“Há imensas emoções em tudo o que escrevo” Teresa Canto Noronha

Entrevista, hoje, no Açoriano Oriental

ACORIANOORIENTAL.PT
Teresa Canto Noronha, jornalista nascida em São Miguel reúne agora em livro ‘Notas da Ilha’, um conjunto de crónicas publicadas desde 2017 num blogue no Facebook.
Please follow and like us:
error

(2) (PDF) Voando com Armando Cortes Rodrigues em busca de um Nos | Pedro Camara – Academia.edu

Este artigo busca realçar o papel da Açorianidade, como identidade cultural e sociológica e abordar esta temática, como possível fator demarcante e distintivo da restante literatura nacional. Neste contexto e sendo Armando Côrtes-Rodrigues um dos

Source: (2) (PDF) Voando com Armando Cortes Rodrigues em busca de um Nos | Pedro Camara – Academia.edu

Please follow and like us:
error

GEORGE MONTEIRO, (1932 – 2019)

GEORGE MONTEIRO,
(1932 – 2019)

Alguns exemplos de Camões e Pessoa na ensaística de George Monteiro (Cumberland, Rhode Island).
Dos poetas açorianos, traduziu os incluídos na antologia de 1983 (The sea within) e muito recentemente uma selecção de poemas de. Pedro da Silveira; sobre este, Monteiro deixou, aliás, vários ensaios publicados.

Image may contain: text
Image may contain: text
Image may contain: text
Image may contain: text
Please follow and like us:
error

Segunda edição de Arquipélago de Escritores homenageia poeta J.H.Santos Barros – Açoriano Oriental

A segunda edição do encontro literário Arquipélago de Escritores vai decorrer em São Miguel e na Terceira, de 14 a 17 de novembro, com a participação de autores e uma homenagem ao poeta J.H.Santos Barros.

Source: Segunda edição de Arquipélago de Escritores homenageia poeta J.H.Santos Barros – Açoriano Oriental

Please follow and like us:
error

PEDRO DA SILVEIRA: À MARGEM DE UMA BIOGRAFIA DE RIMBAUD

PEDRO DA SILVEIRA:

À MARGEM DE UMA
BIOGRAFIA DE RIMBAUD

Saído de Batávia fugido, desertor procurado
do exército colonial holandês,
Jean-Nicolas Arthur Rimbaud, de vinte
e dois anos de idade e francês de nação,
que não sei se viajou como passageiro
ou (pagando assim a passagem) matalote engajado
do clíper inglês que aceitou trazê-lo para a Europa
e que fez, passado o Índico, escalas no Cabo
e Santa Helena e a Ascensão e o Faial,
onde aportou em não achei que dia
do começo de Outubro de 1876;
Jean-Nicolas Arthur Rimbaud, já dito,
vagabundo, poeta (ainda?),
não escreveu que se conheça
tão-pouco uma carta à família em que conte
como era a Horta naquele tempo.
E também, infelizmente, nenhum dos três
jornais que havia na pequena cidade ship-chandler
deu notícia de que ele a visitava (ou visitara)
nem de modo indirecto denunciou a sua passagem por lá,
por exemplo relatando alguma desordem
na Rua Velha ou na Rua do Mar.
Se bem que acolhendo as musas, os jornais da Horta
normalmente evitavam (quanto possível)
trazer nomes de criaturas como as Paciências,
a Cordeira, as Blicas, a Aparquinha, a Madraça, –
criaturas afinal tão filhas de Deus como o poeta Rimbaud,
que, calem-se ou digam-no hipotéticas inéditas crónicas,
foi a casa de alguma delas,
sabedor decerto do preço em boa conta
dos seus rimiformes predicados.

(«Fui ao mar buscar laranjas». Angra: IAC, 2019)

Image may contain: 1 person, close-up
Please follow and like us:
error

VULTOS DA CULTURA AÇORIANA – ALBERTO TELLES

VULTOS DA CULTURA AÇORIANA – ALBERTO TELLES
Conheça a vida e obra deste Ilustre Angrense. Clique na imagem.

PHILANGRA.BLOGSPOT.COM
Alberto Teles de Utra Machado nasceu em São Pedro, Angra do Heroísmo, a 24 de Janeiro de 1840 e faleceu em Oeiras, São Julião da Barr…
Please follow and like us:
error