santa maria sem coqueiros

O CONTINENTAL QUE GOSTAVA DE REGUADAS|
Tenho com Santa Maria, uma pequena ilha no meio do Atlântico, uma relacão umbilical que não pedi mas que, passados 37 anos (já?) de a ter pisado pela primeira vez, não me sai da pele.
Saí de Lisboa sozinho, com uma mala no porão e fui 2 horas a olhar para o mar, pela primeira vez a bordo de um avião da TAP, imaginando que do outro lado estaria o meu pai, à espera, num banco de areia com dois coqueiros e uma rede entre eles. Era assim que os desenhos do Vasco Granja me mostravam uma ilha e era esse o destino que imaginava.
Cheguei a Santa Maria por escolhas de vida que não foram minhas e foi preciso de lá sair para perceber, eventualmente tarde, que ali passei os melhores momentos da minha infância.
Aterrei a tempo de ver o Carlos Lopes a ganhar aquele ouro mítico em Los Angeles e descobri, uns dias depois na escola, que eu vinha de um Continente. Era portanto, um Continental. Mais tarde passei a Português. Só descobri o que era a FLA alguns anos depois mas lembro-me de um colega na escola me explicar, “tu és Português, eu sou Acoriano”. É bom rapaz, entretanto estudou e certamente limou as arestas (da próxima vez que te vir na Maia, pagas tu a imperial).
Lisboa foi e será sempre o meu porto seguro mas, quando o cérebro pede descanso e sinto que não há mais nada para dar, é em Santa Maria que penso.
Não há mar como aquele. Uma ilha tão pequena, com 5000 habitantes e 22 km, se a memória não me falha, na maior distância possível de percorrer entre dois pontos e, mesmo assim, cheia de paisagens absolutamente deslumbrantes, trilhos pedonais magníficos e as melhores praias do arquipélago.
Por ali descobri também, aos 8 anos e na sala da terceira classe, com quem me iria casar. E disse-o, que nessa altura era mais falador do que agora, mas ninguém me levou a sério. Ainda hoje me acusam de levar a vida a brincar. Calúnias.
O meu pai teve que ir à escola umas vezes para a professora lhe dizer que eu respondia a tudo, menos ao que ela perguntava. Julgo que nunca lhe contou das reguadas mas tudo bem, valeram a pena. Dadas em frente à turma, com uma vista desobstruída para a futura senhora Franco. Molin de 50 cm, bem gordinha, foi a minha primeira flecha do cupido.
Em Santa Maria há uma sensacão de comunidade, de pertenca, de não estarmos sós. E há gente muito boa, que me ensinou a ver a vida de outra forma. Portanto, não terei sido eu a escolher ir viver para o meio dos coqueiros, mas jamais largarei, por opcão, uma terra que também considero minha.
E é nesse contexto que comecarei a colaborar, sem amarras nem agendas, com o jornal da ilha, o quadragenário Baluarte (

https://www.facebook.com/jornal.obaluarte/

), o que me enche de particular orgulho.

Para muitos que por aqui passam serão temas distantes e de um mundo paralelo. Para quem sabe o que é uma boa sopa de império, conhece o trilho do forte de São Brás ou o aérodromo que nasceu na praca do munícipio, espero trazer qualquer coisa de novo.
E já agora, muito obrigado pela oportunidade.
May be an image of 1 person, body of water and text that says "EXPLORER PRO ο 200"
Sandra Cardoso and 29 others
6 comments
Like

Comment
Comments
  • Verdade! Conto os dias para o meu regresso a Santa Maria ❤
    • Like

    • Reply
    • 32 m
  • E é bom que escrevas, porque escreves muito bem. E isso, pode até nem parecer, mas é cada vez mais urgente. Mesmo que não concordemos com tudo o que é dito, é muito mais interessante discordar de textos bem escritos 🙂
    • Like

    • Reply
    • 30 m
  • Parabéns 🧡
    • Like

    • Reply
    • 27 m
  • Já pensaste em comprar um motor Volvo Penta para o teu barco a remos? Fazias Lisboa a Vila do Porto num abrir e fechar de olhos, ou o tempo de levar uma réguada.
    • Like

    • Reply
    • 12 m
  • da’ vontade de a descobrir, essa pequena ilha no meio do Atlântico
    • Like

    • Reply
    • 9 m
  • Boa noticia essa 🙂
    • Like

    • Reply
    • 8 m

Ribeira dos Maloás. Disjunção Prismatica. Calçada do Gigante.

MADEIRA ABRE A TURISTAS

Lubélia Duarte

shared a link.

badge icon
Admin

3mtSpoansoiered

A Madeira já abriu totalmente a turistas com certificado de vacinação
PUBLICO.PT
A Madeira já abriu totalmente a turistas com certificado de vacinação
Medida abrange também quem chegar ao arquipélago com certificado atestando que já teve a doença e está recuperado. O objectivo é impulsionar o turismo, com quebras próximas dos 70%.
1
1 share
Like

Comment
Share

fabulosa islândia

As rochas de basalto, Islândia
May be an image of nature
2
1 comment
Like

Comment
Comments
Most recent

  • Fabuleux – un endroit merveilleux…
    • Like

    • Reply
    • See translation
    • 1 m

a magia do pico

Pico misterioso, de branco
Bela semana para todos
May be an image of nature
You, Urbano Bettencourt, Lizuarte Machado and 92 others
24 comments
3 shares
Like

Comment
Share
Comments
View 3 more comments

Ana Monteiro

Montanha mágica.

📷

Pedro Silva
May be an image of nature
You, Pedro Almeida Maia, Urbano Bettencourt and 27 others
1 comment
Like

 

Comment
Comments