Ramos Horta: Não esqueçamos contributo de Portugal para independência de Timor-Leste –

Ana Tilman and José Ramos-Horta shared a link.
Please follow and like us:
error

Dicionário de umbundu chega ao mercado | Cultura | Jornal de Angola – Online

“Dicionário de verbos conjugados em umbundu e português – Três tempos num só modo” é o título do livro que a professora universitária Cesaltina Kulanda apresenta ao público na sexta-feira, às 16h00, na União dos Escritores Angolanos(UEA), em Luanda.

Source: Dicionário de umbundu chega ao mercado | Cultura | Jornal de Angola – Online

Please follow and like us:
error

Primeiro dicionário português-tetum apresentado hoje – SAPO

O primeiro dicionário timorense de Português-Tetum foi hoje apresentado em Díli e foi elaborado por uma equipa de 12 pessoas do Departamento de Português da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e nos últimos quatro anos.

Fonte: Primeiro dicionário português-tetum apresentado hoje – SAPO

Please follow and like us:
error

Livro – Este dicionário não é como os outros. Podia inspirar 390 romances – Artes – DN

De Abreu a Zurara, aqui se viaja em mais de um milhar de páginas pelos séculos de ouro da Expansão Portuguesa

Fonte: Livro – Este dicionário não é como os outros. Podia inspirar 390 romances – Artes – DN

 

Este dicionário não é como os outros. Podia inspirar 390 romances

De Abreu a Zurara, aqui se viaja em mais de um milhar de páginas pelos séculos de ouro da Expansão Portuguesa

António de Abreu era filho de um fidalgo de Avis e foi criado do rei D. Manuel. Combateu sob as ordens de Afonso de Albuquerque nas conquistas de Ormuz e Malaca, foi ferido e a bravura valeu-lhe uma nova missão. O Grande César do Oriente – um dos vários nomes atribuídos a Albuquerque – enviou-o em busca das ilhas das especiarias mais desejadas, às Molucas do Norte e a Banda, onde crescia o cravo e a noz-moscada. O capitão da Índia deixou padrões em Java, Banda e Amboino, mas a viagem foi atribulada. Abreu regressou a Malaca em 1512 com menos de metade dos 180 homens que tinham embarcado na viagem. Morreu dois anos depois na viagem de regresso a Portugal, nos Açores, teria trinta e poucos anos.

A biografia do comandante da primeira expedição europeia a chegar tão longe, às ilhas de Banda, na Indonésia, abre o primeiro dos dois volumes do Dicionário da Expansão Portuguesa entre os anos de 1415 e 1600 lançado há pouco mais de duas semanas. Sob a direção do historiador e professor catedrático Francisco Contente Domingues, 79 especialistas ligados a 35 instituições universitárias e de investigação nacionais e estrangeiras – do Minho a Macau, literalmente – escreveram os 390 artigos do novo dicionário. Portugueses que investigam no estrangeiro e estrangeiros que investigam em Portugal os dois séculos de ouro da época dos Descobrimentos.

O projeto foi realizado em tempo quase recorde para este tipo de obra de referência: em apenas 18 meses. Contente Domingues escolheu primeiro os temas e explica o processo. “A escolha foi relativamente simples, porque se houvesse qualquer pretensão de exaustividade, o dicionário teria dezenas de milhares de entradas.” Depois, procedeu-se a uma operação de síntese. Ou seja, “o dicionário tem 50 ou 60 entradas grandes, maiores do que seria normal. Em vez, por exemplo, de termos uma entrada para cada especiaria, temos uma só entrada sobre especiarias. Temos um tipo de artigos que não há normalmente em obras de referência.” Como é o caso de várias outras entradas como as dedicadas à literatura de viagens, à gastronomia ou ao urbanismo.

O segundo grande passo foi a escolha dos autores, que acabou por ser mais simples e menos difícil. “Simples porque se tratava de encontrar a pessoa mais adequada para fazer cada artigo. Acabei por conseguir ter praticamente todas as que trabalham na área da Expansão em Portugal e a resposta positiva foi superior a 90%.” Mais simples do que há duas décadas, quando Contente Domingues coordenou a edição do Dicionário de História dos Descobrimentos Portugueses sob a direção do professor Luís Albuquerque. “A diferença é que entretanto houve cursos de mestrado, de doutoramento, gerações de pessoas novas a trabalhar nestes temas e com imenso valor”, explica, “suficientemente especializadas para podermos ter colaboração de qualidade em todas as áreas.”

Metade desta qualidade está neste primeiro volume do novo Dicionário que termina com o tema Humanismo e os efeitos do choque entre a experiência vivida e contada pelos navegadores e as teorias dos autores clássicos como Ptolomeu ou Aristóteles. Afinal, os oceanos comunicavam, existiam antípodas e as terras firmes e os mares formavam um globo.

Será preciso esperar pelo fim de Fevereiro para continuar a ler a outra metade desta História: de Ielala, a rocha no rio Zaire onde Diogo Cão gravou, em 1485, uma inscrição como prova da sua passagem, até Zurara, apelido de Gomes Eanes, cronista-mor de Afonso V e guarda-mor da Torre do Tombo. É também o segundo volume que traz um apêndice de mapas para ajudar o leitor a não perder o norte à geografia. Pelo caminho, há centenas de histórias de portugueses e da influência portuguesa pelo mundo para conhecer e lembrar, que podiam dar outros tantos romances.

Dicionário da Expansão Portuguesa

1415-1600 (Vol. 1)

Direção de Francisco

Contente Domingues

Círculo de Leitores

PVP: 19,99 euros

Please follow and like us:
error

DICIONÁRIO ANGOLANO rápido

DICIONÁRIO ANGOLANO

EM ANGOLA nao tem policia, tem MAGALA,bOFIA ou MALAIKE
ANGOLANA não fica com má aparencia, fica NGAXI ou REBENTADA
ANGOLANO não foge, TIRA VOADO
ANGOLANO não é passageiro, é PAX
ANGOLANO não é mais velho, é KOTA, PAPOITE, MAMOITE
ANGOLANO não vende , PÁYA ou EMPORRA
ANGOLANO tem dinheiro, está BOSSANGA OU FERVE
ANGOLANO não está mal, tá MALAIKE
ANGOLANO nao fala, dá uma DICA
ANGOLANO nao atrapalha, MAIA
ANGOLANO nao é cidadao, é MUADIÉ ou WI
ANGOLANO não tem problema, tem BABULO
ANGOLANO no taxi nao encosta, EMAGRECE
ANGOLANO não goza, ESTIGA
ANGOLANO não é grosso, é CAENCHE
ANGOLANO não Viola, NGOMBELA
ANGOLANO não mente, dá BILINGUE, KATA ou dá JAJÃO
ANGOLANO não bebe cerveja , bebe BIRRA ou PIVEN
ANGOLANO não bebe whisky, bebe MAMBITO
ANGOLANO não tem Dinheiro, tem kUMBU, tem MASSA, tem OS QUE FAZ RIR
ANGOLANO não Viaja, SAPA
ANGOLANO não liga Luz , faz um GATO
ANGOLANO não é diplomata , é NGUVULO
ANGOLANO não escuta música, CURTE OS BRINDES ou SOM
ANGOLANO não trabalha, BUMBA ou BULI
ANGOLANO não luta, BILA
ANGOLANO não curte, TCHILA
ANGOLANO não faz amor, TCHACA, CUNA,PISA, PÉRA,PORÇA ou TIRA UMA AGUA
ANGOLANO não peida, BUFA
ANGOLANO não conquista mulher alheia, TROLA
ANGOLANO não tem moto, tem uma TURRUM
ANGOLANO não é multado , é PENTEADO
ANGOLANO não está aflito , está PAIADO
ANGOLANO não difama , ESTENDE, ZONGOLA
ANGOLANO não tem ressaca , tá OVER
ANGOLANO não vê mulher bonita , vê MBOA
ANGOLANO não tem namorada, tem GARINA…DUCHA….GADAIA
ANGOLANO não fica pobre, fica WAZEBELE ou ANCORADO
ANGOLANO não olha, GALA, MARA
ANGOLANO não tem traje de gala, tem GRIFE
ANGOLANO não pega , CANGA
ANGOLANO não tem rabo, tem MBUNDA, TURUGO
ANGOLANO não tem alguma coisa, tem um BOM MAMBO
Angolano não passa a perna , FACA
Angolano não esturque , PARTE BRAÇO
Angolano não facilita, dá FALIDA
Angolano não tem Mulher ou Namorada , tem DAMA, XKINDOSA,TUCHA,MBOA
Angolano não conquista a mulher, DICA DAMA
Angolano nao e poligamo, é GAJO DE GAJAS
Angolano nao atende funeral, vai ao KOMBA ou OSCAR
Angolano nao faz credito, faz KILAPI
Angolano nao pensa, BANZELA
Angolano nao vai, TIRA O PÉ
Angolano nao diz: tudo bem?, DIZ TASS
Angolano nao rouba, GAMA
Angolano nao ultrapassa, dá MBAIA
Angolano nao morre, dá CALDO ou dá NTUM
Angolano nao estuda, AMARRA
Angolano nao conduz, ele PEGA ou NDUTA
Angolano não come, PITA
Angolano não bebe, CHUPA
Angolano não roça., TARRACHA
Angolano não dança, BAILA
Angolano não toma o pequeno almoço, MATABICHA
Angolano não vai a festa, vai ao BODA
Angolano não veste, TRAPA
Angolano não faz xixi, dá uma SUSSA
Angolano não tem amigo, tem CAMBA
Angolano não tem mama, tem XUXA
Angolano não vai para terra, vai PARA BANDA
Angolano não tem mau hálito, tem DIZUMBA MALAICA! CATINGA
Angolano não Pendura em carros, se MAGWELA
Angolano não faz a bola passar por cima, CABRITA ou DÁ MÉ
Angolano não faz a bola passar entre as pernas, dá DA OVA ou CAGUERO
Angolano não tem sorte/oportunidade, tem FEZADA
Angolano não se Droga, CHUTA-SE
Angolano não é criança, é NDENGÉ
Angolano não passeia, ZUNGA
Angolano não sente frio, sente KAWELO
Angolano não afunda, SMASHA
Angolano não faz musculação, MANGUITA
Angolano não sai à noite, DESBUNDA
Angolano não joga, PÉLA
Angolano não arranja dama, LHE MORREM
Angolano não tem finta, tem VIRA-VIRA.
Angolano não reprova, PICA, XUMBA.
Angolano não telefona, FONA
Angolano não tem fome, tá FOBADO
Angolano não come, PÁPA,PITA
Angolano não é angolano, é MWANGOLÉ
Angolano não é refugiado, é TURÍSTA

postado por elizandra às 12:37
retirado de Diálogos Lusófonos
Please follow and like us:
error

Variações para uma língua mal comportada Primeiro Atlas Linguístico Brasileiro

Roberto Custódio/Jornal de Londrina
Roberto Custódio/Jornal de Londrina / Professora Vanderci Aguillera e o atlas que faltava: diferenças linguísticas de Norte a Sul são uma das riquezas brasileiras Professora Vanderci Aguillera e o atlas que faltava: diferenças linguísticas de Norte a Sul são uma das riquezas brasileiras
PESQUISA Continuar a ler Variações para uma língua mal comportada Primeiro Atlas Linguístico Brasileiro

Please follow and like us:
error