CEUTA já foi portuguesa

Ceuta foi Portuguesa …

Encanto histórico e….pouco mais…!
As autoridades da “Cidade Autónoma de Ceuta” estão a empenhar-se na comemoração dos 600 anos da conquista daquela cidade pelos Portugueses, que se completam a 21 de Agosto de 2015.

O assunto está a causar polémica pois, embora os promotores da ideia defendam que “no se conmemora un acontecimiento bélico de conquista, sino más bien, un legado cultural que han heredado y del que se benefician todas las comunidades culturales y religiosas de esta ciudad”, a comunidade muçulmana entende que comemorar a invasão portuguesa, uma cruzada religiosa de cristãos contra muçulmanos “es un insulto a la ciudad y a sus habitantes”.

Por aqui há quem defenda que Portugal também devia festejar o facto de Portugal ser o pioneiro da globalização, alegando que “a conquista de Ceuta é reconhecida como marco do início da expansão e dos descobrimentos Portugueses”.

A Sociedade de Geografia de Lisboa tomou a iniciativa de não deixar esquecer a efeméride e organizou um ciclo de conferências que se prolonga por 2013, 2014 e 2015, abordando temas que se iniciam com a cuidada preparação da expedição e terminam com a conquista militar da cidade em Agosto de 1415.

Só espero que o “Espírito da Lusitanidade” (que viabilizou a epopeia dos descobrimentos e o relacionamento cordial com novas gentes) se manifeste e dê corpo ao que o grande Agostinho da Silva dizia ser necessário fazer:

”Planear novos descobrimentos em vez de comemorar os antigos”.

Mas no meio desta polémica… não deixa de ser intrigante que a bandeira de Ceuta esteja tão ligada a Portugal e seja, ainda hoje, a mesma… desde 1415… mesmo durante a ocupação espanhola…

Na cidade abundam os símbolos e brasões da época quatrocentista que foram mantidos.

Ver vídeo Anexo.

Como se pode ver/ler na Wikipedia:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bandeira_e_escudo_de_Ceuta

EscudoCeuta.svg

a bandeira de Ceuta é igual à de Lisboa e tem ao centro o brasão de Portugal…

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/fd/Flag_Ceuta.svg/750px-Flag_Ceuta.svg.png

Continuar a ler

Onésimo T Almeida e Fernando Pessoa

 

domingo, 6 de Abril de 2014

Prefácio a “Pessoa, Portugal e o Futuro”, livro de Onésimo Almeida, por George Monteiro

Trancrevo o prefácio de Goerge Monteiro ao livro de Onésimo Almeida que acaba de sair na Gradiva (tradução de Leonor Simas-Almeida):
Quando em 1987 surgiu o precursor deste excelente Pessoa, Portugal e o Futuro, então com o título deMensagem: uma tentativa de reinterpretação, eu recenseei‑o para a revista World Literature Today. Cada vez mais convencido de que é «correcta» a interpretação pioneira desenvolvida nesse primeiro livro, gostaria de expressar o meu elevado apreço pelo bem conseguido trabalho do autor, reproduzindo aqui a mencionada recensão crítica:
O autor de Mensagem que emerge do minuciosamente investigado e intensamente argumentado estudo de Onésimo Teotónio Almeida sobre as intenções poéticas e o literário desígnio (insisto no termo) revela‑se claramente como um teórico da acção social e da intervenção política. O patriotismo de Fernando Pessoa veste a pesada armadura da coerência estrutural e do pragmatismo lógico conseguida por um pensador, ao mesmo tempo frio e fervente perante a mensagem que teria desejado trazer aos que mereciam executá‑la, uma mensagem brilhantemente exemplificada no próprio acto de ter ele apresentado o seu poema à consideração de uma homenagem pública.
Um subtexto do ensaio notavelmente lúcido e coerente de O. Almeida, se tivermos em conta a diversidade de comentários e interpretações evocados por um texto inequivocamente vital, é claramente a noção de que a grande mensagem bem reflectida e expressiva do poeta‑pensador aos seus compatriotas tem sido lida como quase tudo o que o poeta não quis que fosse, desde o quimérico desejo de um futuro imperial construído nas areias movediças da nostalgia até ao modelo cifrado do desejo de qualquer poeta de escrever sobre si próprio no mais hermético dos códigos: a linguagem ocultista do eremita romântico. Não deveria surpreender‑nos (mas surpreende‑nos) aprender, como aprendemos, no importante estudo de O. Almeida que em Mensagem não apenas o poeta sabia o que pretendia, mas ainda que a sua mensagem é tão directa e, de certa maneira, tão prática que é quase como se tivesse sido necessário um acto colectivo de perversidade para que fosse tão egregiamente mal entendida durante mais de cinquenta anos.
Baseado na descoberta do autor do enraizamento do poema no entendimento de Pessoa dos escritos de Georges Sorel, o caso é tão claramente arguido e tão convincentemente documentado que, a partir de agora, visto precisamente pelo que é, Mensagem emerge como referência para todo e qualquer estudo sobre a mente e o pensamento de Fernando Pessoa.[1]
À supracitada recensão crítica original de há um quarto de século, podem acrescentar‑se algumas palavras referentes a detalhes pertinentes para o desenvolvimento de Mensagem, que vieram à superfície após a publicação do livro de Onésimo, nomeadamente factos que iluminam os exactos desejos de Pessoa relativos
ao efeito que ele pretendeu para o seu poema e para o uso que dele fosse feito; tudo isso previsto no título pró‑activo que foi a sua escolha final.
A intenção de Pessoa de intitular Portugal um dos seus projectados livros data já dos finais da primeira década do século xx. Precisamente antes de um tal livro ser publicado, todavia, Pessoa foi induzido a substituir o título de Portugal por Mensagem. Avisado, diz‑se, de que o seu título original para uma colectânea de poemas históricos, elegíacos e de profético lirismo, que ele ia submeter como poema único à competição recém‑criada pelo Secretariado de Propaganda Nacional, se tornara nos últimos tempos algo gasto, ele decidiu‑se por Mensagem, um título aparentemente mais pró‑activo. Curiosamente, esse título parece‑me ter‑lhe sido sugerido, anos antes, por um inglês das suas relações residente em Lisboa. Ainda ambicionando uma carreira de poeta de língua inglesa, em 1918 Pessoa remetera cópias de dois pequenos volumes, 35 Sonnets e Antinous, a William A. Bentley, o editor em Lisboa de Portugal, um compêndio mensal de notícias de política e artes, dirigido a um público inglês, principalmente de Londres e de outras partes da Grã‑Bretanha.
Algo repugnado pelo conteúdo que considerava pouco saudável e perturbador de Antinous, Bentley ofereceu ao aspirante jovem poeta alguns avunculares conselhos e indicações sobre a direcção para onde ele deveria futuramente encaminhar o seu talento poético.
Permita‑me que lhe sugira embrenhar‑se na sua própria História; nas mais puras fontes da sua existência nacional; na fé, entusiasmo e devoção daqueles que fizeram de Portugal a primeira nação no despertar da Europa da Renascença, escolha algum tópico que seja ao menos saudável, exaltante e puro e devote‑lhe a sua poesia. Isto se tiver a coragem de sentir a vocação de cantar não apenas o passado distante; mas que tenha uma mensagem para o Presente. Nisso Camões parece‑me tão mais ousado do que o conjunto de poetas que se envolveram com ele na história dos tempos antigos, ele intrepidamente escolheu para assunto dos seus grandes poemas as coisas, os homens e os eventos do seu próprio tempo e as viagens e descobertas dos seus companheiros quotidianos. Não haverá nada de nobre a merecer o seu encómio e a sua inspiração? Se não houver, por que não apontar aos seus contemporâneos o que poderia sê‑lo e o que seria digno do esforço deles? [2]
Não temos a resposta de Pessoa (se de facto houve alguma) a esta bem intencionada missiva de aconselhamento da parte do fundador e editor de Portugal, uma publicação mensal, sita em Lisboa, sobre «o país, as suas colónias, comércio, história, literatura e artes» (1915‑1916), embora a substância da carta de Bentley tenha, creio eu, ficado com Pessoa até ao fim da vida, resultando, cerca de quinze anos mais tarde, na formulação e designação de Mensagem. Em Pessoa, a memória dessa carta de Bentley, atrevo‑me a propor, bem poderá ter sustentado a intenção final do seu livro, assim como sugerido a alteração do título.
A natureza da mensagem a ser transmitida em Mensagem, o modo de animar e dirigir o espírito colectivo português para a acção foram, porém, criação do próprio Pessoa. Que o ponto da «mensagem» de Pessoa tencionava ser um apelo sacerdotal à acção, tal como eu o vejo, é o tema fundamental da indispensável leitura de Onésimo Teotónio Almeida, revelando a inspirada apropriação por Pessoa da obra de Blaise Pascal e de Georges Sorel; particularmente no que concerne à sua partilha da concepção de uma teoria pragmática da verdade e bem assim ao seu singular conceito de mito como guia para a acção.
George Monteiro
Windham, Connecticut, U.S.A.
8 de Fevereiro de 2011
NOTAS
1 World Literature Today, vol. 61 (Outono de 1987), p. 613.
2 Ver o texto original desta carta, em inglês, em Fernando Pessoa, Correspondência Inédita (Lisboa: Livros Horizontes, 1996), p. 208. Cota da Biblioteca Nacional de Portugal, Espólio 3 (F. Pessoa): 1151‑19.
Posted by at 21:05

A CONQUISTA DE GOA

http://antt.dglab.gov.pt/exposicoes-virtuais-2/conquista-de-goa/

Conquista de Goa

A 25 de Novembro de 1510, Afonso de Albuquerque consegue conquistar Goa. Foi há 500 anos.
Comemoramos este evento com a divulgação da imagem do protagonista e referência à carta que escreveu a dar a notícia.

A 25 de Novembro de 1510, Afonso de Albuquerque consegue conquistar Goa. Foi há 500 anos.

Comemoramos este evento com a divulgação da imagem do protagonista e da carta que escreveu a dar a notícia.

Afonso-de-Albuquerque

Veja a descrição destes documentos:

Carta-Afonso-Albuquerque

Descubra mais na Torre do Tombo…

  • Carta de D. Manuel I ao bispo de Segovia dando-lhe parte da conquista de Goa. 1511-07-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 10, n.º 60.
  • Atlas de Fernão Vaz Dourado. 1571. Portugal, Torre do Tombo, Colecção Cartográfica, n.º 165.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei sobre os sucessos de Goa, e de Manuel de Lacerda ter acudido ao cerco da dita cidade. 1512-12-09. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 40.
  • Carta de Tomé Lopes para o rei sobre os navios que entraram em Lisboa e suas cargas. 1512-12-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 41.
  • Carta de António Real para o rei sobre o Estado da Índia depois de Afonso de Albuquerque ter saído de Malaca para Goa. 1512-12-15. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 44.
  • Carta de dois judeus informando o rei que o capitão-mor da Índia se servia deles para levarem cartas a vários reis, pelo que lhes pediam mercês. 1512-12-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 46.
  • Carta de Pedro Quaresma para o rei, na qual lhe pediu que pelos serviços que lhe tinha feito, na tomada de Goa e Benastarim, lhe fizesse justiça a ele e a seu filho. 1513-07-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 26.
  • Carta de Francisco Corvinel, feitor de Goa, para o rei sobre as cartas que lhe tinha escrito, sobre o estado das coisas tocantes ao seu serviço, de que não tinha tido resposta e do que se passou posteriormente. 1513-10-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 80.
  • Carta de Pedro de Faria para o rei sobre o Estado da Índia, dizendo que para esta terra aumentar era necessário que fizesse o governador abastado, dando-lhe boa renda, para não contratar e cuidar unicamente dos interesses do mesmo senhor. 1513-10-23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 81.
  • Carta de Afonso de Albuquerque dando conhecimento ao rei dos pareceres dos capitães sobre o Forte de Goa e das pessoas providas nas feitorias e escrivaninhas da Índia e do que tem feito naquele Estado. 1514-01-01. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 14, n.º 40.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei, que estando Timoja em Goa, tinha armado secretamente três atalaias e com elas tinha tomado uma nau de Ormuz e duas de Chaul. Que o rei de Onor tinha lançado mão delas e requerido para as entregar, mas não o tinha feito. 1513-12-02. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 14, n.º 5.
  • Alvará de D. Manuel I para o feitor de Cochim dar a Manuel de Sousa, alcaide-mor da Fortaleza de Goa, 56.172 réis por 6 quintais, 2 arrobas e 6 arráteis de pimenta que se comprou para o dito senhor. 1514-03-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 15, n.º 4.
  • Alvará de perdão que Afonso de Albuquerque passou a Manuel Fernandes por ser culpado na entrada de um homem que Álvaro Madureira tomara em sua casa para dormir com uma sua escrava. 1514-06-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 15, n.º 56.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei sobre o negócio de Malaca e Cochim. 1514-11-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 106.
  • Alvará de Afonso de Albuquerque, capitão-geral de Goa, para Francisco Corvinel, feitor da dita cidade, pagar a mestre Pedro 4 pipas de vinho, menos 12 almudes e meio, à razão de 10 cruzadas a pipa. 1514-10-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 29.
  • Alvará de Afonso de Albuquerque, capitão geral de Goa, para o feitor Francisco Corvinel pagar a Henrique Figueira 49 quintais e 18 arráteis de cobre, à razão de 12 cruzados o quintal. 1514-10-24. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 64.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei, expondo a necessidade que havia em Goa de uma caldeira, em que se recolhessem as galés, para a construção da qual havia muita gente que entendesse da obra. 1514-10-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 72.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei, sobre o que havia passado com o embaixador do Preste João, quando esteve em Goa. 1514-10-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 78.
  • Carta de Afonso de Albuquerque para o rei, sobre uma caldeira que havia em Goa para se refugiarem as galés. 1514-10-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 16, n.º 83.
  • Carta de fr. Domingos de Sousa para o rei sobre o grande trabalho que tem em Goa, ensinando a doutrina e pregando e do pouco ordenado que tem, com o rol dos cristãos da dita cidade. 1514-12-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 17, n.º 30.
  • Carta de Diogo de Melo para o rei sobre o governo e Estado da Índia. 1515-08-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 61.
  • Carta de Pedro de Faria para o rei D. João III sobre problemas no governo do Estado da Índia. 1527-08-13. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 37, n.º 43.
  • Governo do Estado da Índia. 1567/1826. Portugal, Torre do Tombo, Governo do Estado da Índia.
  • Livros das Monções. Portugal, Torre do Tombo, Governo do Estado da Índia, Livros das Monções.

… e na Biblioteca da Torre do Tombo

  • AIRES, Cristovão de Magalhães – Testamento de Affonso de Albuquerque: memória lida à Academia Real das Sciencias de Lisboa. Lisboa: Typ. da Academia Real das Sciencias, [1899]. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 2776 (1) SV 4298(14).
  • ALBUQUERQUE, Afonso de – Albuquerque, Caesar of the East: selected texts by Afonso de Albuquerque and his son. Ed., transl., introd. and notes T. F. Earle & John Villiers. Warminster: Aris & Phillips, cop. 1990. ISBN 0-85668-488-0. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 734/06.
  • ALBUQUERQUE, Afonso de – Cartas de Afonso de Albuquerque seguidas de documentos que as elucidam…. Dir. Raymundo António de Bulhão Pato. Lisboa: Tipografia da Academia Real das Ciências, 1884. (Colecção de Monumentos Inéditos para a História das Conquistas dos Portugueses em Africa, Asia e America). CNCDP. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 906-912.
  • ALBUQUERQUE, Afonso de – Comentários do grande Afonso de Albuquerque. Dir. e coment. Luís de Albuquerque; transcrição em português actual Maria da Graça Pericão. Lisboa: Alfa, D.L. 1990. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 1721(1-3)/06.
  • AZEVEDO, António Emílio de Almeida – As comunidades de Goa: historia das instituições antigas. Lisboa: Viúva Bertrand & Sucessores Carvalho, 1890.. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 3455.
  • AZEVEDO, Pedro A. de – O fidei-comisso de Afonso de Albuquerque (na Graça de Lisboa). In: Arquivo Histórico Português. – Vol. 1 (1903) p. 157-162 ; p. 188-193. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 1412 (1).
  • BAIÃO, António – Affonso d’Albuquerque. Lisboa: Ferin, 1913. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 7992.
  • BAIÃO, António – Alguns ascendentes de Albuquerque e seu filho à luz de documentos inéditos: a questão da sepultura do Governador da Índia: memória. Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, 1915. Comemoração do quarto centenário da morte de Afonso de Albuquerque. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 798, SV 798. CO.
  • CAMPOS, José Moreira – Da fantasia à realidade. Lisboa: J. M. Campos, 1960. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 1182/06.
  • CARTA DE D. MANUEL I AO REI DE ARAGAO, D. FERNANDO, SOBRE A TOMADA DE GOA. Ed. e notas de Virgínia Rau, Eduardo Borges Nunes. Lisboa: Rev. da Fac. de Letras, 1968. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 155/07, SV 7340.
  • CASTRO, João de – Roteiros de D. João de Castro. 2ª ed..Pref. e anot. por A. Fontoura da Costa. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1939-1940. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 295(1-3)/06.
  • CASTRO, João de, D. – Roteiro de Lisboa a Go. Anot. Joao de Andrade Corvo. Lisboa, 1882. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 926.
  • CENTRO DE ESTUDOS DAMIAO DE GOIS – Documentos remetidos da Índia ou Livro das Monções (1625-1627). Dir. Artur Teodoro de Matos; coord. téc. Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 2000. ISBN 972-787-010-4. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 121/0094(469-5) REF.
  • COMMENTARIOS DO GRANDE AFONSO DALBOQVERQVE, CAPITAM GERAL QVE FOI DAS INDIAS ORIENTAES, EM TEMPO DO MUITO PODEROSO REY DOM MANUEL, O PRIMEIRO DESTE NOME. Em Lisboa: Com licença impresso por João de Barreira impressor del Rey nosso Senhor, 1576. 577 p. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SP 1411 (1).
  • DANVERS, Frederick Charles – The Portuguese in India: being a history of the rise and decline of the eastern empire. London: W.H. Allen & Co. Limited, 1894. – 2 vols. : il. ; 26 cm. – Vol. 1: III, 572 p.. – Vol. 2: XV, 579 p. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 97 SV 98.
  • DISNEY, Anthony – The Viceroy as entrepreneur: the Count of Linhares at Goa in the 1630s. Stuttgart: Franz Steiner Verlag, 1991. Separata de “Emporia, commodities and entrepreneurs in asian maritime trade, C. 1400-1750, ed. by Roderich Ptak and Dietmar Rothermund (1991). Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 812/07.
  • DOCUMENTA INDICA. Ed. Iosephus Wicki. Roma: Monumenta Historica Societatis Jesu, 1948. ISBN 88-7041-123-0. ISBN 88-7041-127-3. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 3593, SV 3594.
  • DORNELAS, Afonso de – Uma planta de Ceuta: a propósito do 5º centenário da tomada de Ceuta e do 4º da morte de Afonso d’Albuquerque. Lisboa: Livr. Ferin, Baptista, Torres, 1913. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 565/07.
  • DOURADO, Fernão Vaz – Atlas de Fernão Vaz Dourado [Material cartográfico]: reprodução fidelíssima do exemplar da Torre do Tombo, datado de Gôa, 1571. Dir. do Visconde da Lagoa. Porto: Livraria Civilização Editora, 1948. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 7046.
  • FARINHA, A. Dias – A dupla conquista de Ormuz por Afonso de Albuquerque. Lisboa: [s.n.], 1989. – Sep. Studia, 48. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 9863.
  • FERNANDES, António de Salvador – O Liceu Nacional Afonso de Albuquerque em Nova Goa. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1946. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 4288 (4).
  • FONSECA, Quirino da – A obra colonial de Afonso d’Albuquerque e a prioridade dos portuguezes no exercício da colonização cientifica. Lisboa: Q. da Fonseca, 1910 (Lisboa: Typ. da Coop. Militar). Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 8991.
  • GARCIA, José Inácio Abranches – Archivo da Relação de Goa contendo vários documentos dos séculos XVII, XVIII e XIX. Nova Goa: Imprensa Nacional, 1874. – Documentos do século XVII. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 483(9) SV 8817.
  • GOA AND PORTUGAL: history and development. Ed. by Charles J. Borges, Óscar G. Pereira, Hannes Stubbe. New Delhi: Concept Publishing Company, 2000.ISBN 81-7022-867-0. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 719/07.
  • GOA, 1510-1685: l’Inde portugaise, apostolique et commerciale. Dir. Michel Chandeigne. Paris: Autrement, cop. 1996. (Mémoires, ISSN 1157-4488; 41. ISBN 2-86260-578-6). Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 349/06.
  • GRACIAS, J.A. Ismael – Catalogo dos Livros de Assentamento da gente de guerra que veio do Reino para a India desde 1731 até 1811. Nova Goa: Imprensa Nacional, 1893. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 483(6).
  • HISTORICAL ARCHIVES OF GOA: 1595-1995. Directorate of Archives, Archeology and Museum, Government of Goa, 25 th Feb 1995 to Feb. 1996. – Panaji: Directorate of Archives, Archeology and Museums, 1995. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, PP 9/02 REF.
  • ÍNDICE GERAL DAS CARTAS DE AFONSO DE ALBUQUERQUE – Índice geral das cartas de Afonso de Albuquerque. Lisboa: Imprensa Nacional, 1935. p. 228-313 ; 31 cm. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca,930.255 (469.411).
  • INVASÃO E OCUPAÇÃO DE GOA. Lisboa: Secretariado Nac. da Informação Cultural Popular e Turismo, 1962. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 511/06 SV 5210.
  • KLOGUEN, Denis Louis Cottineau de – An historical sketch of Goa: the metropolis of the Portuguese settlements in India […]. Madras, New Delhi: Asian Educational Services, 1988. ISBN 81-206-0436-9. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 36/07.
  • LOPES, Maria de Jesus dos Mártires – Goa setecentista: tradição e modernidade (1750-1800). Lisboa: Univ. Católica Portuguesa, Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa, 1996. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 233/06.
  • MATOS, Artur Teodoro de – O Tombo de Chaúl 1591-1592. Lisboa: CNCDP/Centro de Estudos Damião de Góis, 2000. ISBN 972-787-021-X. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 208/00 DEP 94(547)(093) REF.
  • NOONAN, Laurence A. – John of Empoli and his relations with Afonso de Albuquerque. Lisboa: Instituto de Investigação Científica Tropical, 1989. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 9881.
  • NORONHA, Eduardo de – Afonso de Albuquerque: grande romance histórico. Lisboa: Jornal A Época, 1926. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, BC 10217.
  • PEDROSA, Fernando Gomes – Afonso de Albuquerque e a arte da guerra. Cascais: Câmara Municipal, 1998. ISBN 972-637-052-3. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 463/06.
  • PENROSE, Boies – Goa: Queen of the East. Lisboa: Comissão Ultramarina, 1960. Comemorações do V Centenário da morte do Infante D. Henrique. Ed. bilingue em português e inglês. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 3559.
  • RODRIGUES, Vítor Luís Gaspar – Da Goa de Albuquerque à Goa seiscentista: aspectos da organização militar da capital do “Estado da Índia”. Lisboa: Instituto de Investigação Científica e Tropical, 2001. (Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga, ISSN 0870-6735. Separatas; 242). – Sep. da: Revista Militar, Vol. 51º do II século, Ano 1999, p. 59-93. – CNCDP ANTT. ISBN 972-672-890-8 Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 284/06.
  • SALDANHA, António Vasconcelos de – Do Arquivo Quinhentista da Torre do Tombo de Goa à “Colecção de Tratados” de Júlio Firmino Júdice Biker = From the Goa Archives of the sixteenth century to J.F. Biker´s “Collection of Treaties” / António Vasconcelos de Saldanha. – [S.l.: s.n., s.d.]. – Separata. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 1071/07.
  • SALDANHA, M. J. Gabriel de – Resumo da história de Goa. Bastorá: Typ. Rangel, 1898. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 169/07.
  • SANCEAU, Elaine – O sonho da Índia: Afonso de Albuquerque. 2ª. ed. Porto: Livraria Civilização, 1943. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, BC 10030.
  • SANTOS, Catarina Madeira – Goa é a chave de toda a Índia: perfil político da capital do Estado da Índia (1505-1570). Pref. Luís Filipe F.R. Thomaz. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 1999. ISBN 972-8325-96-7. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 94(547) 102/00 DEP.
  • SEN, Surendranath – Studies in indian history: historical records at Goa. New Delhi: Asian Educational Studies, 1993. ISBN 81-206-0773-2. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 1069/07.
  • SMITH, Ronald Bishop – Afonso de Albuquerque being the portuguese text of an unpublished letter of the Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra relating the portuguese conquest of Ormuz in 1507. Maryland: Decatur Press, 1972. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 167/07.
  • SMITH, Ronald Bishop – The letter of Afonso de Albuquerque in Códice 11.353 of the Biblioteca Nacional de Lisboa. Lisboa: [s.n.], 1992. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 319/95.
  • SOUSA, Francisco de – Oriente conquistado a Jesu Christo pelos padres da Companhia de Jesus da Província de Goa…. Lisboa: na Off. de Valentim da Costa Deslandes, 1710. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SP 869-870.
  • TADEU, Edith Inês Valério – O plano de Afonso de Albuquerque / Edith Inês Valério Tadeu. (Lisboa): Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, [S.d.]. – 53 p. ; 27 cm. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 523/96.
  • TELES, Ricardo Michael – Inventário dos objectos de conventos e igrejas palácios e fortalezas de Gôa. Nova Goa: Imprensa Gonçalves, 1934. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 861/07.
  • TELES, Ricardo Michael – Vida de Afonso de Albuquerque em mil palavras: pelo quarto centenário da sua morte. – Reis-Magos : [s.n.], 1915. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 4295 (4).
  • VASCONCELOS, Frazão de – Diário da Navegação da “Nau S. Francisco” de Goa para Lisboa em 1600-1601. Lisboa: Academia. Portuguesa da História, 1944. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 1463/96.
  • VIEGAS, Valentino – As políticas portuguesas na Índia e o Foral de Goa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1380-5. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, 94(547)(093).
  • VITERBO, Sousa – A avó materna de Affonso de Albuquerque (os penhoristas do seculo XV). Lisboa: Typ.- Calçada do Cabra, 1903. Separata do Arquivo Historico Português, vol.1. Portugal, Torre do Tombo, Biblioteca, SV 1412 (1).
Afonso-de-Albuquerque