pandemia 2020 pandemia 2021

Olhem para estes números, mas olhem bem. Vejam como estamos melhor que no ano passado, e reflitam sobre a informação que nos chega na televisão, notícias alarmistas para impor o medo, mas não há problema…. “são só 15 dias para achatar a curva”
17/06/2020: 447 internados
17/06/2021: 364 internados
17/06/2020: 3 mortos
17/06/2021: 2 mortos
12/06/2020: 3,3% de taxa de positivos
12/06/2021: 1,7% de taxa de positivos
Sinceramente não vejo o que possamos fazer, ou se está ao nosso alcance fazer o que quer que seja. Os socialistas de todos os partidos controlam a situação a bel-prazer sem limites legais, constitucionais, políticos, éticos ou morais.
Fazer posts no Facebook, artigos em blogs, jornais, falar aos amigos, de nada serve. A situação está decidida assim e nada os faz mudar. O intuito de preparar o grande reset, rebentar com a economia, falir tudo é inelutável. Invencível.
E não há quem, na política, se oponha ao que estão a fazer. Zero. Ninguém. Todos aceitam a maquinação sanitária sem um protesto.
E não parecem querer acordar.
Muito triste, tudo isto. Muito triste.
10
12 comments
Like

Comment
Share
12 comments
View 4 more comments
All comments

  • Carlos Silva

    Não estamos melhor nem pior, as coisas não são assim tão simples. Temos sensivelmente as mesmas restrições e medidas do ano passado com a diferença de que já temos alguma população vacinada, o que faz com que os números sejam ligeiramente inferiores ag…

    See more
    • Like

    • Reply
    • Share
    • 1 h
    1 reply

Nuno Pinto Do Souto added 4 new photos.

June 2021 will be the 40th anniversary of our arrival in Australia. I was already able to visit all the places we’ve lived in before that date.

Rosário Oliveira and 7 others

1 comment
Like

Comment
1 comment

HDES DUAS URGÊNCIAS PROVISÓRIAS

HDES vai instalar duas salas de urgências provisórias
O Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, vai instalar duas salas de urgências provisórias, tendo já começado os respectivos trabalhos.
Serão dois pré-fabricados destinados a apoiar o Serviço de Urgência, no âmbito da luta contra a Covid-19, destinados sobretudo aos pacientes a quem são atribuídas as pulseiras Azul e Verde.
Segundo a Administração do HDES, a média de espera das pulseiras Verde (Pouco Urgente) e Azul (Não Urgente) “é relativamente elevada e essa circunstância torna-os mais expostos a outros utentes que possam estar infectados, nomeadamente com o Sars-cov-2, ao partilharem o mesmo espaço”.
Outros dois pavilhões para as Consultas Externas
O tempo entre a entrada e a triagem é de menos de 5 minutos, mas entre a triagem e o atendimento a média de espera é de cerca de 90 minutos no caso das pulseiras Verde e de 150 minutos nas pulseiras Azul.
“As instalações do HDES não estavam preparadas para a separação dos utentes com distanciamento adequado, e na verdade nada foi feito a esse nível desde que a pandemia começou”, reconhece o HDES.
No sentido de evitar ao máximo o contágio nestes casos, o actual Conselho de Administração, presidido pela médica Cristina Fraga, decidiu avançar para a instalação de dois pré-fabricados, de tipo desmontável, com cerca de 100 metros quadrados cada, e uma capacidade em segurança para cerca de 30 utentes em simultâneo.
Seguindo o mesmo princípio, serão criadas instalações próprias para que os utentes possam ser atendidos num dos pavilhões.
Apesar da rapidez de procedimentos que foi imposta, prevê-se que os dois pavilhões possam estar a funcionar dentro de 2 meses.
De seguida serão ainda instalardos mais pavilhões semelhantes destinados a melhorar as condições de espera dos utentes da Consulta Externa, uma vez que o número máximo de utentes que podem estar em simultâneo no interior do HDES foi reduzido para cerca de 1/3 do normal.
(Diário dos Açores de 16/06/2021)
May be an image of outdoors
Fernando Martinho Guimarães and 66 others
12 comments
10 shares
Like

Comment
Share
12 comments
View 4 more comments
All comments

1/3 DOS BRITÂNICOS QUE MORRERAM ESTAVAM VACINADOS

Um terço dos britânicos que morreram de cepa indiana de coronavírus foram vacinados.
18:40 13/06/2021
Vacina Oxford / AstraZeneca – RIA Novosti, 1920, 13/06/2021
© RIA Novosti / Gustavo Valiente
Um terço dos britânicos que morreram com a cepa indiana do coronavírus foram totalmente vacinados
MOSCOU, 13 de junho – RIA Novosti.
Quase um terço dos britânicos que morreram com a cepa “indiana” do SARS-CoV-2 receberam duas doses de vacinas ocidentais.
O Telegraph escreve sobre isso com referência a um estudo da Agência de Saúde Pública da Inglaterra (PHE).
“Os dados brutos indicam uma situação decepcionante. Os casos de infecção pela variante “indiana”, cresceram exponencialmente desde o início de maio. Nos últimos sete dias, foram registados cerca de cinco mil casos”, diz a reportagem.
O relatório da agência indicou que das 42 pessoas que morreram em decorrência da infecção com a cepa, 12 (aproximadamente 29%) foram totalmente vacinadas contra a covid-19.
A epidemiologista do PHE, Megan Call, observou que ainda não foi descoberta a causa da morte em pacientes vacinados.
Segundo o PHE, as vacinas são 33% eficazes contra a mutação “indiana” após a primeira dose e 81% após a segunda.
O matemático James Ward, que está modelando os dados do COVID-19, acredita que a vacina protegerá contra infecção e morte em 80% e 95%, respectivamente.
“Por um lado, os números são encorajadores, mas ainda não há evidências suficientes para apoiar esses dados”, escreve o autor.
A Agência de Saúde Pública da Inglaterra ainda está colectando informações sobre como a vacina mais usada no Reino Unido, a AstraZeneca (70% das injecções em todo o país), é eficaz contra a mutação “indiana” do coronavírus.
COVID-19 vaccines go through many tests for safety and effectiveness and are then monitored closely.
Source: World Health Organization
Get Vaccine Info

1
2 comments
Like