APRESENTAÇÃO DO LIVRO DE D XIMENES BELO NA CASA DOS AÇORES

O LIVRO MISSIONÁRIOS AÇORIANOS EM TIMOR VOL 2 É EDITADO PELA AICL COM MECENATO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA DELGADA

 

Intervenção proferida na apresentação do livro “Missionários Açorianos em Timor-Leste”, de Dom Carlos Filipe Ximenes Belo, na Casa dos Açores do Norte

Porto, 10 de novembro de 2018

“Senhor Presidente da Casa dos Açores do Norte

Senhor Dom Ximenes Belo, Excelência Reverendíssima

Excelentíssima Senhora Embaixadora de Timor-Leste em Portugal

Esta é a terceira apresentação pública do livro Missionários Açorianos em Timor-Leste, da autoria do Senhor Dom Carlos Filipe Ximenes Belo.

A primeira ocorreu em julho na ilha de São Miguel, por ocasião das XV Grandes Festas do Divino Espírito Santo do Concelho de Ponta Delgada.

A segunda decorreu em outubro na ilha do Pico, integrando a 30ª edição dos Colóquios Internacionais da Lusofonia.

Esta terceira reveste-se igualmente de significado especial. Porque estamos numa das instituições representativas da açorianidade sem fronteiras e porque estamos na cidade de residência atual do ilustre autor deste livro e Prémio Nobel da Paz – um Homem do Mundo que é Amigo dos Açores.

Cabe-me novamente o privilégio imerecido de apresentar a sua obra.

É sempre um gosto partilhar publicamente um livro novo. Neste caso, é também uma honra acrescida, pelo interesse do seu tema e, sobretudo, pela importância do seu autor.

Missionários Açorianos em Timor-Leste é uma obra que reconhece e valoriza a influência decisiva do Clero dos Açores na missionação timorense e que, ela própria, muito honra a nossa terra, por ser editada pela Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia, executada pela empresa açoriana Nova Gráfica e patrocinada pela Câmara Municipal de Ponta Delgada.

Este é um livro de solidariedade cristã, não apenas pelo objeto do seu conteúdo, mas também pelo destino da sua venda, que reverte integralmente a favor da reconstrução da Escola Dom Carlos Filipe Ximenes Belo, na sua freguesia natal de Quelicai, município de Baucau, em Timor Leste.

Torna-se assim ainda mais pertinente a aquisição deste livro que reconstitui os 119 anos de protagonismo açoriano na missionação timorense. Ele começa em 1875, com a nomeação do jorgense Dom Manuel de Sousa Enes para Bispo de Macau e Colónia de Timor. E termina em 1994, com o falecimento do último padre açoriano até então em Timor-Leste, o terceirense Carlos da Rocha Pereira.

O seu primeiro capítulo sublinha “A Influência dos Missionários Açorianos em Timor-Leste”, sobretudo no âmbito da missionação e da educação da juventude timorense.

Nas palavras do autor, “os missionários açorianos não só ensinaram doutrina ao indígena, mas fundaram missões, levantaram templos, abriram colégios e escolas, animaram associações culturais e desportivas, enfim, evangelizaram, educaram, promoveram e formaram a alma timorense na cultura lusa e cristã”.

Por exemplo, o Colégio de Santa Teresinha do Menino Jesus, na sede do posto administrativo de Ossú, foi fundado pelo faialense Padre Manuel Silveira Luís. Aqui estudaram Xanana Gusmão, o primeiro Presidente da República de Timor-Leste, e o próprio D. Ximenes Belo, Bispo Emérito de Díli.

O segundo capítulo enaltece “O Papel dos Senhores Bispos Açorianos”, destacando as biografias do cardeal picoense Dom José da Costa Nunes, dos bispos picoenses Dom João Paulino de Azevedo e Castro e Dom Jaime Garcia Goulart e do bispo jorgense Dom Manuel Bernardo de Sousa Enes.

Dom Manuel Bernardo, natural da vila do Topo na ilha de São Jorge, foi o primeiro açoriano a ser nomeado Bispo de Macau, por bula papal de 1874 que lhe acrescentava “a parte da ilha chamada Timor que se acha compreendida sob o domínio do Rei de Portugal”. Ali permaneceu até 1883.

Dezoito anos depois, em 1901, Dom João Paulino, natural das Lajes do Pico, assume a governação da Diocese de Macau, durante quase duas décadas, até 1918, reorganizando as missões católicas no Timor Português.

Por esta altura já missionava no oriente português, como Vigário-Geral da Diocese de Macau e Timor, o então padre José da Costa Nunes, natural da freguesia da Candelária, na ilha do Pico. Foi nomeado bispo em 1920 e governou a Diocese de Macau e as Missões Católicas de Timor até 1940. Fundou a Escola de Preparação de Professores e Catequistas de Timor, abriu a Escola de Artes e Ofícios de Díli, inaugurou a Matriz de Díli e a Igreja de Ainaro, defendeu e conseguiu que as Missões de Timor se tornassem numa Diocese.

Na opinião do autor, “Dom José da Costa Nunes foi o Prelado do Padroado Português do Oriente que, pela primeira vez, compreendeu a situação de discriminação das populações e levantou a voz defendendo os direitos civis dos povos. Timor-Leste está grato ao Senhor Cardeal. A sua ação foi decisiva para o desenvolvimento social e religioso do povo timorense.”

Graças à sua ação, foi primeiro Bispo residencial da nova Diocese de Díli Dom Jaime Garcia Goulart, curiosamente, também ele natural da Candelária do Pico. Depois do armistício de 1945, dispôs-se a edificar a Diocese num Timor destruído por três anos de ocupação japonesa. Durante os 22 anos em que governou a nova diocese, os católicos timorenses aumentaram de 30 mil para 150 mil e o número de padres cresceu de 20 para 50. Dom Jaime Goulart acabaria por fixar residência na cidade de Ponta Delgada e o seu funeral decorreu, em 1997, na Igreja Matriz de São Sebastião.

O terceiro capítulo é dedicado aos 14 Sacerdotes Açorianos que foram Missionários em Timor-Leste – cinco da Terceira, quatro do Pico, três de São Miguel, um do Faial.

O primeiro a chegar “ao outro lado do mundo” foi o padre terceirense João Machado de Lima, em 1924. Foi Vigário-Geral das Missões de Timor e Reitor do Seminário de São José.

Em 1931, embarcou para a Colónia de Timor o padre terceirense Norberto de Oliveira Barros. Foi ele que dinamizou a construção da Igreja de Ainaro, mas acabaria fuzilado pelas tropas japonesas.

Três sacerdotes açorianos seguem para Timor em 1932: o picoense João Homem Machado; o terceirense Januário Coelho da Silva, que foi Superior da Missão de Baucau e Diretor do Colégio Nuno Álvares Pereira em 30 anos de missionação timorense; e o brasileiro, filho de emigrantes terceirenses, Ezequiel Enes Pascoal, que criou a Missão de Ossú, fundou a Revista Seara, dirigiu o Boletim Eclesiástico da Diocese de Díli e publicou o livro A alma timorense vista na sua fantasia.

Em 1935, chegou a Timor o padre faialense Manuel Silveira Luís. Foi diretor da Escola de Artes e Ofícios de Díli, fundador do Colégio (masculino) de Santa Teresinha do Menino Jesus e do Colégio (feminino) Óscar Ruas e ainda diretor do Colégio Infante de Sagres.

Dois sacerdotes picoenses chegaram a Timor em 1949 e em 1953. O primeiro, José Pereira da Silva Brum, dirigiu a Missão de Suai e foi perseguido pelas tropas indonésias. O segundo, Isidoro da Silva Alves, dirigiu o Colégio de Soibada e foi Superior da Missão de Ossú.

O primeiro micaelense a chegar a Timor, em 1956, foi o Padre Leoneto Vieira do Rego, dos Fenais da Luz. Foi diretor da revista Seara, Superior da Missão de Soibada, diretor do Colégio Nuno Álvares Pereira e governador do Bispado de Díli. Com a invasão das tropas indonésias, refugiou-se no mato com o seu povo, mas conseguiu regressar a Portugal, falecendo em 2002 na cidade de Ponta Delgada.

Outro sacerdote micaelense, Reinaldo de Medeiros Cardoso, nasceu no Faial da Terra e missionou em Timor a partir de 1960, curiosamente, chegando a ser professor de Matemática do futuro Senhor Bispo Dom Carlos Ximenes Belo.

Da Terceira e do Pico seguiram para Timor, ainda nos anos sessenta, os padres Ivo Diniz da Rocha, João de Brito Martins Lourenço e José Carlos Vieira Simplício, este escrevendo um livro significativamente intitulado Daqui Houve Missionários até aos Confins do Mundo.

Finalmente, o futuro Monsenhor Victor Manuel Rodrigues Vieira, natural da freguesia dos Arrifes, parte para Timor em 1967, ali missionando até à guerra civil de 1975.

O quarto capítulo deste livro não esquece o contributo de dois “Irmãos Leigos ou Coadjutores”, também eles de naturalidade açoriana, no âmbito do esforço coletivo de missionação timorense.

Daniel Ornelas, da ilha Terceira, chegou a Díli em 1962, ao serviço da Companhia de Jesus. Como enfermeiro, ajudou os mais pobres especialmente durante a ocupação indonésia. Permaneceu em Timor por quase meio século e foi condecorado pelo Presidente da República Portuguesa.

José Pereira Lobato, da Ribeira Grande, rumou a Timor em 1961, para servir como mestre de construções, no âmbito da sua Congregação Salesiana. Também ele resistiu à invasão indonésia de 1975.

O quinto e último capítulo recupera e arquiva para memória futura duas cartas manuscritas pelo Padre Norberto Barros, a partir da Missão de Ainaro, durante a Segunda Guerra Mundial, bem como um testemunho memorial da atual Embaixadora de Timor-Leste em Lisboa, Maria Paixão Costa, que muito nos honra com a sua presença aqui.

Todo este relato da vida dos nossos ao serviço dos outros faz de Missionários Açorianos em Timor-Leste uma obra que nos orgulha, inspira, sensibiliza e emociona.

Ao Senhor Dom Carlos Ximenes Belo estamos muito gratos por partilhar com o mundo um livro marcante de exaltação açoriana e ficamos muito honrados com a sua importante presença, para a sua apresentação nacional, nesta tão acolhedora Casa dos Açores do Norte.”

José Andrade

Image may contain: 4 people, indoor

A comunidade timorense do Norte de Portugal reuniu-se este sábado na cidade do Porto para a apresentação nacional do livro “Missionários Açorianos em Timor-Leste”, de Dom Carlos Filipe Ximenes Belo, Bispo Emérito de Díli e Prémio Nobel da Paz.

Image may contain: 2 people, people smiling
Image may contain: 14 people, people sitting

novo livro de Dom Ximenes Belo

Livro – OS MISSIONÁRIOS AÇORIANOS EM TIMOR-LESTE:
“Este é um livro de solidariedade cristã, não apenas pelo objeto do seu conteúdo, mas também pelo destino da sua venda.

O proveito da venda reverterá integralmente a favor da reconstrução da Escola D. Carlos Filipe Ximenes Belo, na sua freguesia natal de Quelicai, município de Baucau, em Timor Leste.

Torna-se assim ainda mais pertinente a aquisição deste livro que reconstitui os 119 anos de protagonismo açoriano na missionação timorense. Ele começa em 1875, com a nomeação do jorgense Dom Manuel de Sousa Enes para Bispo de Macau e Colónia de Timor. E termina em 1994, com o falecimento do último padre açoriano em Timor-Leste, o terceirense Carlos da Rocha Pereira.

Este livro consta de cinco capítulos: o primeiro pretende sublinhar a importância da presença dos missionários açorianos em Timor-Leste, sobretudo no campo da missionação e da educação da juventude timorense; no segundo capítulo apresentamos as biografias dos Bispos; no terceiro, são delineadas as biografias dos sacerdotes; no quarto capítulo as biografias de dois irmãos leigos; e no quinto, notas bibliográficas, duas cartas manuscritas do Padre Norberto Barros, da época da segunda guerra, com a respetiva transcrição e um depoimento da embaixadora da RDTL em Lisboa, Maria Paixão Costa, sobre o Colégio Ainaro”. DO DISCURSO DO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL E PONTA DELGADA, AÇORES, NA IGREJA MATRIZ DE SÃO SEBASTIÃO.

Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo (video)

APRESENTA CHRYS DISCURSO DE ABERTURA LEIA AQUI

Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo (video)

XV Grandes Festas do Divino Espírito Santo

Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo

 

 

Intervenção de José Andrade na apresentação do livro “Missionários Açorianos em Timor-Leste”, de D. Carlos Ximenes Belo, esta sexta-feira em Ponta Delgada:

Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada
Sua Excelência Reverendíssima Senhor Dom Carlos Ximenes Belo
Reverendo Pároco da Matriz de São Sebastião…

Continue Reading

Image may contain: 3 people, including José Andrade, people smiling, people standing and outdoor

Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo (video) | Azores Today

Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo (video)6 Julho, 2018 Eventos e Festividades, Videos 7 Partilhas Facebook Google + LinkedIn PinterestXV Grandes Festas do Divino Espírito SantoLançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes BeloPartilhar Facebook Google + LinkedIn PinterestEtiquetasFESTAS DO DIVINO ESPÍRITO SANTO PONTA DELGADA

Source: Lançamento do livro | “Missionários Açorianos em Timor-Leste” – D. Ximenes Belo (video) | Azores Today

DIA 6 NOVO LIVRO DE DOM XIMENES BELO VOL. 2 MISSIONÁRIOS AÇORIANOS EM TIMOR,

AMANHÃ 18.30 IGREJA MATRIZ DE SÃO SEBASTIÃO EM PONTA DELGADA A AICL (COLÓQUIOS DA LUSOFONIA) LANÇA COM O MECENATO DA CÂMARA MUNICIPAL O NOVO LIVRO DE DOM XIMENES BELO VOL. 2 MISSIONÁRIOS AÇORIANOS EM TIMOR, APRESENTADO PELO DR JOSÉ ANDRADE E COM PREFÁCIO DE JOSÉ MANUEL BOLIEIRO

Image may contain: 5 people, text
Image may contain: 1 person, text

DOM XIMENES BELO LANÇA NOVO LIVRO DA SÉRIE MISSIONÁRIOS AÇORIANOS EM TIMOR

Com devida licença do Sr. Chrys:
A AICL – Colóquios da Lusofonia – com mecenato da Câmara Municipal de Ponta Delgada, acaba de editar o segundo volume de “Missionários Açorianos em Timor-Leste” da autoria de Dom Carlos Filipe Ximenes Belo.
O ato público de lançamento será Sexta, 6 de julho pelas 18h30 – na Igreja Matriz de São Sebastião em Ponta Delgada, Açores integrado no programa oficial das XV Grandes Festas do Divino Espírito Santo do Concelho de Ponta Delgada.
• Breve abertura de enquadramento geral pelo Presidente da AICL, Chrys Chrystello
• Uma palavra sobre o livro Missionários Açorianos em Timor-Leste, por José Andrade
• Uma palavra sobre o autor Dom Ximenes Belo, pelo Senhor Padre Nemésio Medeiros
• Intervenção de Sua Excelência Reverendíssima o Senhor Dom Carlos Ximenes Belo
• Encerramento pelo Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada
Segue-se uma sessão de autógrafos, com ambiência musical assegurada por Ana Paula Andrade em órgão de tubos (conforme sugestão do Senhor Padre Nemésio).
CHRYS CHRYSTELLO
PRESIDENTE DA DIREÇÃO DA AICL