A GUERRA eua china

Aljazeera and John Pilger: The Coming War on China: Journalist John Pilger on how the world’s greatest military power, the US, may well be on the road to war with China. Anyone interested in Timor-Leste’s future should watch this program; we and other nations are caught up in these empire games going in around us, whether we like it or not. What are we going to do as a nation state?

ALJAZEERA.COM
Journalist John Pilger on how the world’s greatest military power, the US, may well be on the road to war with China.

NOM – NOVA ORDEM MUNDIAL

Joana Zilhão shared a photo.

4 hrs

“Grandes grupos financeiros dominam o mundo. Corrupção, intrigas políticas, conflitos, revoluções e guerras, crises econômicas, todos artificialmente criados. Muita gente já ouviu falar do Grupo Bilderberg, da Comissão Tri-Lateral, o Comitê dos 300, e talvez o mais famoso termo pelo qual essa corja é conhecida, os Illuminatis. Não importa a nomenclatura, mas sim como eles agem, e como suas ações determinam a nossa realidade, em todos os graus e âmbitos. Estes grupos controlam diversos governos, a ONU, o FMI e quase todos os bancos centrais do mundo, com exceção do BC da Síria, da Coréia do Norte e do Irã.”

Image may contain: text
ANTI – NWO (Nova Ordem Mundial)

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER! ENTENDA A NOVA ORDEM MUNDIAL!

Não se trata apenas de ser paranoico, ou de se crer naquilo que é taxado normalmente como “teoria da conspiração”. Não é necessário muito esforço pra perceber que a forma que vivemos e como interagimos uns com os outros, e o sistema conosco, é altamente injusta, segregadora, excludente.

Não é necessário acreditar em Illuminatis, em shift shapers, em alienígenas no governo, em intraterrenos e Terra Oca, nas bases Dulce e 51, etc. Basta que se tenha em mente que se o mundo é assim, é porque um minúsculo número de pessoas determinou que assim o fosse. Não vou entrar no mérito do que podem “ser” estas pessoas, vou me ater ao que elas fazem e como o fazem.

AS FAMÍLIAS QUE GOVERNAM O MUNDO.

Vamos apenas dizer que, sim, um grupo pequeno de “famílias” controla as 100 maiores empresas do mundo, e todas elas interagem entre si para garantir a perpetuação do poder financeiro nas mãos deste mesmo grupo. Antes de qualquer coisa, que famílias são essas? Então, já começamos com um problema, pois não existe uma lista única; existem diversas listas, com algumas variantes. Alguns nomes, sim, constam em todas estas listas. Com base nesta controvérsia, daremos os nomes mais citados, que constavam na maioria das listas:

Familia Rothschild: Os Rothchilds fizeram grande parte de sua fortuna no fim das guerras napoleônicas, quando tiveram conhecimento da vitória da Inglaterra e lançaram um rumor no mercado que Napoleão havia ganho a guerra. Com isto a bolsa caiu quase a zero, e os Rothchild praticamente compraram a economia inteira da Inglaterra. Quando a verdadeira notícia de que a Inglaterra havia ganho, os Rothschild emergiram como a família mais rica da Europa. É a segunda família mais importante do planeta, só perdendo para os Windsor- a família real britânica.

Familia Rockefeller: Fundadores da primeira companhia petrolífera norte americana, possuem negócios de petróleo, imobiliárias, bancos, instituições internacionais americana no setor industrial e bancário. A família também é conhecida pela sua longa associação com interesse financeiro no Chase Manhattan Bank, hoje JP Morgan Chase e pela Rockfeller Military controlada atualmente por Andre Rockfeller Pisycraft na qual tem a Lockheed Martin como subsidiária. Eles “meteram as mãos” e manobraram a política dos Estados Unidos ao longo do século XX. As decisões que esse país tomou e as direções que seguiu são o resultado de inúmeras ordens que os Rockefeller deram aos seus sócios. Para se ter uma ideia do poder deles: controlam 90% das refinarias de petróleo dos Estados Unidos. Sem dúvida alguma é a família mais importante dos Estados Unidos.

Família DuPont: Franco americana ligada aos Roosevelt e aos Vanderbilt. Uma das famílias americanas mais influentes e de uma das corporações mais ricas do mundo. Estão encobertos de segredo, que até mesmo se suspeitava que essa família não existia dentro do grupo das grandes. Os DuPont, como todas as famílias dirigentes illuminatis, regulamentaram os matrimônios de seus filhos e muitos dos primeiros matrimônios se realizaram entre primos.

Família Kennedy: Uma proeminente família cujos membros atingiram importantes cargos na política e no governo dos Estados Unidos da América, e que descendem do casamento de Joseph P. Kennedy e Rose Elizabeth Fitzgerald Kennedy. A família, predominantemente apoiante ou filiada no Partido Democrata, é conhecida pelo seu liberalismo político e pela quantidade de membros que morreram em circunstâncias violentas ou acidentais. O Kennedy mais conhecido foi Presidente dos Estados Unidos da América: John F. Kennedy. Atualmente a família Kennedy apresenta muitos matrimônios com nomes tais como: Freeman, Reagan, Russell, Smith, Collins, Rockefeller e Fitzpatrick.

Família Russel: A família Russell atualmente detêm os títulos de Conde e Duque de Bedford. John Russell, um conselheiro próximo de Henrique VIII e de Eduardo VI, foi titulado Conde de Bedford em 1551, e seu descendente, William (o 5.º Conde), foi titulado Duque logo após a Revolução Gloriosa. A família Russell não só desempenhou um papel importante no tráfico de ópio nos primeiros anos do século XIX e do mormonismo precoce, mas também é responsável pela criação da Ordem da Skull & Bones (Caveira e Ossos), e da Watchtower Bible & Tract Society (a famosa “Sociedade da Bíblia e Tratados da Atalaia, das Testemunhas de Jeová) Charles Taze Russell nasceu a 16 de fevereiro de 1852 perto de Pittsburgh, na Pensilvânia e fundou a organização das Testemunhas de Jeová.

Família Astor: Proeminente família de descendência alemã, situada nos estados Unidos, com titulo de nobreza da realeza britânica e com grande influência na política e economia global. Fundador: John Jacob Astor. Sem dúvida, uma das famílias com maior grau de encobrimento. Pouco se consegue saber a seu respeito. Depois de horas de pesquisa, o que eu consegui descobrir é que teoricamente estavam envolvidos no negócio do ópio na China, e que estavam por trás dos acordos que permitiram que Hitler tomasse o poder na Alemanha.

Família Onassis: Em 1928, os illuminatis que controlavam as maiores companhias petrolíferas reuniram-se no castelo de Achnacarry e subscreveram formalmente o Acordo de Achnacarry mediante o qual dividiram o mundo em um cartel internacional. Entre os amigos íntimos de Onassis contavam-se, entre outros, os Perón, que haviam estabelecido uma ditadura na Argentina com a ajuda dos illuminatis. O mais conhecido foi Aristóteles Onassis, o lendário armador grego e um dos maiores magnatas da sociedade patriarca de uma das famílias gregas mais ricas da história. Athina Hélene Onassis Roussel de Miranda, mais conhecida como Athina Onassis, é a única descendente viva.

Família Bundy: Surgiu no século 19 e tornou-se uma das famílias mais ricas do mundo exportando máquinas globalmente. A família Bundy é uma antiga família norte-americana que fez parte do establishment, todavia salvo poucas exceções, como a do congressista Salomon Bundy, dos inícios do século XIX, a família não chegou ao conhecimento público senão até o século XX.

Família Van Duyn: Condes da Holanda, e família importante no mercado de diamantes. São donos de grandes empresas, incluindo a Force One Foods, LLC, Van Duyn Properties, e outras gigantes do marketing e mídia mundial. Ao longo de sua carreira de quase 50 anos, Martin van Duyn tem estado na vanguarda no desenvolvimento e aplicação de engenharia avançadas, ferramentas de software de computador para aumentar o desempenho e confiabilidade de máquinas rotativas.

Família Collins: Grandes industrias nos EUA, os Collins são uma antiga família da Nova Inglaterra e uma das famílias mais poderosas do mundo. O nome Collins originou-se nas Ilhas Britânicas. Na Irlanda começou como O’ Collins e na Escócia como Kollyns. Mantiveram-se longe da evidência, mas têm tanto poder como os Rothschild e os Rockefeller.

Família Li: Representando o Oriente, temos esta misteriosa família chinesa, que tem uma longa história. Atualmente está claro que a China comunista está cooperando com a Nova Ordem Mundial e é parte dela. Os bancos dos illuminatis financiaram Mao Zedong durante a revolução comunista. Alguns dos seus principais representantes são o bilionário e governante de Hong Kong Li Ka-shing; Li Keng, governante da China Vermelha; Lee Kuan Yew, presidente e ditador de Cingapura.

A partir deste ponto, tudo fica meio confuso, pois as referências se misturam, se cruzam, e fica complicado de finalizar com precisão a lista. Outros nomes que surgem: Warburg, Windsor, Reynolds, Disney, Freeman, MacDonalds, até mesmo a “Dinastia Meronvígia” entra na lista, que na verdade pode alcançar o número de 300 famílias! O fato é que estas são as famílias mais ricas e influentes, política e economicamente, do mundo nos últimos séculos. Mas o que eles criaram, como se relacionam, o que podem pretender?

INDÚSTRIAS, SEUS PROPRIETÁRIOS E SUAS LIGAÇÕES. AS INTER-RELAÇÕES ECONÔMICAS E POLÍTICAS. A ECONOMIA ESCRAVA DE UMA MINORIA.

Grandes grupos financeiros dominam o mundo. Corrupção, intrigas políticas, conflitos, revoluções e guerras, crises econômicas, todos artificialmente criados. Muita gente já ouviu falar do Grupo Bilderberg, da Comissão Tri-Lateral, o Comitê dos 300, e talvez o mais famoso termo pelo qual essa corja é conhecida, os Illuminatis. Não importa a nomenclatura, mas sim como eles agem, e como suas ações determinam a nossa realidade, em todos os graus e âmbitos. Estes grupos controlam diversos governos, a ONU, o FMI e quase todos os bancos centrais do mundo, com exceção do BC da Síria, da Coréia do Norte e do Irã.

Você acha que a Coca-Cola, o MacDonalds, a Apple ou o Google são as maiores empresas em capital do mundo? Isso é o que o sistema quer que todos nós pensemos. Pois bem, as maiores “empresas” do mundo na verdade são as seguintes:

Bank of America, JP Morgan, Citigroup, Wells Fargo, Goldman Sachs e Morgan Stanley.

Vejamos quem são os acionistas destas empresas:
*Bank of America: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, FMR (Fidelity), Paulson, JP Morgan, T. Rowe, Capital World Investors, AXA, Bank of NY, Mellon.

*JP Morgan: State Street Corporation, Vanguard Group, FMR, BlackRock, T. Rowe, AXA, Capital Investor Mundo, Capital Global Research Investidores, Northern Trust Corp e Bank of Mellon.

*Citigroup: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, Paulson, FMR, Capital Investor mundo, JP Morgan, Northern Trust Corporation, Fairhome Mgmt Capital e Bank of NY Mellon.

*Wells Fargo: Berkshire Hathaway, FMR, State Street, Vanguard Group, Capital World Investors, a BlackRock, Wellington Mgmt, AXA, T. Rowe e Davis Selected Advisers.

*Goldman Sachs: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock e FMR (Fidelity), Wellington, Capital Mundial Investors, AXA, Massachusetts Financial Service e T. Rowe.

*Morgan Stanley: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock e FMR (Fidelity , Mitsubishi UFJ, Franklin Resources, AXA, T. Rowe, Bank of NY Mellon e Jennison Associates. Rowe, Bank of NY Mellon e Jennison Associates.

Nós podemos ver o núcleo presente em todos os bancos: State Street State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock e FMR (Fidelity). São conhecidos como “Big Four”.

E podíamos continuar por horas sobre os paraísos fiscais nas Ilhas Cayman, Mônaco ou as empresas Shell com domicílio legal em Liechtenstein. Redes onde as empresas são sempre as mesmas, mas os nome das famílias não aparecem em qualquer lugar.

Em suma: as oito maiores empresas financeiras dos Estados Unidos (JP Morgan, Wells Fargo, Bank of America, Citigroup, Goldman Sachs, EUA Bancorp, Bank of New York Mellon e Morgan Stanley) são 100% controladas por dez acionistas e temos quatro empresas que participam da rede em todas as decisões: BlackRock, State Street, Vanguard e Fidelity.

Além disso, a Reserva Federal é composta por 12 bancos, representados pelo Conselho de sete pessoas, que inclui representantes das “quatro grandes”, que estão presentes em outras entidades.

A Reserva Federal é controlada por quatro grandes empresas privadas: BlackRock, State Street, Vanguard e Fidelity. Estas empresas controlam a política monetária dos EUA (e do mundo), sem qualquer controle ou eleições “democráticas”.

Finalmente, há uma lista de algumas das empresas controladas pelas “Big Four”:
Alcoa Inc.
Altria Group Inc.
American International Group Inc.
AT & T Inc..
Boeing Co.
Caterpillar Inc.
Coca-Cola Co.
DuPont & Co..
Exxon Mobil Corp
General Electric Co.
General Motors Corporation
A Hewlett-Packard Co.
Home Depot Inc.
Honeywell International Inc.
Intel Corp
International Business Machines Corp
Johnson & Johnson
JP Morgan Chase & Co.
McDonalds
Merck & Co. Inc..
Microsoft Corp
3M Co.
Pfizer Inc.
Procter & Gamble Co.
United Technologies Corp
Verizon Communications Inc..
Wal-Mart Stores Inc.
Time Warner
Walt Disney
Viacom
News Corporation de Rupert Murdoch.,
CBS Corporação
NBC Universal

As mesmas “quatro grandes” controlam a grande maioria das empresas europeias na bolsa de valores.

Além disso, todas essas pessoas responsáveis pelas principais instituições financeiras, como o FMI, o Banco Central Europeu ou o Banco Mundial, foram “doutrinados” a permanecer “funcionários” das “Big Four”, que os criou. Os nomes das famílias que controlam as “quatro grandes”, nunca aparecem.

Mas é impressionante como as diferentes categorias se inter-relacionam, criando uma rede que abrange o mundo todo! E aqui foi apresentado apenas o núcleo, e a segunda camada. A partir destas empresas, existem ramificações quase exponenciais, que atingem até micros e pequenas empresas. Neste nível, o sistema se vale do método de compartimentalização, onde cada um faz a sua parte, sem necessariamente saber o porque, e o que outros fazem. Em pequenas partes, formam um todo atuante e homogêneo, capaz de manter o sistema oculto e funcional.

DINHEIRO SEM LASTRO. CAPITAL CRIADO A PARTIR DE DÍVIDA.
O APROVEITAMENTO DA USURA. O SISTEMA “MANDRAKE”.

Nos quase 200 anos que se passaram entre a independência americana e a criação do Federal Reserve Bank (Banco Central dos Estados Unidos), popularmente conhecido como “Fed”, várias vezes a família Rothschild tentou controlar a emissão de moeda nos EUA. Em cada tentativa, eles procuraram estabelecer um banco central privado, operando apenas com a finalidade de lucro e não para administrar ou proteger a economia americana. Cada uma dessas tentativas até 1913 enfrentou dura oposição por parte de políticos decentes e honestos, a maioria dos quais acabou assassinada por encomenda dos moneychangers.

O Fed começou a operar com cerca de 300 pessoas e outros bancos que adquiriram quotas de US$ 100.00 (a empresa é fechada, não negocia ações em bolsa) e se tornaram proprietários do Federal Reserve System. Criaram uma mastodôntica estrutura financeira internacional com ativos incalculáveis, na casa dos trilhões de dólares. O sistema FED arrecada bilhões de dólares em juros anualmente e distribui os lucros aos seus acionistas. Some-se a isso o fato de que o congresso americano concedeu ao FED o direito de emitir moeda através do Tesouro Americano (Dept. of the Treasury) sem cobrança de juros. O FED imprime dinheiro sem lastro, sem qualquer cobertura, e empresta-o a todas as pessoas através da rede de bancos afiliados, cobrando juros por isso. A instituição também compra dívidas governamentais com dinheiro impresso sem lastro e cobra juros ao governo americano que acabam incidindo sobre as contas do cidadão comum pagador de impostos.

Como criar dinheiro a partir do nada? O primeiro fato que precisa ser considerado é que nosso dinheiro hoje não possui lastro algum em ouro ou prata. A fração não é 54%, nem 15%. É 0%! Nosso dinheiro já percorreu o caminho de todas as moedas fracionárias anteriormente na história e já se degenerou em dinheiro totalmente fiduciário. O fato de que a maior parte dele esteja em forma de crédito digital, em vez de em notas de papel, é apenas uma tecnicidade. E o fato de os banqueiros falarem sobre “coeficientes de reserva” é para esconder a situação. As assim chamadas reservas são na verdade títulos e outros certificados de dívida do Tesouro.

O que, então, torna confiáveis estes instrumentos – cartões de crédito, cheques, notas e moedas – aceitáveis em valor de face no pagamento de todas as dívidas e outros usos monetários? Principalmente, é a confiança que as pessoas têm que poderão trocar esse dinheiro por outros ativos financeiros, ou por bens e produtos reais sempre que quiserem. Isto parcialmente é uma questão de lei: a moeda foi designada “meio legal de pagamento” pelo governo e em face disso, ela precisa ser aceita!

É difícil para as pessoas compreenderem o fato de que toda a base monetária ( a quantidade de dinheiro no país, tanto na forma de notas, moedas e depósitos em contas bancárias ), está lastreada por nada, exceto em dívidas, e causa ainda mais perplexidade visualizar que , se todos pagassem tudo o que tomaram emprestado , o dinheiro deixaria de existir! É verdade, não existiria um único centavo em circulação, pois todas as notas e moedas seriam devolvidas aos cofres dos bancos! E não haveria uma única moedinha em nenhuma conta corrente de nenhuma conta bancária de ninguém, e assim, o dinheiro deixaria de existir.

Na realidade, os bancos nada têm a emprestar! Até mesmo o dinheiro que os depositantes com saldo positivo colocaram em suas contas foi originalmente criado a partir do nada em resposta ao empréstimo tomado por outra pessoa! Portanto, o que dá aos bancos o direito de cobrar juros sobre nada? É irrelevante que as pessoas em todo o mundo sejam forçadas pela lei a aceitar estes certificados de “nada” para poderem obter bens, serviços e produtos reais! Falamos aqui não sobre o que é legal, mas sobre o que é moral, justo e ético!

A MANUTENÇÃO DO PODER DA ELITE, A COMPARTIMENTALIZAÇÃO.

Mas o que vem realmente ao caso aqui, é a forma com que eles mantém esse poder, essa riqueza e a sua capacidade de liderar todos os governos do mundo, indicando os rumos da nossa “evolução” como espécie neste planeta. Um dos elementos cruciais na rede global da elite é a técnica da “compartimentalização”. Essa técnica é muito enfatizada por David Icke em seus livros. A estrutura da elite é a de pirâmides subordinadas a pirâmides maiores, que por sua vez estão subordinadas a pirâmides maiores ainda, até que se chega a uma pirâmide que comanda todas as outras. É parecido com bonecas russas, uma dentro da outra.

Tome como exemplo as estruturas hierárquicas atuais dos bancos, empresas, universidades, governos, etc, e você verá que elas têm a forma de pirâmides compartimentalizadas. O caixa do banco não tem a mínima ideia do que o gerente está planejando, e este por sua vez também não sabe o que se passa a nível regional; quem cuida do nível regional também não sabe quais são os planos para o nível nacional, e por aí vai.

Só quem conhece os verdadeiros planos e intenções desse banco são as pessoas que ocupam os cargos no topo da pirâmide, e elas são as poucas que têm noção de como todas as contribuições individuais e inocentes dos níveis inferiores se encaixam. A maioria arrasadora dos funcionários de organizações desse tipo, incluindo aí agências como a CIA, o FBI, NSA, não sabem qual é o rumo real que suas ações irão tomar em conjunto, porque eles estão muito compartimentalizados em seus próprios níveis, que dirá então em níveis mais altos!?

Do ponto de vista de um indivíduo na parte de baixo da pirâmide, o que à primeira vista parece apenas um ato inocente, pode vir a se tornar muito ameaçador quando em conjunto com as contribuições dos outros.

A pirâmide bancária, por exemplo, é formada por pirâmides cada vez maiores, até que se chega a uma que controla todo o sistema bancário global. No topo dessa pirâmide, encontramos algumas poucas famílias muito bem relacionadas entre si, que podem ser identificadas em posições de poder desde o mundo antigo, e que comandam e manipulam o sistema financeiro internacional de acordo com os seus próprios interesses.

A mesmíssima coisa acontece nos governos, nas multinacionais, nos impérios de mídia, na rede de sociedades secretas, nas agencias de “inteligência” como a CIA, e por aí vai. Cada uma tem os seus compartimentos ignorantes do plano integral, e dependentes dos compartimentos à cima, aprisionados por pirâmides maiores. Nos níveis superiores, instituições como bancos, governos e empresas, aparentemente independentes, são todas A MESMA organização, controladas PELAS MESMAS pessoas.

As principais instituições e grupos que afetam as nossas vidas diárias se ligam à elite global. São eles que decidem quais serão as políticas coordenadas a serem implementadas em todas as organizações sob o seu comando. As pessoas nos compartimentos inferiores não têm a menor ideia do quê fazem parte. Por exemplo, a CIA (que é uma mera ferramenta, e freqüentemente serve de bode expiatório para proteger outras agências superiores) financiou e deu suporte aos rebeldes e terroristas Afegãos, que mais tarde se tornariam o Taleban, durante a invasão soviética. Mas o dinheiro e o apoio não vinham direto dos EUA, passavam primeiro pelo Paquistão e por outros países. Enquanto alguns afegãos sabiam que era da CIA, a grande maioria ignorava o fato de que estavam sendo usados como peões nesse jogo global.

Os membros da elite não controlam todos nessas organizações, eles controlam apenas as pessoas que tomam as decisões. Através desses poucos cargos poderosos, todos os outros indivíduos na pirâmide são comandados. Não é necessário muita gente para controlar a política e as ações de uma organização qualquer se você tem o controle de posições chave.

Em um ataque terrorista, o sequestrador de um avião ou um homem bomba pode ter sido programado mentalmente, através de diversas ferramentas (lavagem cerebral, MK Ultra, chantagem, ameaças), para fazer isso, ou pode genuinamente acreditar que está servindo à sua religião ou a sua causa. Provavelmente uma combinação dos dois. Isso não importa para a elite, o que lhes interessa é o resultado dessa ação. Os superiores diretos dos sequestradores ou dos homens-bomba não precisam ser necessariamente os organizadores do atentado. São meras marionetes. Quem realmente controla uma organização terrorista? Com certeza não são os homens-bomba!

Os donos do poder não representam um país, uma ideologia, uma religião ou uma facção. Eles CRIAM as facções, e as usam para manipular o jogo. Dividir para conquistar. Enquanto isso, centralizam o poder nas próprias mãos ainda mais. Como a pirâmide maior engloba as menores, chega-se a um ponto na estrutura onde a mesma força manipula e organiza ao mesmo tempo os horrores de um atentado terrorista e a RESPOSTA a esse atentado, através de marionetes como Bush, Collin Powell e Tony Blair anteriormente, e mais recentemente como Barack Obama, Hillary Clinton, Vladmir Putin, etc…

E é assim que eles põem pra funcionar o seu esquema de um problema seguido de uma reação popular, acompanhado de uma “solução” (problema-reação-solução). Uma das suas pirâmides cria o problema do terrorismo, outra pirâmide (a mídia) diz às pessoas apenas a versão permitida pela elite desse mesmo problema (98% dos jornalistas não sabem desse esquema), e por último uma outra pirâmide oferece a “solução” que acaba por avançar a agenda global da elite, algo que eles queriam desde o começo. No caso do terrorismo, a solução apresentada gerou uma grande diminuição das liberdades individuais e uma desculpa para entrar em guerras.

O mesmo acaba se dando com as “crises econômicas”, criadas artificialmente para que alguém perca, e a elite ganhe. Dizer que a economia “reage” ao mercado, é um disparate! A economia não é um ser vivo, que se ressente quando atingida por uma “alta nas ações da BV”, fazendo com que ela se defenda aumentando as taxas de juros! Isso tudo é criado artificialmente, visando aumentar a lucratividade do sistema bancário, o maior mantenedor das diferenças sociais e da pobreza no mundo! Toda e qualquer crise “econômica” tem a mesma origem: a muito funcional fórmula “PROBLEMA-REAÇÃO-SOLUÇÃO”.

Pesquise por si mesmo. Não acredite na página, mas tampouco acredite no que a mídia main stream te conta. Busque outras fontes, compare dados, colete informações. Questione, indague, vasculhe. Se você encontrar cada vez mais perguntas para as suas respostas, é porque tá no caminho certo.

Comments

Turkey’s Erdogan warns of “coming war between the cross and the crescent”

Turkey’s President Erdogan has warned of a coming war between the cross and the crescent, hitting back at the Austrian Chancellor’s recent efforts to tackle Islamic extremism.Chancellor Sebastian Kurtz recently announced plans to shut down seven mosques and expel 60 Imams accu

Source: Turkey’s Erdogan warns of “coming war between the cross and the crescent”

A Weapon Far More Important Than The AR-15 | Sheep Media

Technology continues to advance at an unprecedented rate, and the technology of weaponry is no different. The science fiction of ten or twenty years ago is now becoming a reality. Killer robots are on the rise. And no, I’m not joking (as you will see below). There has been a loud debate in recent months over citizens’

Source: A Weapon Far More Important Than The AR-15 | Sheep Media

war and terror

A Sheep No More


SHOCKING: Taxpayer Cash Laundered Through Somali Daycares to Fund Terrorism

Posted: 15 May 2018 09:56 PM PDT

Suitcases stuffed with millions in taxpayer cash sent to Middle East

Millions of Minnesota taxpayer dollars have been funneled overseas to a Somali terror group through a network of daycare centers, according to reports based on public records and government documents.

Daycare centers, mostly owned by Somalis, received millions in government subsidies meant to assist low-income families with childcare expenses, but the money was instead shipped in suitcases to the Middle East, including regions of Somalia controlled by Islamic terrorist group Al-Shabaab.

“I have never seen anything like this level or scope in my 27-year career as an investigator,” government whistleblower Scott Stillman told Fox 9.

The fraud was so widespread and alarming that he wrote several emails to Department of Homeland Security.

“We are working on and overwhelmed by a significant amount of fraud cases involving organized crime, defrauding hundreds of millions of dollars annually in taxpayer monies,” he wrote.

Ten daycares are currently under investigation and dozens more are considered “suspicious.”

“Some government insiders believe this scam is costing the state at least a $100 million a year, half of all childcare subsidies,” Fox9 reported.

According to government records and public documents, most of the daycares suspected of fraud are owned by Somalis.

“We believe there’s a scope of fraud out there, we need to really get our arms around it and ensure that those dollars are going to the kids that really need them,” said Chuck Johnson, acting commissioner of the Minnesota Department of Human Services.

“There’s a common pattern about how these are carried out, but beyond that, not something I’d directly categorize as organized crime,” Johnson added.

But former FBI Joint Terrorism Task Force officer Glen Kern said he was confident Minnesota taxpayer money was being used to fund terrorism.

“I’d say absolutely. Absolutely. Our sources are telling us that. Good sources from the community. Leaders,” he said.

“My personal feeling is we need a nationwide task force to clamp down on this kind of fraud.”

Interestingly, Deputy Chair of the Democratic National Committee Keith Ellison (D-Minn.) denounced the report, saying remittances help fight against terrorist groups.

“Financial stability for the Somali people, both here and in Somalia, is one of our strongest protections against the terroristic threat posed by Al-Shabaab.”

“We should be making it easier for our constituents to support their families — not impugning the community for it. Fox 9 should issue a thorough correction and apology for its irresponsible reporting.”


source: infowars.com

If Any Other Country Was Shooting Civilians Like Israel, The US Would’ve Invaded By Now

Posted: 15 May 2018 09:32 PM PDT

The death toll in Gaza increased dramatically on Monday as Israeli Defense Forces opened fire on thousands of Palestinian civilians, killing 41 and injuring at least 1,700, and the United States’ response served as a reminder that if the governments in Iran, Syria, North Korea or Russia had done the same thing, the U.S. would be calling for a full-scale invasion right now.

It is hypocrisy at its finest, especially considering the fact that the U.S. has a history of cheering on and aiding protests against foreign governments. In fact, when the mainstream media began sharing reports of protests in Iran in December 2017, President Trump took to Twitter to cheer on the dissidents.

“The people are finally getting wise as to how their money and wealth is being stolen and squandered on terrorism,” Trump wrote, claiming that the United States was watching very closely for human rights violations!

Does that same logic not apply when thousands of Palestinians are standing up for their rights on the Gaza Strip, and the Israeli government is committing human rights violations? Trump’s silence is deafening, and it also serves as a reminder he has fallen into line with the same U.S. foreign policy standards that have been adopted and expressed by his predecessors.

When the U.S. launched its campaign to overthrow President Bashar al-Assad in Syria, it went beyond just cheering on protesters, and it began launching multi-million-dollar programs to arm and train the protesters, even with the knowledge that many of them were extremists who would go on to strengthen radical groups such as the Islamic State of Iraq and Syria.

The U.S. has also looked the other way in Saudi Arabia where the government is accused of a host human rights violations—including fueling genocide in the poorest country in the Middle East—and it regularly executes civilians who have been accused of protesting, after denying them a fair trial.

The United States only seems to care about oppressive governments who commit human rights violations when those governments are not considered “close allies.” The double-standard is painfully evident in Gaza as the bloodiest day in months comes to a close.

Reports from the Health Ministry in Gaza claimed that several of the 41 Palestinians killed on Monday were teenagers, and as many as 1,700 civilians are now left suffering from injuries after Israeli Defense Forces opened fire on protests near Israel’s border fence.

This comes in addition to the dozens of Palestinians who have been killed and the thousands who have been wounded by Israeli sniper fire in recent weeks. While Israel has falsely claimed that every man or teenage boy who participated in the protests was a “militant” for Hamas, and deserved to die, there was one civilian death that was particularly notable.

Yaser Murtaja, a Palestinian photojournalist, was wearing a jacket that clearly said “PRESS” when he was shot in the chest and killed by an Israeli sniper on Friday. As The Intercept noted, “Either the Israeli sniper could not clearly see who was in the rifle scope—in which case the claim that the use of live fire is precise is shown to be untrue—or the soldier intentionally fired at a journalist, which is a war crime.”

While Israel has justified the killings by claiming that their soldiers opened fire because the suspects “attempted to infiltrate” the Israel-Gaza border, a disturbing video was leaked last month that showed multiple Israeli men celebrating after a sniper targeted and shot a non-threatening man who was standing in a field on the other side of their border fence.

A man is seen standing motionless on the other side of the barrier as another man and a small child walk past him. Another man remarked, “I can’t see because of the wire” and then said, “there’s a little boy there,” noting the presence of the child.

The sniper then pulled the trigger and fired one shot, striking the Palestinian man who was standing still and was making no attempt to do anything that could have threatened the soldiers who had been observing him from a distance.

Cheers erupted from the Israelis after the Palestinian man was shot and then collapsed on the ground. The man filming the shooting can be heard saying, “Wow, what a video! Yes! Son of a bitch. What a video, here, run and get him out of there. Of course, I filmed it.”

About the author: Rachel Blevins is an independent journalist from Texas, who aspires to break the false left/right paradigm in media and politics by pursuing truth and questioning existing narratives. Follow Rachel on Facebook, Twitter, YouTube, Steemit and Patreon.

Source: The Free Thought Project

HOPE PORN!!!

Posted: 15 May 2018 08:17 PM PDT

The steady din of disinformation in the post-9/11 era has seen the wholesale replacement of reality with untruth, causing decoherence and cynicism. It’s a vulnerability being exploited by trolls of every stripe, from Flat Earthers to QAnon. An implacable human drive to believe, to make believe and to make others believe gives us Fake News, Internet hoaxes and fact-checking websites that promote state-sponsored propaganda.

Recently, we’ve been hearing of QAnon, the “Sealed Indictments” of over 18,500+ government criminals and the US base at Guantánamo being outfitted to receive this throng of elite gangsters for processing in military tribunals. Catherine Austin Fitts calls such themes “Hope Porn”. The thinking is that these claims are propagated to pacify the Alternative Media community, i.e., the people most disgruntled by the impunity of the war profiteers and the banksters.

I have no idea what to make of these claims. Let me be clear that I’m not asking you to believe the information in this video. We’re so hard-wired to believe things or to reject them because they don’t match our beliefs. I’m asking you to resist believing anything for a moment and to make peace with your unknowingness. I’m asking you to suspend both your disbelief AND your belief.

You may think of Protocols of the Illuminated Suns of the Golden Dawn (all puns intended) authored by C Change as a thought experiment and you may ask yourself, what if the insane Trump foto novela that we are witnessing daily is a stunt to lure members of the coup d’état into their jail cells?

C Change would call this Protocol 1: Gaslighting the Media: The MSM is being allowed to spin their delusional narrative about Russian Collusion for as long as possible, in order to gradually awaken the masses as to the disparity between this official narrative versus the real reality, while lulling the coup planners into a sense of comfort.

“Deep State agents will leak information with such brazen abandon that it will lull the Deep State into false security, while perpetuating the false image of a chaotic, disorganized, inefficient, and deeply undermined White House…The world will be united by the New World Order Globalists – but not in the way the Globalists had hoped! The nations of Earth will be united through our shared disgust and unanimous rejection of the Globalist’s pedocracy.”

C Change paints a sort of wild dream come true for readers of Alternative Media, in which the “pedocracy” is stripped of its power, the central banks are abolished, followed by a debt jubilee and an epic stock market crash, the biggest event in mass consciousness since 9/11. This will trigger the martial law takedown of the corrupt elites. There will be peace in the Middle East and in the Koreas, the Iran deal will be renegotiated favorably and honorably for all concerned and advanced energy technologies will finally be declassified. The National Security threat once posed to the petrodollar by alternative energies has been defused by the lowered costs of existing green technologies and by the inexorable rise of the petroyuan. The release of these suppressed technologies will entail UFO disclosure.

It goes on. There are elements of hoary New Age themes, reminiscent of NESARA and the Photon Belt. There are disturbing statements extolling mass brainwave entrainment à la Project Bluebeam/Firesign.

The author makes comments about organized religion and the legalization of drugs which some will find objectionable but overall, it’s a very interesting thought experiment that challenges you to see things differently and it’s an inspiring bit of hope porn.

Source: forbiddenknowledgetv.com

WORLD DANGER Megachurch Pastor Says Trump Has God’s Approval to Start Nuclear War

By Matt Stebbins for TruthCommand Not everyone is particularly worried about nuclear war. In fact, after one of President Donald Trump’s more recent outbursts about North Korea and “fire and fury,” at least one evangelical responded with open glee.   For Robert Jeffress—the pastor of 13,000 member megachurch First Baptist Church in Dallas, Texas, the […]

Source: Megachurch Pastor Says Trump Has God’s Approval to Start Nuclear War