Presidente do Governo dos Açores renova equipa de diretores regionais – Açoriano Oriental

O Presidente do Governo dos Açores decidiu proceder a uma renovação na equipa de diretores regionais e de organismos públicos, que inclui alterações ao nível dos seus titulares nas áreas da Solidariedade Social, da Educação, da Cultura, da Saúde, do Turismo e do Desenvolvimento Rural.

Source: Presidente do Governo dos Açores renova equipa de diretores regionais – Açoriano Oriental

Expresso | Base das Lajes. A nova vida do Bairro Americano

A grande escola e 300 das 400 moradias que alojavam os militares americanos da Base das Lajes e as suas famílias, vão receber empresas tecnológicas e os seus quadros que venham morar para a ilha Terceira. O projeto é do Governo Regional dos Açores e chama-se Terceira Tech Island

Source: Expresso | Base das Lajes. A nova vida do Bairro Americano

A LOMBA DA MAIA É ONDE EU VIVO E ONDE FIZEMOS JÁ UM COLÓQUIO DA LUSOFONIA- ALBERTO PONTE, PRESIDENTE DA JUNTA | AUDIÊNCIA

Alberto Ponte, presidente da Junta de Freguesia da Lomba da Maia, falou, em conversa com o AUDIÊNCIA, sobre o trabalho que tem desenvolvido em prol da comunidade, sobre as festas locais e sobre os projetos que pretende desenvolver e incrementar.

Source: ALBERTO PONTE, UM PRESIDENTE QUE AMA A FREGUESIA E QUER AJUDAR A POPULAÇÃO | AUDIÊNCIA

 

FALTOU AQUI A CULTURA ERUDITA, OS NOTÁVEIS, ESCRITORES E OUTROS DA E NA LOMBA, FALTOU MENCIONAR QUE É A SEDE DOS COLÓQUIOS DA LUSOFONIA…

governo regional em Santa Maria

NOTAS SOBRE O ENCONTRO DO GOVERNO REGIONAL COM O CONSELHO DE ILHA 2018

Partilho estas notas de trabalho, expressando as minhas impressões sobre este encontro, o primeiro em que participei enquanto conselheiro e presidente do Conselho de Ilha.

O Governo Regional foi convidado pelo seu presidente a fazer um balanço do último ano. Foi tudo muito interessante, até ao ponto em que se tornou maçador. Cada secretário tinha direito a cinco minutos, mas só os últimos trinta segundos é que importavam, que era quando se reportavam ao que foi ou não foi feito relativamente ao comunicado do Governo de Agosto passado. Todo o restante tempo foi um rol de estatísticas, de informações que todos nós podemos obter na GACS ou na RTP Açores. Ainda assim, ressalvava alguns pontos:

O vice-presidente do GR destaca uma diminuição considerável do desemprego. Quando nós bem sabemos que se não fossem os Programas Ocupacionais ainda estávamos pior do que há uma década.

O secretário da educação leu uma crónica filosófico-qualquer-coisa que não disse nada em concreto. Rogou, no final, que fossemos utópicos. Ainda bem.

A Ciência e Tecnologia deu um toque na questão do AirCenter, mas levantou vou tanto de leve como pairou sobre este assunto.

A Saúde deu-nos, finalmente, a ideia de que a área das dependências vai ser tratada com outro empenho, mas esqueceu-se novamente do assunto das doenças sexualmente transmissíveis e da gravidez indesejada ou na adolescência… deve ser assunto de outra secretaria, mas ainda não sabemos.

A Energia deu-nos a informação de que vão apostar na mobilidade eléctrica. Antes tarde que tarde.

Na área da Juventude ficamos a saber que a Escola Básica e Secundária não anda a aproveitar os programas como podia, sobretudo na área do empreendedorismo. Vamos perceber porquê.

Depois de mais de uma hora nisto, seguiu-se a resposta a memorando de 2018. Partilho aqui as minhas observações, muito pessoais, que não poderão de modo algum espelhar o que pensa o Conselho de Ilha, porque somos isso mesmo, um conselho. A seu tempo faremos uma reflexão conjunta sobre o que se passou.

SAÚDE: Finalmente algumas respostas concretas. Resta perceber se a precariedade será combatida ou se se manterá e se os cuidados domiciliários serão efectivos. Vamos ter consultas de especialidade na ilha, e essa é, porventura, a melhor notícia.

ACESSIBILIDADES: A secretária afirma que são boas na generalidade. De duas uma: ou são boas tanto no inverno como no verão, ou são óptimas no verão e péssimas no inverno, ou vice-versa. Mas como sabemos que são péssimas no inverno e más no verão, a aferição do GR está muito longe da realidade. Diz-nos que as tarifas foram diminuídas, mas não percebe que 90€ por uma ida e volta a Ponta Delgada ainda é escandaloso. Deixava o desafio de o GR vir em visita estatutária no Inverno…

ESTRADAS: Parece que está tudo bem, porque até se tem pintado e sinalizado a rodovia. A secretária não deve ter ido aos Anjos… ou se foi fez o que muitos têm feito, que é usar o caminho de Santana…

PORTOS: os Anjos basicamente vão ficar como estão, quando é o Porto que melhor serviria os interesses dos marienses, quando falha o de Vila do Porto…

SPACEPORT: mais do mesmo, ou seja, nada. O Presidente do Governo, no final, tocou no assunto e brincou com o facto de acharmos a informação “bombástica”, mas ao mesmo tempo sem expressão concreta. A verdade é que não é possível ser-se assertivo como ele foi ao mesmo tempo que deixa tanta dúvida sobre este assunto. Basicamente pareceu uma promessa com fumo branco. As respostas ficam para setembro. Até lá vai haver tempo de a opinião pública se dispersar em contendas, sem que nada seja esclarecido.

LORAN, POLÍGONO e etc. Não é da responsabilidade do GR nem querem saber disso. Da mesma maneira que não querem saber do Forte de São Brás. A gente que se desenrasque.

ATRASOS NOS PARECERES: assumem a culpa. Pois bem. Mudem, que é o que precisamos. Não percebi foi se os pareceres das DR’s se sobrepõem aos PDM ou PP.

CUIDADOS GERIÁTRICOS: aqui ia-me passando. A secretária deu a entender que estava tudo perfeito e que fizeram um bom trabalho. Quer dizer, a Santa Casa tem feito o trabalho do GR. Mas até parece que o número de idosos não vai aumentar e que não há listas de espera. Diz que está tudo conforme o estudo encomendado… pois bem, está encomendado conforme os interesses do GR. Repito: esta ilha não é para velhos.

PARQUE FLORESTAL DO ALTO: vai ficar como está. Ou seja, já temos parques que cheguem.

AEROGARE: sacudir a areia do capote. É isso.

ÁGUA: nada. Nadinha. Nenhuma resposta concreta. Quando algo ou alguém morrer de sede, logo se vê. Fiquei a saber que há quase 7000 animais a beber água na lavoura. Estou mais preocupado com as 5000 pessoas.

TORRE DE CONTROLO: Se deus existe ela não cairá antes de ser intervencionada. Ao menos o secretário soube ser honesto ao ponto de não querer enganar-nos com uma data concreta.

ESCOLA: aqui deu vontade de rir. Vejam os investimentos: vedações (como se o sucesso escolar dependesse disso), infiltrações no Ginásio (PORRA! A obra foi feita há pouco tempo…), obras na cozinha (muito bem) e na sala dos professores… ora bem: e as cadeiras, as mesas, as sanitas, os bancos, etc… ? Hei, mas temos de ser utópicos…

CASAS DO AEROPORTO. Neste ponto a náusea impede-me de partilhar o que sinto, sobretudo depois de perceber que não temos que nos preocupar com o dinheiro que o GR ganhou com a alienação do património, porque ele será investido no Cinema do Aeroporto e nas Oficinas Gerais: as infra-estruturas que se danem, que rebentem, de preferência na mão de cada mariense, porque é isso que vai acontecer se a CMVP tiver de assumir esses custos.

E foi isto. Adorei a experiência, sentei-me ao lado do Presidente Vasco Cordeiro com humildade e responsabilidade. Acho que cresci. E que posso ser melhor e fazer mais neste papel de conselheiro. Vamos lutar pela nossa ilha?

Image may contain: Daniel Gonçalves

problemas da frota Interilhas açoriana

FROTA DA ATLÂNTICOLINE PODE FICAR REDUZIDA A UM BARCO

Fissura no casco obriga ‘Cruzeiro das Ilhas’ a navegar com um remendo

Os cruzeiros das Ilhas e do Canal que operam entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge estão com sérios problemas para continuar a navegar e podem a qualquer momento deixar a frota da Atlânticoline reduzida ao ferrie ‘Gilberto Mariano’.
O ‘Cruzeiro das Ilhas’ é o que neste momento exige maiores cuidados. Devido a uma fissura no casco o barco opera entre as ilhas do Faial e Pico com um tamponamento, uma técnica utilizada para impedir a entrada da água.
A fissura foi identificada na passada sexta-feira, 13, na zona da casa das máquinas e obrigou a que a empresa recorresse ao tamponamento para assegurar que o navio continue a navegar, o que aconteceu nos dias seguintes.
Depois de colocado o remendo o barco foi vistoriado pela Autoridade Marítima Nacional que decidiu manter a certificação por estarem asseguradas as condições de segurança, mas a sua navegabilidade ficou limitada a ligações curtas, ou seja ao canal entre o Faial e Pico e ao período de verão. Apesar de poder percorrer as cinco milhas entre as ilhas do Faial e o Pico o barco foi retirado da operação à ilha de São Jorge sendo substituído pelo ‘Gilberto Mariano’ ou pelo ‘Cruzeiro do Canal’.
O tamponamento colocado no ‘Cruzeiro das Ilhas’não é no entanto do agrado dos marinheiros que olham com desconfiança para os problemas que a embarcação apresenta ao nível do casco e têm
receio que a qualquer possa ocorrer algum acidente.
Na altura do fecho desta edição o ‘Cruzeiro das Ilhas’ estava parado na Horta devido a uma avaria na máquina de estibordo e que há vários meses vinha dando problemas. Essa situação deixou a frota reduzida ao ‘Cruzeiro do Canal’ e ao ‘Gilberto Mariano’. Mesmo assim, a preocupação é grande quanto ao ‘Cruzeiro do Canal’. Fonte ouvida por Ilha Maior assegura que o barco está com um grave problema de fuga de óleo e a qualquer momento pode obrigar a uma paragem e deixar as ligações entre as ilhas do Triângulo entregues ao ‘Gilberto Mariano’. Aliás, o plano da Atlânticoline passava por retirar o ‘Cruzeiro do Canal’ da operação marítima para ser intervencionado numa das máquinas, mas com os problemas verificados no ‘Cruzeiros das Ilhas’ a empresa foi obrigada a manter o do Canal em atividade.
A nossa fonte explica que os problemas nos dois cruzeiros arrastam-se há quase um ano, mas apesar de terem sido comunicados atempadamente à administração da Atlânticoline não foram tomadas quaisquer medidas para evitar que as diferentes situações fossem ultrapassadas antes da altura de maior movimento de passageiros.

(Jornal Ilha Maior de 20/07/2018)

Image may contain: ocean, outdoor, water and nature

Continuar a ler

relembrando o corvino mais célebre

O Livreiro da ilha do Corvo

Carlos Nascimento nasceu na ilha do Corvo no dia 18 de abril de 1885. Depois de passar toda a infância na ilha, em 1905, com 20 anos de idade, mudou-se para o Chile. As voltas da história fizeram com que acabasse por comprar uma livraria em Santiago, que fora de um tio, e dedicar-se à edição. Foi o primeiro editor de Pablo Neruda. Crepusculário foi o primeiro livro do futuro Nobel da Literatura que saiu da Editorial Nascimento. Esta história foi contada com detalhe no filme “O Livreiro de Santiago” realizado por José Medeiros,
Carlos Nascimento faleceu no dia 12 de Janeiro de 1966.

Foto in: http://www.memoriachilena.cl/
(via Historia dos Açores )

Image may contain: one or more people

estragar a paisagem é fácil

um aborto de pirosice que atenta contra a arte, a estética e a natureza…mais provinciano é difícil

A ilha de São Jorge é um Paraíso. Isto é uma piroseira.
Como disse um amigo meu jorgense “é boa lenha para churrasco.”
Não conseguem deixar a paisagem em paz…começa a ser patológico.

Image may contain: 1 person, standing and outdoor

mais botânica açórica

PASTEL SEM SER DE NATA
A planta do pastel (Isatis tinctoria) é uma herbácea cujas folhas eram trituradas, fermentadas e secas para produção de um corante azul.
O pastel constituiu um dos principais produtos de exportação dos Açores para a Flandres nos séculos XV e XVI. Tendo ficado vários registos na toponímia local, como o lugar do Pasteleiro, Freguesia das Angústias do concelho da Horta.

Image may contain: plant, flower, nature and outdoor