timor lorosae notícias 25/3/013

TIMOR LOROSAE NAÇÃO – diário


KAZU BARAK PENDENTE

Posted: 24 Mar 2013 10:24 AM PDT

Tempo Semanal – Saturday, 23 March 2013
PGR : “Lalika Hatudu Liman Ba Malu”
MOLOK -atu remata ninia servisu hanesan Prokuradór Gerál Repúblika (PGR) Dra Ana Pesoa ba Uma Fukun Parlamentu Nasionál hodi hato’o relatóriu serbisu PGR durante tinan haat (4) nia laran, antes mandatu ramata dia 27 Marsu 2013. Tuir ema bo’ot balun hateten kleur ona katak DRA. Ana ema ida kee la’os ambisiozu hodi hakarak kontinua nafatin iha ninia poder hanesan PGR. Maibe publiku nota katak DRA. Ana sai husi PGR husik hela instituisaun ne’e iha mudanca pozitivu barak maske nune’e Ana pessoa la gavasola aan katak nia maka halo mudanca maibe sucesu hotu hetan tan ba servisu iha ekipa ida.
PGR Ana Pesoa durante tinan haat (4) hala’o knaar kazu barak konsege redús ona no balu sei pendente hela durante nia simu mandatu. Maiske, prokuradór Timor- oan balun hala’o serbisu barak. Maibé, hare ba ho rekursu umanu presiza aumenta prokuradór hodi bele hala’o servisu sira ne’e.
“Ita lalika hatudu liman ba malu. Hodi nune’e, ita nia servisu la’o ho di’ak no avansa nafatin, lalika kontente ho ita nia servisu ne’ebé iha ona susesu. Maibé esforsu an nafatin.  Ha’u husu atu ita rekoñese servisu saida mak ita halo tiha ona no saida mak seidauk halo” dehan Peso’
Nune’e mós Prokuradór Distritál Dili Dr José Ximenes hateten, kazu ne’ebé pendente iha Prokuradoria Distritu Dili (PDD) la’ós Prokuradór sira la halo servisu lae ?. Tanba, ita hare kazu ne’e makas la halimar iha Prevodoria Distritu Dili ida ne’ebé ho ninia populasaun barak no kazu pendente inklui mós kazu balun iha  tinan  2011.
Maiske nune’e prokuradór hakas an nafatin hodi  halo  relasaun di’ak  liu tan ho parseiru sira hanesan Ministériu Saúde, PNTL, MJ, Banku Sentrál no haruka mós majistradu sira ba tuir informasaun iha rai li’ur no iha rai laran.
Ximenes dehan, kona ba dadus estatístiku prosesu inkéritu sira prokuradór PDD  durante tinan 2012 hanesan  kazu ne’ebé pendente hamutuk rihun tolu atus sia  sia nulu resin rua (3992), kazu entrada rihun rua atus ida sia nulu resin hitu (2197), akuzasaun kolektiva163, singulár 456, arkivadu 359.
“kazu korrupsaun ne’ebé pendente iha PDD hamutuk 67 iha fulan Janeiru tinan 2012, hamutuk 83, akuza koletivu 22, singulár 1, arkiva  16 no remata ba distritu 10” Ximenes esplika.
Aleinde ne’e Prokuradoria Distritál Oekusi ne’ebé dirije husi Dr. Afonso Lopes, informa mós sira nia servisu durante tinan ida nia laran, hahú husi loron 1 fulan Janeiru tinan 2012 to’o loron 13 fulan Dezembru kotuk, Prokuradór Repúblika Distritál Dr. Afonso Lopes halo kooperasaun ho parseiru no entidade sira hanesan, PNTL, UNDP, Ospitál, diresaun transporte no trestre, JSMP no Prokuradór Distritál Oekusi hetan vizita husi Embaixada Indonesia hodi ko’alia kona ba problema ofisiais polisia eskuadra Oekusi kaptura sidadaun Indonesia ne’ebé halo peskas ilegál.
Prokuradór Distritál Suai Bemvinda do Rosário hateten, situasaun kona ba kazu sira ne’ebé prosesu iha distritál Suai husi loron 1 Janeiru tinan 2012 kazu entrada 503, pendente 806, akuzadu 1041, arkivadu 186, prosesu refere sura hamutuk ho delegasaun prokuradoria distritál Suai nian.
Iha Distritu Bobonaro komesa husi tinan 2011-2013 prokuradór  sei halo sorumutu ho komunidade, autoridade lokál no ONG sira husu ba Prokuradór atu servisu hamutuk hodi aplika kona ba dalan atu buka justisa ne’ebé justu ba sira nia moris hodi habelar papél Ministru Públiku .
Prokuradór Jerál Distritu Baucau ne’ebé lidera husi Dr. Adérito Tilman haktuir katak, situasaun konkretu iha Prokuradór Distritál Baukau (PDB), hanesan iha tinan 2012 inkeretu ne’ebé hetan ona akuzasaun hamutuk 263 singulár, 191, koletivu 72, arkivamentu 287, pendente 685, totál despaxu ba kazu korrupsaun 14 mak tama iha PDB.
Hare ba despaxu akuzasaun no arkivamentu hamutuk prosesu 550. Adérito husu atu iha tinan 2013 bele aumenta tan prokuradór ida. Tanba, prosesu loron ba loron aumenta beibeik. Aleinde ne’e, komunidade komesa iha ona konfiansa boot, koñesimentu no sensibilidade hodi aprezenta sira nia problema mai iha MP.
“Uluk komunidade sira sempre aprezenta ba polisia de’it nunka mai iha PDB. Maibé, agora lae, iha keixa ruma sira sempre mai iha MP” hakotu Adérito. (**)
Jornalista Adelino Gomes 1975 ho Milisia FRETILIN “Mandioca paun de Maubere”

Posted: 24 Mar 2013 08:18 AM PDT

Radio Liberdade Dili– Friday, 22 March 2013 – Santino Dare Matias
Radio, online – Sentimentu nakonu ho emosaun husi eis milisia FRETILIN, Santino Vicente Soares wianhira hasoru malu ho jornalista RTP, Adelino Gomes ne’ebe foka milisias sira halo defeza iha area fronteira, Balibo-Bobonaro.
Maluk sira, wainhira hare filmazen iha fronteira Balibo iha neba, milisias FRETILIN konsentra hodi halo defeza. Iha momentu ne’e, jornalista foka hela milisia sira.
Jornalista RTP ne’e husu ba eis milisia FRETILIN, Santino Vicente Soares ne’ebe han hela aifarina, iha momentu neba ho idade 18. Ho lian Portuguesa, jornalista RTP ne’e dehan, O que você come….. eis milisia FRETILIN ne’e dehan..este mandioca…paun de Maubere… dehan hanesan ne’e, milisia FRETILIN sira mak rona lia fuan ne’e hamnasa hotu.
Jornalista Adelino Gomes mai Timor-Leste hetan konvida husi governu, liu husi Sekertariadu Estadu Komunikasaun Sosial hodi sai orador iha seminariu internasional konaba “Regulasaun ba meius komunikasaun sosial harii kultura responsabilidade”.
Liu husi eis milisia FRETILIN, Santino Vicente Soares nia amigu ida ne’ebe akompanha jornalista Adelino Gomes durante iha TL hodi dehan ba Adelino Gomes katak, eis milisia FRETILIN ne’ebe ita intervista dehan mandioca paun de maubere ne’e iha Dili hela. Nia hau nia amigu.
Ho ida ne’e jornalista Adelino Gomes ho laran kontenti hakarak hasoru malu. Liu husi via telefone eis milisia FRETILIN  ne’e hakat mai iha iha Otel Timor, Kinta, (22/3) maizumenus tuku 17:15 otl.
Iha hasoru malu ne’e, eis milisia FRETILIN ne’e sente kontenti tebes ho emosaun hodi dehan, parabens ba ita bo’ot nia servisu hanesan jornalista hodi fo sai saida mak akontese iha ami nia nasaun ba mundu, atu mundu mos tau matan ba ami,”dehan eis milisia FRETILIN ho kontenti.
Jornalista Adelino Gomes ho kontenti no hamnasa hodi dehan, sei hanoin hau ga lae? eis milisia FRETILIN ne’e dehan, sempre hanoin no hau hakarak duni hasoru malu ho ita. Ho laran haksolok, Jornalista senior ne’e konvida eis milisia FRETILIN ne’e, ho nia subrinho Eugenio Pereira no Santino Dare Matias ba hemu kafe iha Otel Timor. Iha hemu kafe ne’e fontes ho eis jornalista RTP ne’e dada lia ba akontesementu iha 1975 nian.
Eis milisia FRETILIN ne’e husi Distrito Bobonaro. Agora dadaun halo negosiu fa’an bisikleta iha, Aitarak-laran ho loja naran, Malilait. Parabens…
Líderes religiosos da Birmânia apelam à calma depois de onda de violência

Posted: 24 Mar 2013 08:12 AM PDT

PNE – PNE – Lusa
Rangum, 24 mar (Lusa) — Líderes religiosos da Birmânia, budistas e muçulmanos, apelaram hoje à calma, através da imprensa oficial, depois dos confrontos entre as duas comunidades que causaram mais de 30 mortos em Meiktila, no centro do país.
O Exército birmanês retomou no sábado o controlo da cidade, em estado de emergência, depois de três dias de violência entre budistas e muçulmanos que causaram 32 mortos, segundo o último balanço oficial.
“Em primeiro lugar, queremos pedir aos membros do Sangha (clero budista) para ajudar a apaziguar as tensões”, escreveram os quatro líderes muçulmano, budista, hindu e cristão numa declaração publicada pelo diário New Light of Myanmar.
Os fiéis das diferentes religiões deverão “manter a harmonia da comunidade com amor e gentileza e ficar longe de conflitos desnecessários”, acrescentaram, apelando ao Governo para “garantir a segurança das duas comunidades” budista e muçulmana.
Trata-se da primeira declaração de responsáveis religiosos desde o início da violência, na quarta-feira, em Meiktila, depois de uma disputa num mercado entre um vendedor muçulmano e clientes budistas.
Australiano foi libertado por islamitas nas Filipinas em troca de 75 mil euros

Posted: 24 Mar 2013 08:08 AM PDT

PNE – PNE – Lusa
Sydney, 24 mar (Lusa) — O australiano Warren Rodwell foi libertado no sábado por islamitas nas Filipinas depois de 15 meses em cativeiro em troca do pagamento de 97.750 dólares (cerca de 75 mil euros), revelou hoje o grupo australiano Fairfax Media.
Rodwell, de 54 anos, foi libertado em Pagadian, cidade portuária na ilha de Mindanao, a cerca de 100 quilómetros do local onde foi raptado a 05 de dezembro de 2011.
As autoridades filipinas e australianas recusaram adiantar se foi efetuado algum pagamento aos islamitas para a libertação de Rodwell, mas os meios de comunicação do grupo Fairfax Media informaram hoje, citando o negociador, Al Rashid Sakalahul, que foi pago o equivalente a 97.750 dólares face aos dois milhões (1,5 milhões de euros) pedidos inicialmente pelos islamitas do grupo Abu Sayyaf.
Sakalahul, vice-governador da província de Basilan, acrescentou que os islamitas estavam a pedir 400 mil dólares (308 mil euros) quando se envolveu no caso há algumas semanas.
“Foi uma negociação difícil, mas no fim conseguimos garantir a libertação de Rodwell”, disse, ao explicar que decidiu revelar o resgate pago aos raptores para afastar qualquer especulação de que terá beneficiado das negociações. O ministro dos Negócios Estrangeiros australiano, Bob Carr, garantiu que Camberra não pagou qualquer resgate.
“Para ficar claro, o Governo australiano nunca paga resgates, não comento eventuais acordos entre a família de Rodwell e Abu Sayyaf, através da unidade anti-rapto das Filipinas e da sua polícia”, disse, citado pela ABC.
Rodwell foi transferido no sábado de helicóptero para uma base militar em Zamboanga, uma das maiores cidades do sul das Filipinas, onde recebeu tratamento médico e deverá ficar internado no hospital cerca de uma semana.
O Abu Sayyaf é um dos grupos armados islamitas que opera no sul das Filipinas, região que tem enfrentado um movimento separatista muçulmano que já causou milhares de mortos desde a década de 70.
DEPUTADOS FELICITAM A PNTL PELO SEU 13º ANIVERSÁRIO

Posted: 24 Mar 2013 07:57 AM PDT

22 de Março de 2013, 15:18
Os deputados no Parlamento Nacional felicitaram a Polícia Nacional de Timor Leste (PNTL) pelo seu 13º aniversário e mostraram-se orgulhosos com o serviço da polícia.
Os mesmos indicam que o serviço da PNTL tem que melhorar com o objectivo de contribuir para o país. A deputada do CNRT Carmelita Moniz irá estar presente no dia do aniversário da PNTL, 27 de março.
A mesma aproveitou para agredecer a todos os membros da PNTL a prestação dos seus serviços em todo o território de Timor-Leste.
Carmelita Moniz salientou que apesar da PNTL estar a fazer um trabalho profissional, existem alguns membros que ainda continuam a violar o direitos humanos. Esta é uma questão individual e não da instituição da PNTL. Por isso pede para que sejam mais profissionais.
SAPO TL ho Suara Timor Lorosa’e 

AO1990 O ACORDO ACORDADO

O Acordo acordado: o sucesso de uma missão

O Acordo acordado: o sucesso de uma missão

O Acordo acordado: o sucesso de uma missão (I)

Publicado às 00.00

LÚCIA VAZ PEDRO *

0 0 0

Segundo Vergílio Ferreira (in “Jornal de Letras”), “o português é uma língua cujo centro está em toda a parte ou seja em nenhuma”.

Ora, urge não esquecer que, até ao final do século XXI, os oito países falantes de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste) terão uma população de 350 milhões de pessoas, isto é, seremos mais 100 milhões do que os atuais cerca de 250 milhões (dos quais mais de 190 milhões são brasileiros).

Partindo desta perspetiva, talvez consigamos compreender o “potencial económico” da língua portuguesa e todo o interesse mundial à volta da sua aprendizagem.

Por isso, não se entende as confusões, quando se fala da sua ratificação. Na verdade, o Acordo ortográfico é uma realidade e, no que se refere ao Brasil, houve, apenas, um adiamento da sua aplicação obrigatória. Ou seja, em 2016, Portugal e Brasil estarão em sintonia, quanto à obrigatoriedade do seu uso.

Esse fator, note-se, nunca comprometeu a ratificação, uma vez que o AO está decretado e é seguido maioritariamente na sociedade brasileira e até em Portugal, como se pode ler no site da CPLP: “O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa já está em vigor em alguns dos Estados-membros da CPLP.

Aguarda-se a sua ratificação pelos demais países para garantir a expansão da língua nos seus factores extra linguísticos, consolidando o discurso científico que produz, as expressões cultural e artística que cria, as relações económicas que veicula e as suas demais dimensões, como a promoção no cenário Internacional”.

É, pois, lamentável que se ouçam vozes gloriosas de patriotismo que proclamam a independência da nossa língua, como se ela fosse um bem exclusivo do povo português.

A identidade de um povo não se perde, apenas se espalha, tal como aconteceu na época dos Descobrimentos.

Falar e escrever em português prefigura o surgimento de uma pátria cultural portuguesa, quem sabe, aquela a que Fernando Pessoa apelidou de Quinto Império.

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico

[email protected]

Artigo Parcial

HOMENAGEM AÇORIANA NO RS

Açoriana homenageada no Rio Grande do Sul, Brasil
No âmbito do programa das celebrações dos 260 anos de povoamento açoriano no Rio Grande do Sul, Brasil, e integrado no projeto “Legado Açoriano”, o Instituto Cultural Português de Porto Alegre prestou uma homenagem a Graça Castanho, atribuindo-lhe o troféu Fernando Pessoa em reconhecimento pelo trabalho realizado como Diretora Regional das Comunidades e pelo papel preponderante que desempenhou na concretização do referido projeto.
Aqui registamos o discurso proferido por Graça Castanho na altura da entrega do Troféu Fernando Pessoa.
“As minhas primeiras palavras são de agradecimento ao Instituto Cultural Português que me distinguiu com esta homenagem pelo trabalho que desenvolvi como Diretora Regional das Comunidades do Governo dos Açores. Uma vez que, presentemente, já não desempenho tais funções, dirijo-me a todos vós na qualidade de ex-Diretora, mas também como cidadã açoriana, como emigrante que já fui nos EUA e como docente da Universidade dos Açores onde continuo a trabalhar com e para as comunidades.
Receber o Troféu Fernando Pessoa de tão prestigiante instituição é deveras significativo para mim em termos pessoais e profissionais. Há 30 anos que ensino este poeta que escreveu um poema que a todos nos toca profundamente, “Mar Português”, em que diz o seguinte: “Ó mar salgado/quanto do teu sal são lágrimas de Portugal / Por te cruzarmos quantas mães choraram / Quantos filhos em vão rezaram!” O mar português que Fernando Pessoa canta, feito de lágrimas e sofrimento, é o mar que liga a Europa aos outros continentes. É também o mar dos Açores.
As ilhas açorianas, no oceano Atlântico plantadas, desempenharam um papel relevante na história mundial desde o século XV. Os Açores foram porto de chegada e de partida de navegadores, exploradores, piratas, caçadores de baleias, comerciantes, soldados, etc. Para além de Portugal, Espanha e Inglaterra elegeram os Açores como espaços privilegiados para o estabelecimento de rotas comerciais. Colombo no regresso da descoberta das Antilhas passou pela Terceira. Vasco da Gama, após a descoberta do caminho marítimo para a Índia, também parou nos Açores antes de rumar ao reino. O mar dos Açores desempenhou um papel importante na I e II Guerras Mundiais. Ainda hoje o mar dos Açores é alvo de interesse, disputa e cobiça pelas riquezas nele contidas e pelo valor estratégico que o mesmo encerra. O mar português que liga o continente europeu aos Açores é o fator que confere a Portugal o caráter de país transcontinental, com uma palavra a dizer no mapa da política internacional dos oceanos.
Foi do mar dos Açores que partiram vagas emigratórias substanciais para o Brasil, EUA, Bermuda, Havai (ainda na altura em que era colónia inglesa) e Canadá. O mar que liga os Açores à sua diáspora é um mar feito de muitas lágrimas. Ainda hoje choramos os que partiram. Ainda hoje o reencontro com os nossos irmãos e irmãs espalhadas pelo mundo nos emociona.
Hoje vim ao encontro da comunidade do sul do Brasil, a primeira mais antiga da nossa história comum. Aqui chegamos há 260 anos, povoando estas terras, garantindo a anexação deste espaço a Portugal e, posteriormente, ao Brasil. Este feito deveu-se à força, tenacidade, persistência das famílias açorianas que aqui chegaram com a promessa e o sonho de uma vida melhor.
Hoje o número de nacionais, com carga genética luso-açoriana, é incalculável devido à capacidade de miscigenação, integração e movimentação do povo açoriano em território brasileiro. Destacam-se nas mais diversas áreas do saber, em todos os estados do Brasil, e merecem dos açorianos a viver nas ilhas de origem ou na restante diáspora o nosso mais profundo reconhecimento e apoio. O tempo e a distância, ao invés de levar ao esquecimento, têm contribuído para o recrudescimento do amor que nutrem pelas ilhas dos Açores. Um número cada vez maior visita os Açores em busca das suas raízes.
Hoje, numa iniciativa inédita, intitulada “Legado Açoriano”, a decorrer neste magnífico espaço do Centro Cultural Érico Veríssimo, em Porto Alegre, os Açores vieram ter convosco pela mão do Centro, do Instituto Cultural Português, da Galeria Fonseca Macedo, da Noratur de Porto Alegre e de mim própria que apresentei, nos Açores, a Galeria Fonseca Macedo à sempre dinâmica e entusiasta Professora Santa Inèze que, de visita ao nosso Arquipélago, se interessou por um intercâmbio cultural entre Porto Alegre e os Açores ao nível das artes contemporâneas. Fruto deste esforço conjunto um sonho antigo tornou-se realidade, corporizado em duas exposições (uma da açoriana Catarina Branco com um tapete elaborado em papel e outra com fotografias dos Açores do jovem portoalegrense Rodrigo Schneider) e num conjunto vasto de atividades culturais açorianas, ao nível da gastronomia, dança, música e poesia.
Agradecendo a todos os envolvidos na organização dos 260 anos do povoamento açoriano no Rio Grande do Sul e ao Instituto Cultural Português de Porto Alegre, aqui vos deixo o meu reconhecimento pela qualidade do vosso trabalho e votos de uma cada vez maior aproximação entre o Rio Grande do Sul e as ilhas atlânticas dos Açores, onde encontrarão a razão de ser de grande parte da carga genética e das manifestações culturais que vos caracterizam ainda hoje em dia”.

educação por luiz fagundes duarte

Educação: o que eles já sabiam…

by Luiz Fagundes Duarte (Notes) on Sunday, 24 March 2013 at 16:16

           

 

Não precisamos ir mais longe do que à Antiguidade Clássica – a Diógenes ou a Cícero, por exemplo – para encontrarmos afirmações como “o fundamento de qualquer Estado é a educação da sua juventude” [Diógenes], ou “que maior ou melhor coisa poderemos oferecer à república, do que ensinar e instruir a juventude?” [Cícero]. E no entanto, em matéria de educação, quase toda a história de Portugal se desenrolou à revelia de tais entendimentos – tendo como resultado o atraso educativo face aos padrões europeus que todos nós conhecemos. Os Açores, infelizmente, não fugiram a tal fatalidade.

Por isso, a aprendizagem dos alunos deve estar no centro das políticas educativas, e as escolas devem ser a sua sede: cada escola é um projeto pedagógico, em diálogo permanente com a comunidade em que se insere, e tem por missão fundamental preparar os jovens para a vida. Para tal, é necessário valorizar o esforço, o rigor e a disciplina, compreendendo-se que educar é despertar para a liberdade e a responsabilidade. Ao contrário da tendência centralizadora que desde quase sempre tem sido apanágio do nosso sistema educativo, teremos que prosseguir no percurso da descentralização, da autonomia e da flexibilidade das escolas: é necessária uma descentralização de competências, no sentido de adequar o projeto educativo de cada escola às características do meio em que se insere. É necessário o estabelecimento de contratos de autonomia com cada escola, de modo a que tenhamos escolas responsáveis pelos seus próprios projetos, e que sejam capazes de prestar contas.

Temos que dar prioridade à qualidade do nosso sistema educativo público, à sua avaliação, e à preparação de respostas aos novos desafios suscitados pelo desabar das fronteiras, a todos os cidadãos e em condições de igualdade de oportunidades.

A Educação é um processo que se desenrola ao longo de toda a vida do indivíduo, que considera todas as aprendizagens e competências por ele adquiridas ao longo de todo o seu percurso escolar e de vida, e que tem por objetivo a aquisição e a transmissão de conhecimentos, incluindo a formação profissional, que devem ser combinados com a cultura, o ensino superior e a investigação científica.

Necessitamos de um sistema educativo que possibilite o desenvolvimento dos projetos educativos, que permita a inclusão de todos os cidadãos no sistema, que favoreça a qualidade, que potencialize o diálogo entre o sistema educativo e a sociedade na sua globalidade – em vez de um sistema que impõe o atrofiamento dos projetos inovadores, que incentiva a exclusão dos cidadãos do sistema, que permite o sacrifício da qualidade, e que desenha para as escolas um perfil de “instituições autistas” relativamente ao meio em que se inserem.

Em contrapartida, queremos uma Escola que nos prepare e garanta o futuro. E isso, por agora, está nas mãos daqueles que frequentaram e receberam como herança uma escola baseada na máquina centralizadora e desfasada do tempo e do terreno, e que cada vez mais – obrigatória e rapidamente – tem que se basear no aluno. Porque, em matéria de educação, os alunos são o centro; tudo o resto são periferias ou estruturas de apoio. E isso não é novidade: os Gregos e os Romanos já o sabiam. A dois milénios de distância, é tempo de o pormos em prática nos Açores.

 

(no diDOMINGO, Angra do Heroísmo)

-- 
Chrys Chrystello, An Aussie in the Azores /Um Australiano nos Açores, http://oz2.com.sapo.pt

SANTA MARIA NO FESTIVAL DE CANNES

Documentário “À DESCOBERTA DE SANTA MARIA” no Festival de Cannes 2013. O anúncio foi feito ontem, em Santa Maria, por Eduardo Rêgo (locutor SIC dos documentários de vida selvagem) durante a antestreia do filme documental.

Festival de Cannes é um festival de cinema criado em 1946 é um dos mais prestigiados e famosos festivais de cinema do mundo. Acontece todos os anos, no mês de maio, na cidade francesa de Cannes.

À descoberta de Santa Maria – SIC
“À Descoberta de Santa Maria” é um roteiro apaixonado pelos trilhos da história, pelos caprichos naturais da ilha, pelas tradições e encantos da fauna e flora daquela que foi a primeira filha do arquipélago dos Açores a nascer do ventre incandescente do Atlântico.

Esta é a visão de Eduardo Rego por nós ilustrada num documentário que terá transmissão na SIC – Vida Selvagem no dia 31 de Março, domingo de Páscoa.

Length: 0:37

MORREU OSCAR LOPES

Morreu o professor e ensaísta Óscar Lopes
O ensaísta e crítico literário, Óscar Lopes, professor jubilado da Faculdade de Letras do Porto, morreu esta sexta-feira, aos 95 anos.
Um dos grandes historiadores da literatura portuguesa .
Considerado como um dos grandes historiadores da literatura portuguesa, é o autor, com António José Saraiva, de História da Literatura Portuguesa e de A Busca do Sentido.
Óscar Lopes nasceu em 1917 em Leça da Palmeira e aos 19 anos mudou-se para Lisboa, para estudar Filologia Clássica, na Faculdade de Letras, formação complementada mais tarde em Coimbra, com cadeiras de Histórico-Filosóficas. Os seus primeiros textos foram sobre música e para um pequeno jornal de Sintra. Óscar Lopes era um amante de música e chegou mesmo a fazer o curso do Conservatório de Música do Porto.
Militante do Partido Comunista Português desde 1944, Óscar Lopes entrou para a política “conspirando” com Vitorino Magalhães Godinho e o grupo dos socialistas liderado por António Macedo. Autor de uma vasta e importante obra no domínio da Linguística, em que se destaca a Gramática Simbólica do Português, o ensaísta chegou tarde à docência na Faculdade de Letras do Porto devido à sua filiação política, tendo mesmo chegado a ser preso duas vezes durante o Estado Novo.
Antes de leccionar na universidade, foi um muito respeitado e acarinhado professor de liceu, lembra Isabel Pires de Lima, catedrática da Faculdade de Letras do Porto e sua amiga. “É uma perda imensa”, disse ao PÚBLICO a ex-ministra da Cultura, que entrou para a docência universitária no mesmo ano de o ensaísta, 1974. “Era uma das pessoas mais disponíveis que conheci. Certamente um dos maiores intelectuais portugueses do século XX. De sempre.”
Para o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, Óscar Lopes foi um “homem integral” que lutou pela liberdade e pela democracia. “Sempre atento aos problemas do país e do povo português, Óscar Lopes teve uma intensa actividade política. Preso pela PIDE duas vezes, a primeira das quais em 1955, no processo dos partidários da paz. Viria a estar meses nas cadeias fascistas, afastado então da universidade [e] retoma mais tarde o ensino e logo a seguir ao 25 de Abril foi eleito presidente do conselho directivo da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e exerceu o seu cargo de vice-reitor”, disse na sexta-feira Jerónimo de Sousa durante a apresentação dos candidatos à Câmara e Assembleia Municipal do Porto.
Jerónimo de Sousa destacou ainda o seu “contributo na luta antifascista e após o 25 de Abril, na direcção da organização regional do Porto do PCP”. “Em 2007, por ocasião do seu 90.º aniversário, foi-lhe prestada homenagem numa sessão pública que tivemos a honra de participar. Afirmamos então que olhando para o seu percurso, para a sua vida, estávamos perante um homem integral”, acrescentou.
Ainda ao PÚBLICO, numa entrevista que deu a Carlos Câmara Leme, em 1999, dizia que a ideia da História da Literatura Portuguesa partiu de António José Saraiva, em finais dos anos 40: “Tivemos aí uns três anos para meditar. A primeira edição saiu em 1953, já o Saraiva estava em Paris e carteávamo-nos para acertar as coisas”. Em jovem chegou a escrever poesia e mais tarde tentou o romance. Era irmão de Mécia de Sena, a viúva do escritor Jorge de Sena.

Até Breve Óscar Lopes

novas espécies descobertas nos Açores

Referência importante a um dos excelentes investigadores daUniversidade dos Açores. Parabéns ao Professor Frias Martins pela sua competência e por ser como é!

Investigador dos Açores descobriu 30 novas espécies de moluscos nas ilhas – Açoriano Oriental

www.acorianooriental.pt

O investigador da Universidade dos Açores António Frias Martins descobriu cerca de 30 novas espécies de moluscos em várias ilhas do arquipélago, que serão agora descritas para serem validadas cientificamente, um trabalho

cinema Guiné Bissau

in diálogos lusófonos

Longa-metragem do cineasta da Guiné-Bissau’A República das Crianças’

por FERNANDO PEIXEIRO, da Agência Lusa, em Maputo

 

Flora Gomes dirige os actores de palmo e meio
 na capital moçambicana
Flora Gomes dirige os actores de palmo e meio na capital moçambicanaFotografia © António Silva – Lusa

Longa-metragem do cineasta da Guiné-Bissau conta com o americano Danny Glover no elenco.

Numa cidade onde todos os adultos foram para a guerra, são as crianças que assumem as funções dos mais velhos, de polícia sinaleiro a deputado, e constroem um mundo novo, de esperança e de sonhos. A cidade existe só na cabeça de Flora Gomes, mas tomou forma nas ruas da capital moçambicana, onde o realizador guineense  filmou A República das Crianças, a sua quinta longa-metragem.

O argumento, escrito a meias com um amigo, está pronto há muito mas as filmagens só começaram em 2010, depois de escolhidos os nove actores principais entre 600 crianças de Maputo. No meio delas, um adulto, o actor norte americano Danny Glover, de Escape from Alcatraz, Lethal Weapon, Silverado ou, mais recentemente, 2012, onde interpreta o papel de presidente dos Estados Unidos.

“Queria falar um pouco de uma África mais organizada, uma África de esperança. Nos últimos tempos tem havido muitas guerras civis no nosso continente e queria virar as páginas da história, fazer com que pensássemos como um povo livre, que sonha e que constrói um país, para uma nova geração”, conta Flora Gomes. O cineasta resume assim o conteúdo do conto dos meninos que ocuparam a cidade que os adultos abandonaram, que organizaram o sistema de saúde e de educação, e criaram um Parlamento onde o presidente é diferente todos os dias.

Nos seus filmes, há sempre histórias, vidas, mundos que nos fazem pensar. São heranças do seu amor pelos heróis, e, ainda assim, Flora não crê estar a continuar, nem à sua maneira, o trabalho daqueles lutadores. Pergunta, humildemente, “quem sou eu para fazer o que eles fizeram, para continuar o que eles começaram?”.
É Flora Gomes, homem forte e decidido, que luta por aquilo que quer, e acredita até à morte no amor aos homens e a África. A sua África. A África que devia ter sido. A África de todas as cores, do respeito pelo outro. A África orgulhosa de si própria. A  África que acredita que é capaz. “Imagine a cidade das crianças como a nossa casa. Quando se convida alguém para ir a nossa casa e essa pessoa estraga, ninguém gosta. Os adultos estragaram. Os forasteiros (Fátima, Bia, Aymar, Toni e Mon de Ferro) foram olhados com desconfiança. Houve quem não os quisesse lá, mesmo sabendo que eles teriam de voltar para uma vida doída no mato. A República das Crianças também fala de tolerância e de perdão. Não podemos julgar todos pelos actos e pensamentos de um”.
Não é por acaso que existem personagens sem nome, só chamados de especialistas, no filme. É um piscar de olhos que Flora lança aos organismos internacionais. Para o realizador, estas instituições trazem os seus dogmas de países ocidentais onde a democracia funciona, e limitam-se a considerar que basta haver eleições para tudo se encaminhar. É um esquema pensado, montado. Uma verdade absoluta que, se não funciona, bloqueia qualquer outro processo de ajuda. Mais uma vez, o realizador diz que “por mais pequena que uma nação seja, tem a sua identidade, tem homens que devem ser respeitados. O mundo não é todo igual”.

Como em filmes anteriores, Flora Gomes escolheu não-profissionais para fazer o filme, onde Danny Glover, o conselheiro da República, é um dos poucos adultos com um papel relevante.

“Gosto dessas aventuras, de trabalhar com crianças, e até adultos, que nunca fizeram cinema. E tem dado resultado”, diz o realizador.

“Não e fácil trabalhar com meninos, mas é apaixonante. Gosto muito. Em todos os meus filmes sempre tenho essa possibilidade de trabalhar com os miúdos que nos dão coisas extraordinárias”, garante Flora Gomes num intervalo das filmagens, quando grandes camiões, projectores, máquinas de filmar e muita confusão deixam de boca aberta dezenas e dezenas de outras crianças, ávidas de ver o “circo” que se monta uma manhã inteira para um minuto de filmagem.

A montagem do filme, diz o cineasta guineense, foi feita em Portugal, tanto mais que é uma co- -produção portuguesa (Tejo Filmes) e francesa (Les Films de l’Après-midi).

 

Fontes:

http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1576394&seccao=CPLP&page=-1

http://www.revistamacau.com/2010/09/21/a-republica-de-flora-gomes/

Pernambuco texto de Eduarda Fagundes

E tudo continua na mesma…
No Brasil, umas das primeiras descrições geográficas e antropológicas se devem ao jesuíta português Fernão Cardim que chegou ao país em 1583 com o visitador Cristóvão de Gouveia . O Rio de Janeiro e Pernambuco mereceram dele atenção especial. E,  pelo que descreve, em relação à grande produtividade e dificuldade de escoamento do açúcar, chegamos à conclusão que em mais de 500 anos o país continua com o mesmo problema, escoar as suas mercadorias.  Na atualidade o Brasil teve,  mais uma vez, uma safra recorde de soja, que hoje não consegue chegar ao seu destino, o exterior, por falta de silos suficientes, ferrovias, hidrovias, rodovias transitáveis, e portos em número satisfatório com adequada logística  que permitam o seu escoamento. A China, um dos nossos grandes compradores, este ano, já suspendeu a sua milionária compra porque o país não consegue honrar o tempo de entrega do produto. Entra governo e sai governo, e tudo continua na mesma; perdas financeiras para quem produz, transporta e principalmente para o país, que,  apesar esforço do agronegócio, uma das mais importantes alavancas econômicas do Brasil, não conta com a devida atenção e cooperação do governo. O que será que está faltando? Visão, responsabilidade, comprometimento sério , e não demagogo, de quem nos governa,  com certeza.
               DESCRIÇÃO DE PERNAMBUCO
               por  Fernão Cardim
” Não posso deixar de dizer nesta as qualidades de Pernambuco, que dista da equinocial para o sul oito graus, e cem léguas da Bahia, que lhe fica ao sul. Tem uma formosa igreja matriz de três naves, com muitas capelas ao redor; acabada, ficará uma boa obra. Tem seu vigário com dois outros clérigos , afora outros muitos que estão nas fazendas dos portugueses, que eles sustentam à sua custa , dando-lhes mesa todo o ano e quarenta ou cinquenta mil réis de ordenado, afora outras vantagens. Tem passante de dois mil vizinhos entre a vila e o termo, com muita escravaria de Guiné, que serão perto de dois mil escravos, os índios da terra são já poucos.
 A terra é toda muito chã; o serviço das fazendas é por terra e em muitos carros; a fertilidade dos canaviais não se pode contar; tem sessenta e seis engenhos que cada um é uma boa povoação; lavram-se alguns anos duzentas mil arrobas de açúcar, e os engenhos não podem esgotar a cana, porque em um ano se faz de vez para moer, e por essa causa a não podem vencer , pelo que mói a cana de três a quatro anos; e com virem cada ano quarenta navios ou mais a Pernambuco, não podem levar todo o açúcar; é terra de muitas criações de vacas, porcos, galinhas, etc.
A gente da terra é honrada: há homens muito grossos de quarenta, cinquenta, e oitenta mil cruzados de seu: alguns devem muito pelas grandes perdas que têm com a escravaria de Guiné, que lhe morrem muito, e pelas demasias e gastos grandes que têm em seu tratamento. Vestem-se, e  as mulheres e os filhos de toda a sorte de veludos, damascos, e outras sedas, e nisto têm grandes excessos. As mulheres são muito senhoras, e não muito devotas, nem frequentam as missas, pregações, confissões, etc.; os homens são tão briosos que compraram ginetes de duzentos e trezentos cruzados, e alguns têm três, quatro cavalos de preço. São mui dados a festas. Casando uma moça honrada com um vianês, que são os príncipes da terra, os parentes e amigos se vestiram uns de veludo carmesim , outros de verde , e outros de damasco e outras várias sedas de várias cores, e os Guedes e selas dos cavalos eram das mesmas sedas de que iam vestidos.  Aquele dia ocorreram touros, jogaram canas, pato, argolinhas, e vieram dar vista ao colégio para os ver o padre visitador; e por esta festa se pode julgar o que farão nas mais, que são comuns e ordinárias.”
Uberaba, 22/03/13
Maria Eduarda Fagundes  in diálogos lusófonos

timor lorosae notícias 23/3/13

TIMOR LOROSAE NAÇÃO – diário


JORNALISTA EZMOLA MOEDA BA PROKURADÓR

Posted: 22 Mar 2013 11:55 AM PDT

Tempo Semanal  – Thursday, 21 March 2013
Sente Vítima Ba Injustisa, Lideransa Asosiasaun Jornalista Hala’o Asaun Solidariedade Ezmola Osan Moeda (Uang Logam) Selu Indeminizasaun.
SESTA, 15 Marsu 2013 Jornalista Timor oan hamutuk ho lideransa Asosiasaun Jornalista sira halibur an iha Edifísiu Timor-Leste Press Club (TLPC) Lesidere Dili. Objetivu ne’e, atu rona deklarasaun husi lideransa Asosiasaun Jornalista sira kona ba desizaun Tribunál Distritál Dili (TDD) iha loron 14 Marsu 2013 ne’ebé absolve krime Denunsia Calonioza ba Jornalista na’in rua, maibé tenke selu indeminizasaun.
Iha loron ne’e, Jornalista sira mós hala’o atividade ezmola osan moeda (uang logam) U$ 0,25 Centavos to’o U$ 0,50 Centavos atu selu indeminizasaun. Atividade ezmola osan ne’e, nu’udar solidariedade Jornalista Timor oan sira hodi hatudu ba públiku katak, Jornalista sai vítima ba injustisa.
Asaun Solidariedade ne’e partisipa husi Jornalista média imprime no eletrónika, inklui Presidente Asosiasaun Jornalista Timor-Leste (AJTL), Tito Filipe, Presidente Timor Leste Press Club (TLPC), José António Belo ho ninia estrutura.
Mekanizmu husi ezmola moeda ne’e, kada Jornalista iha devér hatama U$ 0,25 ou U$ 0,50 Centavos ba kaixa (dos) ne’ebé prepara. Kaixa ne’e, husi parte li’ur sira taka ho surat tahan mutin ne’ebé hakerek ho liafuan “Centavos Ba Prokuradór”.
Antes ida ne’e, Asosiasaun Jornalista Timor-Leste liu husi portavós, Eliteiro Sousa ofisialmente lee sai deklarasaun ba públiku kona ba sira nia lamentasoins balun, relasiona ho desizaun Tribunál. Tanba, akuzasaun Ministériu Públiku ba Jornalista na’in rua, uza Lei Kodiku Penál maibé aplika fali desizaun ho Kodiku Sivíl.
Ministériu Públiku akuza arguidu Jornalista na’in rua, Raimundo Oki husi Jornál INDEPEDENTE no Óscar Salsina husi STL, inklui arguidu Mateus Sufa ho Artigu 285 Kodiku Penál kona ba Denúnsia Calonioza ho pena prizaun tinan 3 ou selu multa.
Akuzasaun ne’e, relasiona ho publikasaun notísia iha Jornál STL no INDEPEDENTE ne’ebé dehan, Lezado Jacinto Babo ne’ebé momentu ne’e hanesan Prokuradór iha Distritu Oekusi simu subornu. Maski, publikasaun Jornál INDEPEDENTE iha momentu ne’e la sita liafuan akuzasaun subornu hasoru Prokuradór ruma iha Distritu Oekusi.
Hafoin lee sai deklarasaun husi parte arguidu no Lezado, Juis singulár António Hélder ne’ebé prezide julgamentu ne’e fó desizaun hodi absolve tiha kazu krime ba Jornalista na’in rua, inklui Mateus Sufa tenke selu indeminizasaun ho osan U$ 450.00 no kustu Judisiál U$ 20.00.
Cancio Xavier Defensór ba arguidu, Raimundo Oki no Oscar Salsina hateten, selu indeminizasaun tanba enkuantu publikamente média publika ba públiku, nia (red-Lezado) dehan katak sente toba la dukur, portube ninia pesoál no portube ninia família nia sentimentu.
“Ha’u hanoin apuramentu ida ne’e, enkuantu tuir ha’u nia interpretasaun, kriminalmente kuandu la apura didi’ak dehan katak Jornalista na’in rua la komete kualkér krime, signifika sivíl mós sira na’in rua tenke livre husi responsabilidade.” dehan Cancio ba Jornalista sira iha Tribunál Distritál Dili.
Tuir Cancio, nia parte labele ko’alia katak desizaun hanesan ne’e, di’ak ou la di’ak. Tanba, nu’udar Jurista tenke ko’alia tuir prosedimentu legál ne’ebé iha. Maibé, enkuantu sente la satisfeitu entaun tenke konsulta ho ninia kliente katak, sira na’in rua simu indeminizasaun sivíl ne’e ou lae?
“se enkuantu sira na’in rua la simu, iha dalan seluk para atu hala’o tan rekursu. Maibé, se sira na’in rua hakarak atu simu, ha’u tenke rona sira na’in rua tanba ami ne’e ekipa.” Cancio esplika.
Desizaun Tribunál ne’ebé fó livre ba Jornalista na’in rua husi akuzasaun krime, maibé uza fali Lei Kodiku Sivíl kona ba selu indeminizasaun ho valór U$ 450.00. Ne’e duni, kada arguidu sei selu indeminizasaun ho valór U$ 150.00, inklui, arguidu Mateus Sufa ne’ebé sai hanesan autór informasaun.
Mezmu nune’e, iha karta deklarasaun ne’ebé asina husi Presidente AJTL, Tito Filipe no Presidente TLPC, José António Belo ne’ebé ofisialmente lee husi portavós, Eliteiro Sousa hateten, Asosiasaun Jornalista sira iha Timor Leste la simu desizaun finál Juis singulár, tanba la komprova arguidu nia sala ba krime Denúnsia Calonioza.
Pontu segundu husi karta deklarasaun ne’e, Jornalista Timor oan deklara katak, kontribuisaun ne’ebé sira hala’o atu hatudu ba públiku, Jornalista sai vítima ba injustisa. Tanba, akuza ho Kodiku Penál maibé aplika desizaun ho Kodiku Sivíl.
Asaun solidariedade ne’e, la signifika atu selu multa no la taka dalan ba jornalista na’in rua atu rekorre ba rekursu. Maibé, asaun ne’e fó suporta morál hodi haklaken lia loos no justisa ba públiku. Tan ne’e, Jornalista sei esforsu nafatin atu haklaken lia loos ba públiku, hodi nune’e bele minimiza injustisa iha rai ne’e.
Iha karta deklarasaun ne’e, Jornalista Timor oan mós sente triste ho desizaun TDD kona ba leitura ne’ebé fó sai husi Juis singulár katak, Prokuradór Jacinto Babo Soares sente prejudikadu ho notísia ne’ebé halo nia toba la dukur. Maibé, Prokuradór rasik la hatudu evidénsia liu husi atestadu médiku.
“Ami Jornalista Timor oan mós sente triste ho leitura husi Juis singulár ne’ebé fó sai iha Tribunál ba kazu Jornalista na’in rua katak, Prokuradór sofre phiskologikamente maibé realidade Prokuradór ne’e hetan promosaun ba kargu.” haktuir husi karta deklarasaun.
Alínea hitu (7) husi karta deklarasaun ne’e, husu mós ba komunidade tomak atu koopera nafatin ho Jornalista sira hodi haklaken lia loos. Atu nune’e, labele hamosu dezentendimentu iha públiku no husu ba média no Jornalista sira labele hakfodak ou ta’uk ho desizaun Tribunál. Maibé, kontinua hala’o knaar nu’udar kontrolu sosiál tuir Konstituisaun RDTL no étika Jornalista.
Parágrafu ikus husi karta deklarasaun ne’e husu ba jornalista hodi kontinua kontribui no koopera ho órgaun soberanu, sosiedade sivíl no komunidade hodi haburas demokrasia no dezenvolvimentu rai ne’e.
Antes ne’e, iha loron 14 Marsu 2013 Tribunál liu husi Juis, António Hélder deside hodi absolve tiha kazu krime ba jornalista na’in rua. Maski nune’e, arguidu Oscar Salsina no Raimundo Oki, inklui Mateus Sufa tenke selu indeminizasaun.
Tribunál kondena de’it arguidu Mateus Sufa ho pena prizaun fulan tolu, maibé suspende ba tinan ida. arguidu la tama ba prizaun mais iha obrigasaun hodi aprezenta an ba órgaun judisiál kada fulan tolu no selu indeminizasaun.
Responde ba desizaun ne’e, Defensór husi arguidu Mateus Sufa, Laura Lay hateten, kondenasaun Tribunál ba Mateus Sufa hetan trés mezes iha prizaun, maibé suspende ba tinan ida katak, nia (red-Mateus Sufa) bele kumpre de’it iha li’ur. “husi parte defeza ha’u sei hato’o rekursu ba Tribunál Rekursu.” esklarese Laura hafoin de remata julgamentu.
Relacionado em Timor Lorosae Nação, opinião, em português:
Desporto: PORTUGAL MARCA PONTOS NO OUTRO LADO DO MUNDO

Posted: 22 Mar 2013 11:34 AM PDT

Remadores Fraga e Mendes na final da I Taça do Mundo, em Sydney
23 de Março de 2013, 01:04
Sydney, 22 mar (Lusa) — Os remadores olímpicos Pedro Fraga e Nuno Mendes apuraram-se hoje para a final da categoria de LM2x da primeira de três etapas da Taça do Mundo, que se disputa até domingo em Sydney.
Os quintos classificados em Londres2012 ficaram em segundo lugar na sua série, em 6.40,34 minutos, sendo batidos apenas pela China (6.36,05).
Sydney, Eton (Inglaterra) e Lucerna (Suíça) são as três etapas da Taça do Mundo, nas quais Fraga e Mendes, convidados pela organização, pretendem preparar os europeus de maio em Sevilha e os mundiais de agosto na Coreia do Sul.
RBA // NFO
Portugal entra a ganhar no torneio de Hong Kong de sevens
22 de Março de 2013, 19:08
Hong Kong, China, 22 mar (Lusa) – A seleção portuguesa de râguebi começou hoje a sua participação no torneio de Hong Kong, sexta etapa do circuito mundial de sevens, com uma vitória por 27-21 sobre a Escócia, no primeiro jogo do Grupo C.
A equipa portuguesa, orientada por Rodrigo Alves, entrou a ganhar na competição, que se prolonga até domingo e na qual quer amealhar pontos para se manter entre as 15 principais equipas do circuito mundial e evitar assim o torneio de qualificação.
Duarte Moreira foi a grande figura do encontro, ao conseguir quatro dos cinco ensaios de Portugal, o outro foi conseguido por Gonçalo Foro, enquanto Pedro Leal concretizou apenas uma das conversões.
O grupo de Portugal integra ainda as formações de Samoa e Inglaterra com quem os “lobos” jogam no sábado.
JCS // NFO
Assinados 21 protocolos de cooperação no primeiro dia do Fórum Ambiental de Macau

Posted: 22 Mar 2013 11:30 AM PDT

DM – HB – Lusa
Macau, China, 22 mar (Lusa) – O primeiro dia do Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau (MIECF, na sigla inglesa), que decorre até sábado, terminou com na assinatura de 21 protocolos de cooperação, revelou a organização.
No primeiro dia do certame, subordinado ao tema “Cidades Sustentáveis – Rumo a um Futuro Verde”, foram realizadas 341 sessões de bolsas de contacto, as quais resultaram nos 21 acordos focados na troca de informações ambientais, convenções e exposições, agenciamento e produção de produtos ambientais e ainda na conservação de energia.
As partes contratantes são provenientes de Macau, Hong Kong, Taiwan, interior da China (incluindo Pequim, municípios de Jiangmen, Zhuhai e Dongguan, das províncias de Guangdong, Shangdong e Xiamen), França e Estados Unidos, refere a organização num comunicado.
A sexta edição do MIECF conta com 430 expositores de 24 países e territórios, os quais trazem a Macau mais de 2.000 representantes.
TAILÂNDIA DISTRIBUI 1,7 MILHÕES DE “TABLETS” A ALUNOS E PROFESSORES

Posted: 22 Mar 2013 11:25 AM PDT

FPA – MLL – Lusa
Banguecoque, 21 mar (Lusa) – A Tailândia vai distribuir este ano cerca de 1,7 milhões de ‘tablets’ eletrónicos aos seus alunos e professores, naquela que é a maior operação do género em todo o mundo, informaram fontes oficiais.
O Governo deverá lançar em abril um concurso eletrónico para comprar os ‘tablets’, destinados aos alunos de seis anos e aos de 12/13 anos, assim como a 45 mil professores, disse à AFP Surapol Navamavadhana, conselheiro do ministério da Informação e das Tecnologias da Informação, a propósito do programa “Um ‘Tablet’ Por Criança”.
Trata-se do “maior número de ‘tablets’ no mundo oferecidos pelo Governo para a educação”, assegurou o responsável, afirmando que o objetivo é distribuir mais sete milhões no próximo ano.
“Esta é a era do toque. Façam o que fizerem, as crianças querem tocar nas coisas”, disse.
Com um preço individual estimado em cerca de 100 dólares (77 euros), os ‘tablets’ deverão custar mais de quatro mil milhões de bahts (105 milhões de euros), disse Navamavadhana.
Nove empresas de países como a China, a Índia, a Holanda e a Alemanha deverão participar no concurso público.
Já no ano passado, o Governo tinha distribuído 850.000 ‘tablets’ comprados a uma empresa chinesa por cerca de 2,2 milhões de bahts.
Este programa fez parte das promessas eleitorais de 2011 da campanha da primeira-ministra Yingluck Shinawatra, juntamente com outras medidas como o aumento do salário mínimo, já concretizado.
Na altura, o partido foi acusado pela oposição de populismo devido às suas promessas eleitorais.
Os ‘tablets’ serão propriedade das escolas, mas as crianças poderão levá-los para casa e tornar-se-ão proprietárias ao fim de três anos.
O Governo apelou, no entanto, aos professores e aos pais para que se assegurem que os alunos não ficam demasiado tempo a usar os equipamentos: “Os estudantes não devem utilizar os ‘tablets’ mais de duas horas por dia, senão deixam de distinguir os tablets dos livros escolares”, disse Soratda Phumwiphat, outra conselheira envolvida no programa.
Birmânia: Estado de emergência no centro do país após distúrbios que causaram 20 mortos

Posted: 22 Mar 2013 11:21 AM PDT

EJ – VM – Lusa
Banguecoque, 22 mar (Lusa) – O presidente da Birmânia, Thein Sein, declarou hoje o estado de emergência em algumas zonas da região central do país, na sequência da morte de pelo menos 20 pessoas devido à violência sectária.
De acordo com um breve comunicado divulgado pela televisão estatal e citado pela agência noticiosa espanhola EFE, as povoações afetadas são Meiktila, Wandwin, Mahling e Thazi.
Os distúrbios registaram-se na quarta-feira passada em Meiktila, depois de uma discusão entre os proprietários, muçulmanos, de uma loja de ouro e clientes, budistas, que resultou em confrontos entre as duas comunidades.
Até ao momento, foram incendiadas cinco mesquitas, uma madrassa, um gabinete governamental, vários estabelecimentos comerciais e veículos.
O Governo birmanês tentou controlar a situação com a imposição do recolher obrigatório, mas os confrontos prosseguiram na quinta-feira, levando pelo menos 1.200 famílias muçulmanas a deixar hoje Meiktila.
As autoridades disseram recear que os distúrbios se alarguem a outras regiões do país, depois de, no ano passado, terem morrido 163 pessoas e mais de 100.000 terem fugido para acampamentos de refugiados devido aos violentos confrontos entre muçulmanos e budistas no estado de Rakhine (leste).
A maioria das pessoas recebidas em campos de refugiados em Rakhine pertence à etnia rohingya, muçulmanos de origem bengali, que nem o Governo da Birmânia (Myanmar), nem o do Bangladesh consideram cidadãos dos respetivos países.
A situação em Rakhine ainda não voltou à normalidade.
Depois de quase meio século de ditadura militar, a Birmânia atravessa uma etapa de reformas, de contornos democráticos, ditadas pelo Governo civil, instalado no poder pela última junta militar.
A junta militar deixou o poder em 2011.
Atu Sai Jornalista, Jornalista laos hakerek ho Professional, opiniaun Jornalista laos Juiz

Posted: 22 Mar 2013 06:28 AM PDT

Radio Liberdade Dili – Friday, 22 March 2013 22:06 – Written by Amito Araujo
Radio, online – Opiniaun ne’e ninia kontiudu tomak responsavel husi hakerek nain. Redasaun fo pasu menu ne’e hodi ejerse ema no instituisoens nia hanoin no ideias konaba asuntu ruma ba prosesu dezenvolvimentu Timor Leste.
Iha moris loron-loron, ema ne’ebe hakilar maka Jornalista – Media. Nia maka fo hanoin ba Governu, ba deveres ne’ebe estabelese iha Governasaun nia laran. No ita presija ema ne’ebe maka sempre hakilar.

Infelismente Hakilar ba Jornalista – Media, tamba konsidera hanesan hahalok ida ne’ebe demais ona, maibe hakilar objetivu atu Dezenvolve. Mesmu iha limitasaun oi-oin ne’ebe iha, maibe ema seluk nafatin koko no tenta hodi destrui Jornalista – Media.

Kaju violensia, kaju assasinatu tantu akujasaun husi Ministerio Publiku ba Jornalista Raimundo Oki husi Jornal INDEPENDENTI no Oscar Salsinha husi Jornal Suara Timor Lorosa’e – STL ne’ebe hetan absolvesaun husi Tribunal Distrital Dili (Kinta-Feira, 14/03/2013) tamba publika informasaun ne’ebe Publika iha Media rua ne’e dehan lalos, maibe wainhira Jornalista sira halo analiza katak, Informasaun iha balansu“(red-hare’e iha Jornal INDEPENDENTI no STL)” Jornalista hetan presaun oi-oin ho realidade, Komunidade nia komprensaun ba Jornalista-Media sei minimu.

Iha parte seluk, maioria sei fihir “Jornalista-Media” ho Ókulu minus, tamba Jornalista-Media ne’ebe konsege hakilar iha prosesu Dezenvolvimentu la iha esforsu ba Pozisaun ida, ne’ebe ho Funsaun sai “Passajeirus” ba transporte ida.

Jornalista tenki hakilar wainhira Ema la haktuir ona prinsipiu Dezenvolvimentu Nasaun nian. Lia fuan ida ne’e hetan apoiu husi Eis Prezidenti Estados Unidos da America – EUA Thomas Jeferson. Ho Onestidade, katak Nia husu atu hili Estado sem Jornalista ka Media sem Estado, maka sei hili Jornalista ka Media. Maibe Jornalista ka Media ida ne’ebe ne’e ? Jornalista ka Media iha sorti wainhira bele hala’o funsaun hanesan “Hakilar” ne’ebe sai hanesan Advogadu ne’ebe diak no Defende iha parte destruisaun nian.

Ne’ebe ema konsidera O halo buat ida ne’ebe maka diak iha Sosiedade nia le’et, defende ema nia prekupasaun husi ema nia hahalok, no ikus liu ema sai kontente, ida ne’e maka hatudu katak Jornalista ka Media merese para atu hakilar.

Iha artigu ida, Hau konsidera Jornalista ida sai ona ema ne’ebe ho Professional – sai hanesan ema Edukativu ne’ebe hala’o profisaun Jornalismu iha situasaun ne’ebe diak, konvida ema ba dalan los ho sentiment ne’ebe diak.

Iha aktividades ida ne’ebe maka Jornalista hala’o ona, maka hanesan aktividade apostoladu, ne’ebe Matenek nain ida husi husi Indoneia, Prof.Dr Tgk Muslim Ibrahim katak, Jornalista hanesan sai transformador aktividades apostoladu nian, iha ne’ebe haktuir tuir prinsipiu hat Apostoladu nian, maka hanesan ; a) Siddiq (hateten no hakerek ho Los), b) Tabliq (hato’o saida deit), c) Amanah (Onestidade), no d) Fatanah (espiritualidade no hatene).

Wainhira Jornalista sira hala’o kna’ar tuir prinsipiu Apostoladu, maka Jornalista hala’o ona servisu Jornalismu nian. No prinspiu hirak ne’e maka implementa iha Mundu Jornalismu nian, maka prinsipiu hirak ne’e sai forsa ba Nasaun ida hanesan Timor Leste. Tuir matenek Media nian katak, Jornalista tenki hakerek buat ida ne’ebe maka presija hatene husi publiku ho fakta ne’ebe iha relevante ba onestidade ne’ebe iha.

Fakta ne’e maka hanesan saida deit. Enkuantu faktus hirak ne’e maka la hateten sai, tamba Jornalista hare’e ema nia sentimentu ba faktus ida, maibe importante maka Jornalisra lalika halo moras ema nia fuan ho informasaun ne’ebe maka fo sai iha Media.

Hato’o informasaun ba publiku hanesan fo ona motivasaun ida ba Ovintis, Telespetadores no le’e Nain sira nia esperansa ba oin nian. Jornalista ka media hanesan sasan ida ne’ebe maka bele atu hamaran, haklaken ema nia sentiment husi tristeja ne’ebe maka iha, hamoris ema seluk nia relasaun ne’ebe maka hakotu iha mumentu ida.

Iha motivasaun atu dudu publiku nia hanoin hodi hadia moris ne’ebe maka sei iha ligasaun ho tristeja ba moris ne’ebe ho felis nian. Ema Jornalista, nia numeru ki’ik liu iha nasaun ida, iha grupu ida ne’ebe maka moris iha sosiedade nia le’et, maibe konsege transforma ema husi kolonialismu to’o mai iha okupasaun ida nian ne’ebe maka ema barak sai vitima tamba deit hakarak moris ho Liberdade no lakoi atu hetan torturasaun husi ema ida nia politika.

Atu sai Jornalista ida ne’ebe ho professional, laos prosesu ida ne’ebe fasil, maibe tenki hakat liu terus ne’ebe maka iha, maski terus ne’e ema hotu lakoi atu hasoru iha vida social nian.

Jornalista hanesan liman no ain hodi kaer atu lao iha komunidade nia le’et, sai kakutak ba komunidade nia moris, buat hotu tenki lao iha mumentu ida deit, maibe iha ne’e mos presija Jornalista ida ne’ebe maka kreativu, la tauk maibe brani atu hasoru bareira susar ne’ebe iha, maka hanesan ema Jornalista ne’ebe hala’o kna’ar Jornalismu nian.

Atu sai Jornalista, tenki kontinua hatu’ur iha Mundu Jornalismu nian, tenki sai ema ne’ebe idealis, no tenki foti desijaun ida, wainhira iha prosesu informa no hakerek ba Publiku ho informasaun ne’ebe maka iha atu bele sai transformador iha sosiedade nia le’et. Atu sai Jornalista ida ne’ebe maka susesu iha Mundu Jornalismu, lalika hanoin sai ema materialism, ida ne’e sei la konsege atinji objetivu jornalismu nian to’o nia rohan, tamba Jornalista hanesan ema edukador ida ne’ebe maka ho edukativu atu sai edukador ba ema ida.

Jornalista hakerek atu eduka komunidade husi lahatene ba hatene, inklui Jornalista mos fo hanoin ba ema emprejariu no Governante sira nia servisu iha nasaun ida nian. Ho ida ne’e, Jornalista sai hanesan transformador no dedikador iha publiku nia le’et.

Hakerek hanesan hahan loron-loron ema Jornalista iha Media ida. Tantu husi Radio, Jornal, On-Line inklui mos Televizaun, hanesan iha Radio Timor Leste ne’ebe maka konsidera loron-loron hato’o informasaun ne’ebe maka estruturadu, atu nune’e informasaun ne’ebe hato’o bele komprende husi Ovintis sira.

Enkuantu, ho professionalismu Jornalista nian ne’ebe halo reportajen ida, ida ne’e ita konsidera iha ona kapasidade atu sai kerek nain ba Opiniaun ida iha Jornal ka Radio, ida ne’e la los.

Tuir Hau nia hanoin, Iha mundu Jornalismu, liu-liu iha Timor Leste, Jornalista barak maka iha ninia opiniaun ne’ebe diferente iha Publikasaun, satan iha opiniaun barak ne’ebe fo sai iha Media Nasional tantu Internasional ne’ebe iha diferensia bo’ot, maibe Jornalista mos sai hanesan observador iha publiku nia le’et.

Maioria Jornalista barak maka halo rejumu atu hakerek hodi halo reportajen ida iha Media. Realidade ne’ebe akontese iha terrenu, tantu hare’e ho matan ka iha entervista, hahu’u hakerek ona atu halo reportajen direitamente ba Radio, maibe ba Jornal presija iha oras hirak nia laran atu hanoin hafoin hakerek atu publika iha jornal.

Wainhira Jornalista ida hakerek informasaun ida, Nia rasik la senti dehan informasaun ne’e lalos, tamba format informasaun ne’ebe iha mai husi hanoin ida ne’ebe ho original.

Ema ne’ebe maka hala’o kna’ar Jornalismu nian, ne’ebe konsege transforma ema husi lahatene ba hatene, husi la diak ba diak, sai hanesan sasukat ida ba Publiku katak, Jornalista hanesan Juiz ida atu tesi ema nia lia, ne’e lalos tamba hare’e husi susesu ne’ebe iha, Jornalista laosJuis atu tesi lia, maibe Jornalista atu halo trasformasaun tuir prinsipiu ne’ebe iha.

Hare’e ba ida ne’e, Jornalista hanesan sasan ida ne’ebe presija tau atensaun, presija konsidera, no presija fo apoiu atu halo transformasaun iha publiku nia le’et atu sai transformador ida.

Jornalista hanesan figure ida ne’ebe maka a’as no iha relasaun ne’ebe luan ho ema ne’ebe deit, tamba Jornalista laos iha professionalism deit, maibe sai mos hanesan mediador ida ne’ebe maka ho Independenti, no imparsial iha Organizasaun ka Grupu nia le’et tantu ba nasaun ida nian. Tantu Jornalista mos sai hanesan ema ida ne’ebe maka Edukador maibe sai mos provokator ida, tantu sai mos hanesan ema Juis ida.

Ida ne;e maka moris ema Jornalista nian. Publiku sempre tauk atu hato’o informasaun ba Jornalista, tamba sira konsidera Jornalista hanesan Polisia ne’ebe halo Investigasaun, maibe hanesan mos defensor hodi defende ema, tantu sai Juiz hodi tesi problema ida ne’ebe maka akontese.

Maski professionalismu Jornalismu nian hotu hatudu, maibe Jornalista mos iha Ninia kode Etiku ne’ebe maka atu regula atu Jornalista sira bele hala’o kna’ar tuir kodiku ne’ebe maka iha, hodi transforma informasaun iha media, halo observasaun mais laos sai observador, defende ema laos sai defensor ba Publiku, sai mediador laos Jusi, maibe hanesan Jornalista atu informa, atu diverte, iha Publiku nia le’et tamba hanesan sidadaun ida ne’ebe maka diak iha nasaun ida nia laran. Viva Jornalista Timor Leste

Husi: Amito Araujo, jornalista RTTL.
Email ; [email protected]
HP +67077639282
Caicoli-Dili Timor Leste

Relacionado em Timor Lorosae Nação, opinião, em português:
Prezidenti PN seidauk Hela iha Rezidensia Farol, Fretilin Husu Governu Rezolve

Posted: 22 Mar 2013 06:17 AM PDT

Suara Timor Lorosae – Posting Husi: Josefa Parada – Kinta, 21 Marsu 2013
DILI – Deputadu husi Bankada Fretilin kestiona maka’as ho rezidenti Prezidenti Parlamentu Nasional (PN) iha Farol, Ne’ebe to’o agora Vise Primeiru Ministru La Sama hela ba, tanba tuir los rezidensia ne’e intrega ona ba Prezidenti PN.
“Kestaun ne’e hau mak foti tanba hanesan membru Parlamentu ida hare’e ba nia diresaun lideransa ne’e be to’o agora seidauk okupa ba fatin ne’ebe merese ba atu hela maibe to’o agora seidauk intrega ofisialmente fatin ne’ebe tuir los prezidenti PN mak ba hela hodi bele halo servisu no antendimentu maibe to’o agora parese seidauk intrega fatin ne’e ba nia,” Deputadu husi bankada Fretilin Eladio Fakulto ba STL iha uma Fukun PN Kinta (21/03).
Tanba ne’e fatin partimonio ba PN nia portantu ne’e ofisla i ne’e laos privadu nia, kuaze fulan 5 ona prosesu ne’e lao I prezidenti seidauk ba hela neduni nia hanoin persiza servisu didiak, nune’e liu husi koordenasaun ho governu bele intrega fatin ne’e ba iha Prezidenti PN.
Angela M. C. Andrade Sarmento deputadu husi bankada CNRT hatete, Vise Primeiru Ministru sei hela nafatin iha rezidensia Prezidenti PN, hodi hein fatin ne’ebe prepara ba nia, desizaun ne’e governu nian no governu nia kompeteinsia. Informasaun kompletu iha STL Jornal no STL web, edisaun Sesta (22/3). Natalia Moniz
Fretilin Husu, Ministeriu Hotu Atu tau Matan ba Povu no labele hare’e ba Familia i Partidu

Posted: 22 Mar 2013 06:09 AM PDT

Suara Timor Lorosae – Posting Husi: Josefa Parada – Sesta, 22 Marsu 2013
DILI – Bankada Fretilin iha uma Fukun Parlamentu Nasional (PN), husu ba ministru sira ne’ebe maka hetan fiar kaer ukun iha governu, atu tau matan ba preokuapsaun povu nian, no lalika hare’e ba familia no partidu.
Kestaun ne’e hato’o husi deputada Ilda Maria da Conceição, ba STL Sesta (22/3) iha uma fukun PN katak, fo hanoin ba ministeriu ida-idak atu ukun ho lolos, labele ukun fali partidu ka ukun deit familia.
“Hau husu ba ministeriu sira ida-idak katak, ukun ne’e tenki ukun povu tomak labele ukun fali partidu ka ukun deit ema ida ka familia,”deputada Maria Ilda da Concensao hatete lia hirak ne’e ba STL iha uma fukun PN Xesta (22/03).
Deputada husi bankada Fretilin ne’e mos husu ba Ministeriu hotu atu bainhira ukun tenki ukun ba povu hotu, laos ukun deit ba partidu no ukun mos ba familia deit, tanba povu mak fo sira nia votus iha tenpu eleisaun. Informasaun kompletu iha STL Jornal no STL Web, edisaun Sabado (23/3). Natalia Moniz
PR KONVIDA PAPA FOUN VIZITA TL

Posted: 22 Mar 2013 06:04 AM PDT

Suara Timor Lorosae – Posting Husi: Josefa Parada – Sesta, 22 Marsu 2013
DILI – Prezidente Republika (PR) Taur Matan Ruak, Representa Nasaun Timor Leste, partisipa serimonia misa solene nomos tomada de posse ba Papa Foun Francisco Primeiru Vaticano. Iha oportunidade ne’e, xefi estadu mos komprimenta no konvida Amu Bapa atu vizita Timor Leste.
Xefi Estadu nebe Reprezenta Nasaun no povu TL ba seremonia tomada de posse ba Papa foun, komprimenta no konvida Amu Bapa atu mai halao visita iha Timor Leste.
“Nune mos konvida Amo Bapa, atu vizita ita nia rain, maibee Amu Bapa deseizan reza ba Timor para Timor oan bele badinas, matenek no servisu makas ba moris diak, Amu Bapa la responde, tamba nasaun hotu-hotu halo pedidu, espera katak nia kuandu mai ASEAN, bele konta ho ninia prezensia iha TL,” hateten PR Taur, liu husi konfrensia imprensia iha Aero Portu prezidfdenti Nicolao Lobato, Comoro, Dili, Sesta (22/3).
PR Taur hateten maske amo Papa seidauk fo rezultadu tamba tempu nebe limitadu, maibe Amu Bapa sei reza nafatin ba povu iha mundu, hodi konsentra ba paz, tau matan ba ema kiak sira. Informasaun kompletu iha STL Jornal no STL web, edisaun Sabado (23/3). Joao Anibal
Quatro ministros australianos demitiram-se depois de voto de confiança a Gillard

Posted: 22 Mar 2013 05:57 AM PDT

PNE – PNE – Lusa
Sydney, 22 mar (Lusa) — Os ministros da Educação Terciária e Pequenas Empresas, dos Recursos, Energia e Turismo e dos Serviços Humanos australianos demitiram-se hoje, à semelhança do ministro das Artes, depois do voto de confiança a Julia Gillard pelos trabalhistas.
As demissões de Chris Bowen, titular da pasta da Educação Terciária e Pequenas Empresas, de Martin Ferguson, ministro dos Recursos, Energia e Turismo, e Kim Carr, com a pasta dos Serviços Humanos, surgem depois da saída do Governo de Simon Crean, que era ministro das Artes.
Todos eram simpatizantes do antecessor de Gillard, Kevin Rudd, e Crean chegou mesmo a pedir publicamente ao ex-primeiro-ministro para se candidatar à liderança do Partido Trabalhista, o que levou Gillard a convocar eleições internas do partido na quinta-feira.
Rudd anunciou dez minutos antes da votação que não seria candidato e Gillard manteve-se na liderança da formação política.
Rudd divulgou hoje um comunicado em que descarta definitivamente qualquer ambição de se tornar líder dos trabalhistas.
Às demissões dos quatro ministros juntaram-se as dos deputados Joel Fitzgibbon, Richard Marles, Ed Husic e Janelle Saffin, que renunciaram aos seus cargos no Parlamento australiano.
Gillard deverá anunciar em breve a nova composição do seu Governo.
“Ainda há pessoas que estão a reconsiderar as suas posições e eu também estou a considerar mudanças nos ministérios a realizar nos próximos dias”, afirmou hoje a primeira-ministra australiana.
O líder da oposição, Tony Abbott, anunciou entretanto que procurará que uma moção de censura ao Governo de Gillard seja aprovada quando o parlamento retomar as sessões a 14 de maio, segundo a ABC.
A Austrália terá eleições gerais a 14 de setembro e, segundo as sondagens, os trabalhistas contam com 48% das intenções de voto face a 52% da coligação conservadora.
POLÍCIA AUSTRALIANA DESMANTELA REDE DE TRÁFICO DE DROGA ASIÁTICA

Posted: 22 Mar 2013 05:53 AM PDT

DM – VM – Lusa
Sidney, Austrália, 22 mar (Lusa) – As autoridades da Austrália anunciaram hoje ter desmantelado uma rede de crime organizado que operava na Ásia, numa ação que resultou em 27 detenções e na apreensão de droga e de bens avaliados em milhões de dólares.
A polícia australiana indicou que a rede – que operava na China, incluindo em Macau e Hong Kong, na Tailândia, Malásia, Vietname e Birmânia – tinha alegadamente o país como alvo para o seu comércio de heroína e metanfetamina.
“Sabemos que a oferta de ice [metanfetamina] tem vindo a aumentar nas nossas ruas”, afirmou o comissário assistente da polícia do Estado de Victoria, Stephen Fontana, em declarações citadas pela AFP.
A polícia federal da Austrália informou ter apreendido cerca de 42 quilogramas de droga, bem como quatro milhões de dólares australianos em dinheiro (3,2 milhões de euros), na sequência da operação lançada em abril do ano passado com o objetivo de investigar a alegada rede.
A lista de bens e ativos é extensa, incluindo propriedades residenciais avaliadas em cinco milhões de dólares australianos (quatro milhões de euros), 600 mil dólares australianos (485 mil euros) em fichas de jogo, joias estimadas em dez mil dólares (oito mil euros), 99 malas e carteiras, bem como um carro de luxo.
A operação “Volante”, explicou a polícia, teve como alvo um gangue de longa data acusado de importar e traficar quantidades significativas de heroína e metanfetamina para o interior e em redor da Austrália.
As autoridades alegam que os membros do grupo viviam na Austrália da riqueza que obtinham com as atividades criminosas.
O ministro da Justiça australiano, Jason Clare, afirmou que a rede era administrada a partir de Sydney e Melbourne, mas tinha ligações a cinco outros países ou territórios asiáticos.
“O dinheiro gera poder no submundo do crime. A maior parte dos membros de grupos criminosos tem mais medo de perder o seu dinheiro do que de ir para a prisão. É por isso que apreensões como estas são tão importantes”, acrescentou.
No Estado de Victoria foram emitidos mandados de busca para 37 locais em Melbourne esta semana, incluindo residências, armazéns, ‘stands’ de automóveis ou escritórios de contabilidade, tendo detido cinco homens e uma mulher.
Outras 21 pessoas detidas durante o curso da investigação já foram presentes a tribunal em Nova Gales do Sul e em Victoria.
As autoridades frisaram, no entanto, que a investigação em causa não terminou, prosseguindo na Austrália e noutros países, pelo que se preveem mais detenções.
FRETILIN PREOCUPADA COM A RESIDÊNCIA DO PRESIDENTE DO PARLAMENTO NACIONAL

Posted: 22 Mar 2013 05:47 AM PDT

22 de Março de 2013, 11:53
O deputado da bancada Fretilin Eladio Faculto questionou ontem no Parlamento Nacional acerca da residência do presidente do parlamento nacional que até a data ainda está ocupada pelo ex-presidente do PN Fernando La Sama de Araújo.

“Esta questão foi colocada por Eládio Faculto, por ser membro da PN e verificar que até à data o presidente do Parlamento ainda não ocupou o lugar que era suposto.

Angêla Sarmento, deputado da bancada CNRT disse que o vice-primeiro ministro continua viver na residência do presidente do Parlamento Nacional porque está à espera da decisão do Estado visto que a decisão é do Governo e só ele tem competência para isso.

SAPO TL ho Suara Timor Lorosa’e

You are subscribed to email updates from TIMOR LOROSAE NAÇÃO
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610

prémio lusófono

in diálogos lusófonos

Prêmio OFF FLIP abre inscrições para escritores de países lusófonos

 

Estão abertas até 2 de maio de 2013 as inscrições para a oitava edição do Prêmio OFF FLIP de Literatura. Podem participar poetas e contistas de qualquer nacionalidade residentes no Brasil, bem como brasileiros que residem no exterior e autores de países lusófonos (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste).

Criado em 2006 como parte da programação literária da OFF FLIP, o Prêmio oferecerá aos vencedores R$ 16 mil no total, além de estadia em Paraty, ingressos para mesas de debate da FLIP, passeio de escuna pela baía de Paraty e cota de livros do Selo Off Flip e da editora Escrita Fina.

Os contos e poemas serão avaliados por escritores de expressão no cenário literário brasileiro e os 30 finalistas serão publicados em coletânea pelo Selo Off Flip. O sarau de premiação acontecerá no Centro Cultural SESC Paraty durante a OFF FLIP, entre 3 e 7 de julho, paralelamente à Festa Literária Internacional de Paraty.

O regulamento com todas as informações pode ser lido no site do Prêmio [www.premio-offflip.net] e eventuais dúvidas devem ser encaminhadas para o e-mail indicado no próprio site.

 

loff vasconcellos cabo verde

Luís Loff de Vasconcelos: O homem da imprensa morreu há 90 anos

20 de Março de 2013, 12:13

 

“ … as riquezas do mundo não me seduzem, nem me preocupam; mas se nada ou muito pouco desejo para mim, ambiciono muito para a minha pátria”. Defensor dos interesses e progressos de Cabo Verde, Luis Loff de Vasconcelos destacou-se como escritor e jornalista. Faleceu há precisamente 90 anos e eixou um legado materializado em mais de 11 livros e uma marca indelével no jornalismo cabo-verdiano enquanto um dos seus maiores impulsionadores.

Filho de um português e de uma cabo-verdiana, Loff de Vasconcelos nasceu a 5 de Janeiro de 1861 na ilha do Maio. Filho único do casal, saltitou durante a sua vida entre as ilhas do arquipélago. Grande parte da sua adolescência foi passada em Santiago, onde o pai foi presidente da câmara da Praia, escolheu a ilha Brava como “pátria adoptiva” mas foi em São Vicente, ilha onde viria a falecer, que publicou grande parte dos seus escritos e se singrou.

“Ecos d’aldeia”, publicado em 1897 em São Vicente, representou a estreia de Loff de Vasconcelos na escrita. Estreia que veio a repercutir-se numa presença assídua no mundo da literatura até um pouco antes da sua morte. De entre os livros publicados estão: “ O extermínio de Cabo Verde.Pavorosas Revelações”; “Como nós colonizamos”; “O advogado de um comerciante”; “Questões sociais – autoridade na família”; “Perdição da Pátria”, entre muitos outros.Para além do jornalismo e da escrita, áreas em que ficou consagrado, Luis Loff de Vasconcelos dedicou-se ainda ao Direito, à meteorologia, ao comércio, ensino (foi professor de Francês e de contabilidade comercial) e a questões sociais.

A certidão de óbito aponta como causa da morte, aos 63 anos, uma tuberculose pulmonar. Luís de Vasconcelos trabalhava na altura como secretário da CMM.

Por amor à pátria

Nativista ferrenho, Loff Vasconcelos defendeu, com sentido de justiça, a independência e a identidade de Cabo Verde. Juntamente com outros nomes como Eugénio Tavares e Pedro Cardoso, constituiu a “Elite cultural Nativista” e se debateu em prol de Cabo Verde contra o “abandono das ilhas” pela metrópole e a miséria da altura.

A Imprensa e o seu Poder

“Todas as revoluções modernas devem ao jornalista a sua glória”. Falar de Luís Loff de Vasconcelos é falar de um novo impulsionar do jornalismo nacional. É falar da “Revista de Cabo Verde” que funda e dirige em 1899 sob a máxima da liberdade de pensamento.

“A falta de um jornal redigido com desassombro, independência e critério, fazia-se, de há muito, sentir entre nós; e o aparecimento da Revista de Cabo Verde deve ser saudado como um desapontar d’aurora”, escrevia o poeta Eugénio Tavares no número de estreia.

Loff de Vasconcelos foi igualmente dirigente dos jornais “A Opinião” (1902) e “O Independente” (1812).

Com um estilo desassombrado, independente e irreverente, é apontado por muitos como tendo sido o responsável pela definição de uma nova forma de fazer jornalismo em Cabo Verde.

Edição especial do Artiletra

O Jornal – Revista Artiletra dedica a edição do trimestre Janeiro/Março aos 90 anos da morte de Luís Loff de Vasconcelos.

A apresentação deste número especial, que já se encontra à venda, contou com a presença do neto do escritor, Augusto Lopes de Vasconcelos que mostrou-se surpreso. “É uma satisfação enorme e um orgulho saber que Cabo Verde teve um homem que amou tanto esta terra e que foi ousado, valente no seu tempo, tempo em que o país sofreu”, conta emocionado o neto que enalteceu a iniciativa do jornal.

Larissa Rodrigues, directora do Artiletra, explicou que foram precisos cerca de 4 anos de preparação e recolha de toda a informação para a publicação deste número. “Recorremos à biblioteca nacional, à biblioteca da Marinha em Portugal, trabalhamos também com a Guiné e a França, entre outros recursos. Uma das coisas que continuamos a querer descobrir é o diploma dele; dizia-se que era um excelente aluno”, explica.

A pesquisa, segundo Larissa Rodrigues, está longe de estar concluída e espera que no futuro se possa reunir a vasta obra de Loff Vasconcelos para consulta de todos e quem sabe uso nas escolas.

Nesta edição do Artiletra poder-se-á ler-se excertos de livros do autor, conhecer os seus poetas preferidos, algumas frases marcantes e um pouco mais da história deste cabo-verdiano.

@Cláudia Marques / SAPO

 

A PÁTRIA AÇOREANA

Um livro do jornalista e escritor terceirense, Gervásio Lima, a reler nesta época de incertezas, de saque e expropriação dos nossos Direitos Históricos e Políticos.

Ryc

Publicado por Gervásio Lima em 1928 numa altura em que se vivia no arquipélago o ambiente de exaltação do ideal regionalista ao nível cultural, na busca incessante da definição das características "originais" do povo açoriano e consequentemente da afirmação da sua identidade. Nesta altura estava definida a alma açoriana, "admirável de beleza e notável de originalidade."
Publicado por Gervásio Lima em 1928 numa altura em que se vivia no arquipélago o ambiente de exaltação do ideal regionalista ao nível cultural, na busca incessante da definição das características “originais” do povo açoriano e consequentemente da afirmação da sua identidade. Nesta altura estava definida a alma açoriana, “admirável de beleza e notável de originalidade.”

AÇORES EM RIO GRANDE DO SUL

Os Açores em destaque no Rio Grande do Sul
Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, é, no decorrer do mês de Março, palco privilegiado da açorianidade. Nesta cidade, fundada há 260 anos por famílias açorianas para aqui deslocadas a mando do reino para povoar o sul do Brasil, está a decorrer uma importante iniciativa, denominada “Legado Açoriano”, fruto da organização conjunta do Instituto Cultural Português de Porto Alegre, Centro Cultural Érico Veríssimo, Galeria Fonseca e Macedo e Noratur desta cidade. Integrado nos programas da celebração dos 260 anos de povoamento açoriano e de Portugal no Brasil, Legado Açoriano visa dar a conhecer o potencial dos Açores da contemporaneidade e aproximar os luso-açorianos radicados no Brasil das ilhas de origem. Para além de um conjunto vasto de atividades culturais, nas áreas da música, dança, gastronomia, etc., destacamos a exposição de um vasto tapete elaborado com papel pela artista açoriana Catarina Branco, a exposição de fotografia dos Açores de Rodrigo Shneider e a entrega do Troféu Fernando Pessoa a Graça Castanho, atribuído pelo Centro Cultural Português de Porto Alegre em reconhecimento pelo trabalho realizado como Diretora Regional das Comunidades e pelo papel preponderante que desempenhou na concretização desta iniciativa.
Photo
Like ·  · Share · 6 minutes ago ·