ESTRANHO CRÓNICA 385 nos céus um objeto não identificado

tlSsS1phonsored

 

CRÓNICA 385 nos céus um objeto não identificado 24.2.2021

Em 17.6.2016 escrevi:

. Comecemos por um evento surreal ontem à noite quando o meu filho João ao fechar as portadas das janelas me alertou para um objeto brilhante de cor alaranjada na direção sul, 5 a 10º abaixo da lua quase cheia…ele e a mãe tinham visto dois objetos similares, um dos quais desapareceu com uma velocidade astronómica sem se saber para onde. O outro, caraterizado por emitir luz para os lados e para baixo, em tom laranja ali permaneceu, depois desapareceu e tornou a voltar antes de desaparecer para o resto da noite. Cheguei a esta avançada idade de seis capicuas sem jamais ter observado algo semelhante, embora tenha lido e visto documentários sobre o tema centenas de vezes. Estou consciente das reproduções de eventos similares desde as civilizações mais antigas, mas nunca tinha sido privilegiado com uma visão pessoal do fenómeno UFO OVNI. Foi a primeira, sem explicação lógica, racional ou científica. Aceitemos como diz o povo “eles andem aí”.

 

Era uma noite calma e fria (9 ºC) estava no pátio perto da meia noite de dia 24.2.2021 a imaginar as 3 naves que aterraram em Marte nestes dias e mandam imagens de um planeta onde os iluminados pensam que a Humanidade irá viver no futuro quando tiverem concluído a atual fase de destruição da Terra como planeta habitável. Evoquei uma conversa nos idos de 20 julho 1069 quando Neil Armstrong alunou no nosso satélite natural, sendo o primeiro humano conhecido a fazê-lo e um aldeão na Eucísia me comentava que estava farto de olhar para a Lua e não via nada, por isso devia ser mentira que tivéssemos ido à Lua.

Ontem no pátio (a minha sala de chuto noturna) a tomar a minha dose de nicotina, antes de me deitar, quando olhava os céus em busca de Marte, vi algo estranho mesmo aqui por cima de casa, um objeto multicolorido a pairar a enorme altitude sem se mover (ontem dia 24.2.2021) entre as 24 e 00.20. estive longos minutos a certificar-me que estava imobilizado e não era um avião de longo curso. As estrelas têm luz , normalmente intermitente mas fixa, os aviões piscam as suas luzes multicolores e pode acompanhar-se o seu movimento ao cruzarem os céus na noite, esta estava a elevada altitude, fixa, pairando, com as luzes intermitentes numa cadência de cores sem nexo, ora azul, ora amarelado, ora vermelho, mas sempre com luz. Já vi – pelo menos uma vez – a ISS (estação espacial internacional) e vi-a mover-se lentamente (parecia mais lenta que um avião) e esta não se parecia nada com a ISS. Permaneci alguns minutos com a cabeça encostada ao pilar e um olho fechado a tentar descortinar se haveria movimento, vim abrir a janela da frente de casa e a coisa mantinha-se no seu pisca-pisca imóvel lá nas alturas. Assados vinte minutos subi à falsa a investigar melhor e peguei na máquina fotográfica, pressenti que podia ser um momento invulgar, foquei o zoom e obtive estas três imagens num mesmo minuto. A última é com o zoom no máximo. Não sei o que era mas não esperei tempo suficiente para a ver desaparecer a uma velocidade impossível como acontecera em 2016, fiquei sem saber se seria um satélite. Os cometas e asteroides não emitem estas luzes nem pairam. Mistérios que não chegaram para me tirarem o sono

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Public
aqui por cima de casa, objeto multicolorido a pairar a enorme altitude sem se mover ontem entre as 24 e 00.20 ISS?
Ana Franco, Artur Arêde and 8 others
2 comments
Like

 

Comment
Share

Comments

Most relevant

O COVID 19, TORNOU OS RICOS MAIS RICOS AINDA

CRÓNICA 339 SARS-COV2, O COVID 19, tornou os ricos mais ricos ainda

junho 2020

Uma das dúvidas que tinha desde o início desta crise Covid era quem mais beneficiara financeiramente com ela. Esta semana a Revista Forbes esclareceu-me que os 25 mais ricos do mundo enriqueceram mais 255 biliões (mil milhões) em dois meses apenas. Gostava de saber dados nacionais ou sobre os Açores mas nada encontrei.

Os super-ricos estão assim substancialmente mais ricos, enquanto os desempregados e os pobres aumentaram no mundo (mas esses números não tenho). Comparando a riqueza desses 25 cujas fortunas estão ligadas à bolsa de valores, a revista Forbes descobriu que quem mais ganhou foi o CEO do Facebook Mark Zuckerberg, 36 anos, dado que as ações subiram 60% e a sua fortuna passou de 7º para nº 4 da lista com $86.5 biliões, sendo já mais rico que Warren Buffett, do que o fundador da Inditex Amancio Ortega e do que o CEO da Oracle Larry Ellison.

O segundo maior beneficiado em termos de ganhos é o nº 1 da lista, fundador da Amazon e seu CEO Jeff Bezos, cuja fortuna aumentou 26% subiu 30 biliões para $146.9

Em termos percentuais o vencedor é Colin Zheng Huang, fundador de Pinduoduo (maior vendedor online) cujo modelo social permite partilhar compras com amigos e família em agressivas campanhas de marketing, DUPLICOU o valor das suas ações acrescentando $17.9 biliões à sua fortuna (já é o 3º mais rico chinês) com $35.6 biliões.

Outro beneficiado é o indiano Mukesh Ambani, (o mais rico asiático) que vale agora $52.7 biliões, quase o dobro da sua fortuna anterior.

Destes 25 mais ricos nem um só perdeu, pelo contrário todos beneficiaram, vejamos em detalhe o que ganharam nos últimos dois meses, de 23 março a 22 de maio

1 | Jeff Bezos, Amazon, EUA, Total | $146.9 Biliões, Aumento $29.9 Biliões
2 | Bill Gates, Microsoft, EUA, Total | $106.5 Biliões, Aumento $11.9 Biliões
3 | Bernard Arnault, LVMH, França, Total | $94.1 Biliões, Aumento $12.8 Biliões
4 | Mark Zuckerberg, Facebook, EUA, Total | $86.5 Biliões, Aumento $31.4 Biliões
5 | Warren Buffett, Berkshire Hathaway, EUA, Total | $69.2 Biliões, Aumento $6 Biliões
6 | Larry Ellison, Software, EUA, Total | $66.4 Biliões, Aumento $10.4 Biliões
7 | Steve Ballmer, Microsoft, EUA, Total | $65.4 Biliões, Aumento $14 Biliões
8 | Larry Page, Google, EUA, Total | $63.6 Biliões, Aumento $14.2 Biliões
9 | Sergey Brin, Google, EUA, Total | $61.3 Biliões, Aumento $13.7 Biliões
10 | Amancio Ortega, Zara, Espanha, Total | $60.5 Biliões, Aumento $5.2 Biliões
11 | Jim Walton, Walmart, EUA, Total | $55.2 Biliões, Aumento $3.6 Biliões
12 | Alice Walton, Walmart, EUA, Total | $55 Biliões, Aumento $3.6 Biliões
13 | Rob Walton, Walmart, EUA, Total | $54.8 Biliões, Aumento $3.6 Biliões
14 | Françoise Bettencourt Meyers, L’Óreal, França, Total | $54.2 Biliões, Aumento $6.4 Biliões
15 | Mukesh Ambani, Petróleo, Gás, Petroquímicos, Índia Total | $52.7 Biliões, Aumento $19.9 Biliões
16 | Carlos Slim Helu, Telecom, México, Total | $51.2 Biliões, Aumento $4.2 Biliões
17 | Mackenzie Bezos, Amazon, EUA, Total | $47.8 Biliões, Aumento $10.4 Biliões
18 | Ma Huateng, Internet, Média, China, Total | $46.4 Biliões, Aumento $6.8 Biliões
19 | Jack Ma, Comércio Eletrónico, China, Total | $41.3 Biliões, Aumento $3 Biliões
20 | Phil Knight, Nike, EUA, Total | $37.7 Biliões, Aumento $9.9 Biliões
21 | Elon Musk, Tesla, EUA, Total | $36.7 Biliões, Aumento $9.5 Biliões
22 | Colin Zheng Huang, Comércio Eletrónico, China, Total | $35.6 Biliões, Aumento $17.9 Biliões
23 | François Pinault, Produtos De Luxo, França, Total | $31.8 Biliões, Aumento $2.1 Biliões
24 | Sheldon Adelson, Casinos, EUA, Total | $30.7 Biliões, Aumento $1.4 Biliões
25 | Michael Dell, Computadores Dell, EUA, Total | $28.3 Biliões, Aumento $3.5 Biliões

https://www.forbes.com/…/05/22/biliõesaires-zuckerberg-be…/…

 

repetindo o conselho de agosto 2020 ao atual chefe do governo regional

18.21. ELEIÇÕES À PORTA COM AS MINHAS SUGESTÕES DE BOA GOVERNANÇA, CRÓNICA 282 – 28.8.2019

Gosto muito do Presidente Vasco Cordeiro, e considero-o um homem íntegro, nem sempre bem assessorado, pelo que tomo a liberdade de sugerir propostas de difícil execução, mas de resultados benéficos para os habitantes. (Nota dezº 2020: não seguiu estes conselhos e agora já não está no governo)

SATA – salvar a companhia, para servir as 9 ilhas do arquipélago e a ligação ao Porto e Lisboa, com viagens interilhas baratas que promovam o turismo interno e as necessidades de deslocação não-turísticas (estudantes, etc.), integrado na política de arranjar transportes aéreos e marítimos como os que operam nas Canárias (não é preciso reinventar a roda, basta copiar)

Acabar com empresas públicas regionais deficitárias (mesmo que aumente temporariamente o desemprego que ora é um emprego falsificado)

Usar as visitas estatutárias e o CES para auscultar o povo de cada ilha e satisfazer os seus anseios, escolhendo os candidatos a representantes da região, através de círculos uninominais, ou participação direta.

Criar um Superconselho de artes e humanidades de pessoas independentes (seis pessoas: música, literatura, pintura, história, 1 doutras ciências, 1 do desporto) para apreciar os pedidos de apoio ao GRA com base nos méritos de cada atividade sem ser por critérios economicistas normais, visando a validade a médio e longo prazo dos projetos propostos.

Isto evitaria o escândalo de 2020 em que uma peça premiada de Álamo Oliveira, “A solidão da Casa do Regalo” pelo Grupo Alpendre, premiada pela Direção Regional de Cultura – creio que em 2000 – fosse recusada pela mesma Direção da Cultura por falta de valor cultural….

Apertar a fiscalização efetiva dos recipientes de RIS (Rendimento de Inserção Social)

Criar uma carteira profissional e cursos profissionais capazes para a restauração e hotelaria para todos os que já estão na atividade e sem a qual futuros candidatos não possam exercer a profissão

Preservar o meio ambiente face à destruição pelo turismo de massas e massificação descontrolada dos fluxos turísticos. Deve meter-se travão aos grandes hotéis, em S Miguel pois ameaçam tornar-se elefantes brancos causando mais desemprego.

Apoiar a agricultura (eu não disse pecuária) e novas produções, tal como na crise da laranja e outras que permitam diversificação de produtos e de mercados de exportação.

Para tal será necessário assegurar, de forma independente, o transporte da produção para centros de distribuição (Lisboa, Porto ou noutros locais)

Incrementar a fixação de investigadores e cientistas nos polos da academia local

Incrementar as ações de fiscalização marítima da enorme zona económica.

Facilitar o investimento da diáspora

Apostar na introdução de novas tecnologias e cibernética na pecuária, agricultura, etc.

Rever e atualizar os Cadernos Eleitorais

Utilizar linguagem simples e coloquial nos comunicados governamentais para que o eleitorado os entenda

Mais haveria a sugerir, como a introdução em termos simples e não-burocratizados de benefícios diretos aos que usam e divulgam produtos locais, medidas de protecionismo das empresas locais (sem dimensão capaz para competirem com as de fora) e por aí adiante… enquanto os aparelhos partidários forem agências de emprego (jobs for the boys) a abstenção não baixa e só favorece populismos e extremismos de direita.

 

Crónica 383 vamos destruir esses monumentos todos

Crónica 383 vamos destruir esses monumentos todos 21.2.2021

 

Queria ser o primeiro, mas alguém se antecipou à minha proposta de demolição do Padrão dos Descobrimentos. Como o João Nuno Azambuja explicava: “Aqueles que propõem a demolição do Padrão dos Descobrimentos deviam pensar primeiro em demolir a sua despensa.

Dito isto resta-me propor outras demolições como o Mosteiro dos Jerónimos, a Escola de Sagres, a Torre de Belém, estátuas como a Padre António Vieira, o Monumento aos Combatentes, tudo que em Guimarães lembre Afonso Henriques esse brutal perseguidor de mouros, apagar milhares de nomes de ruas de brutais colonizadores e exploradores desde Diogo Cão a Roberto Ivens, Cristóvão Colombo, Vasco da Gama, Luís de Camões que os imortalizou em livro, os bandeirantes e demais traficantes de escravos, tudo o que diga respeito à sangrenta guerra colonial, a S. João Batista de Ajudá, Goa, Damão, Diu, Nagar-a-vely, Malaca, Sião, Birmânia, a todas as ex-colónias de Ceuta a Bombaim e Timor, o famigerado dia da raça em 10 de junho,

ABATER ESTÁTUAS DE ESCLAVAGISTAS E OUTROS É TAREFA FÁCIL, ELAS ESTÃO MUDAS E QUEDAS E NEM ESBOÇAM SEQUER OPOSIÇÃO, mais difícil é apagar os atos de todos os esclavagistas ao longo dos séculos. Além de que, normalmente, os apeadores de estátuas são pessoas de elevado grau de ignorância, mandatados por um qualquer populista. Começam por estátuas, depois queimam livros, e exorcizam ideias, e quando menos se dá conta já um fascismo nazi se instalou.

Os erros da História não se apagam nem se compensam e é um erro grave julgar a História doutras eras pelos padrões de hoje. Imaginemos o inverso e toda a população atual seria exterminada pela Inquisição. O que é proibido numa era pode ser moda noutra. Mais importante do que apelar a estes racismos e colonialismos envergonhados por eras passadas, era extirpar a fome, a escravatura e a intolerância que grassam na maioria dos países ainda hoje. Há quem afirme que nunca houve tantos escravos como agora, basta ir à Líbia ou a uma qualquer página de compra dos mesmos..

É bem mais fácil apear estátuas que ideias. Ao destruir ou deitar abaixo uma estátua podemos estar a destruir um símbolo, mas os atos e consequências mantêm-se inalterados. Como estes vândalos são mais ignorantes que um primata, devem começar pelo século XX e destruir as estátuas de todos os grandes esclavagistas do povo HITLER, ESTALINE, LENINE, MAO, e mais umas dezenas deles por todo o mundo. Depois devem passar ao século XIX e fazer o mesmo, por aí atrás a todos os Impérios, pois nenhum império sobrevive sem escravos e são os escravos que fazem grandes s impérios.

Os impérios africanos antes dos ocidentais terem lá chegado, eram mercados de venda de escravos, que encontraram um fértil mercado quando os ocidentais lá apareceram. Os corsários berberes aprisionavam cativos nas ilhas dos Acores para os venderem como escravos, devemos assim obliterar todos os berberes?

Retrocedendo chegaremos ao Antigo Egito, depois da destruição de Constantinopla, da Biblioteca de Alexandria (que tem de ser destruída uma segunda vez), vamos destruindo o Corão, a Bíblia, todos os livros sagrados de todas as religiões, todos os vestígios de escravatura até aos Sumérios e babilónios, aos Denisovan, Neandertal e seus antepassados.

Aí sim, estará a obra completa e podemos voltar a ser símios, pois tanto quanto se sabe os símios nunca praticaram a escravatura. Completado o círculo recomecem a civilização de novo como símios, que a vossa capacidade intelectual é bem inferior à deles. A História serve para nos ensinar, não está aí para ser condenada. Condenar a História não irá resolver nada. Não se apaga o passado, e ao tentar apagar o passado não se corrige o presente, cada ato aconteceu numa determinada época fruto da mentalidade e das normas sociais de cada época. Tudo o que fazemos hoje, e é considerado aceitável e normal, implicava uma ida à fogueira da Inquisição ou ao cadafalso da Maria Antonieta, à pira da Joana d’Arc, ou ao canibalismo das tribos ancestrais.

Esta ignorância que ora nos rodeia com monumentos a destruir e estátuas apeadas vai matar muito mais que o Covid, a peste, ou qualquer outra praga bíblica e com esta fórmula de politicamente correto que tentam implantar não vai sobrar ninguém. Um povo que não preserva o seu património está condenado ao olvido.

Chrys Chrystello, Jornalista, Membro Honorário Vitalício nº 297713

[Australian Journalists’ Association MEEA]

Diário dos Açores (desde 2018)

Diário de Trás-os-Montes (desde 2005)

Tribuna das Ilhas (desde 2019)

Jornal LusoPress Québec, Canadá (desde 2020)

 

 

Crónica 382 talvez amanhã

 

 

Crónica 382 talvez amanhã 17.2.2021

 

Depois de 2020 vem 2021 e a pandemia continua, com ou sem vacina, mais 500 estirpes vão surgindo, os mortos e infetados aumentam, e as liberdadezinhas que nos foram retiradas vieram para ficar. Nunca nada será como dantes. A coberto da noite esfrangalhou-se a sociedade que já estava decadente e começa a criar-se uma nova, em que para se viajar vai ser preciso passaporte de vacinas, dizem que é como dantes quando se usava o boletim de saúde (Certificado Internacional de Vacinação). A economia extingue-se por entre promessas de bazucas e apoios e um dia virá em que ficaremos todos dependentes de apoios do Estado para sobreviver, a coberto da promessa de um rendimento universal para todos, enquanto robôs e ciborgues ocupam os lugares dos trabalhadores.

Muitos postos de trabalho nunca mais serão reativados e outros permanecerão em teletrabalho. A nova era já começou e muitos não se aperceberam da traumática mudança que se apossou dos países mudando radicalmente a nossa forma de viver..

A crise financeira estourará mas ninguém sabe como, depois de os 4 bancos centrais (FED, BCE, Japão e Tesouro do Reino Unido) injetarem biliões de empréstimo a taxa zero…

As viagens de avião não tornarão a ser o que eram, as pessoas não poderão viajar livremente como dantes e o turismo terá de se reinventar. Tal como ando a prever, há anos a EU e os EUA seguem inexoravelmente o rumo do antigo império romano (bizantino ou outro) e a China a todos ultrapassará, seguida pela Índia e Rússia com a sua evolução tecnológica ímpar.

A vida a que nos habituamos de afluência do pós-guerra 1945 termina e seremos todos obrigados a levar uma vida mais modesta, mais frugal. Isso não fará de nós melhores pessoas, nem mais amigas do ambiente ou do próximo porque há muito que essas utopias se esfumaram e estaremos inseridos numa sociedade mais egoista e desumana do que alguém imaginaria. O exemplo de pular a fila das vacinas é disso paradigmático, a destruição do tecido social e da família nuclear há muito que nos alertava para isso, escrevi-o há mais de dez anos e o passar do tempo veio dar-me razão, a imposição do pensamento único, politicamente correto, só confirmou os meus piores presságios. Os anos que me restam vão ser de inquietude e rebeldia, tentando ser uma voz individualista num mar de carneirentos por isso mesmo me sinto um dos últimos moicanos. Resta-me desfrutar das memórias de momentos bons e esperar que os políticos de todo o mundo consigam rapidamente emigrar para Marte para criarem um novo caos lá enquanto a Terra se extingue sob o peso dos vírus, das alterações climáticas, e dos desastres naturais e humanos que a conduzirão a uma nova era.

Se acreditasse na reincarnação podia esperar voltar como barata ou formiga a um planeta sem humanos…

Chrys Chrystello, Jornalista, Membro Honorário Vitalício nº 297713

[Australian Journalists’ Association MEEA]

Diário dos Açores (desde 2018)

Diário de Trás-os-Montes (desde 2005)

Tribuna das Ilhas (desde 2019)

Jornal LusoPress Québec, Canadá (desde 2020)