MÉDICOS, COM APOIO DO BASTONÁRIO NA GUERRILHA NO HDES

Menente! Já não é apenas a direção da delegação regional da Ordem, o próprio Bastonário também me elegeu persona non grata – se bem que desta vez não escarrapacharam o meu nome no jornal, ficou-se pelas indirectas! Muito honrado, já se sabe, até porque os seus desígnios foram quase de imediato desvendados por quem de direito.
Enfim, podia a delegação regional ter evitado passar por esta vergonha de ter de mandar vir cá o “papá” para dar um tautau na gente toda. Reconheço que fiquei surpreendido – pensava que a guerrinha tinha ficado arrumada, mas parece que querem continuar. Pois que seja, cá estarei – e ainda mais atento, pois se eles acham que os meus escritos, na minha página pessoal do FB, são tão perigosos, é porque devem ser – e, por isso, ainda mais necessários são.
Porque por parte dos órgãos públicos de comunicação social está visto que a demanda continua: ver a Berta abrir o telejornal com a frase que o B. tinha “interrompido as férias por causa da situação tensa no HDES”, ou ouvir a Margarida e o Saes referirem-se a uma “guerra dos médicos com o CA”, entristeceu-me. Porque a visita do B. já estava agendada há semanas e não foi a espécie de emergência que quiseram transmitir – e porque não há uma guerra “dos médicos”, mas sim “de alguns médicos”, bem identificados e com os seus interesses bem definidos. Ou seja, só imprecisões, que a meu ver prejudicam o bom nome do jornalismo, até porque, em face do historial sobre este tema, só vem revelar a permanente animosidade – e por isso manipulação – do órgão público em relação ao CA do HDES. Triste!
Curiosamente, parece que o povão está cada vez mais atento e a coisa m’a que deu bem para o torto, pelo menos a ter em conta os comentários nas redes sociais, que eu resumiria assim: “mas estes gajos ainda não pararam com isto?” Muito bom!
É verdade que o B. também não escondeu ao que vinha, e foi bem claro ao referir que “no fundo, no fundo, todos querem o melhor para os doentes”. No fundo, bem no fundo – bem lá no fundo, o que junto com o outro detalhe de que o HDES “é de todos os funcionários”, deixou tudo bem claro.
O que me leva à enigmática questão: mas o que raio é que estes jornalistas estão na verdade a defender quando querem queimar o atual CA e defender o pequeno grupo de médicos que está – descaradamente – a fazer toda esta guerra? É que de certeza não é a generalidade dos contribuintes – esses o que querem é que o CA continue na senda, já notória, de aumentar a produção do HDES, numa óptica bastante simples até de entender: o doente não está no fundo das preocupações, está no topo das preocupações – e que o HDES não é dos funcionários, é de todos os açorianos, com destaque para os seus doentes. São lógicas bastante diferentes e que, a meu ver, deveriam ser bastante simples de entender.
Mas parece que não são – aliás, acho que neste momento as Rtdpês são os únicos ocs a não terem divulgado os últimos dados estatísticos do HDES, que dão resultados absolutamente elucidadores para quem pretende voltar à situação anterior. Mantém-se a minha dúvida: por que será? Não entendo, sinceramente! Jornalismo a sério e de qualidade é que de certeza não é! E defensor do interesse da população, também não é. Alguma coisa há-de ser…
Enfim, cá estarei com o dedo nas teclas (salvo seja) para ir pondo os is nos pontos sempre que for preciso. Have fun!
PS: Um dia destes candidato-me a Provedor do Utente – parece que tenho jeito e mais ninguém o defende! Luv! 😍
May be an image of 3 people and text that says "QU Regional Ordem apela ao HDES que faça médicos sentirem-se "em casa" Bastonário da Ordem dos Médicos disse ontem acreditar que ascos podem mudar", apelou "uma maior proximidade" do conselho administração médicos, para respeito, partilha das decisões diálogo bastonário"
22
9 comments
2 shares
Like

Comment
Share
9 comments
View 8 more comments