A Portugalidade como fraca cantiga Moisés L Martins

O dedo na ferida da ‘portugalidade’ – “uma fraca cantiga” -, por Moises Lemos Martins, no Correio do Minho de hoje
“A traços largos, são estes os termos do debate e é este o contexto histórico, que enquadram a tese de doutoramento em Ciências da Comunicação, que Vítor de Sousa defendeu, em 2015, na Universidade do Minho. Entretanto publicada em livro, Vítor de Sousa apresentou Da “portugalidade” à lusofonia, na sexta feira passada, 8 de fevereiro, na sua terra natal, em Penafiel, no salão da Biblioteca Municipal, apinhado de gente, calorosa e interessada.
E foi este, igualmente, o ponto de partida para a entrevista, que concedi ao programa No Interior da Cultura, da Antena 2 da RDP, transmitido, também, na sexta feira passada. Foi meu objetivo apresentar publicamente o Museu Virtual da Lusofonia, uma plataforma informática de cooperação académica, sobre as relações interculturais no espaço dos países de língua portuguesa.

CORREIODOMINHO.PT
Em 1947, Alfredo Pimenta publicou o opúsculo Em Defesa da Portugalidade. E assim introduziu uma expressão-fetiche, de longa duração, no debate sobre a identidade nacional. A partir de 1951, com a revisão da Constituição Portuguesa de 1933,…
Please follow and like us:

Sobre chrys chrystello

Chrys Chrystello presidente da direção e da comissão executiva da AICL
Esta entrada foi publicada em AICL no tag com as tags . ligação permanente.