timor lorosae notícias 31 maio 2013

TIMOR LOROSAE NAÇÃO – diário


PEQUIM GERA CONFUSÃO ENTRE OS EUROPEUS

Posted: 30 May 2013 02:38 PM PDT

LE MONDE, PARIS – Presseurop – imagem Mohr
Uma vez mais, a Europa está dividida. Uma vez mais, Berlim quer que uma voz alternativa à do coro europeu seja ouvida. E uma vez mais, é a China que vai ganhar.
A China desafia a União Europeia. Está a testar a capacidade dos Vinte e Sete em manter a única verdadeira política comum existente: a política comercial. Enquanto entidade singular na cena internacional, a Europa só continua a existir por causa do comércio. Será que, neste caso, os europeus também vão baixar os braços?
Há muita coisa em jogo. A prova desenrola-se num domínio que afeta as indústrias do futuro: o fotovoltaico. O comissário europeu responsável pelo Comércio, o belga Karel De Gucht, acusa as indústrias chinesas do setor de dumping maciço. Quer introduzir, até ao dia 5 junho, um direito aduaneiro provisório de 47%, em média, nos painéis solares chineses. Este tenciona defender os fabricantes europeus do setor. São cerca de 25 mil os empregos ameaçados pelas práticas comerciais desleais dos seus concorrentes chineses.
De Gucht é um homem respeitável. Tem um dossiê sólido. Jurista de profissão, o comissário não faz mais do que seguir o exemplo dado pelos americanos. Cansados de competir com concorrentes subvencionados, os Estados Unidos instauraram no verão de 2012 um imposto de 31% a 250% sobre os painéis solares chineses importados.
O caso não é tão simples quanto parece. Na Europa, a indústria dos painéis solares já está em forte declínio. O setor é dominado pelas empresas europeias que instalam dispositivos solares. É, portanto, do interesse deles conseguirem painéis baratos – por outras palavras: chineses…
O que explica, em parte, o facto de haver 17 membros da UE a contestarem a ofensiva de De Gucht. São liderados pela Alemanha, tendo em conta que a China é o terceiro parceiro comercial do país. Uma Alemanha que produz cerca de dois terços do seu excedente comercial fora da Europa, nomeadamente na Ásia, e sobretudo na China.
“Bárbaros” divididos
Berlim não quer, de forma alguma, travar uma guerra comercial com Pequim: os exportadores alemães têm medo de perder o mercado chinês. Para eles, este mercado vale mais do que a união dos europeus. E, ao receber o seu homólogo chinês, Li Keqiang, a chanceler Angela Merkel rejeitou esta semana o projeto de taxação da Comissão de Bruxelas e propôs negociar com Pequim.
Alguns argumentos dos europeus que se opõem à iniciativa de De Gucht são provavelmente válidos. Mas o método utilizado é absurdo e contraprodutivo. Deste ponto de vista, o exemplo de Merkel é catastrófico. Uma vez que não há nada que satisfaça mais os chineses do que ver os “bárbaros” divididos. Tanto nas relações comerciais como noutros setores, a China sabe explorar a falta de união dos europeus. Tem meios para exercer pressão sobre a Alemanha para que Berlim arraste em seguida o resto da União.
A melhor estratégia a adotar, para todos os europeus, teria sido apoiar publicamente a iniciativa de De Gucht para alcançar uma posição de força que lhes teria permitido negociar com a China. Por outras palavras, deveriam ter feito como os Estados Unidos, e não agir, uma vez mais, como “ursinhos carinhosos” do comércio internacional.
VISTO DA ALEMANHA
Acordo de Comércio Livre em vez de sanções
Ao impôr pesados direitos aduaneiros aos painéis fotovoltaicos de origem chinesa, “a UE impede a viragem energética”,considera o Tageszeitung. Para o diário de esquerda, é uma decisão que poderá virar-se contra nós, visto que foram os fabricantes chineses que tornaram possível o boomda produção de energia solar […]. Não nos podemos esquecer de que o preço da energia solar está hoje mais baixo do que nunca. Ainda não há muito tempo, o quilowatt/hora custava 40 cêntimos. Hoje, não chega a custar 20 cêntimos.
Com exceção de alguns produtores alemães de painéis solares, que exigiram sanções contra a China, os empresários alemães não receiam a importação de painéis baratos da China, adianta oTageszeitung. Pelo contrário, a proposta de um acordo de comércio livre entre a China e a Alemanha, apresentada pelo primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, aquando da sua visita a Berlim, no passado dia 26 de maio, “suscitou grande interesse na economia alemã”:
Só a eliminação dos direitos alfandegários às exportações alemãs para a China poderá provocar um aumento de pelo menos €4 mil milhões.
BNU anuncia linha de crédito de 30 milhões de dólares para empresas timorenses

Posted: 30 May 2013 11:52 AM PDT

MSE – MLL – Lusa
Díli, 30 mai (Lusa) – O diretor-geral do Banco Nacional Ultramarino em Timor-Leste, da Caixa Geral de Depósitos, Fernando Torrão Alves, anunciou hoje uma linha de 30 milhões de dólares para financiar empresas timorenses e projetos do Governo ligados às infraestruturas.
Segundo Fernando Torrão Alves, o financiamento está aprovado e falta apenas uma “luz verde” e a “criação de canais facilitadores à concretização do crédito por parte das autoridades timorenses”.
Fernando Torrão Alves falava durante a cerimónia de inauguração de uma nova agência em Díli.
“Esta linha de crédito destina-se a financiar as empresas timorenses e outras para projetos do Governo ligados a quaisquer infraestruturas e, portanto, é, quanto a nós, um dos instrumentos essenciais para alavancar o processo de desenvolvimento e de crescimento económico de Timor-Leste”, afirmou Fernando Torrão Alves.
Segundo o diretor-geral do BNU, o setor privado timorense só pode crescer se tiver linhas de crédito disponíveis, mas de acordo com padrões razoáveis de segurança e metodologias reconhecidas internacionalmente.
“Há ainda muito por fazer (…), designadamente quanto ao registo de garantias reais que permitam melhorar os riscos sobre a concessão de crédito, baixando-se assim as taxas de juro, bem como a informação contabilística das empresas”, explicou Torrão Alves.
O diretor-geral do BNU referia-se ao facto de, por exemplo, em Timor-Leste não ser possível fazer uma hipoteca.
O BNU foi o primeiro banco a instalar-se em Timor, tendo inaugurado a primeira agência bancária em 1912.
Em 1968, o banco construiu um novo edifício de raiz, que após a ocupação indonésia voltou a ser recuperado e abriu oficialmente ao público a 10 de julho de 2001.
Com a inauguração do novo balcão em Díli, a sucursal do grupo Caixa Geral de Depósitos em Timor-Leste passou a dispor de nove agências distribuídas por sete distritos.
CHINA A CAMINHO DE ULTRAPASSAR EUA E SER A MAIOR ECONOMIA DO MUNDO

Posted: 30 May 2013 11:47 AM PDT

A China deverá ultrapassar os Estados Unidos e passar a ser a maior economia do mundo nos próximos anos e a Índia já deverá ter ultrapassado o Japão, sendo agora a terceira maior economia global, segundo a OCDE.
De acordo com o ‘Economic Outlook’, publicado nesta quarta-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a China deverá ultrapassar os Estados Unidos e passar a ser a maior economia do mundo nos próximos anos e a Índia já deverá ter ultrapassado o Japão, sendo agora a terceira maior economia global no início da década de 2030.
Por outro lado, o Produto Interno Bruto (PIB) combinado do Brasil, da Rússia, da Índia, da Indonésia, da China e da África do Sul (os BRIICS) deverá igualar o PIB conjunto das actuais economias que compõem a Organização. Actualmente, o produto dos BRIICS corresponde a apenas metade do dos países da OCDE.
Nas suas perspectivas de longo prazo, a OCDE estima que, até 2060, o PIB per capita deverá aumentar mais de oito vezes na Índia e cerca de seis vezes na Indonésia e na China, respectivamente, ao passo que deverá apenas duplicar nos países de alto rendimento que integram a instituição liderada por Angel Gurria.
No entanto, o Produto dos países de baixo rendimento vai continuar a estar bastante abaixo do dos que têm rendimentos elevados: o PIB per capita (tendo em conta a paridade do poder de compra) do Brasil, da Índia e da Indonésia deverá ser equivalente a apenas 30 a40% do produto dos Estados Unidos em 2060.
TIMOR-LESTE VAI ASSINAR ACORDO COM UNIVERSIDADE BRITÂNICA

Posted: 30 May 2013 11:43 AM PDT

BM – VM – Lusa
Londres, 30 mai (Lusa) – A universidade britânica de Bolton e as autoridades timorenses vão assinar um memorando de entendimento na segunda-feira para desenvolver uma “colaboração académica e comercial”, anunciou hoje a instituição.
“Estudantes de Timor-Leste poderão estudar na Universidade de Bolton e haverá oportunidades futuras para intercâmbios de estudantes com instituições de ensino no país do sudoeste asiático”, informou.
O acordo prevê ainda planos para colaboração em investigação e serviços de consultoria por parte da universidade, localizada perto de Manchester, no norte de Inglaterra, onde está concentrada uma parte importante da comunidade timorense que reside no Reino Unido.
O documento será formalizado durante uma visita do ministro da Justiça timorense, Dionisio Babo Soares, durante a qual dará uma palestra intitulada “O Sistema Judicial em Timor-Leste – Causas, Efeitos e Influências”.
No comunicado, a instituição nota que, além de ser o mais jovem país da Ásia e a mais recente democracia mundial, Timor-Leste “prepara-se para fazer investimentos internos consideráveis, através das reservas de gás e petróleo, em particular para apoiar a educação superior dos seus cidadãos”.
A Universidade de Bolton recebeu nos últimos anos o investimento de vários milhões de euros na construção de instalações comuns e a instalação de equipamento e um centro de investigação na área da saúde, contando com cerca de 13 mil alunos.
ECONOMIA DE MACAU CRESCEU 10,8% NO PRIMEIRO TRIMESTRE

Posted: 30 May 2013 11:39 AM PDT

PNE – MLL – Lusa
Macau, China, 30 mai (Lusa) – O Produto Interno Bruto (PIB) de Macau aumentou 10,8%, em termos reais, no primeiro trimestre face a igual período de 2012, para 94.662 milhões de patacas (9,1 mil milhões de euros), revelam dados oficiais hoje divulgados.
De acordo com os Serviços de Estatística e Censos, o crescimento do PIB foi “impulsionado principalmente pela subida da exportação de serviços, despesa de consumo privado e do investimento”.
O deflator implícito do PIB, que mede a inflação global, ascendeu 6,5% face ao primeiro trimestre do ano passado.
Entre janeiro e março, o investimento global aumentou 13,8%, a despesa de consumo privado 10,2%, a exportação de serviços do jogo 8,9% e a exportação de outros serviços turísticos 4,9%.
A formação bruta de capital fixo teve uma expansão de 14,7% face aos três primeiros meses do ano passado, com o investimento do setor público a aumentar 40,6%, na sequência do acréscimo de 40,4% do investimento em construção, nomeadamente nas obras da Universidade de Macau na ilha da Montanha, do metro ligeiro e da habitação pública.
O investimento em equipamento pelo Governo de Macau aumentou 71,5% no primeiro trimestre, enquanto o investimento do setor privado subiu 8,7%.
O aumento da despesa em consumo privado é justificado pelos Serviços de Estatística e Censos com o crescimento do número de empregados e do rendimento de trabalho.
A despesa de consumo final das famílias de Macau realizada no território aumentou 10% e no exterior 9,5%, enquanto a do Governo teve um acréscimo de 1,7%.
A exportação de mercadorias manteve a tendência de subida, com um aumento de 16,4%, ao mesmo tempo que a importação de bens e produtos também teve uma expansão, de 10,4% devido “aos acréscimos da despesa de consumo privado, de visitantes e do investimento”.
A exportação de serviços também aumentou 8,5% no primeiro trimestre devido ao “contínuo acréscimo das receitas brutas do jogo, do número de visitantes e da sua despesa”, e a importação de serviços registou um crescimento de 1,6%.
AUSTRALIANO CONDENADO A PENA DE PRISÃO POR TERRORISMO NA ARÁBIA SAUDITA

Posted: 30 May 2013 11:36 AM PDT

DM – DM – Lusa
Sydney, Austrália, 30 mai (Lusa) — Um cidadão australiano foi condenado a uma pena de quatro anos e meio de prisão na Arábia Saudita, por terrorismo, revelou hoje o seu advogado, que pretende recorrer da decisão por considerar que o seu julgamento foi injusto.
Shayden Thorne foi detido em novembro de 2011, depois de terem sido encontrados documentos contendo mensagens relacionadas com alegados atos terroristas num computador em sua posse, que tinha levado emprestado, segundo a família, de uma mesquita local.
A família disse que o jovem australiano, de 25 anos, confessou o crime, mas somente depois de ter sido torturado na prisão, pelo que defendem que a sua confissão não deve ser considerada como prova.
Oriundo de Perth, Thorne residia há 12 anos na Arábia Saudita com o irmão, Junaid Muhammed, de 23 anos, o qual também passou sete meses na prisão por protestar contra a detenção do seu irmão mais velho.
O advogado saudita Abdul Jalil Al-Khalidy explicou à imprensa australiana que sobre Shayden Thorne, que se encontrava preso há um ano e meio numa cadeia nos arredores de Riade, pendiam cinco acusações, incluindo apoio e encorajamento do terrorismo.
Shayden Thorne foi condenado, esta quarta-feira, por um tribunal de Jeddah.
“Penso que ele é inocente e vou tentar recorrer”, declarou o causídico, citado pelo jornal The Australian, apontando que não existe qualquer prova da culpa, além da confissão, a qual foi, de acordo com o irmão de Shayden Thorne, extorquida sob tortura.
“Se o governo australiano pudesse intervir, talvez isso pudesse ajudar à sua libertação”, disse o advogado.
GOVERNO BIRMANÊS E REBELDES KACHIN ASSINAM ACORDO DE CESSAR-FOGO

Posted: 30 May 2013 11:30 AM PDT

EJ – VM – Lusa
Rangum, 30 mai (Lusa) – O Governo birmanês e os rebeldes da minoria étnica kachin, a última rebelião ainda em atividade no extremo norte do país, assinaram hoje um acordo de cessar-fogo provisório, anunciou um mediador.
Os representantes da rebelião e do Governo assinaram um plano de sete pontos, que prevê “o fim dos combates”, declarou à agência noticiosa francesa AFP o negociador do Centro para a Paz na Birmânia, Min Zaw Oo.
“O acordo destina-se a pôr fim aos combates, numa primeira fase. Em seguida, haverá negociações mais avançadas sobre o reposicionamento das tropas”, afirmou Min Zaw Oo.
Estas negociações foram organizadas pela primeira vez em território birmanês desde o reinício dos combates, em junho de 2011, após 17 anos de tréguas.
O encontro teve início na terça-feira na capital do estado kachin, Myitkyina, entre representantes do Exército para a Independência Kachin (KIA, sigla em inglês) e do braço político Organização para a Independência Kachin (KIO) e emissários do Governo birmanês.
Os grupos étnicos participantes nas negociações convidaram um representante da ONU, Vijay Nambiar, a assistir ao encontro.
Desde 2011, as duas partes já realizaram uma dezena de encontros, que não impediram a intensificação dos combates em dezembro, antes de o poder ter anunciado um cessar-fogo unilateral, também incapaz de calar totalmente as armas.
O exército tomou uma posição essencial para os rebeldes, perto do quartel-general rebelde, situado na localidade de Laiza, na fronteira com a China.
Os combates entre os rebeldes e o exército governamental deslocaram dezenas de milhares de pessoas e, de acordo com observadores – citados pela AFP -, um eventual acordo deverá ultrapassar, para vingar, as várias reticências entre as duas partes e os interesses financeiros dos atores ligados ao conflito.
BNU INAUGURA NOVA AGÊNCIA EM DÍLI E ABRE MAIS TRÊS AINDA ESTE ANO

Posted: 30 May 2013 06:45 AM PDT

MSE – PDF – Lusa
Díli, 30 mai (Lusa) – O diretor-geral do Banco Nacional Ultramarino (BNU), da Caixa Geral de Depósitos, em Timor-Leste, Fernando Torrão Alves, disse hoje que o banco vai abrir três novas agências no país este ano.
“Iremos abrir ainda este ano mais três agências em distritos onde ainda não estamos, nomeadamente Liquiçá, Manatuto e Lospalos”, afirmou Torrão Alves.
O diretor-geral do BNU falava durante a cerimónia de inauguração de uma nova agência em Díli, situada no centro comercial Timor Plaza.
“Pretendemos reforçar o nosso posicionamento no mercado financeiro deste jovem país, procurando, como sempre, estar ao lado das forças vivas de Timor-Leste, contribuindo de forma muito vincada para o desenvolvimento deste país”, disse.
No discurso, Fernando Torrão Alves reafirmou a vontade do BNU de colocar Timor-Leste no “mapa bancário internacional” com a ligação “muito em breve” à rede Visa.
“Ainda este ano emitiremos os próprios cartões de débito e crédito da rede Visa”, acrescentou.
O BNU foi o primeiro banco a instalar-se em Timor, tendo inaugurado a primeira agência bancária em 1912.
Em 1968, o banco construiu um novo edifício de raiz, que após a ocupação indonésia voltou a ser recuperado e abriu oficialmente ao público a 10 de julho de 2001.
Com a inauguração do novo balcão em Díli, a sucursal do grupo Caixa Geral de Depósitos em Timor-Leste passou a dispor de nove agências distribuídas por sete distritos.
GALERIA PORTUGUESA APRESENTA 39 OBRAS NA PRIMEIRA FEIRA DE ARTE DE MACAU

Posted: 30 May 2013 06:37 AM PDT

PNE – VM – Lusa
Macau, China, 30 mai (Lusa) – A galeria Cordeiros, do Porto, é a única presença portuguesa na primeira feira de arte de Macau, que abriu hoje portas, apresentando no certame 39 obras de artistas portugueses e estrangeiros, incluindo um quadro de Andy Warhol.
A “Art Macao”, organizada pelo grupo Longhei, sediado na Região Administrativa Especial chinesa, ocupa uma área de 6.500 metros quadradosno centro de convenções do hotel-casino The Venetian e conta com a participação de cerca de 50 galerias de países como a China, Coreia, Japão, França, Bélgica, Israel, Canadá e Portugal, que apresentam no certame mais de 1.000 obras.
A galeria Cordeiros, aberta desde 1995 na casa onde nasceu a escritora Sophia de Mello Breyner, no Porto, está pela segunda vez a participar em certames de arte na Ásia, depois de Singapura, já que este mercado regional revela “grandes possibilidades de crescimento”, disse à agência Lusa o diretor, Agostinho Cordeiro.
“Temos expostas aqui 39 obras de pintura e fotografia de artistas portugueses como Moita Macedo, António Macedo, Mário Bismarck, Nuno Cordeiro, Baltasar Torres, Sobral Centena, e estrangeiros, como o espanhol Barceló e Andy Warhol”, indicou o diretor da galeria portuense.
O retrato de Barbara Molasky, de Andy Warhol, que data de 1980, é a obra mais valiosa da Cordeiros, apresentando um valor de cinco milhões de euros, mas a galeria apresenta também em Macau arte a preços mais acessíveis, como duas fotografias de Nuno Cordeiro, que valem 1.200 euros cada uma.
Agostinho Cordeiro começou a adquirir obras de vários artistas há mais de 30 anos e hoje a sua galeria conta com “algumas centenas” de peças de pintura, escultura e fotografia assinadas por nomes como Tàpies, Paula Rego, Julião Sarmento, entre outros, mas a crise em Portugal forçou uma internacionalização do negócio.
“A situação em Portugal é dramática, não há compradores, há mais vendedores, porque a crise é muito grande e as pessoas desfazem-se dos bens e há muita gente a desfazer-se da pintura, por isso começámos a apostar fortemente em feiras internacionais no ano passado”, explicou.
A “Art Macao” é já a quinta em que a Cordeiros participa este ano.
José Drummond, artista português radicado em Macau que tem obras expostas na feira de Macau, considera que este certame é o primeiro passo para o território desenvolver um mercado de arte e poder até “ambicionar ter uma trienal de arte contemporânea”.
Drummond defende, por isso, a continuidade da feira, como a organização planeia, e salienta como aspetos positivos o facto de contar com galerias de várias regiões do mundo e com uma exposição dedicada aos artistas de Macau para que estes possam ter uma plataforma direta para mostrarem o seu trabalho num contexto internacional.
James Chu, artista de Macau e diretor da associação Art for All (AFA), sublinhou a importância de o território, “enquanto cidade internacional, ter uma feira de arte”, mas considera que Macau “tem ainda muito a aprender e experiência a adquirir” na área e que também “não deve esperar tornar-se num centro de arte da Ásia”, devido à limitada dimensão do mercado local.
“Há feiras de arte em todo o mundo, mais de 300, e Macau precisa de ter alguma coisa para que as pessoas se lembrem desta feira. Hong Kong tem das melhores feiras de arte do mundo e nós estamos tão perto, por isso se não mostrarmos a nossa diferença, por que razão é que as pessoas virão a Macau?”, questionou.
O presidente do Instituto Cultural, Guilherme Ung Vai Meng, referiu, à margem da cerimónia de inauguração da “Art Macao”, que o território “tem finalmente capacidade para organizar uma feira de arte desta dimensão” e manifestou-se satisfeito por a mesma não ter esquecido os artistas locais.
“Esta feira é só o primeiro passo, espero que no futuro possa crescer e tornar-se numa referência desta região da Ásia, porque não basta uma cidade ter dinheiro, o mais importante é a cultura, porque ela é a alma da cidade”, concluiu.
A “Art Macao” está de portas abertas até domingo.
MULHERES DE OECUSSE REALIZAM 4º CONGRESSO REGIONAL

Posted: 30 May 2013 05:09 AM PDT

30 de Maio de 2013, 19:42
O 4º Congresso Regional das Mulheres Timor-Leste este ano realizou-se no distrito de Oecusse e a abertura foi feita pelo Adjunto do Administrador do Distrito de Oecusse, Cancio Koa. O congresso decorreu de 27 a 28 de Maio 2013.
Na abertura, o Adjunto Administrador, Cancio Koa, disse que todos os timorenses têm que colaborar e ver juntos o que é que falta fazer para melhorar o desenvolvimento nacional.
Num comunicado de imprensa a Rede Feto disse que a escolha do distrito de Oecusse para o congresso foi muito importante porque assim as mulheres do distrito podem transmitir os problemas que têm ou recomendar algumas sugestões que serão depois discutidas no próximo Congresso Nacional das Mulheres de Timor-Leste.
O congresso decorreu no auditório da Igreja Numbei, Suco Costa, no sub-distrito de Pante Makasar. Participaram no evento delegações de 4 sub-distritos: Passabe, Pante Makasar, Nitibe e Oesillo, representantes do governo local, PNTL, organizações nacionais e internacionais, instituições religiosas e os media de Oecusse.
Sapo TL e CJITL
Please follow and like us:
error

CPLP estágios não remunerados

Notícias

Abertas candidaturas para estágios curriculares

Encontra-se aberto até 15 de Junho, um período para apresentação de candidaturas para 10 Estágios Curriculares (não remunerados), na Sede da CPLP, no âmbito da Campanha de angariação de fundos: Juntos contra a Fome – alimentando a esperança na CPLP”, a ser desenvolvida em parceria pela CPLP e FAO, com a finalidade de apoiar a implementação de projetos de Segurança Alimentar, nos estados membros da Comunidade. (termos de referencia em anexo)
29-05-2013
Please follow and like us:
error

uma utopia chamada Corvo

http://parquesnaturais.azores.gov.pt/pt/corvo/noticias/locais/1889-uma-utopia-chamada-corvo

Uma utopia chamada Corvo

parquesnaturais.azores.gov.pt

Desde a minha adolescência que as Ilhas dos Açores faziam parte do meu imaginário, cada artigo que lia sobre as maravilhas da sua vida marinha tornava uma visita a estas ilhas, uma necessidade. As baleias, os golfinhos, os grandes cardumes de pelágicos, as jamantas e tubarões, os meros… a ideia de u…
Please follow and like us:
error

moçambique e o ao1990

 

O Embaixador de Moçambique junto da UNESCO justifica a não ratificação do AO com a dificuldade de formação de professores na nova grafia, os custos da mudança nas instituições… E que tal se fizessem a mudança a pouco e pouco, como Portugal e o Brasil estão a fazer?

http://www.portugues.rfi.fr/africa/20130529-lingua-portuguesa-um-passaporte-de-oportunidades-0

“Língua portuguesa, um passaporte de oportunidades”

www.portugues.rfi.fr

Esta terça e quarta-feira, Paris foi palco do Congresso da Língua Portuguesa no Mundo, organizado pela Universidade Sorbonne-Nouvelle. Representantes dos vários…
Please follow and like us:
error

música na Galiza (Angola)

 

ANGOLA E A GALIZA UNIDAS PELA MÚSICA.
A cantora e compositora angolana ALINE FRAZÃO canta “Maria Silêncio”, um formoso poema de RICARDO CARVALHO CALERO. Com esta canção ganhou o concurso convocado pela AGAL para premiar a quem musicasse melhor os poemas do escritor e intelectual de Ferrol.
A Minha Embala – Maria Silêncio (letra em legendas de Ricardo Carvalho-Calero)

www.youtube.com

A Minha Embala canta Ricardo Carvalho-Calero, “Maria Silêncio” Imagens da Galiza
Please follow and like us:
error

TEATRO FITEI

29.05.2013 08:42

Festival de Teatro de Expressão Ibérica, FITEI ,começa hoje no Porto com a peça “Namíbia, Não!”, o início de um festival com 36 edições que só acontece graças a fundos brasileiros.

A direção do festival recordou isso na terça-feira, em comunicado, classificando  o FITEI de 2013 como “um festival de resistência” que se realiza com o apoio  da Funarte – Fundação Nacional de Artes do Governo Brasileiro em parceria  com o Teatro Nacional São João, o Teatro Helena Sá e Costa, o Serralves  em Festa e o Instituto Francês”.

Mário Moutinho, o diretor do festival confessou mesmo à Lusa “que chegou  a ponderar-se se isto deveria ser apresentado como um festival ou como uma  mostra de teatro brasileiro”, já que das 14 companhias a apresentar, entre  hoje e 10 de junho, 11 são brasileiras.

Este ano, o festival não recebeu qualquer subsídio da secretaria de  Estado da Cultura e o apoio financeiro do Funarte é concedido no âmbito  do Ano do Brasil em Portugal.

A peça a ser apresentada hoje é “Namíbia, Não!”, de Aldri Anunciação,  a primeira encenação de Lázaro Ramos, principalmente conhecido como ator  (foi protagonista de filmes como “Madame Satã” ou “Carandiru” e desempenhou papéis em diversas telenovelas e numerosas peças de teatro). A peça repete  a 30 de Maio, à mesma hora.

Lazuli Cultura, Sutil Companhia de Teatro, Ágora, Razões Inversas, Grupo  XIX de Teatro são algumas das companhias presentes. Os espetáculos abordam  temas que vão desde o racismo, à desigualdade social, à reflexão sobre artistas  como Elizabeth Bishop sendo também de registar a presença de várias companhias de dança.

A conhecida cantora Maria Bethânia vai dar dois espetáculos (a 7 e 8  de junho) em que intercala textos e canções da tradição portuguesa e brasileira,  pouco habituais no seu reportório.

Destaque ainda para “Orfeu Mestiço – Uma Hip-hópera brasileira”, de Claudia Schapira que aqui apresenta uma versão “tropical” do mito grego  de Orfeu e Eurídice.

As únicas exceções ao universo dramático brasileiro é uma proposta do Teatro Helena Sá e Costa em torno das danças latino-americanas, com a Allantantou  Danse Company e a Cubania Dance Company, e uma performance para o “Serralves  em Festa” pela companhia francesa Cie Jo Bithume.

Lusa

.

__,_._,___
Please follow and like us:
error