áfrica negra

May be an image of one or more people
O encontro da Rainha Nzinga Mbande ou Dona Ana de Sousa, do Reino do Ndongo com o Governador de Luanda João Corrêa de Souza em 1657
Após décadas lutando contra os portugueses de Luanda e seus aliados, assegurando a autonomia de seu Reino, em 1659 a Rainha Nzinga assinou um novo tratado de paz com Portugal.
Ajudou a reinserir antigos escravos e formou uma economia que, ao contrário de outras no continente, não dependia do tráfico de escravos. Em 1657, um grupo de missionários capuchinhos italianos convenceram-na a retornar à fé católica e, então, o governador de Angola, Luís Martins de Sousa Chichorro, restituiu-lhe a irmã, que ainda era mantida cativa. Dona Ana faleceu de forma pacífica aos oitenta anos de idade, como uma figura admirada e respeitada por Portugal.
Atualmente Njinga é considerada uma heroína na história de Angola, sendo até hoje lembrado por seus feitos políticos e militares. Uma das principais ruas de Luanda, capital da atual Angola leva seu nome e, na mesma cidade, encontra-se uma estátua no Largo do Quinaxixi, construída a mando do presidente José Eduardo dos Santos em comemoração aos 27 anos de independência do país.
Fonte: Cavazzi, Giovanni Antonio da Montecuccolo. Istorica descrizione de tre regni Congo, Matamba ed Angola. (Bologna, 1687). Heintze, Beatrix. Fontes para a história de Angola no século XVII. (2 vols, Wiesbaden, 1985–88)
Maria Antónia Fraga and 1 other
1 comment
Like

Comment
Share
1 comment

ÁFRICA CORRUPTA

ÁFRICA
DO DESCONTENTAMENTO
Quando o erário público é sistematicamente pilhado.
Pelos mesmos governantes que se eternizam.
E que a comunidade internacional é cúmplice…..
.
May be an image of 3 people and outdoors
Os 5 principais países africanos com as piores estradas.
1. Camarões 🇨🇲 Pontuação 2,6
2. Nigéria 🇳🇬 Pontuação 2,5
3. Moçambique 🇲🇿 Pontuação 2,5
4. Guiné Conacri 🇬🇳 Pontuação 2,2
5. RD Congo 🇨🇩 Pontuação 2.1
Like

Comment
Share

a pobreza de áfrica

João Mota Gomes shared a link.

55 m
“A pobreza da África não é originada pela colonização e todo o mundo viveu situações de colonização e escravatura” e acrescente eu que o caso do Zimbabwe mostra o contrário, um país que era o celeiro de África depois de ter expulsado os agricultores brancos porque achava que eles eram um resto da colonização viu a sua economia encolher, a moeda depreciar, passou por hiperinflação e a produção de alimentos reduziu-se substancialmente . Obstâncialmente
Africa is Not Poor Because of Colonization
YOUTUBE.COM
Africa is Not Poor Because of Colonization
Dr. Peterson’s extensive catalog is available now on DailyWire+: https://utm.io/ueSXhDr. Jordan B Peterson and Magatte Wade discuss how economic freedom dict…
Like

Comment
Send

0 comments

NIGÉRIA REINO CRISTÃO DE ORIGEM PORTUGUESA

UM REINO CRISTÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA NIGÉRIA
O Reino de Warri, na Região do delta da Nigéria, foi fundado em 1480 pelo povo Itsekiri. Do Século XV ao XVIII os Itsekiri eram a tribo que mais tinha contando com os navegadores Portugueses na Região, sendo o português a língua da corte. Já no início do Século XVI, boa parte dos Itsekiris se converteram ao cristianismo por missionários portugueses.
No ano de 1680 o Rei Olu de Warri mandou seu filho Antonio Domingo visitar Portugal e, anos depois, voltou casado com uma portuguesa. Seu filho o mulato Olu Erejuwa, governou de 1720 a 1800 e estabeleceu a independência de Warri do Imperio do Benim, na época o mais poderoso da Nigéria. Os Itsekiris prosperaram com o comércio de marfim e de escravos com os Holandeses e Portugueses. Até os dias de hoje possuem uma monarquia local, e são um dos grupos étnicos mais influentes do País Africano.
May be an image of 5 people
3
1 share
Like

Comment
Share
0 comments

O legado português além-fronteiras não tem limites, o problema está na incompetência que grassa na metrópole, também não tem limites!
😃

ÁGUA – SALVAR A A ETIÓPIA MATAR O EGITO

Salvar a Etiópia e destruir o Egipto?
Por que construir a maior barragem da África pode levar à guerra.
Desde 2011, a maior usina hidroeléctrica africana foi construída na Etiópia.
Isto é Hydase, que significa Renascimento.
A usina hidroeléctrica de 6,35 GW fornecerá energia eléctrica ao país e levará a indústria a um novo patamar. Mas tudo não é tão claro. O projeto causou descontentamento entre o Sudão e o Egipto. Os Estados Unidos e a China aderiram ao conflito: ocupam posições opostas. Por que a usina hidroeléctrica da Etiópia levou à disputa mais acirrada da África e como isso afecta os interesses das potências mundiais?
Hydase será a maior usina hidroeléctrica da África.
A capacidade será de 6,35 GW.
O custo é estimado em US$ 5 bilhões
Hydase, o milagre econômico da Etiópia
A Etiópia tem 110 milhões de pessoas. Eles são fortemente dependentes da agricultura. 60% da receita das vendas para o país dá café. E os minerais são estimados em apenas 1% do PIB, já que apenas o ouro é extraído em volumes significativos para o mercado externo.
A economia da Etiópia precisa de um grande impulso. Mas isso não acontecerá sem electricidade, à qual 65% da população do país não tem acesso. Devido a interrupções imprevisíveis, a produção se torna não lucrativa. As pessoas sofrem com a pobreza e o desemprego.
Mapa da Etiópia
Não surpreendentemente, o primeiro-ministro Abiyah Ahmed Ali propôs a construção de uma poderosa usina hidroeléctrica, cujo custo de construção é estimado em US$ 5 bilhões. O fato é que o Nilo Azul, o maior afluente do Nilo, flui pelo país. Graças a ele, a Etiópia receberá electricidade e, como resultado, as condições para o desenvolvimento da indústria. Assim, o país caminha para o florescimento de sua economia.
Hydase é um desastre para os países vizinhos da Etiópia
Em fevereiro de 2022, o primeiro gerador foi lançado oficialmente na nova UHE. Apesar disso, os opositores do projeto ainda têm sua própria opinião. Eles temem que os países vizinhos fiquem sem água. A hidase será uma barreira ameaçadora para locais a jusante. O “milagre econômico” da Etiópia será um desastre para o Egipto e o Sudão. Esse alinhamento pode levar à guerra.
Localização da Hidase
A situação é difícil. Afinal, a construção de hidroeléctricas na Etiópia começou sem acordo com os países por onde também passa o Nilo Azul. A África está dividida em dois campos. Para resolver o conflito, Egito e Sudão pediram ajuda aos Estados Unidos, à ONU e à UE. E o problema foi além do continente.
Os países estão tentando chegar a um acordo sobre como a Etiópia operará a nova usina hidroeléctrica. As perguntas são sérias. “Como encher rapidamente o reservatório?”, “Quanta água deve ser despejada em caso de seca?” e outros. As negociações foram realizadas repetidamente. Até maio do ano passado, nenhum resultado havia sido alcançado. E, a julgar pelas informações veiculadas na mídia, as tentativas de retomar as negociações não foram bem sucedidas.
Nilo e Nilo Azul no mapa
A noção que não existe
Desde 2020, a Etiópia começou a encher o reservatório com água sem aprovação. Continha 4 km³. O volume disputado é de 10 km³. A Etiópia insiste em 40 km³, o Egipto quer limitar o país a 30 km³.
Seja como for, a implementação de um projeto de grande porte está chegando ao fim. O comissionamento está previsto para 2023. Agora precisamos concordar. No entanto, isso já levou anos, mas não há resultado.
Like

Comment
Share
0 comments

A DESTRUIÇÃO DA LÍBIA

a
l
f
l

May be an image of 5 people and people standing
KILLED BY THOSE FOR WHICH HE STARVED
Why Gaddafi was killed:
1. Libya had no electricity bill, electricity was free for all its citizens.
2. There was no interest rate on loans, the banks were public, and the loans for its citizens were 0% by law.
3. Gaddafi promised that his parents wouldn’t get a house until everyone in Libya had one. Gaddafi’s father died in a tent during his regime.
4. All newlyweds in Libya received 60,000 dinars from the government to buy their own apartment and start a family.
5. Education and medical treatment were free in Libya. Before Gaddafi, they could write only 25% of the population, with his management – 83%.
6. If the Libyans wanted to live on a farm, they got free house, equipment, seeds and livestock.
7. If you cannot get treated in Libya, your government has given you treatment abroad + $2300 for accommodation and travel.
8. If a Libyan buys a car, the government funds 50% of the price.
9. The price of gasoline was $0.14 per liter.
10. Libya had no external debt and its reserves were $150 billion (now frozen worldwide)
11. Some Libyans couldn’t get hired after school, so the state paid the average salary for the profession as if they were employed until they got a job.
12. Part of Libyan oil sales were directly linked to the bank accounts of all citizens.
13. A mother who gave birth to a child receives $5,000.
14. 40 loaves of bread cost $0.15
15. 25% of all Libyans had all Ilissa diplomas.
16. Gaddafi conducted the world’s largest irrigation project, known as “BIG MAN PROJECT” to provide water to the entire desert country.
Sounds too good to be true? No, just amid the destruction and misery you live in today, you’ve lost idea of what a society under the supervision of someone who cares about HIS PEOPLE looks like!
If this is called “DICTATORSHIP”, I wonder what democracy is?

See original

Rate this translation
Delmar Maia Gonçalves II and 1 other
1 comment
Like

Comment
Share
1 comment
  • Delmar Maia Gonçalves II

    O que aqui está escrito não é fantasia.E Kaddafi tinha também um projecto para África.Depois,lembro-me da ridicula atitude da senhora Clinton eufórica a festejar a morte de Kaddafi em directo e penso: Estamos perdidos com estes pseudo-líderes a liderarem!!!
    • Like

    • Reply