leia devagar e com atenção …leia até ao fim

Assunto: Enc: Dependendo da posição... é uma delícia.......!!!<!--more-->






Segundo estudos recentes:


*em pé, *fortalece a coluna;
*de cabeça baixa, *estimula a circulação do sangue;
*de barriga para cima* é mais prazeroso;
*sozinho, *é estimulante, mas egoísta;
*em grupo, *pode até ser divertido;
*no banho, pode ser *arriscado;
*no automóvel, *é muito perigoso...
*com frequência*, desenvolve a imaginação;
*entre duas pessoas*, enriquece o conhecimento;
*de joelhos*, o resultado pode ser doloroso...
*sobre a mesa *ou *no escritório*,
*antes de comer *ou *depois da sobremesa*,
*sobre a cama *o*u na rede*,
*nus *ou* vestidos*,
*sobre o sofá *ou *no tapete*,
*com música *ou *em silêncio*,
*entre lençóis *ou *no "closet"*:

*sempre* é um *acto de amor *e *de* *enriquecimento*.

*Não importa *a idade, nem a raça, nem a crença,

nem o sexo, nem a posição socioeconómica...


*...Ler é sempre um prazer!!!...*
Publicado em AICL no tag | Tags , | Deixe o seu comentário

Sabia que um avião russo andou a sobrevoar parte da zona ardida do pinhal litoral?

Aparelho voou por cima de Coimbra, Leiria e Fátima, antes de seguir em direcção a Santarém.

Fonte: Sabia que um avião russo andou a sobrevoar parte da zona ardida do pinhal litoral?

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

PJ detém incendiário e juiz liberta-o

A Polícia Judiciária deteve um homem, pela autoria de no mínimo um incêndio florestal, no concelho de Pombal, foi libertado esta sexta-feira à tarde. Um juiz de instrução criminal de Leiria considerou que o suspeito

Fonte: PJ detém incendiário e juiz liberta-o

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

» Escritor João Pinto Coelho vence “maior prêmio para obra inédita em língua portuguesa”

Fonte: » Escritor João Pinto Coelho vence “maior prêmio para obra inédita em língua portuguesa”

Publicado em AICL no tag | Tags , | Deixe o seu comentário

peixe do meu quintal José Soares Violência de género

peixe do meu quintal
JoséSoares
Violência de género Continuar a ler

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

CONHEÇA AS LENDAS DA ILHA DE SANTA MARIA ANTES DE IR AO 28º COLÓQUIO

CONHEÇA AS LENDAS DA ILHA DE SANTA MARIA ANTES DE IR AO 28º COLÓQUIO
http://coloquios.lusofonias.net/XXVIII/2011/lendas/lendas_da_ilha.htm

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

CONHEÇA A ILHA ANTES DO 28º COLÓQUIO

VEJA AQUI A COLEÇÃO DE FILMES SOBRE SANTA MARIA QUE SELECIONAMOS PARA OS QUE NÃO A CONHECEM

http://coloquios.lusofonias.net/XXVIII/imagens%20e%20filmes%20ilha.htm

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

Poluição mata mais que guerras, desastres naturais e fome – Sputnik Brasil

A poluição ambiental – desde o ar imundo até águas contaminadas – está matando mais pessoas a cada ano do que a guerra e a violência no mundo. Mais que tabagismo, fome ou desastres naturais. Mais do que a AIDS, tuberculose e malária combinadas. A informação é de uma pesquisa publicada no periódico The Lancet.

Fonte: Poluição mata mais que guerras, desastres naturais e fome – Sputnik Brasil

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

Patent US4686605 – Method and apparatus for altering a region in the earth’s atmosphere … – Google Patents

A method and apparatus for altering at least one selected region which normally exists above the earth’s surface. The region is excited by electron cyclotron resonance heating to thereby increase its charged particle density. In one embodiment, circularly polarized electromagnetic radiation is transmitted upward in a direction substantially parallel to and along a field line which extends through the region of plasma to be altered. The radiation is transmitted at a frequency which excites electron cyclotron resonance to heat and accelerate the charged particles. This increase in energy can cause ionization of neutral particles which are then absorbed as part of the region thereby increasing the charged particle density of the region.

Fonte: Patent US4686605 – Method and apparatus for altering a region in the earth’s atmosphere … – Google Patents

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

MNE timorense garante que Governo cumprirá compromissos apesar de situação política – Info Cabo Verde – Sapo Notícias

Fonte: MNE timorense garante que Governo cumprirá compromissos apesar de situação política – Info Cabo Verde – Sapo Notícias

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

Internacional – Situação totalmente ″tranquila″ em Timor-Leste após chumbo a programa do Governo

A situação em Timor-Leste está “totalmente tranquila”, sem relatos de incidentes ou problemas em qualquer ponto do país, desde que a oposição aprovou uma moção de rejeição ao programa do Governo, informaram fontes policiais.

Fonte: Internacional – Situação totalmente ″tranquila″ em Timor-Leste após chumbo a programa do Governo

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

novo livro infantil de joao morgado

PÊRO DA COVILHÃ
Chegou o meu novo livro juvenil para a colecção dos Grandes Descobridores Alethêia – Pingo Doce
O agente secreto d’el-rei D. João II vai estar disponível para os mais jovens… (Este é também o heroi da minha terra, COVILHÃ, que, curiosamente, celebra hoje, 20 de Outubro, a sua elevação a cidade! PARABÉNS)

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

crise em timor5

Antonio Sampaio
56 mins ·
Comandante das forças de defesa timorense apela à população para se manter tranquila
Díli, 20 out (Lusa) – O comandante das forças de defesa timorenses apelou hoje à popul Continuar a ler

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

Tropical cyclones that form close to the Azores [1851-2017] – xmetman

I’ve spent sometime writing new code to allow me to rubber-band any area in a map, and plot the tracks of all the tropical cyclones that originated within this area. I did it to confirm what …

Fonte: Tropical cyclones that form close to the Azores [1851-2017] – xmetman

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário

timor agora 20/10/17

TIMOR AGORA

Ezekutivu timoroan aumenta media seguransa nian hafoin rejeisaun ba Programa Governu nian
PM timorense considera moção da oposição cheia de "vício, veneno e vingança"
Líderes políticos timorenses apelam à calma após moção de rejeição ao programa do Governo
Mosaun Rejeisaun Desizaun Vingansa
Opozisaun timoroan aprezenta proposta rejeisaun ba programa Governu nian
Universidade Nasional timoroan simu Jornada Pedagójiku sira Lian Portugeza nian
GMN TV | Jornal Nacional
Leis timorenses omissas sobre o que ocorre após moção de rejeição ao programa do Governo
Moção da oposição timorense contesta programa e forma insensata da formação do governo
Opozisaun Sei Vota Afavór ba Mosaun Rejeisaun
Selebra Tinan 90 “Híbrido de Timor” Ho Abertura Festivál Kafé Iha Fatubesi
Juliu: Povu Lalika Preokupa Situasaun Politika
Governu Seidauk Planea, Forma Komponente Forsa Aero F-FDTL

Ezekutivu timoroan aumenta media seguransa nian hafoin rejeisaun ba Programa Governu nian

Posted: 19 Oct 2017 01:06 PM PDT
Iha loron-kinta ne’e, Ministru Defeza no Seguransa Timor-Leste nian fó sai katak fó ona instrusaun sira ba autoridade sira ba reforsu preventivu ida hosi medida sira seguransa nian iha nasaun, liuliu iha kapital, Díli, hafoin opozisaun rejeita Programa Governu nian.

“Situasaun kalma hela maibé ami aumenta seguransa hodi antesipa. Hanesan situasaun normal ida”, hatete hosi José Somotxo, hodi espesifika katak instrusaun ne’e fó ona ba polísia no ba forsa armada sira.

José Somotxo ko’alia ba Lusa iha sala sira iha parlamentu nia oin ne’ebé rezerva ba bankada Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), partidu boot opozisaun nian, ne’ebé deputadu sira hosi opozisaun sei hasoru malu hafoin aprova tiha proposta ida rejeisaun nian ba programa governu nian.

Votu ne’ebé taka ona loron haat debate nian iha Parlamentu Nasional marka ho tensaun, ho pelumenus deputadu na’in ida hosi Partidu Demokrátiku (PD) ho membru oioin hosi públiku hakilar “traidor sira” hasoru deputadu sira hosi opozisaun.

Deputadu sira hosi bankada tolu opozisaun nian sai hetan eskolta oituan hosi efetivu sira seguransa nian to’o fatin ne’ebé rezerva ba nia bankada no, liutiha oras ida hafoin debate, polísia lori sira ba sira ida-idak nia karreta, hodi husik parlamentu.

Ministru Somotxo, ne’ebé mantén iha parlamentu to’o deputadu sira sai, repete fali apelu sira ne’ebé husik hosi líder sira hosi bankada opozisaun nian no hosi primeiru-ministru, Mari Alkatiri, atu populasaun kontinua hakmatek.

Kompleksu hosi parlamentu agora daudaun taka ba públiku.

To’o agora laiha rejistu ba kazu ruma violénsia fíziku nian.

Bankada tolu opozisaun nian, maioria iha Parlamentu Nasional, aprova ona iha loron-kinta ne’e proposta rejeisaun ida hasoru programa Governu nian, kontra votu sira hosi forsa polítika rua ne’ebé apoia ezekutivu.

Bainhira iha proposta daruak rejeisaun nian no karik hetan aprovasaun entaun Governu sei monu.

SAPO TL ho Lusa

PM timorense considera moção da oposição cheia de “vício, veneno e vingança”

Posted: 19 Oct 2017 12:54 PM PDT
Díli, 19 out (Lusa) – O primeiro-ministro timorense, Mari Alkatiri, classificou a moção de rejeição da oposição ao programa do Governo, como um documento cheio de “vício, veneno e vingança”, criticando o que disse ser um “infanticídio preanunciado” do texto do executivo.

“Este documento [moção] está cheio de vício, veneno e vingança”, disse Mari Alkatiri, no final do debate do programa do Governo chumbado hoje por uma moção de rejeição apresentada pelas três bancadas, maioritárias, da oposição.

“Esta é uma história de morte preanunciada. Um infanticídio preanunciado. Antes do programa ser apresentado já tinham dito que iam votar contra e rejeitar. Já vinha viciada, já estava envenenada. Foi rejeitado antes de ser apresentado”, afirmou.

As três bancadas da oposição maioritária no Parlamento Nacional timorense aprovaram hoje uma moção de rejeição do programa do Governo, contra os votos das duas forças que apoiam o executivo, que, se houver segunda moção, pode cair.

O texto foi aprovado com o apoio da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) e do Partido Libertação Popular (PLP) – liderados respetivamente pelos ex-Presidentes e líderes históricos timorenses Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak – e pelos deputados do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO), que se estreia no parlamento na atual legislatura.

A moção teve 35 votos a favor, 30 contra e nenhuma abstenção.

Alkatiri, que começou a intervenção a pentear-se “para sair bonito na televisão”, criticou a contestação da oposição à “travessia curta de governação” do executivo que lidera desde que tomou posse, no passado dia 15 de setembro.

“O processo começa agora, ainda não chegou ao fim. Quando o irmão Xanana Gusmão [presidente do CNRT] voltar, vamos falar. Apelaram aos líderes nacionais para que falemos. Muito bem”, afirmou Alkatiri.

O primeiro-ministro disse que não vai voltar ao Parlamento a defender o programa do Governo – as leis são omissas sobre como decorre o processo depois da primeira moção de rejeição da oposição – e que vai dar a conhecer o texto à população.

“Eu vou levar o Programa a todo Timor-Leste, para que seja o povo a referendá-lo. Eu sou um líder partidário [secretário-geral da Fretilin] e tenho obrigação de explicar ao povo o que aconteceu no parlamento. E vou fazer isso”, afirmou.

“No fim de semana vou para Oecusse. Depois vou até Lautem (na ponta leste do país) Isso não significa que me resigno agora. Vou cumprir a Constituição até janeiro. Primeiro-ministro minoritário, de gestão, mas cumprirei”, afirmou.

Em declarações à Lusa, depois da votação, Alkatiri garantiu que o Governo “não apresenta mais programa nenhum”, mas que vai cumprir as suas funções “até janeiro”, altura em que se cumprem os sei meses necessários desde a eleição do atual parlamento para que o chefe de Estado possa convocar eleições antecipadas.

Não está claro o que vai acontecer, já que, formalmente, o Governo só cai depois de uma segunda moção de rejeição, não haja na legislação em vigor qualquer prazo para que o executivo regresse com o programa ao parlamento.

O chefe do Governo analisou os elementos essenciais dos argumentos da moção, entre eles o facto de o texto considerar imprudente a decisão do Presidente da República dar posse a um Governo minoritário, questionando se, agora, depois da moção, a oposição “vai considerar a decisão que ele tomar como prudente”.

“Dizem que não houve consultas ao programa, mas eu mandei-o para as lideranças partidárias. Isso é consulta, vontade de partilha. Portanto quando dizem que não há consulta, isto é viciado”, considerou.

Alkatiri questionou mesmo a validade legal da Aliança de Maioria Parlamentar (AMP), que as três bancadas subscreveram na semana passada, como alternativa de Governo case o programa chumbe (são precisos dois chumbos) e consequentemente o Governo caia.

“Foram as bancadas a fazer e não os partidos. Esta aliança não tem existência legal, não foi assinada pelos líderes e legalmente não existe”, afirmou.

Acusando a oposição de má-fé, em algumas críticas mais concretas a aspetos do programa de Governo, Alkatiri disse que as bancadas “vetaram e rejeitaram sem precisar de ler”.

“Acusam o programa de insustentabilidade. Se não apresentei orçamento, como podem dizer que é insustentável? Isso é viciado. Disseram que os membros do Governo não vos responderam às perguntas. Fui eu que respondi a quase tudo, por isso vão ouvir de novo a gravação para dizer se respondi ou não. Isso é viciado”, afirmou.

ASP // VM

Líderes políticos timorenses apelam à calma após moção de rejeição ao programa do Governo

Posted: 19 Oct 2017 12:49 PM PDT
Díli, 19 out (Lusa) – Líderes políticos timorenses, incluindo o primeiro-ministro, fizeram hoje um apelo a que a população se mantenha calma na sequência da aprovação pela oposição, maioritária no Parlamento Nacional, de uma moção de rejeição ao programa do Governo.

“Apelei a todos voltarem a casa com calma. Eu também estou calmo. Tudo faremos para não haver violência mas não podemos, com o dito sentido de Estado estar eternamente em sentido e entregar o Estado a outros”, afirmou à Lusa Mari Alkatiri depois da votação da moção.

O texto foi aprovado com o apoio da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) e do Partido Libertação Popular (PLP) – liderados respetivamente pelos ex-Presidentes e líderes históricos timorenses Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak – e pelos deputados do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO), que se estreia no parlamento na atual legislatura.

“Votaram a favor 35, votaram contra 30, abstenção 0. Moção de rejeição aprovada”, disse Aniceto Guterres, presidente do Parlamento Nacional.

Nas suas últimas intervenções antes do voto, deputados do CNRT e do PLP deixaram apelos à população para que mantenha a tranquilidade que se tem vivido no país, deixando igualmente apelos aos líderes nacionais – nomeadamente o primeiro-ministro Mari Alkatiri e os líderes desses partidos, Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak, para que dialoguem.

Arão Amaral, chefe da bancada do CNRT, também recordou que era a primeira que se usava em Timor a moção de rejeição mas que isto era “normal no resto do mundo”, afirmando que o seu partido “não procura poder” e que sempre respeitou a Constituição.

“Ao povo de Timor-Leste, à juventude, apelo para que compreendem que este é o jogo democrático, que há diferenças, há discussão mas sempre respeitando as regras constitucionais e as leis”, disse ainda.

Fidelis Magalhães, chefe da bancada do PLP, reconheceu que esta é uma “fase de um processo difícil” que ocorre pela primeira vez – nenhum programa do Governo desde a restauração da independência foi sujeito a uma moção de rejeição e só um foi alvo de um voto de confiança.

“A bancada executa a politica do partido. Não tenho um único interesse além de defender o bem-estar do povo, o interesse nacional. Cuidado como usam os termos ou que aproveitamento fazem dos termos”, disse.

“Aproveito para apelar a todo o povo e a todos os militantes para deixarem a politica no parlamento para que continuem num ambiente de amizade, de tranquilidade em Timor-Leste, a defender a paz e a estabilidade”, considerou.

Angelita Sarmento, outra deputada do PLP, também defendeu a normalidade do processo da moção de rejeição, afirmando que se cumprem as “regras da democracia” e apelando a todos para que colaborem para manter a “paz, unidade, coesão social e democracia”.

“O programa não passou mas apelo aos lideres nacionais para procurarem concertação politica, dialogo permanente. Apelo aos líderes históricos para criar condições para alcançar sustentabilidade governativa, paz e unidade nacional”, disse.

ASP // EL

Mosaun Rejeisaun Desizaun Vingansa

Posted: 19 Oct 2017 05:11 AM PDT
DILI, (TATOLI) – Xefe Bankada Fretilín, Francisco Branco konsidera desizaun opozisaun hodi hatama mosaun rejeisaun hasoru programa sétimu governu hanesan desizaun vingansa polítika.

“Desizaun ne’e vingansa polítika halo nusa mak ita bele husik eransa polítika di’ak ba konstrusaun estadu ba oin ha’u duvida, ha’u triste,” Francisco Branco espresa nia sentimentu liuhosi intervensaun iha uma fukun, hafoin rona tiha leitura mosaun rejeisaun ne’ebé bankada Opozisaun (CNRT, PLP ho KHUNTO) aprezenta ba meza Parlamentu, ohin.

Nia dehan, desizaun ne’e nakonu ona vingansa halo nusa tan, realidade mak ida ne’e, ita atu ba los ne’ebé. Momentu ida ne’e, momentu istóriku ida ba Timor-Leste.
Polítika sira tau interese povu iha okos tau liu nia interese iha leten mak vingansa. Etu sai ona sasoro, ida ne’e mak lider lejendariu Xanana Gusmão, Mari Alkatiri, Taur Matan Ruak, Ramos Horta, hakarak husik hela ba jerasaun aban bainrua.

“Ba ha’u difisil atu simu realidade ida ne’e, mosaun normal maibé la’ós normal ba situasaun TL ne’ebé sei frajil.”

Deputadu Fretilín, David Ximenes Mandate, konsidera viatura programa ne’e los, maski governu ne’e minoria, maibé haree konstituisaun maioria no minoria ne’e oinsá, V governu kuandu bloku monu no Primeiru Ministru, Xanana Gusmão, altura ne’e rezigna an, governu minoria mós, maibé Fretilín la hamonu.

Fretilín la kestiona mós Prezidente anterior, Taur Matan Ruak fó posse ba Primeiru Ministru Rui Maria de Araújo hodi lidera VI governu.

Nia husu, Programa ne’e, sera que programa mak ladi’ak, fretilín mak ladi’ak ka Primeiru Ministru Mari Alkatiri mak ladi’ak. Karik Primeiru Ministru Alkatiri mak ladi’ak nian ladi’ak mak iha ne’ebé.

“Programa ne’e seidauk mai, ha’u rona tiha ona katak, opozisaun sei lakohi. Saida mak at, saida mak ladi’ak.”

Nia mós lamenta tanba opozisaun rejeita programa governu ida ne’ebé atu hadi’a moris povu nian, ne’ebé ohin loron balun mak moris iha fitun leten maibé balun sei moris iha tahu laran.

Deputadu Fretilín Nurima Alkatiri sente triste mós tanba Opozisaun hatama rejeisaun, maibé seidauk hatama program dehan kontra ona programa governu. Mosaun rejeisaun ne’e halo mós kritika ba Prezidente Repúblika, Francisco Guterres Lú Olo, ne’e grave, hahalok ida ne’e inaseitavel. Pior liu tan, opozisaun mós uza mosaun atu hatún governu.

“Hanesan feto ha’u triste, ha’u husu ba foin sa’e sira atu banati tuir fundadór no eroi atu servisu hamutuk ba timor leste ida buras liu.”

Deputadu Partidu Demokrátiku (PD) Manuel Tomas Amaral de Carvalho, sente admira tanba mosaun rejeisaun ne’e, la reflete situasaun liu-liu povu nia moris, mosaun reflete de’it ba hatún malu bainhira iha oportunidade.

“Ha’u la hatene rejeita infraestrutura bázika, supply ai-moruk, ida ne’e mak rejeita. Maibé ida ne’e mak konsekuénsia polítika, maibé polítika mós tenke iha fuan.”

Prezidente Bankada KHUNTO, Luis Roberto, realsa, sai opozisaun la’ós estraga nasaun maibé hakarak tane povu doben no kontra dezvalorizasaun ba demokrasia ne’ebé Timor adapta nu’udar nia sistema.

Prezidente Bankada Partidu Libertasaun Popular (PLP), Fidelis Magalhães, mós dehan, importante liu mak ho lisaun ne’ebé iha ita kontinua reforsa komunikasaun polítika hodi lori moris di’ak ba povu.

“Apela ba povu no militante PLP, povu kontinua hametin dame, atu ita hotu fiar an la’o ba oin, tane lisan no hisik kosar ba moris di’ak.”

Deputada Angelina Sarmento reforsa, PLP aprezenta mosaun tanba regra demokrasia. PLP hatene povu presiza, estrada, eletrisidade, saúde, maibé ita presiza governu ida forte iha integridade la’ós hanesan prosesu ne’ebé ita liu ona governu minoria.

“Desizaun ne’e ami foti garante lejitimidade governu nian, hein katak ita sei mantein pas no koezaun sosiál.”

Xefe bankada CNRT, Arão Noé konsidera mosaun rejeisaun foun ba Timor, maibé normal iha mundu. Buat ne’ebé CNRT halo la’ós buka podér, maibé hala’o knaar tuir konstituisaun haruka.

“Buat hotu ami halo la sees hosi konstituisaun, ami kumpre regra konstitusionál, tanba konstituisaun fó dalan ba mosaun rejeisaun.”

Razaun mosaun rejeisaun tanba governu minoria la sustentável atu garante estabilidade governativa iha tinan lima, tanba ne’e CNRT ho nia aliadu konkorda suspende hodi buka alternativa seluk.

“Buat hotu ne’ebé halo, bankada ezekuta polítika partidu nian, ami husu povu no juventude sira atu komprende. Ami husu ba maun boot sira halo konsertasaun polítika atu lori rai ne’e ba oin.”

Entretantu razaun ida entre seluk hodi bloku Opozisaun aprezenta mosaun rejeisaun mak, konsidera sétimu governu nia programa, mai kontinua halo tan mega projetu modelu Zona Espesiál Ekonomia Sosiál Merkadu (ZEEMS) hat. Polítika ne’e ba opozisaun hanesan la reflete ba redusaun défisit, maibé governu rasik kria polítika fiskál ida ne’ebé expansionist.

Razaun seluk mak konsidera programa governu la reflete filozofia Planu Estratéjiku Dezenvolvimentu Nasionál.

Jornalista: Manuel Pinto

Foto: Plenária Parlamentu Nasionál

Opozisaun timoroan aprezenta proposta rejeisaun ba programa Governu nian

Posted: 19 Oct 2017 03:58 AM PDT
Bankada hosi partidu boot opozisaun timoroan nian, Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), aprezenta iha loron-kinta ne’e proposta rejeisaun hasoru programa Governu nian, iha momentu ikus sira hosi debate ne’ebé hahú iha loron-segunda ne’e.

Proposta ne’e entrega ona hafoin prezidente parlamentu, Aniceto Guterres, hatete ona katak konklui ona debate hosi programa ezekutivu nian “tanba laiha tan inskrisaun sira” hosi deputadu sira hodi halo intervensaun.

Testu hosi debate nian hatete katak diskusaun, ne’ebé hahú iha loron-segunda no ajenda ona hodi iha durasaun to’o loron-sesta, bele hotu bainhira laiha tan intervensaun previstu sira.

Aprezentasaun hosi proposta, entrega ona ba prezidente Parlamentu Nasional nian hosi líder bankada CNRT nian, Arão Noé, halo interupsaun hosi serbisu sira durante minutu 30 resin hodi analiza no verifika konteúdu dokumentu nian.

Opozisaun maioritáriu, harii hosi deputadu na’in 35 hosi Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), hosi Partidu Libertasaun Popular (PLP) no hosi Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) anunsia ona formasaun hosi Aliansa Maioria Parlamentar (AMP) ida ne’ebé bele sai hanesan alternativu hosi Governu bainhira programa Governu dahitu nian la liu.

Atu hatún Governu minoritáriu, programa tenki hetan reprovasaun dala rua, bazeia iha lei.

Ezekutivu hetan apoiu hosi koligasaun Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) no hosi Partidu Demokrátiku (PD) ne’ebé hamutuk kontrola kadeira 30 hosi kadeira 65 iha parlamentu.

SAPO TL ho Lusa

Universidade Nasional timoroan simu Jornada Pedagójiku sira Lian Portugeza nian

Posted: 19 Oct 2017 03:55 AM PDT
Universidade Nasional Timor Lorosa’e simu, iha loron-kinta no loron-sesta, Jornada Pedagójiku daruak hosi Sentru Lian Portugeza nian, ne’ebé sei iha debate sira kona-ba lian, literatura no didátika no kona-ba ensinu portugés nian iha Timor-Leste.

Jornada ne’ebé sei dura loron rua, inaugura ona iha loron-kinta ne’e hosi visi-ministra Edukasaun, Lurdes Bessa, kordena hosi dosente sira hosi Sentru Lian Portugeza nian hosi Universidade Nasional Timor Lorosa’e (UNTL) nian.
Durante loron rua ne’e, estudante sira hosi departamentu no konvidadu sira hosi área oioin ne’ebé iha relasaun ho Edukasaun no Lian Portugeza iha Timor-Leste sei partisipa iha debate temátiku oioin.

Iha loron-kinta ne’e sei iha debate sira kona-ba aseu ba kursu superior sira no rezultadu profisional sira no kona-ba estudu sira hosi lian no ensinu portugés nian iha Timor-Leste.

Iha ajenda loron-sesta sei iha debate sira kona-ba literatura ho leitura no kona-ba knaar profesor nian nu’udar “formador sidadaun sira nian”.

SAPO TL ho Lusa

GMN TV | Jornal Nacional

Posted: 19 Oct 2017 03:38 AM PDT

GMN TV | Jornal Nacional

Leis timorenses omissas sobre o que ocorre após moção de rejeição ao programa do Governo

Posted: 19 Oct 2017 03:34 AM PDT
Díli, 19 out (Lusa) – A legislação em vigor em Timor-Leste é omissa na definição precisa do que acontece depois de uma eventual primeira moção de rejeição ao programa de Governo, não concretizando prazos para a renovada apresentação do documento pelo executivo.

Ainda que as leis que vigoram confirmem que o Governo cai com dois chumbos consecutivos no parlamento ao programa, não está claro como ocorre esse segundo voto que, desde a restauração da independência em Timor-Leste, nunca foi suscitado.

O assunto é crucial porque a oposição maioritária no atual parlamento – que se constituiu como alternativa governativa se o executivo cair – poderá apresentar esta semana, quando decorre o debate sobre o programa do VII Governo, uma moção de rejeição ao texto.

Nenhum dos programas dos primeiros VI Governos desde a restauração da independência, em 2002, foi alvo de uma moção de rejeição pelo que esta possibilidade não tem precedentes na história do país.

O único voto a um programa de Governo foi uma moção de confiança apresentada pelo I Governo Constitucional, liderado por Mari Alkatiri e que foi aprovada.

A constituição e o regimento do Parlamento Nacional detalham os aspetos essenciais do processo de apreciação e eventual votação do Programa do Governo e confirmam que são precisas duas moções de rejeição consecutivas.

No entanto, nenhum dos textos define, exatamente, o que ocorre entre uma e outra moção, ou seja, aspetos como prazos e condições para a segunda apresentação do programa pelo executivo.

A lei base explica (artigo 86.º) que cabe ao Presidente da República “demitir o Governo e exonerar o Primeiro-Ministro, quando o seu programa tenha sido rejeitado pela segunda vez consecutiva pelo Parlamento Nacional”.

E define ainda (artigo 108.º) o processo de apresentação, apreciação e eventual votação do programa do Governo que só ocorre caso o Governo peça um voto de confiança ou a oposição apresente uma moção de rejeição.

A Constituição explica que o Governo tem de apresentar ao Parlamento o seu programa “no prazo máximo de trinta dias a contar da data do início de funções do Governo” – o que ocorreu neste caso – e que o debate no plenário “não pode exceder cinco dias” – prazo que termina na sexta-feira.

Define ainda que até ao encerramento do debate “qualquer bancada parlamentar pode pedir a sua rejeição ou o Governo solicitar um voto de confiança” e determina que “a rejeição do programa do Governo exige a maioria absoluta dos Deputados”.

Os aspetos do processo de apreciação do programa do executivo estão também detalhados na 1.ª secção do capítulo VI do regimento do Parlamento Nacional, sobre processos de orientação e de fiscalização política.

Este texto, no artigo 136.º, nota que as moções de rejeição ou confiança podem ser apresentadas mas também retiradas a qualquer momento (antes da sua votação) e explica apenas que cabe ao Presidente do Parlamento Nacional comunicar o resultado ao Presidente da República, “para os efeitos previstos” no artigo 86.º da Constituição.

Nenhum dos textos clarifica, porém, o que ocorre depois de uma primeira moção de rejeição, se tem de haver algum prazo entre a apresentação de uma ou outra moção ou entre a apresentação pelo Governo dos dois programas.

Fontes jurídicas ouvidas pela Lusa divergem sobre o que se pode inferir ou interpretar da legislação, com alguns a sugerirem que em casos como este o processo poderá seguir os trâmites da primeira apresentação, debate e votação.

Em concreto isso implicaria, notam, que depois de uma eventual moção de rejeição o Governo voltaria a ter 30 dias – como os primeiros 30 que teve – para apresentar o mesmo ou um novo texto ao parlamento onde teriam que ser marcados mais cinco dias de debate e seria necessária, para o chumbo, a aprovação da segunda moção de rejeição.

Outras fontes, porém, insistem que não há nada que defina o prazo entre um primeiro chumbo e a segunda apresentação.

Durante o debate desta semana – que entrou hoje no quarto dia – o primeiro-ministro timorense, Mari Alkatiri, disse que se a oposição maioritária apresentar uma moção de rejeição ao programa do Governo, o executivo não fará uma segunda versão e que será outro governante a apresentar esse texto num segundo debate.

“O Governo não fará segunda versão do programa. Quando muito voltamos com o mesmo programa, mas mesmo assim irá outro membro do Governo apresentar. Eu vou uma vez só ao parlamento. Com o mesmo programa não se justifica ir a mesma pessoa apresentar”, disse Mari Alkatiri em declarações à Lusa.

“Não estou preocupado com isso. Se (a moção) avançar muito bem. Se não avançar, bem também”, disse Alkatiri.

ASP//ISG

Moção da oposição timorense contesta programa e forma insensata da formação do governo

Posted: 19 Oct 2017 03:23 AM PDT
Díli, 19 out (Lusa) – Os três partidos da oposição timorense subscrevem a moção de rejeição apresentada no parlamento nacional ao programa do Governo, contestando quer o conteúdo do documento quer a forma “insensata” como o executivo foi formado.

O texto de seis páginas da moção de rejeição está assinado pelos líderes das três bancadas da oposição, Arão Noé Amaral (CNRT), Fidelis Magalhães (PLP) e Luís Roberto da Silva (KHUNTO), que entre si representam 35 dos 65 deputados. O CNRT é presidido por Xanana Gusmão e o PLP por Taur Matan Ruak, dois líderes históricos do país.

A Constituição prevê a queda do Governo, liderado por Mari Alkatiri e apoiado pelos 30 deputados da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) e do Partido Democrático (PD), se o programa for rejeitado duas vezes.

No documento os signatários referem que o Presidente da República nomeou um primeiro-ministro “sem se preocupar com a falta de uma maioria parlamentar” e afirmam que apesar de a decisão não ser inconstitucional é “politicamente insensata e imprudente”.

Deveria o Presidente da República, argumentam, “ter procurado soluções alternativas de Governo com apoio maioritário no Parlamento Nacional, seguindo assim o exemplo dos seus antecessores”.

Os signatários do documento consideram que o VII Governo “carece de legitimidade política face à ausência de uma maioria parlamentar disponível para apoiar a sua ação governativa”.

O texto sustenta que sem o apoio de uma maioria parlamentar o executivo deveria ter adotado “uma postura de abertura, diálogo e de convergência programática com os partidos políticos que formam a oposição” no parlamento.

Isso, consideram, “efetivamente não se verificou, apesar de a abertura e disponibilidade demonstradas pelos partidos da oposição”.

“Através das intervenções que realizaram durante a discussão do Programa do Governo, os membros do VII Governo constitucional não conseguiram suprir as insuficiências deste documento, nomeadamente no que se refere à apresentação das tarefas que se propõe realizar e das medidas a adotar para a concretização dos objetivos”, refere o texto.

O texto reafirma o que diz ser “o empenho do Parlamento Nacional em prosseguir esforços no sentido de discutir e aprovar políticas públicas representativas dos anseios e aspirações da maioria das cidadãs e dos cidadãos timorenses”.

Sobre o programa em si, o texto contesta “a proclamação de objetivos genéricos” e sem medidas ou ações concretas no que toca à continuidade de políticas anteriores.
“O Programa não dá resposta aos principais desafios que se colocam ao processo de desenvolvimento de Timor-Leste e não contribui para a melhoria sustentável e duradoura das condições de vida do nosso povo”, refere a moção.

A moção diz que o programa é “inconsistente” porque defende uma política “expansionista” de investimentos públicos ao mesmo tempo que quer assegurar a sustentabilidade das contas públicas, sem detalhar a política de receitas ou sem detalhar “princípios ou estratégias consistentes” em termos de reforma fiscal.

A oposição contesta a proposta do Governo de criar quatro novas zonas especiais de economia social de mercado, sem apresentar estudos que avaliem os resultados da já existente, no enclave de Oecusse-Ambeno e dizem que o executivo quer privatizar o setor da água “sem estudos prévios”.

Sustenta que o programa cria confusão ao tentar “fazer coincidir” as “funções militares com as funções de segurança e refere que o documento não contém uma política adequada de controlo das fronteiras.

A oposição diz ainda que o programa “não reflete de forma adequada a filosofia subjacente às opções estratégicas” do Plano Estratégico de Desenvolvimento Nacional e denuncia o “irrealismo e insustentabilidade das políticas propostas” para o setor da justiça.

O texto contesta ainda a proposta de criar a Cidade Metropolitana de Díli e não acautelar suficientemente as políticas em curso para fortalecer os sucos, equivalente a freguesias em Timor-Leste.

Entre os exemplos, a oposição contesta o que diz ser a intenção do Governo de condicionar a implementação dos Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE) – as escolas de referência – à realização de uma avaliação desse programa.

E considera que o programa não acautela devidamente a promoção de políticas de inclusão e proteção dos grupos sociais mais vulneráveis, especialmente os idosos.

ASP // SB

Opozisaun Sei Vota Afavór ba Mosaun Rejeisaun

Posted: 19 Oct 2017 02:42 AM PDT
DILI, (TATOLI) – Deputadu Parlamentu Nasionál, hosi bankada CNRT, Aderito Hugo da Costa afirma katak, deputadu sira hosi opozisaun sei vota afavór ba mosaun rejeisaun ne’ebé submete ona iha meza Parlamentu Nasionál.

“Mosaun rejeisaun ne’ebé opozisaun aprezenta sei hetan votu afavór hosi bankada opozisaun hanesan CNRT, PLP, no KHUNTO, kompostu hosi deputadu nain 35,” Aderito Hugo da Costa informa ba TATOLI, ohin iha Parlamentu Nasionál.

Nia dehan, rejeisaun hatama tanba tuir rejimentu no konstituisaun, bazeia ba ida mak bankada opozisaun hosi CNRT, PLP, ho KHUNTO aprezenta ba meza ho asinatura hosi xefe bankada Nain tolu, Arão Noé, Xefe bankada CNRT, Fidelis Magalhães, xefe bankada PLP, Luis Roberto, Xefe bankada KHUNTO.

“Direitu ba aprezentasaun mosaun ne’e bankada, tanba ne’e xefe bankada Nain tolu ne’e mak asina.”

Xefe bankada Partidu Demokrátiku, Maria Tereza defende katak, programa sétimu governu ne’ebé aprezenta ona iha “ambisaun” hanesan opozisaun dehan, maibé Ambisaun ne’ebé governu iha pozitivu atu hadi’a hodi povu nia moris la’ós, governu mai ho programa ida atu sobu de’it.

“Ita la bele konfunde ambisaun ho ganância, tanba ganância bele lori ita monu ba sala,” Maria Tereza fó hanoin.

“Ha’u lá fiar maun boot Xanana kontra projetu tasi mane, no maun Taur Matan Ruak kontra dada bee mós ba povu.”

Relasiona ho ida ne’e, Primeiru Ministru, Mari Alkatiri, konsidera intervensaun sira ne’ebé mak deputadu sira halo favoravel hotu tanba ne’e nia sei halo nia mensajen ba povu iha oras hira tuir mai.

Jornalista: Julia Chatarina | Editór: Manuel Pinto

Foto: Deputadu Parlamentu Nasionál, hosi bankada CNRT, Aderito Hugo da Costa

Selebra Tinan 90 “Híbrido de Timor” Ho Abertura Festivál Kafé Iha Fatubesi

Posted: 19 Oct 2017 02:36 AM PDT
DILI, (TATOLI) – Festivál Kafé Timór 2017 sei halo abertura iha suku Fatubesi, postu administrativu Hatolia, Autoridade Munisipál Ermera iha loron 21 outubru hodi selebra tinan 90 “Híbrido de Timor”.

Vise-Prezidente Asosiasaun Kafé Timor-Leste (ACTL-sigla iha portugés), Afonso de Oliveira, informa ne’e eventu ida ne’ebé ACTL halo atu promove Kafé Timór ba merkadu internasionál.

“Ne’e importante no kafé inan ne’e iha ne’ebá (Fatubesi), entaun ami lori ema ne’e ba haree rasik no tanbasá mak bolu Kafé Híbrido de Timor, tanba até agora Timór barak mak lakoñese razaun fundamentál ita bolu Híbrido de Timor”, Afonso hatete iha Fomentu, ohin.

Aleinde ne’e atu fó koñese sobre Kafé Timór, ACTL mós daudaun ko’alia ho Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) atu lori “Híbrido de Timor” sai patrimóniu mundiál no halo sai mós hanesan fatin turizmu lokál.

Afonso hatutan antes hahú festivál sei halo semináriu hodi fó koñesimentu ba komunidade kona-ba saida mak “Festivál Kafé Timór” no “Kafé Híbrido de Timor”.

“Depois ita lori ema barak husi rai-liur, espertu internasionál hodi koko Kafé no sira mós sosa-na’in Kafé iha rai seluk, entaun sira mai partisipa no identifika ita-nia kafé ne’ebé mak kualidade di’ak no sira bele estabelese akordu ho ACTL katak kafé ida ne’e di’ak no ami presiza ida ne’e, entaun ne’e buat ida di’ak”.

Ezisténsia ACTL mak oinsá promove kafé nomós kuantidade no kualidade kafé nian para bele tau kafé iha merkadu internasionál hanesan marka ida.

“Ne’e mak ami envolve ema hotu iha indústria kafé nian hanesan toos-na’in sira, sosa-na’in, no esportadór para bele ajuda ita-nia produtór para hadi’a kualidade”.

Eventu ida ne’e sei halo road show husi Fatubesi bá to’o iha Maubisi hodi anúnsiu rezultadu finál sabór kafé husi munisípiu ne’ebé mak sai mellor liu.

“Ami iha amostra kafé 75, no espertu internasionál sira iha ne’e no halo preparativu kuaze loron tolu ona. Sira sei koko kafé entaun kafé ida tinan ikus ne’e nafatin primeiru lugar ka tun oan, ka sira uluk tun ne’e sa’e fali. Sé nia nafatin primeiru signifika di’ak, sé la’e ami tenke haree tanba sadia mak nia pontu ne’e tun, ne’e importante tebes mai ami”.

Eventu nee sei realiza ho eventu barak hanesan kompetisaun kafé husi barista sira, feira no ezebisaun fotografia, iha semináriu no eventu ba cocktail. Festival Kafé Timor sei halo husi loron 21 to’o 28 outubru 2017.

Jornalista: Maria Auxilidora | Editora: Rita Almeida

Foto: Vise-Prezidente Asosiasaun Kafé Timor-Leste, Afonso de Oliveira. Foto/FKT

Notísia ne’ebé relasiona: ACTL Lansa Kompetisaun Festivál Kafé

Juliu: Povu Lalika Preokupa Situasaun Politika

Posted: 19 Oct 2017 02:18 AM PDT
DILI – Komandu Polisia Nasional Timor-Leste husu ba sidadaun hotu atu labele influesia (Terpengaruh) ho situasaun poltiku neebe maka dadaun nee lao iha rai laran, povu tenke kontinua hakmatek hodi halo idak-idak nia servisu.

Tuir Komandante Jeral PNTL Julio da Costa Hornay katak iha isu balun neebe maka dadaun nee lao katak mosu eleisaun antisipada relasiona ho kestaun poltika neebe lao, hodi provoka folin sasan sae.

“Provisoriamente situasaun iha ita nia rai laran kontroladu apesar de iha issu balun neebe maka dehan iha fatin balu ka munisipiu balun foos folin sae no derepenti deit ema hadau malu foos, tamba sitasaun ladidiak kauza husi akompania deskusaun programa iha Parlamentu Nasional,” dehan komisariu Julio ba jornalista sira hafoin remata enkontru semenal ho Prezidente Republika Francisco Guterres Lú Olo, iha palasiu Prezidensial Nicolau Lobato, Bairru Pite, Kinta (19/10/2017).

Komadante nee afirma katak ba kestaun nee polsia sira halo hela servisu hodi hatoo ba publiku situasaun hakmatek. Lalika tauk no lalika hafodak tamba segurasa prontu nafatin para asegura. Julio dehan poltika nee normal akontese iha nasaun neebe deit, agora povu maka tenke tau aan.

Komisariu Julio haktuir liu tan katak oras nee forsa rua F-FDTL no PNTL iha kordensaun diak hodi garantia seguransa ba rai doben Timor-Leste. Komisariu nee hatutan husi PNTL rasik pronto atu atua kualker situasaun neebe maka mai.

Hatan ba sitasaun poltika neebe maka lao dadaun nee tuir komisariu PNTL Julio Hornay, Prezidente Republika Francisco Guterres Lú Olo orienta hodi husu ba forsa rua PNTL no F-FDTL atu mantein estabilidade no paz.

Natalino Costa | Suara Timor Lorosae

Governu Seidauk Planea, Forma Komponente Forsa Aero F-FDTL

Posted: 19 Oct 2017 02:13 AM PDT
DILI – Atu implementa komponente aero iha instituisaun F-FDTL neebe planeia iha VII Governu Konstitusional liu husi Ministru Defeza no Seguransa (MDS). Konaba ida nee, seidauk iha planu.

“Oras nee dadaun, ita nian forsa iha komponente rua, Forsa Naval no Forsa Infantaria (ka forsa terrestre).
Ba forsa aero nian nee, defisil ita atu koalia,” hateten Samotxo ba jornalista hafoin enkontru seminal ho Prezidente da Republika Francisco Guterres Lu Olo iha Palacio Prezidensial Nicolau Lobato, Bairru Pite, Dili, Kuarta ( 18/10/2017).

Nia hateten, ba kestaun rekursu humanu iha ligadu ka lae, ida nee laos kestaun maibe atu too ba ida nee, prezisa lori tempu. Antes nee, Chefe Estadu Maior Jeneral F-FDTL, Maijor Jeneral Lere Anan Timur preokupa ba kestaun ida nee katak, rekursu ruma neebe preparadu ba komponente nee iha ona, tamba forsa balu ba estuda ona iha aero nian maibe parte governu maka seidauk sosa aviaun.

Responde kestaun ida nee, Ministru Defeza no Seguransa Samotxo hateten, politika neebe atu implementa durante VII GK, atu moderniza forsa F-FDTL ka modernisaun institusional hodi koresponde hotu ba kestaun nee maibe atu too iha neeba, ida nee defisil ita atu koalia.

Natalino Costa | Suara Timor Lorosae

Foto: Google/Ilustrasaun
You are subscribed to email updates from TIMOR AGORA.
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now. Email delivery powered by Google
Google Inc., 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, CA 94043, United States

Publicado em AICL no tag | Tags | Deixe o seu comentário