Covas do Monte: uma aldeia com 50 habitantes… e 2500 cabras | VortexMag

Na aldeia de Covas do Monte, em São Pedro do Sul, o número de cabras ultrapassa em muito o número de habitantes, num pequeno e esquecido paraíso.

Source: Covas do Monte: uma aldeia com 50 habitantes… e 2500 cabras | VortexMag

Número de nascimentos nos primeiros 10 meses do ano é o mais baixo de sempre – Açoriano Oriental

As pouco mais de 65.600 crianças nascidas em Portugal nos primeiros dez meses do ano, representam o valor mais baixo de sempre para igual período, segundo dados do Instituto Nacional Ricardo Jorge baseados no rastreio neonatal “Teste do Pezinho”.

Source: Número de nascimentos nos primeiros 10 meses do ano é o mais baixo de sempre – Açoriano Oriental

sobrepopulação

No photo description available.
Volto a lembrar…
A Mentira da Sobrepopulação
O cálculo que fiz há uns tempos acerca da população mundial e da mentira da sobrepopulação, é o seguinte:
1. Segundo os dados «oficiais» (que pecam por excesso), a população mundial actual é de cerca de 7.793.000.000 pessoas;
2. Se agrupássemos figurativamente essas pessoas em «casais», teríamos 3.896.500.000 «casais» virtuais;
3. Se a cada um desses «casais» déssemos um terrenozinho de 150m2 com uma moradiazinha T2, teríamos uma área total ocupada de 584.475.000.000m2, ou sejam 584.475 Km2;
4. Ou seja, poderíamos meter todos os terrenozinhos, com as casinhas e TODA a população mundial no estado americano do Texas (696.241Km2) e ainda sobrar espaço para arruamentos, serviços e indústria…
E o resto do planeta SEM MAIS NINGUÉM! Onde é que está a sobrepopulação?
2

“Precisamos de pessoas”. Interior agoniza com “desertificação” de mão-de-obra – Renascença

Várias associações empresariais do interior do país alertam para o número de empresas que não consegue atrair trabalhadores. Há muitas vagas por preencher e são cada vez mais. Em alguns casos, está já a travar investimentos, a impedir expansão de negócios e a fazer derrapar entregas de encomendas e obras.

Source: “Precisamos de pessoas”. Interior agoniza com “desertificação” de mão-de-obra – Renascença