Google Fotos acaba com armazenamento ilimitado gratuito de fotografias e vídeos – Renascença

Medida entra em vigor a 1 de junho de 2021. Google Fotos foi lançado há cinco anos e tornou-se numa das principais ferramentas de arquivo de fotos e vídeos a nível mundial.

Source: Google Fotos acaba com armazenamento ilimitado gratuito de fotografias e vídeos – Renascença

5G UMA OPINIÃO CIENTÍFICA

A CAUSA DAS COISAS
Numa altura em que se observa a instalação de uma nova torre de comunicações no Castêlo concelho de Sever do Vouga e sabendo-se como se sabe que sendo uma antena partilhada pela NOS e pela MEO será lá obviamente instalada o repetidor da nova tecnologia 5G que se encontra ainda em fase de atribuição aos concessionários supracitados.
Com base nisso, achei que seria interessante fazer um pouco de análise sobre a controvérsia do 5G cuja disseminação de informações contrárias, nos deixam apreensivos quanto às consequências prováveis de que tantos falam.
Recentes relatórios, disponíveis online, alertam para terríveis consequências para a saúde das novas redes de 5ª geração (5G). Os especialistas analisaram os relatórios e concluíram que, dentro dos limites actuais de exposição, parece haver pouco ou nenhum risco de efeitos adversos para a saúde relacionados com a exposição à radiofrequência (RF) dos sistemas 5G.
As conclusões do estudo de revisão estão na edição de junho da Health Physics, jornal oficial da Health Physics Society.
A declaração do Comité Man and Radiation (COMAR) do Instituto de Engenheiros Eletrotécnicos e Eletrónicos (IEEE) refere que são reconhecidas lacunas na literatura científica, particularmente para exposições em frequências de ondas milimétricas.
Para os especialistas “a probabilidade de riscos para a saúde, ainda desconhecidos, em níveis de exposição, está dentro dos limites actuais”, podendo os riscos serem muito baixos, se existirem.
O COMAR, presidido por Richard A. Tell, é uma organização composta por médicos, biólogos, epidemiologistas, engenheiros e cientistas físicos especialistas em questões de saúde e segurança relacionadas a campos eletromagnéticos que trabalham voluntariamente e em conjunto, e sobre consenso.
A declaração de Comité procura combater o aumento de mensagens alarmantes sobre os misteriosos efeitos para a saúde pela tecnologia 5G. “A desinformação, juntamente com sites activistas que expressam consequências ainda mais ameaçadoras do 5G – desde a indução do cancro até a responsabilidade pela actual pandemia de coronavírus – criou uma ansiedade pública substancial e desnecessária”, na opinião de Jerrold T. Bushberg, da Faculdade de Medicina Davis da Universidade da Califórnia e Vice-Presidente do COMAR.
Os sistemas de quinta geração estão a expandir-se por todo o mundo para dar resposta à crescente procura por conectividade sem fios. A nova tecnologia pode transmitir quantidades muito maiores de dados em velocidades muito mais altas, em comparação com os sistemas 2G a 4G anteriores. Isso ocorre em parte porque o 5G usa uma maior largura de banda disponível em frequências mais altas, incluindo a chamada banda de ondas milimétricas.
Como as ondas milimétricas não penetram na folhagem e nos materiais de construção, bem como nos sinais de baixa frequência, muitos transmissores de “células pequenas” de menor potência serão necessários para fornecer uma cobertura interna eficaz. Alguns sistemas 5G terão antenas de “formação de feixe” que transmitem sinais para utilizadores individuais à medida que se movimentam, o que significa que os não utilizadores terão menos exposição.
O aquecimento do tecido é o principal efeito prejudicial potencial da exposição aos campos de RF. A maioria dos países, incluindo os Estados Unidos, adotou limites de exposição semelhantes aos recomendados pelas normas recentes (2019) publicadas pelo Comité Internacional de Segurança Eletromagnética (ICES) do IEEE ou pela Comissão Internacional de Proteção contra Radiação Não-Ionizante (ICNIRP ).
As diretrizes procuram evitar efeitos nocivos estabelecendo limites de exposição muito abaixo do limite em que se espera que ocorram efeitos adversos à saúde humana. Esses padrões permitem apenas baixos níveis de exposição pública à RF, para os quais a energia é depositada na forma de aquecimento térmico.
A declaração do COMAR fornece perspetivas para abordar preocupações sobre possíveis efeitos na saúde da exposição ao 5G:
■ Ao contrário dos campos de frequência mais baixa, as ondas milimétricas não penetram além da camada externa da pele – e, portanto, não produzem aquecimento dos tecidos mais profundos.
■ É improvável que a introdução do 5G altere os níveis gerais de exposição à RF. Como atualmente, a maior parte da exposição deve-se principalmente ao ” “uplink” do próprio telefone celular ou de outros dispositivos – e não da transmissão a partir de estações base.
■ Em quase todos os locais acessíveis ao público, as exposições de RF das estações base celulares, incluindo as estações 5G, permanecerão pequenas – uma fração dos atuais limites de exposição IEEE ou da Comissão Internacional de Proteção contra Radiação Não-Ionizante.
■ “’Enquanto’ as exposições permanecem abaixo dos níveis estabelecidas, os resultados da investigação, até o momento, não determinam que os efeitos adversos à saúde estejam associados às exposições à RF, incluindo aos sistemas 5G”, refere a declaração do COMAR. O Comité reconhece limitações das evidências atuais sobre possíveis efeitos à saúde e segurança da exposição ao 5G e identifica áreas-chave para futuras investigações, incluindo estudos de alta qualidade dos efeitos biológicos das ondas milimétricas.
https://ethics.harvard.edu/files/center-for ethics/files/capturedagency_alster.pdf?fbclid=IwAR3iwbCvaIh5QDtjOLsJrkMZh-nNNcjBlFZJFRyl0IU0tlgll0xiWxKTJ3w
No photo description available.
Like

Comment
Comments

tgv banguecoque madrid

Orgulhosamente sós, outra vez?
Este comboio de alta velocidade irá poder, no futuro, circular desde Banguekoque (Tailândia / sudoeste asiatico) através da China e pela Europa até….. Madrid. É crucial fazer-se pelo menos uma ligação de Lisboa até à rede espanhola do AVE. De outro modo acabaremos por ficar fora do mundo. Há que partilhar isto até à exaustão.

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=3342425885810435&id=756877521031964

-0:53

297,861 Views
CCTV+

China Develops High-speed Train to Run on Different Rail Systems

A Chinese train maker on Wednesday rolled out a new type of high-speed train which can run on different rail systems with a standard speed of 400 kilometers per hour.
http://www.cctvplus.com/news/20201022/8162505.shtml…

a app do covid não funciona como os políticos querem

Ao ler este post lembrei-me que se calhar faz falta editar o livro “Stayaway Covid for dummies” 😂

SOBRE A APLICAÇÃO FEDORENTA (que será obrigatória, mas pode não ser descarregada) – serviço público

«Declaração de interesses a minha empresa, foi uma das que participou no desenvolvimento da app. Se alguma app vier a ser obrigatória (o que tenho a certeza não vai acontecer e que é uma ideia à qual pessoalmente me oponho), não será esta de certeza, pois:
1) os requisitos essenciais que nortearam o desenvolvimento desta app era assegurar anonimidade e confidencialidade dos utilizadores, ou seja, o contrário do que é necessário para uma app de uso obrigatório;
2) para satisfazer os requisitos acima, a opção tecnológica foi usar-se o Bluetooth, que tem limitações várias que só foram ultrapassadas pelo esforço conjunto da Apple e da Google que desenvolveram a API específica, a GAEN, que “só pode ser usada por uma só app em cada país, com aval do governo e voluntária”. Ou seja, se viesse a serobrigatória a app não poderia usar a GAEN e como tal a opção pelo Bluetooth seria inviável;
3) A GAEN, agora, não funciona nas versões mais antigas do Android e do iOS, nem nos Huawei, só cobre potencialmente cerca de 6,5 milhões de portugueses, como se poderia obrigar os restantes?
4) pelas razões descritas em 1), não há qualquer ligação entre o sistema de emissão de códigos e as app (para ser anónimo, o sistema “não sabe” quem tem a app), por isso é impraticável, neste sistema, inserir códigos coercivamente, ou seja, teria de se construir também outro sistema de backoffice para os códigos serem inseridos à força.
Nota: fazer uma nova app e um novo sistema de códigos, demorará tempo, e se calhar, quando ficasse pronto, já a atual evolução da pandemia estaria controlada. Fazem falta assessores de políticos que lhes digam que nem tudo o que desejam, é possível. Como passam a vida a usar a semântica e a demagogia para moldar a realidade, acabam por acreditar que a moldam mesmo. Não haverá app obrigatória e “matou-se” a voluntária. Triste.»

Aquele “Pontinho Verde”: a câmera do seu iPhone está espionando você | Thoth3126

A Apple lançou um novo recurso de “proteção de privacidade” em seu iPhone, especificamente com a nova atualização do iOS 14, que muitos receberão e considerarão crucial na era de pós de…

Source: Aquele “Pontinho Verde”: a câmera do seu iPhone está espionando você | Thoth3126