PEDRO DA SILVEIRA, OS ERROS PAGAM-SE POR TOMAS QUENTAL

Os erros pagam-se!
O açoriano António Valdemar publicou no “Expresso” um estranho e lamentável artigo, considerando que o seu conterrâneo Pedro da Silveira teria sido informador da polícia política do Estado Novo. Um tremendo equívoco, logo denunciado e condenado por muitas personalidades de vários quadrantes e diversos sectores. O erro foi agora explicado por António Valdemar, com a apresentação de desculpas pelo sucedido. O próprio semanário reconhece e assume que tudo não passou de uma confusão e de um lapso, completamente absurdo, porque toda a gente sabe que Pedro da Silveira não nutria qualquer simpatia pelo regime político do Estado Novo, assumindo-se como um convicto e activo opositor. Após tamanha ofensa à memória de Pedro da Silveira, foi reposto o justo e merecido respeito que merece o saudoso e talentoso poeta. Todo o cuidado é pouco quando estão em causa a honra, a dignidade e a consideração das pessoas, sejam elas quem forem. O artigo em causa não respeitou esse princípio tão fundamental, o que é de estranhar em António Valdemar, com uma longa e prestigiada carreira ao serviço do Jornalismo e da Cultura. Corrigido o erro, foi, pois, reposta a verdade histórica e foi reposto completamente também o apreço pelo homem público e pela valiosa obra literária que Pedro da Silveira nos legou. Não sei é se, apesar das explicações e desculpas apresentadas, António Valdemar conseguirá alguma vez recuperar na totalidade a credibilidade jornalística e o prestígio intelectual de que gozava…Como ele deverá saber, os erros pagam-se! E há erros que, pela sua proporção e respetivas consequências, são mesmo imperdoáveis.
Urbano Bettencourt, Paula Cabral and 12 others
4 comments
1 share
Like

Comment
Share
4 comments
View 1 more comment