Ligar todos os países de língua portuguesa em torno de repositórios científicos digitais

Fonte: Ligar todos os países de língua portuguesa em torno de repositórios científicos digitais

Situação do ensino do Português na Gz artigo no CIG-informa

CIG-informa publica texto sobre a situação do ensino de português na Galiza relativamente à ESO e ao bacharelato. Situação que se revela, apesar da Lei para o aproveitamento da língua portuguesa e vínculos com a lusofonia, muito pobre, nomeadamente em contraste com as políticas do governo da Estremadura. No Comunicado dão-se razões para uma aposta […]

Fonte: Situação do ensino do Português na Gz artigo no CIG-informa

Português a dobrar em Macau

Cursos gratuitos no IPOR para 200 estudantes e uma viagem a Portugal para os melhores 56. Este é o plano do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior, que dobrou o número de vagas disponibilizadas no cu…

Fonte: Português a dobrar

Macau Interesse pelo português em crescendo no Continente chinês

A oferta de cursos de língua portuguesa em instituições de ensino superior na República Popular da China continua a aumentar face à crescente procura do mercado, tendo sobretudo em conta o crescime…

Fonte: Interesse pelo português em crescendo no Continente

Académico defende criação de um campus de língua portuguesa

Chan Cheong Kin, vice-presidente da Rede de Convergência da Sabedoria de Macau afirmou durante um fórum realizado para abordar o desenvolvimento de quadros qualificados que, no que respeita à forma…

Fonte: Académico defende criação de um campus de língua portuguesa

Língua – Português pode desaparecer? Pai do acordo ortográfico acha a questão “incompreensível”

Augusto Santos Silva antecipou desafios e dificuldades ao português. Pai do acordo ortográfico diz que nunca esteve tão forte

Fonte: Língua – Português pode desaparecer? Pai do acordo ortográfico acha a questão “incompreensível”

O português que nos une, o preconceito que nos separa

A língua que é falada por 244 milhões tem um novo Atlas que acentua a sua importância no mundo, e o desperdício que é o desprezo a que a votamos. Todos temos inveja daqueles turistas ingleses que chegam a Lisboa e levam como bónus, além do sol, da simpatia e dos pastéis de nata, conversas […]

Fonte: O português que nos une, o preconceito que nos separa

A LÍNGUA PORTUGUESA ENFRENTA PROBLEMAS | RÁDIO REGIONAL

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, avisou hoje que o português, apesar de ser uma língua global e uma das mais faladas no mundo, enfrenta “problemas sérios”, como a incompreensão entre falantes de variantes diferentes. Vê mais aqui. Partilha com os teus amigos !

Fonte: A LÍNGUA PORTUGUESA ENFRENTA PROBLEMAS | RÁDIO REGIONAL

Em 2100, a maioria dos falantes de português será africana – PÚBLICO

O Novo Atlas da Língua Portuguesa, lançado esta terça-feira pelo ISCTE em edição bilingue, quer ser “um cartão-de-visita” da língua e da comunidade dos países lusófonos.

Fonte: Em 2100, a maioria dos falantes de português será africana – PÚBLICO

comentário de Vítor de Sousa
18 mins ·
Lusofonia. O quê?!
Em 2100, a maioria dos falantes de português será africana. O que não deixa de ter um lado preocupante: a explosão demográfica é diretamente proporcional ao subdesenvolvimento. Sim, falarão todos em português, mas será que isso tem que ver com lusofonia?
A julgar pela peça do jornal “Público” de hoje – a propósito do lançamento de um livro sobre língua portuguesa, que destacamos abaixo -, não me parece… Nem uma vez a palavra ‘lusofonia’ é referida. Pelos vistos no Instituto Camões a ideia de lusofonia também não é bem vista. Pelo menos a palavra, que faz adivinhar o resto… E, sim. A palavra é importante! Fala-se tanto em língua portuguesa e tem-se medo de utilizar o léxico!!!
Tudo, a propósito, do lançamento, hoje, em Lisboa, do ‘Novo Atlas da Língua Portuguesa’ (ISCTE e Instituto Camões), que ser o portal da línguia portuguesa:
‘Publicado em edição bilingue português-inglês, o livro pretende funcionar como um cartão-de-visita do português e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) à atenção de um mundo onde o português está a expandir-se, sendo já hoje a quarta língua mais falada (atrás do mandarim, do espanhol e do inglês), e a quinta mais utilizada na Internet, depois do inglês, do chinês, do espanhol e do árabe’. Este livro sucede a um outro, com a mesma proveniência, que sublinhava o valor económico da língua portuguesa… Sublinho: económico. E não cultural… O que diz bem do que está em jogo…
Nota: Em 1996, quando foi criada a CPLP, nem uma vez foi referida a palavra ‘lusofonia’ no seu ‘contrato’ de constituição. Talvez se perceba, agora, toda a lógica referida anteriormente.
Como reza a canção, “Enquanto houver estrada para andar…”

Educação – Há 44 mil alunos a aprender português no Senegal

É a primeira língua de dezenas de milhões de alunos mas só 11 países a têm nos currículos oficiais como segunda ou terceira, abrangendo 80 mil estudantes

Fonte: Educação – Há 44 mil alunos a aprender português no Senegal