há dias em que apetece fugir para lá Tristão da Cunha: a ilha mais isolada do mundo foi descoberta por um português | VortexMag

A ilha de Tristão da Cunha é o local mais isolado e remoto do planeta. Foi descoberta por um navegador português. Descubra a sua história e como se vive por lá.

Source: Tristão da Cunha: a ilha mais isolada do mundo foi descoberta por um português | VortexMag

OS TEMPLÁRIOS E A DESCOBERTA DO BRAIL

May be an image of map and text
OS TEMPLÁRIOS E A DESCOBERTA DO BRASIL
Os templários conheciam muito bem a existência de um continente americano, e os navios portugueses da Ordem de Cristo dispunham de instruções secretas de navegação que lhes possibilitava alcançá-lo bem antes da descoberta oficial da América por Cristóvão Colombo em 1492, como é demonstrado pelo Almirante Gago Coutinho a respeito da descoberta do Brasil antes do ano de 1488.
in “TEMPLÁRIOS, Vol 3 – A Perseguição e a Política de Sigilo de Portugal: a Missão Marítima””, Eduardo Amarante

A aldeia da Indonésia onde se dança o Vira e se canta em Português | VortexMag

A muitos quilómetros de distância, em Tugu, uma aldeia da Indonésia, há uma comunidade que descende de portugueses e que mantém vivas as suas tradições.

Source: A aldeia da Indonésia onde se dança o Vira e se canta em Português | VortexMag

PACHECO PEREIRA DESCOBRIU O BRASIL ANTES DE CABRAL

May be an image of 1 person
Duarte Pacheco Pereira: o navegador que descobriu o Brasil antes de Cabral
Embora a descoberta oficial tenha sido atribuída a Pedro Álvares Cabral, são muitos os indícios que terá sido Duarte Pacheco Pereira a descobrir o Brasil.
Quem chegou primeiro ao Brasil – Pedro Álvares Cabral ou Duarte Pacheco Pereira?
A pergunta pode parecer algo estranha para os amantes de história, mas a verdade é que Pacheco Pereira deixou escritas na obra Esmeraldo de Situ Orbis algumas frases que têm sido tomadas como prova de que foi este o primeiro a chegar ao Brasil, antes da data oficial de 1500.
Como o documento apenas foi revelado em 1892, o debate tem estado aceso desde então.
Duarte Pacheco Pereira foi um dos primeiros heróis dos descobrimentos, capitão de guerra na Índia, recebido em Lisboa com um desfile triunfal.
Camões chamou-lhe “Aquiles lusitano”, sendo o navegador um hábil marinheiro e guerreiro com fama de colérico e agastado.
Nascido em Santarém, foi cavaleiro da Casa de El-Rei D. João II, tendo já sido notado antes da sua viagem à Índia na expedição de Afonso de Albuquerque, onde comandava a nau Espírito Santo.
Pacheco Pereira era filho de um navegador e neto de um armador, tendo crescido em contacto próximo com o mar e com as arrojadas viagens dos portugueses que desbravaram o oceano, descobrindo novos povos e terras.
Assim, o seu espírito parecia cheio de ardor de aventuras e de grandes feitos, tendo-o demonstrado toda a vida, no seu serviço à pátria, com feitos que o tornaram um dos portugueses mais notáveis do seu tempo.
A epopeia de Pacheco Pereira inicia-se em viagens de exploração e reconhecimento ao longo da costa ocidental da África.
Em 1494, fez parte da delegação portuguesa na conferência de onde resultou o célebre Tratado de Tordesilhas, considerado o mais importante tratado do séc. XV.
Nessa conferência, revela todo o seu saber científico, revelando-se um elemento fundamental na defesa das pretensões portuguesas.
A confiança que D. João II tinha nele prolongou-se pelo reinado de D. Manuel, que o envia em 1498 para além do Mar Oceano em busca de terras ocidentais do Atlântico, onde o navegador encontrou terra firme, com grandes ilhas adjacentes.
Esta expedição teria como objetivo reconhecer as zonas situadas para além da linha definida no Tratado de Tordesilhas.
Pensa-se, assim, que Pacheco Pereira terá descoberto o Brasil, algo que a política de então não lhe permitiria revelar, para não provocar confrontos com Espanha.
Em 1500, o descobrimento é tornado oficial por Pedro Álvares Cabral, evitando-se desta forma atritos e reclamações que poderiam ter surgido, se o acontecimento não se tivesse revestido de todos os cuidados e de sigilo sobre as navegações anteriormente realizadas.
O papel de Duarte Pacheco Pereira no Tratado de Tordesilhas
Realizou algumas viagens à costa da Guiné, sob as ordens de D. João II. Depois, a sua competência em matéria de geografia e de cosmografia, assim como a sua experiência de navegador, levaram-no a figurar entre os membros da delegação portuguesa encarregada de estabelecer, com os castelhanos, os termos do Tratado de Tordesilhas, em 1494.
D. Manuel I, em 1498, encarregou-o de uma expedição relacionada com a demarcação da linha estabelecida pelo mesmo tratado, o que terá constituído um passo preparatório do descobrimento do Brasil. Aliás, Pacheco Pereira acompanharia Pedro Álvares Cabral na viagem de 1500.
É autor do Esmeraldo de situ orbis, obra que ficou incompleta e que constitui um roteiro comentado das costas ocidental e oriental da África.
Nela, Duarte Pacheco Pereira refere, embora não muito claramente, que o rei D. Manuel o tinha mandado descobrir «uma tão grande terra firme» a ocidente do Oceano Atlântico, facto até hoje desprovido de provas convincentes e que deu origem a várias especulações sobre a sua veracidade.
Depois de várias outras viagens, nomeadamente à Índia, exerceu o cargo de capitão de S. Jorge da Mina entre 1519 e 1522, altura em que regressou a Lisboa.
5
3 comments
Like

 

Comment
3 comments
View 2 more comments

All comments

Embaixada de Portugal assinala 500 anos da morte de Fernão de Magalhães

O aniversário da morte do navegador português, Fernão de Magalhães, foi assinalado hoje em Paris através de uma leitura encenada e a instalação de um poster gigante da dupla de artistas portugueses Borderlovers.

Source: Embaixada de Portugal assinala 500 anos da morte de Fernão de Magalhães

Descobrimento do Brasil: os bastidores da viagem de 44 dias que levou Pedro Álvares Cabral ao país – BBC News Brasil

O navegador português e sua tripulação enfrentaram tormentas, calmarias e doenças e apenas 500 dos 1,5 mil homens que saíram de Portugal conseguiram voltar para casa.

Source: Descobrimento do Brasil: os bastidores da viagem de 44 dias que levou Pedro Álvares Cabral ao país – BBC News Brasil

Fernão de Magalhães, o génio que cometeu um erro fatal | 500 Anos da Circum-Navegação | PÚBLICO

O historiador Luís Filipe Thomaz conta que o navegador ao serviço de Castela percebeu tarde de mais que as ilhas Molucas – conhecidas como “ilhas das especiarias” – ficavam em território português. E que, perante esse erro, ficou sem saber o que faz

Source: Fernão de Magalhães, o génio que cometeu um erro fatal | 500 Anos da Circum-Navegação | PÚBLICO

a ignorância alastra e é endémica????

A CAUSA DAS COISAS
Esta passou-me ao lado, mas ainda vou a tempo de “a agarrar”…
Maria João Marques – Aparece como Colunista no Público | Fundadora da Capital Mag | https://capitalmag.pt/author/mariajoaomarques/Administradora na MSM Imobiliária,https://www.linkedin.com/…/maria-jo%C3%A3o-marques…/…

See more
Maria João Marques: “Os Descobrimentos causaram tráfico de escravos e Portugal tem um pecado” | TVI24
TVI24.IOL.PT
Maria João Marques: “Os Descobrimentos causaram tráfico de escravos e Portugal tem um pecado” | TVI24