Katherine Vaz – “As histórias do meu pai eram maravilhosas. Pensei: ninguém escreve sobre isto. Tinha 12 anos”

Filha do historiador August Vaz, Katherine cresceu a ouvir o pai contar as histórias da família que deixara na Terceira, nos Açores. De Saudade a Mariana, passando por Nossa Senhora das Alcachofras, a temática portuguesa está presente em toda a obra da escritora

Fonte: Katherine Vaz – “As histórias do meu pai eram maravilhosas. Pensei: ninguém escreve sobre isto. Tinha 12 anos”

intolerãncia é isto: Religião – Arábia Saudita condena homem à morte por renunciar ao Islão e a Maomé

Jovem na casa dos 20 anos perdeu dois recursos após ser preso sob acusações de blasfémia por postar vídeos nas redes sociais em que afirma afastar-se da religião

Fonte: Religião – Arábia Saudita condena homem à morte por renunciar ao Islão e a Maomé

Centro Ambiental do Priolo com horário de verão

A partir do próximo dia 2 de maio o Centro Ambiental do Priolo (CAP), localizado na Reserva Florestal de Recreio da Cancela do Cinzeiro (Pedreira, Nordeste), irá abrir com o horário de verão. Até setembro, poderá visitar o CAP de terça a domingo, das 10h às 18h. .fb_iframe_widget span{width:460px !important;} .fb_iframe_widget iframe {margin: 0 !important;} .fb_edge_comment_widget { display: none !important; }

Fonte: Centro Ambiental do Priolo com horário de verão

Câmara do Nordeste celebra protocolo com a Green Lince Hotels

A Câmara do Nordeste aprovou, por maioria de votação, a celebração de um protocolo com a Green Lince Hotels & Resorts S.A., atual gestora da Estalagem dos Clérigos, em resposta à estratégia do município para a promoção e requalificação de empreendimentos turísticos já existentes e criação de novas ofertas que sejam inovadoras. .fb_iframe_widget span{width:460px !important;} .fb_iframe_widget iframe {margin: 0 !important;} .fb_edge_comment_widget { display: none !important; }

Fonte: Câmara do Nordeste celebra protocolo com a Green Lince Hotels

A Portugalidade em Casamansa

19 hrs ·
A Portugalidade em Casamansa
Em meados do século XV, Diniz Dias chegou a Casamansa, na costa africana. Estabeleceu-se aí, então, uma colónia com base na feitoria de Zinguinchor. Durante séculos, franceses e portugueses disputaram a área, pois esta era um importante entreposto no comércio dos escravos.
Enfim, em 1908, este território, depois de quatro séculos e meio de domínio português, torna-se colónia francesa. Mais tarde, em 1947, após a Segunda Guerra Mundial, Casamansa torna-se uma das regiões da Federação do Mali, em conjunto com o próprio Mali e com o Senegal. No entanto, no final dos anos 50, a Federação declara a sua independência o que levará, mais tarde, à sua desagregação, originando dois países independentes: o Mali e o Senegal.
A questão de Casamansa nunca ficaria resolvida e, aquando da independência das Províncias Ultramarinas portuguesas, surge a hipótese de também Casamansa se tornar independente do Senegal, tendo como argumento a sua forte ligação ao Império Português.
De facto, ainda hoje, Casamansa é um tema que as autoridades senegalesas evitam mencionar, pois, apesar de todos os esforços para erradicar a herança da Portugalidade, os 3,5 milhões de habitantes deste território sentem-se mais próximos da cultura portuguesa do que da francesa. Com efeito, o francês é uma língua quase desconhecida no território – os habitantes falam predominantemente o jola e o crioulo português.
MBF

3 razões pelas quais Portugal e a Galiza deveriam ser um único país | VortexMag

São muitos os defensores que Portugal e a Galiza deveriam ser um único país. Conheça os motivos e as razões que justificam esta pretensão.

Fonte: 3 razões pelas quais Portugal e a Galiza deveriam ser um único país | VortexMag