Chefe do Estado-Maior do Exército demite-se, confirma Presidência – Atualidade – SAPO 24

O Presidente da República recebeu hoje por carta o pedido de demissão do general Rovisco Duarte a pedir a resignação do cargo de chefe do Estado-Maior do Exército, que o transmitiu ao Governo, a quem compete propor a exoneração das chefias militares.

Source: Chefe do Estado-Maior do Exército demite-se, confirma Presidência – Atualidade – SAPO 24

O LÓBI DA EDP

Tiago Silva

Sobre a nomeação de João Galamba como Secretário de Estado da Energia

Como todos sabem, a pasta da Energia é de crucial importância para o interesse público dados os lobbies fortíssimos existentes neste sector.
Nunca, até Seguro Sanches (Secretário de Estado da Energia agora “demitido”), tinha havido um qualquer governante capaz de fazer frente aos interesses instalados que tão nocivamente lesaram o contribuinte português (basta lembrar o que sucedeu ao Secretário de Estado do Governo anterior, Henrique Gomes).
Vejamos então em que se fundamenta aquele meu juízo apreciativo em relação ao trabalho Secretário de Estado agora substituído:

1. O ex Secretário de Estado da Energia obrigou a EDP a devolver 285 Milhões Euros por sobrecompensação no cálculo da disponibilidade das centrais que operavam em regime CMEC.

2. Cortou o que a EDP tinha a receber no futuro de CMEC em mais de 100 Milhões Euros.

3. Aplicou cortes nos juros da dívida tarifária que se pagava à EDP.

4. Em resultado das suas decisões, conseguiu que no ano passado, pela primeira vez, baixasse o preço da electricidade (em 0,2%), aliviando a factura correspondente a famílias e empresas.

5. Obrigou a EDP e Endesa a devolverem 89,7M aos consumidores por estas terem passado para os mesmos os custos com a tarifa social e CESE (contribuição extraordinária sobre energia)

6. Fez aprovar há um mês uma Portaria que travou a produção adicional às eólicas a preço garantido. Eram mais de 300M no futuro que estavam em risco de recair sobre os contribuintes.

7. Mudou o paradigma das renováveis, passando Portugal a liderar os projectos de energia solar sem subsídios pagos pelos consumidores.

Perante todo este cardápio servido por Seguro Sanches, não foi, pois, de admirar que a EDP tivesse revelado no último sábado, através de Eduardo Catroga, a indignação dos seus Accionistas perante a atitude hostil do Governo.
Coincidência, certamente, ontem cai o Secretário de Estado e em sua substituição é nomeado João Galamba, do qual, não obstante os conhecimentos que terá e tem de Economia, não lhe é conhecida uma ideia ou valência sobre a área da energia.
A este respeito, e em defesa do mesmo, veio ontem o deputado e camarada Ascenso Simões propalar que João Galamba não precisa de saber de electricidade, bastando saber de política, o que, no entender daquele deputado, ele sabe e muito.
Pois, talvez este juízo do camarada Ascenso Simões permita explicar como chegamos até aqui.
Já eu preferia que Seguro Sanches continuasse a exercer o seu mandato.
É que, para além da prática comprovada, ele também sabe um pouquinho de energia.
Parece que não mas também dá jeito.
Termino, pois, dizendo que é em socialistas como o Seguro Sanches que me revejo e nos quais tenho orgulho.
Mesmo que saiba menos de politiquices do que outros.

Costa mexe no Governo: Saúde, Cultura e Economia acompanham Defesa

Gomes Cravinho substitui Azeredo Lopes, Marta Temido vai para a Saúde, Graça Fonseca sobe à Cultura e Siza Vieira assume também a Economia. Governo passa a ter cinco ministras

Source: Costa mexe no Governo: Saúde, Cultura e Economia acompanham Defesa

parece que cai e caiu

no tiro ao boneco lá caiu mais um. é preciso acertar no próximo. a idiotia política no seu melhor.

OBSERVADOR.PT
O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, demitiu-se do Governo na sequência da polémica de Tancos. A carta de demissão foi entregue esta sexta-feira pa…

eua O RIDÍCULO DE MISTURAR IGREJA E POLÍTICA

Perhaps you will agree that no comment here is necessary. It is sad, however, that perhaps millions of people will applaud this Ignoramius.

Comments

novo líder PSD Açores

Ler, tomar notas, fazer contas e refletir.

Paulo Moniz to Açores Global

Em relação à vitória de Alexandre Gaudêncio nas eleições internas do PSD-Açores, um ligeiro apontamento para perspectivar as coisas em termos de números.

1. dos cerca de 11 000 militantes (tanto quanto o partido saiba), votaram 2 820 – três em cada quatro não votou;

2. nas últimas eleições internas tinham sido 1 513, daí o aumento anunciado de 53,8% de votantes;

3. A. Gaudêncio ganha com 1 716 votos – 16% de representatividade do partido; P. N. Cabral perde com 1058 votos. A abstenção rondou os 75%.

Se três em cada quatro não votou (seja a causa qual for), que representatividade, confiança e revalidação têm os militantes do partido no projecto e na pessoa vencedora? Isso, pensando no projecto seguinte que é a luta contra o PS-Açores na eleição do próximo Governo Regional.

Há aqui muito trabalho para convencer 228 160 eleitores açorianos a votar em Gaudêncio; ou estarão as próximas eleições regionais repletas de votos de protesto em Cordeiro?

Seria também interessante, já que foi anunciado pelo agora vencedor o objectivo de dinamizar o órgão do partido “Mulheres Social Democratas”, saber quantos desses votos são de mulheres.

Que representatividade e responsabilidade têm as mulheres no partido, e na vida política regional, que não apenas um simples cumprir da lei da paridade?

PSD DIVIDIDO TOMÁS QUENTAL

A grande questão do PSD-Açores

Alexandre Gaudêncio é o novo líder do PSD-Açores, eleito hoje em sufrágio directo pelos militantes.
Numa Região Autónoma em que há 22 anos o PS domina politicamente, ele assume uma enorme responsabilidade. Fica agora com duas funções: a de presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande e a de presidente do PSD-Açores.
Ele ofereceu-se para a missão, os militantes confiaram nele e agora tem que se “desenrascar”. Realce-se que ele assume também uma evidente responsabilidade perante todos os açorianos em geral, como líder do principal partido da oposição no arquipélago.
O candidato derrotado, Pedro Nascimento Cabral, tinha à partida a eleição mais dificultada, porque não estava dentro ou não pertencia ao “sistema” do PSD-Açores, embora sendo um militante prestigiado, tal como Gaudêncio, mas este tinha a “máquina” partidária ao seu lado e mesmo sob seu “controlo”, porque já era vice-presidente da direção cessante.
Penso, no entanto, que o PSD-Açores vai continuar em dificuldades políticas, desde logo porque está dividido, enfraquecido e desmoralizado.
De facto, mesmo com erros que se lhe possam apontar, sem ignorar as suas reconhecidas qualidades políticas, Mota Amaral só houve um como líder do PSD-Açores: ele e mais nenhum. Depois dele tem sido sempre uma desgraça eleitoral. Quem consegue dar a “volta” a esta situação? Eis a grande questão que permanece e permanecerá no PSD-Açores.

NA REFORMA FINAL RESSABIADO, VINGATIVO, un vero fascio

el gran demócrata…

SICNOTICIAS.SAPO.PT
O ex-Presidente da República Cavaco Silva marcou este sábado presença na cerimónia de inauguração do campus de Carcavelos da Universidade Nova de Lisboa, mas deixou o local antes do discurso do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa.

demitam a ministra que manda no mar dos Açores

ANÍBAL PIRES: AFINAL O QUE É QUE MUDA – 105 FM

A substituição de alguns diretores regionais e de administradores de organismos públicos, que o Governo de Vasco Cordeiro, de forma abusiva, designou de renovação da equipa. Abusiva, desde logo, porque, quer os diretores regionais, quer as administrações das diferentes empresas públicas não se constituem como equipas e, nalguns casos nem sequer interagem entre si. Eu […]

Source: AFINAL O QUE É QUE MUDA – 105 FM

propaganda barata em vez de governar Tomás Quental

Da Cultura à Saúde, a mesma propaganda barata!

Pedro Santana Lopes, como primeiro-ministro, anunciou a deslocalização da Secretaria de Estado da Cultura, de Lisboa para Santarém, com o argumento de que era necessário descentralizar os organismos do Estado. E iam logo começar pela selecta Secretaria de Estado da Cultura, tão bem instalada numa ala do rico e belo Palácio da Ajuda! Logo se percebeu que era propaganda barata para incautos. Parece que ainda mandaram para Santarém uma secretária, que devia passar os dias nas boas pastelarias da cidade ou nas melhores lojas de vestuário…
Há um ano, o actual Governo, chefiado por António Costa, repetiu a cena, mas com o INFARMED, que seria também deslocalizado, neste caso de Lisboa para o Porto, igualmente com o argumento de que seria necessário descentralizar os organismos do Estado. Alguns contestaram, mas muitos nem se deram a esse trabalho, porque logo perceberam que também se tratava de propaganda barata para incautos. Agora, com a maior serenidade, deram o dito por não dito. E ainda bem, porque a deslocalização do INFARMED para o Porto custaria milhões, causaria muitos transtornos aos funcionários e não traria benefícios de monta à cidade nortenha.
Portanto, da Cultura à Saúde, com um Governo de direita e um Governo de esquerda, o processo foi semelhante, só para “fazer de conta”. Mas essa gente, em vez de governar como deve ser, para que é que “inventa”?

governar para as capas dos jornais dá nisto

INFARMED para o Porto: já era…

Isto parece tudo uma “brincadeira”! O ministro da Saúde anunciou hoje que a – polémica, sem dúvida – deslocalização do Infarmed-Instituto da Farmácia e do Medicamento, de Lisboa para o Porto, dependerá da comissão da Assembleia da República que vai acompanhar os processos de descentralização dos serviços públicos. Importa-se de (não) repetir?!
O Governo, para tentar agradar ao Porto e aos habitantes do norte do país, anunciou como grande medida a deslocalização do INFARMED para a capital nortenha, mas, atafulhado em complicações na área da Saúde, já se “desviou” do assunto, passando a “bola” para o Parlamento, ou seja, para “quando Deus quiser”…
Portanto, os portuenses, em particular, e os nortenhos, de forma mais geral, não fiquem à espera do INFARMED, nem o INFARMED lhes traria qualquer vantagem.
O que está mal nisto é anunciar medidas com grande pompa e circunstância, deixar esquecê-las mais ou menos e depois dizer que, sim senhor, encarregámos outros de tratar do assunto…
É assim que se descredibiliza a política e as instituições, porque nunca se sabe quando é que é para levar a sério. Todos os Governos, infelizmente, têm atitudes do género, cujo resultado fica bem expresso nas elevadas taxas de abstenção em actos eleitorais.

Parlamento Açoriano despede-se de Zuraida Soares de pé e com aplausos | Açores 24Horas – Jornal Diário

Hoje, o debate parlamentar açoriano ficou mais pobre. Zuraida Soares, deputada do Bloco de Esquerda cumpriu o seu último plenário, após 10 anos na defesa de causas e de lutas, a que muitas vezes foi a única a dar voz. Desde cedo marcou o debate parlamentar pelo modo apaixonado como defendia as suas convicções, não…

Source: Parlamento Açoriano despede-se de Zuraida Soares de pé e com aplausos | Açores 24Horas – Jornal Diário