“Era óbvio que foi perseguição política orquestrada contra Lula”, diz o Nobel da Paz Ramos-Horta ao DCM

Ganhador do Nobel da Paz de 1996 por ter percorrido o mundo pela autodeterminação do Timor Leste durante a ocupação indonésia, José Ramos-Horta agora usa sua visibilidade para denunciar outro ataque político, cometido contra o ex-presidente Lula da Silva. Para Ramos-Horta, a obviedade da perseguição política orquestrada contra o brasileiro já era clara, mas foi […]

Source: “Era óbvio que foi perseguição política orquestrada contra Lula”, diz o Nobel da Paz Ramos-Horta ao DCM

Please follow and like us:
error

RAMOS HORTA E A CHINA

PONTOFINALMACAU.WORDPRESS.COM
José Ramos Horta é uma das figuras de proa da lusofonia, um pragmático que nos últimos tempos tem defendido uma maior proximidade económica de Timor-Leste à China, para combater a dependência da In…
Please follow and like us:
error

Ramos-Horta defende recondução de Alkatiri à frente de região de Oecusse-Ambeno

Please follow and like us:
error

RAMOS HORTA LEMBRA MARIO CARRASCALAO

Em Outubro 2015 escrevi esse perfil do Eng. Mário Viegas Carrascalao em homenagem a esse Homem Bom, Honesto, Incorruptivel. Partilho outra vez neste dia em que Mario Carrascalao deixa Timor-Leste na viagem que todos nós mortais fazemos – A Grande Viagem Sem Regresso.

“Reportagens fotográficas de Timor-Leste” (PT/ENG)
O Gabinete do ex-Presidente Ramos-Horta publica hoje a décima série de reportagens fotográficas quinzenal sobre o novo Timor-Leste. Todas as imagens são cortesia da Familia Carrascalão

#10 Mário Viegas Carrascalão

Diz-se que na época quem ascendesse ao cargo de Governador de Província na Indonésia em pouco tempo acumularia uma pequena grande fortuna ao fim do seu mandato. Mário Carrascalão seria hoje um homem rico. Uma das formas de enriquecer, muito simples, era guardar para si próprio o equivalente a $30 mil dólares mensais, verba atribuída pelo Governo Central para cada Governador para dar resposta rápida as solicitações de pessoas mais necessitadas. Mário Carrascalão despendia todo esse valor mensal realmente ajudando os mais necessitados. Nunca se deixou subornar por ninguém.

Os anos do seu mandato como Governador da dita “27a. província” foram os anos de maior abertura do território ao exterior; de oportunidades para jovens Timorenses irem estudar fora de Timor-Leste, em Jacarta e outras cidades Indonésias.

Mário Carrascalão tentava e conseguiu fazer o “jogo” ou o equilíbrio, ganhar a confiança e respeito do Presidente Indonésio, o que lhe permitia ao mesmo tempo fazer braço de ferro com os militares em Timor-Leste.

Salvou centenas de vidas; forçou a abertura de Timor-Leste ao mundo; conseguiu que milhares de jovens Timorenses tivessem uma oportunidade única de se formarem.

Mas talvez mais importante, conseguiu convencer o comando militar Indonésio em Timor-Leste a dialogar com Xanana, o que aconteceu no encontro histórico de Lariguto, em Ossu, em 1983. Xanana estava a reorganizar a resistência, na sequência do debacle de 1977-78.

O comando Indonésio estava determinado a lançar uma nova ofensiva militar de envergadura contra as FALINTIL para “acabar de vez” com a resistência. Xanana que tinha assumido o comando da luta em 1981 precisava de tempo. Pediu a Mário Carrascalão “três meses”; Mário Carrascalão aceitou o pedido de Xanana para convencer o comando Indonésio a “dar mais tempo para o diálogo”.

Mário Carrascalão conseguiu realmente persuadir o Comando indonésio a não relançar uma nova ofensiva militar de imediato. Três meses foi o tempo necessário para Xanana preparar as suas forças e enfrentar uma nova vaga de ofensiva militar que veio a acontecer.

Não faço aqui o historial exaustivo do papel altamente meritório de Mário Carrascalão na nossa luta. Foi o primeiro Timorense a formar-se superiormente e com notas elevadas. Regressou a Timor-Leste depois dos seus estudos e passou a chefiar os Serviços de Agricultura e Florestas. Foi sempre homem simples, acessível a todos, honesto.

Ronda os 80 anos de idade, está de ótima saúde; sempre apoiada pela leal companheira e esposa a Dona Milena. Mário Carrascalão continua a viver uma vida simples, sem riqueza, sem ostentação.

José Ramos-Horta

*******

“Photographic essays of Timor-Leste”
President Ramos-Horta’s office in Dili publishes today the tenth serie of photo essays about the new Timor-Leste. All images are courtesy of Carrascalão Family.

#10 Mário Viegas Carrascalão

It was said in those days that whoever got the coveted position of Governor of a Province in Indonesia would amass a small fortune by the end of his term. Mário Carrascalão would be rich today. One of the ways to easily enrich oneself, in a simple way, would be to keep for himself the US$30,000 that was allocated by the Central Government for the discretionary use by the Governor meant for helping out the most deprived people. Mário Carrascalão did give away the full amount each month to the poorest who knocked his door. He was incorruptible.

The years of his term as Governor of the so-called “27th province” were the years when the territory was thrown open to the outside world; opportunities were available for young East Timorese to go study in Jakarta and other Indonesian cities.

Mário Carrascalão tried and succeeded in playing the “game” or balancing act, gaining the trust of the Indonesian President which was necessary to allow him to stand up to the hardliners in the Indonesian armed forces in Timor-Leste.

He saved hundred of lives; he forced open Timor-Leste to the world; he managed to give unique opportunities to thousands of young Timorese to pursue further studies.

But maybe his most important contribution, and a daring one, was when he managed to convince the Indonesian Military Command stationed in Timor-Leste to engage in dialogue with Xanana; this eventually happened in the historic meeting of Lariguto, in Ossu, in 1983. Xanana was in the process of re-organising the resistance, following the debacle of 1977-78.

The Indonesian Command was determined to deploy troops reinforcements to “finish off” the Resistance once and for all. Xanana had taken over the resistance leadership in 1981 following the military debacle of the late 70’s; he needed more time to reorganize the liberation forces. So he pleaded with Mário Carrascalao to convince the Indonesian military leadership to postpone a planned new offensive by three months; Mário Carrascalão heeded Xanana’s request with the false pretence that he needed more time to convince Xanana to surrender; he succeeded in convincing the Indonesian military command to give him three more months to try dialogue. Three months was the time Xanana needed to prepare his forces to face a new wave of military offensive that eventually happened.

This is not meant to be an exhaustive account of the highly meritorious role played by Mário Carrascalão during our struggle. He was the first Timorese to graduate from a University in Portugal and he did with very high grades. He returned to Timor-Leste after his studies and went on to head the Agriculture and Forestry Services in the early 70’s. He was always a humble man, accessible to all, and honest.

He is approaching 80 and is in good health; always backed by his loyal companion and wife, Dona Milena, Mário Carrascalão continues to live a simple life without wealth, without ostentation.

No photo description available.
Image may contain: 1 person
No photo description available.
No photo description available.
+7

CommunitySee all

Icon of invite friends to like the page
Invite your friends to like this Page
Highlights info row image
119,760 people like this
Highlights info row image
119,274 people follow this

Page TransparencySee More

Facebook is showing information to help you better understand the purpose of a Page. See actions taken by the people who manage and post content.

Page created – 23 September 2011

Please follow and like us:
error

RAMOS HORTA ATENTADO NAO MUDOU O MEU ESTILO

E ainda hoje continua a percorrer os bairros, e o país inteiro, quase sem segurança, o que revela, não apenas que confia na estima do seu povo, mas também verdadeira coragem (tendo sido vítima de um atentado e estado às portas da morte).

ARQUIVO.CORREIODOBRASIL.COM.BR
Ramos-Horta: “Atentado não muda meu estilo” Arquivado em: Arquivo-CdB Publicado quinta-feira, 17 de abril de 2008 as 09:11, por: cdb O presidente do Timor-Leste, José Ramos-Horta, disse nesta quinta-feira em uma…
Please follow and like us:
error
error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

%d bloggers like this: