Arquivo de etiquetas: arquitetura urbanismo

a mudança é uma chatice,

 

a mudança é uma chatice, tudo é contra…somos um país de velhos do restelo acomodados…

 

Sobre o projecto da Praça Gonçalo Velho Cabral Sou suspeita, mas como mulher de cultura, ligada à Arte e ao Património desde sempre, não posso, neste momento, esquivar_me a dar uma opinião objectiva, isenta e o mais profissional possível, até por respeito aos cidadãos de Ponta Delgada, da ilha de S. Miguel e dos Açores em geral. O centro histórico de Ponta, Delgada tem sofrido inúmeras alterações, tendo em vista o melhoramento do seu espaço urbano e das acessibilidades. Naturalmente desde “antigo ermo” até aos nossos dias, várias têm sido as intervenções, sempre discutíveis, mas, de forma geral, visando um maior conforto para cidadãos e visitantes. Muito ainda há a fazer, é certo. Tal como em nossas casas há espaços mais públicos, outros mais íntimos, outros mais funcionais e ainda outros de lazer e bem estar. Tal é a nossa cidade, como casa colectiva, que respeita as belezas do passado, conhece a sua história, integra os vários estilos nas respectivas épocas, compreende as diferentes mentalidades conforme os períodos históricos e projecta o futuro, de acordo com uma visão actualizada e com justificação sustentada e plausível, no presente. Neste caso, o centro histórico de Ponta Delgada tem sido alvo de várias intervenções, executadas por artistas diferentes, como exposição de espaços calcetados, que se vão complementando. Neste caso, este centro procura, neste momento, criar um espaço de conforto para os cidadãos do século XXI, dentro do espírito de espaço público colectivo actual, de acordo com a matéria prima, da calçada portuguesa, que agora prepara a sua candidatura a património mundial. A solução adoptada neste projecto revela bem o conhecimento estético da actualidade, longe das florinhas e dos bordadinhos de uma época que já passou. Há que actualizar, com uma visão estética actual e esclarecida, como é esta solução. Gosto muito, independentemente de respeitar outras opiniões. Agradeço muito que não se confunda esta opinião com ligações afectivas. Obrigada pela oportunidade.

Margarida Teves Oliveira.

contra as obras em ponta delgada

Atentado à harmonia da cidade
Como muita gente sabe, a Praça Gonçalo Velho Cabral, em Ponta Delgada, foi construída na década de 1950, aproveitando espaço conquistado ao mar e inspirada na mais do que secular Praça do Comércio, em Lisboa.
Há poucos anos a Praça do Comércio foi alvo de uma intervenção urbanística, questionável em alguns aspectos, mas não ficou mal. Agora também pretendem realizar uma alegada requalificação da Praça Gonçalo Velho Cabral (e áreas contíguas), mas não inspirada na obra que decorreu naquele vasto espaço lisboeta.
De resto, penso que não são comparáveis a obra na Praça do Comércio e a intervenção prevista na Praça Gonçalo Velho Cabral, absurda, feia e inoportuna, em minha modesta opinião.
Vamos então por partes. A Praça do Comércio já teve árvores há muitos anos e foram retiradas numa intervenção anterior para dar maior visibilidade a todo o edificado envolvente. Pelo contrário, querem plantar árvores na Praça Gonçalo Velho Cabral. Na Praça do Comércio não descaracterizaram o edificado, nomeadamente as arcadas. Na Praça Gonçalo Velho Cabral está previsto pintar as cantarias de branco. Na Praça do Comércio não construíram umas banquetas circulares que parecem uns bidés ou lava-pés, como querem fazer na Praça Gonçalo Velho Cabral. O piso na Praça do Comércio está com um aspecto discreto, em consonância com a monumentalidade existente, enquanto na Praça Gonçalo Velho Cabral o chão ficará com umas linhas estonteantes, se é que essa obra será concretizada. E mais diferenças poderia apresentar.
Realço apenas que a obra prevista para a Praça Gonçalo Velho Cabral me parece até ferida de ilegalidade, porque a Igreja Matriz de São Sebastião, que é dos monumentos mais antigos e belos dos Açores, deve ter um perímetro de proteção, que não permite fazer tudo o que se quer, muito menos obras alegadamente “bonitinhas”, mas precipitadas. O próprio edifício dos Paços do Concelho e as Portas da Cidade, pela sua antiguidade e características, também não permitem em seu redor delírios arquitectónicos.
Ponta Delgada tem vários edifícios particulares em ruínas, alguns ameaçando a segurança nas ruas onde se localizam. Um até tem sido motivo de queixas na imprensa e a Proteção Civil já alertou para o perigo existente. São edifícios particulares, mas a Câmara Municipal tem a responsabilidade de intervir, demolindo até e passando os custos para os proprietários, em defesa do bem colectivo, mas nesse aspecto tem sido muito passiva.
É com essas questões e outras naturalmente, como a limpeza e a manutenção do piso das ruas, que a Câmara Municipal deve preocupar-se em primeira linha, em vez de estar a inventar obras completamente inoportunas, polémicas e caras.
Tenho consideração e apreço pela senhora presidente da edilidade, drª Maria José Lemos Duarte, mas penso que ela está muito mal aconselhada quanto à anunciada intervenção na Praça Gonçalo Velho Cabral.
Gostaria de recordar que uma vereação anterior lembrou-se de construir em Ponta Delgada um Museu de Arte Contemporânea. Encomendou o projecto ao mais famoso arquitecto brasileiro e um dos mais talentosos em todo o mundo. O projecto custou muito dinheiro, mas não passou de projecto, porque nunca houve Museu e muito menos Arte Contemporânea. E, pronto, lá se foi uma “pipa de massa” de dinheiro público, à conta da leviandade de um executivo municipal. Haja memória para não repetir erros!
Oxalá não estejamos novamente perante uma situação semelhante. A Câmara Municipal está a pagar – e muito, com certeza – a arquitectos e a consultores por esse projecto de chamada requalificação da “baixa” de Ponta Delgada, para depois possivelmente nada ser feito, porque está à vista que a população citadina está a recusar as alterações previstas, porque, de facto, não fazem sentido e representam um atentado à harmonia da cidade.
You, Roberto Y. Carreiro and 10 others
4 comments
3 shares
Like

Comment
Share

Requalificação da Calheta Pêro de Teive “tem de passar pela sua devolução à população” – Jornal Açores 9

“A Câmara Municipal fez a sua parte, com sentido de missão cumprida a bem da cidade e de quem cá vive. A demolição desta obra inacabada é o primeiro passo para a requalificação inadiável desta zona. Uma vez concluída, cabe ao promotor da obra e ao Governo Regional, que tem obrigações de execução e de […]

Source: Requalificação da Calheta Pêro de Teive “tem de passar pela sua devolução à população” – Jornal Açores 9

Pontes circulares são construídas para desacelerar tráfego de veículos – Engenharia é:

A ponte sobre o Laguna Garzón  no Uruguai está deixando muita gente curiosa quanto ao seu formato. Em nítido contraste com muitos projetos puramente arquitetônicas, esta ponte tem realmente uma necessidade e finalidade. Projetistas da ponte queriam encontrar uma maneira de desacelerar o tráfego ao mesmo tempo, fazer com que seus usuários apreciassem o ambiente ao seu redor. […]

Source: Pontes circulares são construídas para desacelerar tráfego de veículos – Engenharia é: