Salazar.

O livro de doutor Carreiro da Costa na página 130 segundo uma estatística de foram importadas 1841 duzias de tabuado e 12.999 de Boana ou seja tábuas delgadas para fazer as ditas caixas no ano de 1813 para poderem exportar para Inglaterra e América e outros destinos desta ilha de São Miguel Açores. Assim foi em tempos antigos

Image may contain: sky, plant, outdoor and nature
Image may contain: outdoor
Image may contain: cloud, sky and outdoor

MARGARIDA VICTÓRIA BORGES DE SOUSA JÁCOME CORREIA

  • MARGARIDA VICTÓRIA BORGES DE SOUSA JÁCOME CORREIA

    – Marquesa de Jácome Correia –

    ▬▬▬▼

    Relato duma exposição ocorrida este ano na Biblioteca Nacional (Lisboa) sobre a intervenção literária desta ilustre açoriana :► [ A presente mostra reúne edições de Amores da Cadela «Pura», o autógrafo do prefácio de Margarida Jácome Correia, o texto da badana da primeira edição preparado por Vitorino Nemésio, além de cartas deste sobre o assunto. Expõem-se ainda manuscritos, originais, a 1.ª edição de Cadernos de Caligrafia, de Vitorino Nemésio, e outros poemas em que Margarida Jácome Correia é a musa, complementados com fotografias de ambos. São também evocadas as origens de Margarida Vitória, com fotografias e bilhetes-postais ilustrados de casas de família, fotografias da própria em várias fases da vida.]

    ►[Detentora de grande beleza, de forte personalidade, e de considerável fortuna familiar, Margarida Vitória Borges de Sousa Jácome Correia, Marquesa de Jácome Correia ou, para o povo da Ilha de S. Miguel, A Marquesinha, era filha de Aires Jácome Correia, marquês de Jácome Correia, e de Dona Joana Chaves Cymbron Borges de Sousa. Cultivou relações com personalidades importantes do meio cultural português, designadamente os escritores Armando Côrtes-Rodrigues, com quem foi casada, Domingos Monteiro, Hernâni Cidade, Natália Correia e Vitorino Nemésio.

    ►A sua vida afetiva, recheada de acidentes por vezes dramáticos, por vezes pitorescos, atingiu contornos escandalosos para os padrões portugueses e sobretudo insulares da época. Foi através de Côrtes-Rodrigues que Margarida Vitória conheceu Vitorino Nemésio, que por ela se apaixonou, vivendo os dois uma relação amorosa de enorme intensidade que durou até à morte de Nemésio e que este registou nos poemas que viria a reunir no livro Caderno de Caligraphia. Encontram-se ecos desta relação nas memórias de Margarida Vitória, o polémico Amores de Cadela «Pura»: confissões, cujo primeiro volume (1976) foi escrito com o apoio de Vitorino Nemésio – e sobretudo no segundo volume, concluído pouco antes da morte da autora e que só viria a ser publicado em 2004.]

    @ Ryc

Timor-Leste/20 anos: Viúva de jornalista australiano morto em 1975 entrega petição a MNE

Díli, 30 ago 2019 (Lusa) — Sherley Shackelton, viúva de um dos cinco jornalistas australianos mortos em Timor-Leste em 1975 entregou hoje à ministra dos Negócios Estrangeiros australiana uma petição para que Camberra abandone o julgamento de dois homens que denunciaram espionagem australiana em Díli.

Source: Timor-Leste/20 anos: Viúva de jornalista australiano morto em 1975 entrega petição a MNE