CABO VERDE ESCRAVOS

🇨🇻
May be an image of 1 person, standing and outdoors
Djulange
A Ilha de Santiago, em Cabo Verde, é uma marca na resistência negra, com muitos negros africanos a aproveitarem-se das paragens e ancoragens dos navios negreiros na Cidade Velha, e das características do território, para se embrenharem no interior da Ilha e escapar à escravatura.
É em Santa Catarina, no interior de Santiago que se forma o território de Djulange, que no início do século XVIII serviu de refúgio a centenas de escravos foragidos.
Tendo como líder Domingos Lopes (cuja história nāo está devidamente pesquisada), resistiram a todas as investidas do regime escravocrata e serviram de incentivo e de exemplo entre os negros desumanizados e escravizados.
No território de Djulange, os africanos eram livres e autónomos. Seguiam as leis e regras instituidas pelo grupo.
Na primeira década do século XVIII, estima-se que existissem cerca de 370 foragidos em Djulange, número que duplicou em menos de 10 anos.
Domingos Lopes acabou por ser capturado por volta de 1719. Foi castigado e executado em praça pública, como manifestação de poder do sistema escravocrata e como elemento dissuasor a possíveis insurgentes.
Mesmo após a morte de Domingos Lopes, Djulange continuou a resistir e a motivar outros negros a lutarem pela sua liberdade e dignidade.
FORTE APLAUSO
5
2 shares
Like

Comment
Share