Ainda as saudades dos Colóquios da Lusofonia…

Ainda as saudades dos Colóquios da Lusofonia…
Belmonte, 7 de abril, 17
Belmonte é um encanto. Situada a cerca de 20 km da Covilhã, no Monte da Esperança, é quase tão antigo como a Nacionalidade e faz-nos recuar a este nosso Portugal cheio de História e de histórias para contar. Teve foral em 1199 e é vila berço de Pedro Álvares Cabral.
Fui pesquisar e fiquei a saber que no séc. XIII comprova-se a existência de uma já próspera comunidade Judaica, que sobreviveu ao longo dos séculos, mantendo os seus rituais e tradições e que é responsável pela existência de uma Sinagoga de que resta uma inscrição datada de 1296. Atualmente, é uma das poucas comunidades que ainda tem um Rabi. Esta manhã fomos precisamente visitar a Sinagoga e a Judiaria, ainda tão bem preservadas.
O Homem ocupou estas terras desde a Pré-história, como comprovam os vestígios megalíticos com cerca de 6 mil anos em algumas freguesias das redondezas.
Mais uma vez se nota a marca inequívoca da presença romana. Efetivamente, os romanos atraídos pela riqueza mineira e agrícola desta região, depressa se aperceberam da importância estratégica e económica deste território, atravessando-o com vias de comunicação.
Viemos a um dos Colóquios da Lusofonia e, por alguns dias, Belmonte transformou-se num pequeno cosmos luso. Portugal, Brasil, Galiza, Timor, Cabo Verde acorreram à chamada do Chrys Chrystelo, o grande regente desta orquestra.
Para além dos diversos temas que vão sendo apresentados ao longo dos vários dias de Colóquio e que põem sempre em cima da mesa algo em que pensar, é muito agradável o convívio com os participantes, alguns já habitués destas andanças. São dias que nos trazem a ideia de que há muita coisa que se pode fazer para evitar que a vida se torne um deserto.
De tarde fomos visitar Centum Cellae, na freguesia de Colmeal da Torre. É um dos mais monumentais vestígios da época romana em Portugal e tem sido alvo de várias interpretações históricas e arqueológicas. Em torno desta torre em ruínas, a imaginação humana tem inventado uma enorme variedade de lendas e histórias. Trata-se de um edifício retangular, que teria tido três andares separados por frisos em pedra e sem qualquer cobertura. Possui múltiplas janelas, de dimensões variadas.
Diz a História que a villa teria sido propriedade de um abastado cidadão romano, negociante de estanho, que a teria erguido pelos meados do século I. De acordo com os testemunhos arqueológicos, foi destruída no século III por um grande incêndio, e reconstruída posteriormente.
As teorias dividem-se. Uns dizem que este terá funcionado como albergue para viandantes de passagem, enquanto outros acham que, pelas suas características, poderá ter tido objetivos comerciais, eventualmente para armazenamento de cereais.
Na Idade Média, sobre os seus restos, construiu-se uma capela sob a invocação de São Cornélio, que as lendas associavam ao local, mas que caiu em ruínas e terá desaparecido por completo no século XVIII. Pelo que li, é possível que no período medieval esta estrutura tenha tido algum papel na consolidação e defesa da fronteira oriental do reino de Portugal com o de Leão, tendo recebido foral de Sancho I em 1188, onde surge referenciada como Centuncelli.
O que não vem em nenhum documento e por isso quero que aqui fique registado, é o fascínio que aquela ruína exerceu em todos nós, erguendo-se ali aos nossos olhos, misteriosa e imponente, naquele final de uma tarde doce e rosada de Belmonte.
E sinto, mais uma vez, que este Portugal ancestral mexe com a alma da gente. Adoro andar pelo meio de pedras velhas. Cada uma delas encerra em si uma história por contar. Penso sempre que alguém antes de mim, muito antes, pisou aquele chão, respirou os mesmos ares e vislumbrou algo muito parecido com isto que vejo. Aqui se viveram amores e ódios, se resolveram quezílias, se pensou, talvez, num futuro por vir e se realizou alguns sonhos, mesmo que não se pensasse que os sonhos fazem parte da vida.
Maria João Ruivo
Pedro Paulo Camara, Conceição Medeiros and 14 others
3 comments
Like

Comment
Share
3 comments
View 1 more comment
  • Joaquim Feliciano da Costa

    Obrigado pelo bonito texto e pelo amor que mostra pela “nossa” terra ,Belmonte. Vamos pensar que abril de 2022, 35° Coloquio em Belmonte falta muito pouco tempo para acontecer, assim a saudade dos colóquios não se vai apoderar de nós .
    • Like

    • Reply
    • 1 h
View 1 more comment

BELMONTE EM DESTAQUE

May be an image of outdoors and text that says "DESTAQUE CAMINHOS DE SANTIAGO Alcoutim Mértola Beja Cuba Alvito Viana Alentejo Évora Estremoz Belmonte, caminho até às Estrelas Sousel Fronteira BELMONTE Beira junto Serra da Estrela, oconcelho.de Santiago Siuado plena Cova Belmonte tem dois Estrela" Bragaeo Portugal Caminho Santiago Interior Tavira continua para Santiago pelo Caminhod Torres outrosj Estrela" entra Belmonte natureza Monte Caria deRodão peregrinos encontrariam conforto espiritual no dasu castelo medieval, Vila história. Castelo Branco deixadas reutilizados, Belmonte motivos Fundão grafitos Belmonte Belmonte; Covilhã Ecomuseu Guarda figura Brasil Pedro Alvares culturas. acolhe frescos alusivos até Belmonte Igreja Santiago peregrino Trancoso séculos, qual único ainda local romana."
Belmonte em destaque na Edição Especial da Revista IN Corporate Magazine que saiu hoje com o Jornal Público.
Numa edição dedicada aos Caminhos de Santiago, um trabalho feito em parceria com a Federação Portuguesa do Caminho de Santiago.

BELMONTE NA RTP

▶️ Belmonte no Aqui Portugal
O Município de Belmonte vai marcar presença no programa de amanhã, 5 de junho, da RTPAqui Portugal, integrado numa participação da CIM-BSE (Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela).
À conversa com a equipa do programa esteve o diretor do Hotel Belmonte Sinai Hotel, Ricardo Abreu e com Elisabete Manteigueiro do Museu Judaico de Belmonte.
Acompanhe a emissão.

CENTUM CELLAS O MISTERIOSO MONUMENTO MEU FAVORITO

VEJA ESTE CURTO FILME QUE A AICL FEZ

CENTUM CELLAS, O MEU MONUMENTO FAVORITO https://youtu.be/iWIc4cav_kw

 

Centum Cellas: o mais misterioso dos monumentos de Portugal | VortexMag
VORTEXMAG.NET
Centum Cellas: o mais misterioso dos monumentos de Portugal | VortexMag
Localizada em Bel

podemos ir a Belmonte de comboio

Quatro de Abril, inauguração do troço ferroviário, com o ministro Pedro Santos fazendo a viagem de comboio entre a Guarda e a Covilhã, acompanhado da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, do Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado e dos autarcas da região. Este troço que estava encerrado desde 2009, foi agora eletrificado e remodelado permitindo fazer a viagem em 45 minutos.
Belmonte fica assim ligado ao mundo pela ferrovia, além de outros binómios esperamos algum impacto turístico.
You, Laercio Silva and 7 others
8 comments
Like

Comment
8 comments
  • Fartos de Trabalhar
    • Like

    • Reply
    • 5 h
    • Alcide Monteiro

      falei apenas da importancia do troço ferroviário .

      • Like

      • Reply
      • 5 h
    • Eu, quando tinha 15 anos, já o troço ferroviário era importante,isto só se deve ao nosso poder de conservação!?!!??
      • Like

      • Reply
      • 5 h
    • Alcide Monteiro

      e modernização.

      • Like

      • Reply
      • 4 h
    • Ó, Joaquim, já lá vão quase 50 anos é normal,mas não chegar ao abandono, há que haver serviços de manutenção,mas não é só Caminho de Ferro é na vida quotidiana,que os Políticos devem estar ao serviço dos Cidadãos, dar-lhes qualidade de serviços e bem estar.
      1
      • Like

      • Reply
      • 4 h
    • Alcide Monteiro
      • Like

      • Reply
      • 4 h
    • [Newsfeed] #TogetherAtHome  sticker
      • Like

      • Reply
      • 4 h
    • Tenho feito algumas pesquisas, e ainda não observei,um vídeo relativamente a inauguração. gostaria de ver, para memória futura.

A NOSSA QUERIDA bELMONTE ONTEM NA rtp 1

Hoje ,Aqui Portugal,esteve em Belmonte.
May be an image of one or more people, people standing and indoor
You, Carolina Cordeiro, Pedro Paulo Camara and 73 others
7 comments
Like

Comment
7 comments
View 2 more comments