timor morreu o avô Serra

Rosely Forganes

May be an image of 1 person
Antonio Sampaio

is with

António Serra

.

Morreu o “avô” Serra, um dos portugueses que vivia há mais anos em Timor-Leste

Díli, 09 abr 2021 (Lusa) – José Serra, um dos portugueses que vivia há mais temp…

See more
You and 39 others
13 comments
Sad
Sad

 

Comment

13 comments

All comments

  • Paz à sua alma.
    • Like

       

    • Reply
    • 6 h
    • Like

       

    • Reply
    • 5 h
  • Um herói da luta pela independência, nunca reconhecido! A memória de um povo é o seu futuro. Sem memória…

    1

    • Like

       

    • Reply
    • 5 h
  • Para sempre na memória de quem teve o privilégio de o conhecer e privar um pouco com ele, ouvir as suas histórias, comer o seu tukir de cabrito, beber da sua paz e verdade
    Um abraço

    eterno Avô

    1

    • Like

       

    • Reply
    • 5 h
  • R.I.P
    • Like

       

    • Reply
    • 5 h
  • Que descanse em paz!!
    • Like

       

    • Reply
    • 5 h
    • Like

       

    • Reply
    • 4 h
  • Paz à sua alma
    • Like

       

    • Reply
    • 3 h
  • Que descanse em paz. Gostei muito de o conhecer e de ouvir as histórias da História Timorense.
    • Like

       

    • Reply
    • 3 h
  • Tive o privilégio de o conhecer. Visitei-o várias vezes entre 2004 e 2008. Que descanse em paz.
    • Like

       

    • Reply
    • 3 h
  • Também tive o previlegio de conhecer este senhor e ouvir a sua vida, Paz a sua Alma.
    • Like

       

    • Reply
    • 1 h
  • Nunca reconhecido.
    • Like

       

 

Admin
+1

tS1ponso0reodhfgf

Rui Sá Pinto Correia
Partiu um português feito mundo, dos últimos que o mundo teve e que se guardou pelas montanhas de Timor como se fosse o seu torrão natal, o Fundão, e de quem tive o privilégio de ouvir as suas histórias de vida.
Conheci-o quando num périplo pelas montanhas de Liquiçá após ter feito a viagem Lisboa-Dili de moto, cheguei ao seu terreiro nos píncaros das montanhas de Liquiçá.
Transcrevo a memória que ficou deste primeiro contacto a que se seguiram depois outros encontros e partilhas.
Descansa em paz avô Serra.
Março, 2017
Avô Serra com 89 anos é uma figura bem conhecida em Timor-Leste, tendo sido o único português a ter permanecido no território durante a ocupação indonésia, sendo obrigado a refugiar-se nas montanhas com a guerrilha por 3 anos durante a luta de resistência.
Com 25 cabeças de gado que o governador Alves Aldeia lhe entregou, chegou a ter 400. Com a invasão, entregou-as todas para alimentar a guerrilha. Confessa com alguma amargura, não ter visto reconhecida pelos novos governantes da terra a sua participação no esforço da luta pela independência. Talvez por ter cor de pele de malai. Lembra todos aqueles que muitas vezes sem testemunhado esforço na luta de libertação recebem agora pensões de veteranos, quando ele por 24 anos resistiu sozinho naquelas serras perdidas de montanha.
Actualmente dedica-se à sua plantação de café e a fornecer de frutas e caprinos o hotel de referência da capital, o Hotel Timor.
Natural do Fundão, veio para Timor em 1964 a convite de um seu irmão. Desde então não mais regressou a Portugal. Em 2000, o Embaixador e o programa de TV “Portugal no Coração” chegaram a ter preparada a viagem de saudade e regresso, que não se concretizou. Agora diz que a juventude e as pernas, que lhe pesam, já lhe não permitem voltar. Tem medo de assim traçar o futuro certo que viu a outros suceder, os quais depois da visita tão ansiada à longínqua “metrópole” se deixaram morrer escassas semanas depois de voltarem a Timor.
Num canto do terreiro aponta o seu lugar onde ficar.
Desço a montanha entre o verde fresco e fim de tarde. No horizonte suspensa entre mar e céu, a ilha de Alor e do mistério, apresenta-se majestosa em toda a sua extensão, coberta de nuvens alvas como neve.
As portas abertas das habitações oferecem o simples conforto do fim de dia. Um sorriso numa cara bonita à beira do caminho espreita entre bambus e elegância. Súbito o doce aroma do café torrado e a excelência doce do leite creme mimoseiam-me o olfacto. Num momento realizo, como se justifica num ermo, uma vida longe de um outro mundo.
+8
Rui Sá Pinto Correia

added 12 new photos to the album Visita à Quinta do Avô Serra.

Visita à quinta do “Avô” Serra em Maubara.
Avô Serra com 89 anos é uma figura bem conhecida em Timor-Leste, tendo sido o único português a ter permanecido no território durante a ocupação indonésia, sendo obrigado a refugiar-se nas montanhas com a guerrilha por 3 anos durante a luta de resistência.
Com 25 cabeças de gado que o governador Alves Aldeia lhe entregou, chegou a ter 400. Com a invasão, perdeu todas estas cabeças de gado para alimentar a guerrilha. Confessa com alguma amargura, não ter visto reconhecida a sua participação no esforço da luta pela independência pelos novos governantes da terra. Talvez por ter cor de pele de malai. Lembra todos aqueles que muitas vezes sem testemunhado esforço na luta de libertação recebem agora pensões de veteranos, quando ele por 24 anos resistiu sozinho naquelas serras perdidas de montanha.
Actualmente dedica-se à sua plantação de café e a fornecer de frutas e caprinos o hotel de referência da capital, o Hotel Timor.
Natural do Fundão, veio para Timor em 1964 a convite de um seu irmão. Desde então não mais regressou a Portugal. Em 2000, o Embaixador e o programa de TV “Portugal no Coração” chegaram a ter preparada a viagem de saudade e regresso, que não se concretizou. Agora diz que a juventude e as pernas, que lhe pesam, já lhe não permitem voltar. Tem medo de assim traçar o futuro certo que viu a outros suceder, os quais depois da visita tão ansiada à longínqua “metrópole” se deixaram morrer escassas semanas depois de voltarem a Timor. Num canto do terreiro aponta o seu lugar onde ficar.
Desço a montanha entre o verde fresco e fim de tarde. No horizonte suspensa entre mar e céu, a ilha de Alor e do mistério, apresenta-se majestosa em toda a sua extensão, coberta de nuvens alvas como neve.
As portas abertas das habitações oferecem o simples conforto do fim de dia. Um sorriso numa cara bonita à beira do caminho espreita entre bambus e elegância. Súbito o doce aroma do café torrado e a excelência doce do leite creme mimoseiam-me o olfacto. Num momento realizo, como se justifica num ermo, uma vida longe de um outro mundo.
Alberto Borges and 20 others
1 comment
Like

 

Comment

1 comment

All comments

  • Bonito texto de homenagem
    Correcção, não foi o único português, que permaneceu em Timor durante A ocupação Indonésia
    Havia também um Alentejano de apelido Casanova, ou Casa Branca

Morreu Jorge Coelho. De ministro a comentador e construtor de líderes socialistas – Renascença

Foi pela mão de António Guterres que se assumiu como o “homem da máquina” do PS. Foi ministro entre 1995 e 2001, altura em que a queda da ponte de Entre-os-Rios ditou a sua saída do Governo. Carismático, jovial, assertivo, voltou a ser decisivo em 2005, o ano da primeira maioria absoluta do PS em eleições legislativas, com José Sócrates.

Source: Morreu Jorge Coelho. De ministro a comentador e construtor de líderes socialistas – Renascença

Morreu a estilista australiana Carla Zampatti, que vestiu princesas e atrizes

Tinha 78 anos e estava hospitalizada há uma semana, depois de uma queda na noite de abertura da ópera La Traviatta em Sydney.

Source: Morreu a estilista australiana Carla Zampatti, que vestiu princesas e atrizes

faleceu Luís Filipe Cabral.

Faleceu o antigo líder da JS/Açores Luís Filipe Cabral - Jornal Açores 9
JORNALACORES9.PT
Faleceu o antigo líder da JS/Açores Luís Filipe Cabral – Jornal Açores 9
Faleceu esta terça-feira em Ponta Delgada, Luís Filipe Cabral. Luís Filipe Cabral, foi líder da Juventude Socialista nos Açores, foi jornalista e foi também deputado na Assembleia Legislativa Regional da IV Legislatura, foi um assessor político, entre outras actividades profissionais que dese…
13
4 comments
Like

Comment

R.I.P PROFESSOR FERREIRA DA SILVA

R.I.P PROFESSOR FERREIRA DA SILVA
HOMENAGEM NA SUA PARTIDA
Faltam palavras para evocar o Homem e o Cientista que honrou a Universidade do Porto e a sua Faculdade de Ciências. O Professor Doutor José Ferreira da Silva, personalidade com um vasto e importante currículo na área da investigação, cultura e ensino, deixou-nos ontem ao cabo de uma brilhante carreira de que destacamos alguns pontos mais relevantes:
O Professor Doutor Ferreira da Silva foi Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, possuindo os Doutoramentos em Física e Engenharia Eletrotécnica pela Universidade de Leinden. Foi o responsável científico pela linha de investigação em Supercondutividade do Centro de Física da Universidade do Porto, atualmente integrada no IFIMUP (Instituto de Física de Materiais da Universidade do Porto).
Regeu as disciplinas de Física para as Licenciaturas em Física e Química da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Biofísica para as licenciaturas em Medicina e Ciências do
Meio Aquático, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e Biomecânica para os cursos da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, da Universidade do Porto.
Publicou numerosos trabalhos científicos nas revistas da especialidade e artigos de divulgação em jornais e revistas periódicas, tendo sido membro dos Conselhos Científicos da Faculdade de Ciências do Porto e da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto.
Foi “Referee” do programa “Science and Esprit” das Divisões XII e XIII da Comissão Científica das Comunidades Europeias. Colaborou em dois projetos comunitários de investigação sobre os novos supercondutores de alta temperatura crítica. Foi o responsável
científico de um projeto nacional da Junta Nacional Investigação Científica e Tecnológica sobre estes novos supercondutores. Nesta linha de investigação, colaborou com as Universidades de Grenoble e Cantábria (Santander).
Foi participante regular nas European Conferences on Applied Supercondutivity – EUCAS (em Edimburgo, no ano de 1995, e Veldhoven, na Holanda, em 1997) de cuja Comissão Consultiva
Internacional fez parte. Colaborou na orientação científica de doutoramentos na área da Biomecânica e realizado ações de divulgação da Física em contextos interdisciplinares – Biologia, Medicina, Desporto – em Escolas Secundárias e diversas Universidades e Institutos de Ensino Superior.
Foi presidente do Conselho Pedagógico da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto no biénio 1998-2000.
Foi presidente da Comissão Coordenadora do Mestrado em Física para o Ensino e convidado a participar nas atividades culturais do ciclo “O Futuro do Futuro” – Linha da Matéria – integrada no programa “Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura”.
Finalmente referiremos entre as suas últimas atividades, o interesse pela História e Filosofia das Ciências, que divulgou em numerosos colóquios, palestras e congressos. Era membro do Conselho Científico do CTEC – Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência/ Universidade Fernando Pessoa com quem regularmente colaborou como consultor, quer em colóquios quer em intervenções televisivas, com destaque para a série “Encontros Imediatos”, emitida na RTP2.
O seu reconhecido mérito científico levou-o a obter uma homenagem pública durante o III Congresso Internacional “Fronteiras da Ciência”, subordinado ao tema “O Homem e o
Cosmos”, realizado na Universidade Fernando Pessoa, no final de 2009, e enquadrado no Ano Internacional da Astronomia.
Grato ao estimado colega Doutor Raul Berenguel pelo CV e pelo video da homenagem antes referida de que destacamos o frame que, mau grado a deficiente qualidade, serve para memorizar e divulgar publicamente às novas gerações o papel desempenhado por este notável investigador de pensamento aberto à novidade e à mudança de paradigmas em Ciência.
Na foto: o Professor José Ferreira da Silva, com o autor destas linhas ao centro e o Professor Salvato Trigo, Reitor da UFP.
May be an image of 1 person
12
1 comment
Like

Comment
Share
Comments
  • Nas breves palavras de agradecimento, ilustradas na imagem acima, pela homenagem de que fora alvo, o Professor Ferreira da Silva ainda teve tempo para citar as investigações de Richard Haines, cientista do Ames Research Center, da NASA, sobre observações de objetos aéreos anómalos feitas por pilotos civis e militares. O que prova bem o interesse e a atenção que o prestigiado físico portuense devotava ao problemas dos “Não Identificados”. Coragem e caráter num verdadeiro homem de Ciência.

morreu FERNANDES THOMAZ

Nuno Fernandes Thomaz, antigo vice-presidente do CDS-PP, morreu esta segunda-feira em Lisboa, aos 77 anos por “consequência da Covid-19”. Foi primeiro vice-presidente do CDS-PP na década de 1990, durante a direcção de Manuel Monteiro.
May be an image of 1 person and text that says "NUNO CARVALHO FERNANDES THOMAZ"
Jose Manuel R Barroso and 2 others
2 comments
Like

Comment
Share
Comments
View 1 more comment

morreu o inventor da cassete

Lou Ottens, inventor of the cassette tape, passed away aged 94. I have fond memories of the first transistor radio + tape recorder I owned in Poland, on which I recorded songs and albums featured on various shows (LPs and prerecorded cassettes were either impossible or expensive to buy). Clean tapes were also at a premium, so I often recorded new content over no-longer-desired earlier recordings. I bought my first walkman in the US in the 1980s, and loved it more than I can say. Thank you, Mr. Ottens ❤
May be an image of one or more people
2
Like

Comment
Share
Comments

morreu o historiador FRANCISCO CONTENTE DOMINGUES (1959-2021),

Norberto Ávila

and 3 others shared a post.

LUTO. Com a morte, esta madrugada, do historiador FRANCISCO CONTENTE DOMINGUES (1959-2021), o nosso maior especialista em História das Navegações e da Expansão Portuguesa e Europeia, fica mais pobre uma área de estudos que este professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa ajudou a dinamizar de modo significativo, formando as novas gerações de investigadores. Entre os seus trabalhos mais recentes destaca-se a direcção das obras Homens, Navios e Marinheiros 1500-1668 (Academia de Marinha, 2012) e Dicionário da Expansão Portuguesa (Círculo de Leitores, 2016), e a colaboração na colecção The Sea in History (4 vols., Boydell&Brewer, 2017). O Francisco Contente era membro da Academia de Marinha, da Academia Portuguesa da História e da Academia das Ciências de Lisboa. Lega-nos uma obra numerosa e especializada, não só relevante como insubstituível. Pelos seus conhecimentos em Cartografia e Náutica, colaborou activamente com o campo da História da Arte, ajudando a caracterizar as representações de caravelas, naus, galeões e outros tipos de embarcação na pintura e na azulejaria portuguesa. A sua herança historiográfica, pedagógica e científica é inestimável.