bill gates e crimes contra a humanidade

Paulo J Almeida
thSfp7o mlfnshorresrd

Joao Tavares a coisa está a ficar preta para o Billllllll

A deputada italiana Sara Cunial, denunciou a campanha criminosa e globalista de vacinação compulsória impulsionada pelo fundador da Microsoft Bill Gates e

Please follow and like us:

INSTITUTO DE MEDICINA LEGAL ESQUECEU-SE DO CORPO DE MARIA VELHO DA COSTA – EXÉQUIAS a partir de SÁBADO, 6 de JUNHO, às 17.30, na IGREJA DE SANTO CONDESTÁVEL, em CAMPO DE OURIQUE, LISBOA | A Viagem dos Argonautas

 

Do filho de Maria
Maria Velho da Costa, mas poderia ser outra Maria. A quantas famílias terá/estará acontecendo uma situação como esta?

A indignidade é evidente, e de todos nós.

João Sedas Nunes
Ontem às 07:57
Minha mãe morreu ao começo da noite de dia 23 de maio em casa. Por imperativo legal, na madrugada de 24 o seu corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal para se proceder à autópsia que determinaria a causa de morte e despistaria a presença no organismo do Covid-19. Já depois de ter facultado às autoridades que intervieram no processo todos os dados que me foram solicitados (incluindo número do telemóvel), por duas vezes indaguei se deveria contactar o Instituto de Medicina Legal para apurar quando poderia resgatar o corpo. Por duas vezes foi-me categoricamente dito que me deveria abster dessa iniciativa, aguardando comunicação do Instituto de Medicina Legal que seria realizada mal a autópsia fosse concluída.
Ontem, dia 3 de junho, cerca das 17:00, isto é, quase 11 dias transcorridos desde o episódio atrás descrito, por iniciativa privada, “descobri” que os procedimentos da autópsia haviam sido finalizados no dia 25 de maio, estando dessa data em diante o corpo em depósito no IML a aguardar que a família o fosse buscar.
Honestamente, neste inqualificável processo de retenção quase diria obscena do corpo de minha mãe numa qualquer câmara frigorífica no IML não sei a quem imputar a responsabilidade principal. Às autoridades presentes no local do óbito – agora, a posteriori, tenho de pôr a hipótese de que me tenham informado erradamente – ou ao Instituto de Medicina Legal?
Em qualquer caso, há aqui algo profundamente errado no modo como o Estado, num momento tão delicado, organiza a relação com a família. Seja qual for a origem da falha, espelha um princípio de indiferença pelo sofrimento dos cidadãos na hora do passamento dos seus grandes afectos.
Trago isto a público (enfim, tanto quanto este estaminé é público), não para demandar reparação (ou pedido de desculpas), mas para contribuir para a tomada de consciência de uma forma extrema de desrespeito que dificilmente pode ser “compreendida” sem invocar a impunidade do funcionário que, investido de um poder de Estado, não presta verdadeiramente contas a ninguém. Contribuir, pois, para tornar intolerável a persistência da gramática do desprezo na ação realizada em nome do Estado e do bem comum.

Image may contain: sky and night
Comments
  • Maria C. Mascarenhas Inaceitável, de facto.
  • Mafalda Ramos Fiz gosto porque é importante falar sobre este tipo de situações graves. Isto não é Estado nem Bem comum é um erro grosseiro. A “responsabilidade principal?” para mim é do Estado. Quando o Estado não defende os cidadãos e o ataca também ele deve ser responsabilizado.Estou convencida que esta pandemia vai trazer muitos processos em tribunal até porque a democracia não está de quarentena e existem direitos básicos que estão continuamente a ser atacados. Porque raio passados 3 meses ainda não se encontraram formas de as pessoas, com segurança, poderem estar com os idosos nos lares e despedirem-se deles condiganamente? porque raio um bebe é afastado grosseiramente da mãe após parto? não há outras formas de garantir segurança e dignidade ao mesmo tempo? penso que as há, mas dá trabalho….

Post by @JooMachado7.

Source: INSTITUTO DE MEDICINA LEGAL ESQUECEU-SE DO CORPO DE MARIA VELHO DA COSTA – EXÉQUIAS a partir de SÁBADO, 6 de JUNHO, às 17.30, na IGREJA DE SANTO CONDESTÁVEL, em CAMPO DE OURIQUE, LISBOA | A Viagem dos Argonautas

Please follow and like us: