CATALUNHA E A REPRESSÃO ESPANHOLA SERVIDA PELA JUSTIÇA NAS MÃOS DO ESTADO

E DEPOIS O BOLSONARO É QUE É UM PERIGOSO FASCISTA!….

Andam os «democratas» (de esquerda ou direita, tanto faz!..) de Portugal, da Espanha e da Europa em geral, muito preocupados com o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, mas ninguém se preocupa com o que está acontecendo no Reino de Espanha, a propósito da Catalunha.

Hoje o Ministério Público espanhol – ao contrário do MP português, é um orgão dependente do Governo Central – divulga a acusação que pesa sobre os líderes independentistas catalães.

Como aconteceu com a tentativa de extradição de Carles Puigdemont e outros exilados políticos, a justiça alemã e belga, não reconhece os crimes , pelos quais estão acusados os presos políticos catalães, em prisão preventiva há quase um ano.

A separação dos poderes não se verifica em Espanha.

Espanha é um país centralista, com um governo social-fascista, uma justiça fascista e uma monarquia corrupta e fascista. Resquícios do «franquismo», um regime totalitário e sanguinário.

Mas poucos são aqueles que se insurgem contra isto.

E depois o Trump, o Salvini e o Bolsonaro é que são «fascistas» e ameaçam o Estado de Direito….

»»»»»»»»»

[A pena mais pesada pedida pelo Ministério Público espanhol é para Oriol Junqueras, ex-vice-presidente da Catalunha e líder do partido independentista, pelos crimes de rebelião e apropriação indevida de fundos. Os outros 17 independentistas envolvidos no processo também conheceram as acusações.

As acusações dizem respeito ao referendo à independência da Catalunha, a um de Outubro de 2017.

De acordo com o jornal El País, o Ministério Público espanhol pediu ainda 17 anos de prisão para Jordi Cuixart, presidente da Òmnium Cultural, Jordi Sànchez, líder da Associação Nacional da Catalunha e Carmè Forcadell, ex-presidente do parlamento catalão, pelo crime de rebelião.

16 anos de prisão para cinco ex-conselheiros e 11 de anos de prisão para o ex-chefe dos Mossos d’Esquadra, Josep Lluís Trapero, também por rebelião.

O antigo presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, exilado na Bélgica, não está entre os réus porque o sistema judicial espanhol não contempla a possibilidade de um julgamento à revelia.]

@ Ryc

Sobre AICL lusofonias.net

Chrys Chrystello presidente da direção e da comissão executiva da AICL
Esta entrada foi publicada em AICL no tag com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.