carlos faria sobre o faial

Meu artigo de hoje no diário Incentivo:

UM VERÃO DIFERENTE E A QUESTÃO DO QUARTEL DE BOMBEIROS

Não haja dúvida que a realidade da pandemia está a tornar este verão diferente: os turistas são poucos, menos ainda que na época baixa, embora eles já andem por aí e cruzo-me com eles nos mais diversos pontos a visitar o Faial.
Mas a diferença é mais evidente por estarmos em ano de eleições legislativas e ver-se um pacífico confronto político, é como se o dia dos votos estivesse muito distante. Sem dúvida que a estratégia da oposição desaparecer durante o período de emergência não deu espaço à reentrada posterior de um debate de ideias sobre o que se pretende para os Açores no ciclo pós-pandemia, mesmo sem se saber quando este vá terminar já que tudo aponta para que o seu fim não esteja próximo.
É verdade que o Governo dos Açores, quer através de visitas estatutárias, quer por iniciativas das suas Secretarias Regionais, lá vai apresentando quase diariamente projetos em vias de arrancar no terreno ou iniciativas de projetos a passar a papel; sinal claro que está atento ao período pré-eleitoral que atravessa. Mas exposição e debate de ideias para o futuro dos Açores neste verão: nada!
Entre os projetos cujo papel está pronto para arrancar no terreno, felizmente, está o Novo Quartel de Bombeiros do Faial a construir em Santa Bárbara. Efetivamente o atual, talvez o mais bonito de todos os que já vi na Região, enferma de numerosos constrangimentos devido à sua longa idade, enquadramento urbano e o evoluir das exigências aos soldados da paz em termos de serviços operacionais de Proteção Civil.
Recordo-me de há vários anos ter sido pessoalmente auscultado sobre a localização em Santa Bárbara e lembro-me então, dado o troço da variante então em construção, o outro a pensar-se construir e as características geológicas do sítio de implantação, ter sido de opinião que o Novo Quartel de Bombeiros do Faial teria um enquadramento excelente para servir bem toda a ilha.
Depois disso, o segundo troço da variante à cidade da Horta caiu, apesar de quase concluído em papel não saiu dos gabinetes do Governo para o terreno e a realidade do magnífico enquadramento para servir bem toda a ilha mudou: o que também já denunciei há uns anos aqui neste jornal.
Fico contente se a obra for em frente, mas já não posso dizer que o enquadramento permite melhorar a rapidez de atendimento a todas as partes da ilha. Há zonas que ficarão com condições de prestação de serviço mais rápidas: as freguesias do lado sul. Mas, sem o segundo troço da variante ou sem uma alternativa de acesso livre e desimpedido que assegure uma circulação a grande velocidade em segurança para o norte da ilha, esta zona poderá sofrer maiores demoras de atendimento que urge pensar e compensar.
Não vale a pena negar a situação, o estado de negação só serve para não resolver o problema. Há sim que encontrar soluções. Se não for a variante, a que antes estava preconizada, então que seja outra. Passar a obrigar os veículos de socorro a circular ao longo de toda a cidade de sul a norte não torna mais rápido o trajeto para chegar às freguesias além Espalamaca. O percurso pela rua da Travessa no início parece desafogado, mas desemboca em afunilamentos na Volta ou em Santo Amaro que não estão resolvidos. Analisar a questão de forma séria e sem partidarismos é necessário.
Não usufrui ainda do novo Largo do Infante, mas já vi que está diferente. Uns gostarão mais, outros menos. Uns defenderão apenas por quem fez, outros criticarão por ser quem fez. Eu não me vou pronunciar num arranjo que tem virtudes e defeitos mas onde o essencial é todo o conjunto da Frente Mar da Horta ainda por concluir. Tal como acontece com o projeto de Saneamento Básico da cidade de que já não se fala. Apreciar bocados de projetos globais por concluir dificulta um juízo válido do todo e, tal como já demonstrei hoje no caso da variante, o não se fazer tudo o que estava convenientemente planeado no início pode dar depois resultados bem diferentes do idealizado. Espero para ver tudo um dia…

Faial. Para quando a intervenção no acesso ao Monte da Guia e à Praia de Porto Pim?

Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial querem saber quando é que o Governo Regional vai iniciar a intervenção prevista para o acesso ao Monte da Guia e à Praia de Porto Pim, “onde continuam à vista os danos de uma derrocada ocorrida em outubro de 2018”, adiantam.

Source: Faial. Para quando a intervenção no acesso ao Monte da Guia e à Praia de Porto Pim?

AÇORES PANDEMIA E CONSTITUIÇÃO JOAO CAMARA

Hoje, na Visão, os Açores, a pandemia e a Constituição.
Boas leituras e abraços

Vasco Cordeiro não desarma. Persiste na fuga para a frente, aplaudida pela maioria dos açorianos. Neste caso, ter medo é ser corajoso. Para um problema de saúde pública sem precedentes, o presidente dos Açores optou por medidas excecionais de salvaguarda da segurança e da vida dos ilhéus

VISAO.SAPO.PT
Vasco Cordeiro não desarma. Persiste na fuga para a frente, aplaudida pela maioria dos açorianos. Neste caso, ter medo é ser corajoso. Para um problema de saúde pública sem precedentes, o presidente dos Açores optou por medidas excecionais de salvaguarda da segurança e da vida dos ilhéus

AÇORES POLITIQUICES, SAÚDE, E ELEIÇÕES ESTE ANO,LUIS SACADURA

Grande dia de ontem

– de manhã aponta “desumanidade e deslealdade” na proteção à população do Nordeste

– à noite, uma queixa para desproteger toda a população dos Açores 😮😮

– LUSA: Líder do PSD/Açores acusa Autoridade de Saúde de “graves falhas de comunicação”

Ponta Delgada, Açores, 08 mai 2020 (Lusa) – O líder do PSD dos Açores, José Manuel Bolieiro, acusou hoje o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes, de “graves falhas de comunicação” com o “resvalar para uma certa desumanidade e deslealdade, mesmo que não intencionais”.

“A comunicação de ontem [quinta-feira] revela esgotamento, com o resvalar para uma certa desumanidade e deslealdade, mesmo que não intencionais. Desumana para com as famílias das vítimas, pois podem ter ficado com a ideia de que nem tudo teria sido feito para melhor cuidar e salvar os seus idosos. Desleal para com os profissionais de saúde, que cumprem com ética o seu dever deontológico e o protocolo a que estão submetidos”, declarou hoje Bolieiro, em nota enviada à agência Lusa.

Na quinta-feira, na conferência de imprensa de balanço da situação da covid-19 na região, Tiago Lopes foi questionado sobre o facto de a maior parte dos 15 utentes que morreram na região não ter sido admitida numa unidade de cuidados intensivos.

O responsável disse que a maioria destes utentes tinha mais de 70 anos, maior vulnerabilidade para infeções respiratórias e outras patologias crónicas.

“São pessoas cujo prognóstico em alguns dos casos já era reservado à partida, logo no momento da admissão na unidade hospitalar. […] Em alguns dos casos, quer por via de essa condição de doença não justificar – são aquelas decisões das equipas de saúde – o investimento e a submissão da pessoa, se calhar, a um maior sofrimento de colocá-la com medidas mais invasivas numa unidade de cuidados intensivos […], não se chegou a registar esses óbitos nas unidades de cuidados intensivos”, acrescentou.

Para o presidente do PSD/Açores, “não é justo” para com os profissionais de saúde “que seja posta em causa, por graves falhas de comunicação do diretor regional da Saúde, a sua dedicação e competência profissional, numa altura em que são os verdadeiros soldados da linha da frente” do combate à pandemia.

Para Bolieiro, “urge garantir um plano de comunicação diária, que, além de relatar acontecimentos, dê informação e orientação geral e específica sobre o que fazer e o que não fazer”.

“Há escolas que já vão iniciar, a partir de segunda-feira, aulas presenciais, e precisam de informação e orientação clara e objetiva sobre o que devem e o que podem fazer, e saber que meios de responsabilidade pública têm ao seu dispor, para acautelar a saúde pública, da respetiva comunidade educativa”, prosseguiu o social-democrata.

E concretizou: “O nosso entendimento é o de que está na hora de reformular essa comunicação diária assumida em exclusivo pela Autoridade de Saúde pública regional e ser partilhada com a responsabilidade política do governo, como aliás acontece a nível nacional. E pontualmente acompanhar-se dos responsáveis diretos de cada serviço sob análise”.

Desde o começo do surto que o responsável da Autoridade de Saúde dos Açores, Tiago Lopes, também diretor regional de Saúde, apresenta todos os dias em conferência de imprensa os dados da evolução da pandemia na região.

Na mensagem de hoje, José Manuel Bolieiro deixa também uma palavra solidária para com as famílias das pessoas infetadas com a covid-19 que morreram, lamentando “a sua dor pela perda e pela confusão a que têm sido sujeitos, quanto ao apoio social que merecem, tendo em conta as contradições a que foram submetidos, em particular no caso do lar de idosos do Nordeste”.

Até ao momento, já foram detetados na região um total de 144 casos, verificando-se 75 recuperados, 15 óbitos e 54 casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19.

TV NÃO PERCA

Tenho a certeza que está um trabalho bem amanhado 😊

-1:55

1,813 Views
https://www.facebook.com/lfborges/videos/10216965036899921/?t=43
Luís Filipe Borges is with Rui Goulart and 7 others.

2 velhos amigos de ilhas historicamente rivais, um terceirense e um micaelense, um comediante e um escritor, regressam a casa estes dois minutos e pico explicam o intuito da aventura atlântica, com imagens de todo o arquipélago e som ambiente.
Postado hoje a pensar nos nossos pais e em todos os amigos espalhados pelas 9 ilhas açorianas.

Estreia 5a feira, 16 de Abril, 20h45 hora açoriana + 1 no continente e Madeira, canais:
189 da NOS
202 da MEO
185 da Vodafone
28 da Cabovisão

#MalAmanhados #OsNovosCorsáriosdasIlhas #RTPAçores #Masterdream #HHADigitalFilm #TapAirPortugal #Blue #DeltaCafés #Bestravel #VisitAzores #DRTurismo #MarcaAçores #CulturaAçores #AMRAA #AutatlantisRentaCar

Covid-19: Açores têm perto de 100 turistas e metade deve sair “nos próximos dias”

O Governo dos Açores indicou hoje que, em época de covid-19, estão ainda na região cerca de 100 turistas não residentes, metade referentes a “estadias prolongadas” e outra metade referente a pessoas que “provavelmente sairão nos próximos dias”.

Source: Covid-19: Açores têm perto de 100 turistas e metade deve sair “nos próximos dias”