timor agora

TIMOR AGORA

Super Tufão | Macau emite alerta máximo de tempestade tropical

Posted: 15 Sep 2018 10:20 PM PDT

Macau, China, 16 set (Lusa) – Os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) de Macau hastearam hoje às 11:00 (04:00 em Lisboa) o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo na escala de alerta, com a aproximação do tufão Mangkhut.

Às 11:00, o Mangkhut, agora considerado pelos SMG um tufão severo devido a um ligeiro enfraquecimento, encontrava-se a 160 quilómetros de Macau, prevendo-se que esteja no seu ponto mais próximo do território, a 70 quilómetros de distância, pelas 12:00 (05:00 em Lisboa).

Os mesmos serviços preveem, nas próximas horas, inundações graves nas zonas baixas, chuvas fortes e ventos que podem superar os 118 quilómetros por hora.

O alerta vermelho de “storm surge” (maré de tempestade) continua em vigor e a subida do nível da água pode atingir os 2,5 metros, indicaram.

A tempestade tropical, que passou primeiro nas Filipinas, causou 25 mortos nesses país e um em Taiwan, de acordo com o último balanço das autoridades.

Em Macau, o centro de operações da Protecção Civil dá conta de 26 incidentes, entre quedas de árvores, de andaimes e janelas.

Depois de ter sido hasteado o sinal 9, às 09:00 (02:00 em Lisboa), o tabuleiro inferior da Ponte Sai Van, a última ligação possível entre a península de Macau e a Taipa, foi encerrado. Assim, as três pontes (Nobre de Carvalho, Amizade, Flor de Lótus e Sai Van) estão intransitáveis.

De igual modo, foram encerrados os 15 autossilos das zonas baixas, informou ao início da manhã a Direção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT).

Perto de seis mil pessoas já foram retiradas das suas casas, no seguimento do plano de evacuação das zonas baixas da cidade, efetuado a partir das 21:00 de sábado.

De acordo com as últimas informações do Instituto de Ação Social (IAS), 777 pessoas recorreram até às 08:30 (01:30 em Lisboa) aos 16 centros de abrigo com espaço para mais de 24 mil pessoas.

Por outro lado, o Corpo de Polícia de Segurança Pública dá conta de 27 infrações cometidas por taxistas, entre as quais 15 de cobrança excessiva de tarifa.

Mais de 170 voos foram cancelados entre hoje e segunda-feira, mas a Proteção Civil refere uma “atividade normal” no aeroporto de Macau, com poucas pessoas retidas nas instalações.

No sábado à noite, o chefe do Executivo agradeceu às seis operadoras de jogo a suspensão do funcionamento dos casinos para assegurar a segurança de trabalhadores e visitantes, uma decisão que “considerou muito rara e de extrema importância”, segundo um comunicado.

De acordo com a imprensa local, todos os casinos encerraram as atividades a partir das 23:00 de sábado.

Esta é a terceira vez que as autoridades içam o sinal máximo de tempestade tropical em 19 anos. A 23 de agosto do ano passado, O Hato, o pior dos últimos 53 anos a atingir Macau, causou dez mortos, mais de 240 feridos e prejuízos avaliados em 1,3 mil milhões de euros.

FST (EJ) // JMC

Myanmar | Suu Kyi defende prisão de jornalistas da Reuters

Posted: 15 Sep 2018 10:13 PM PDT

Rompendo o seu silêncio sobre o caso, algo que lhe rendeu muitas críticas no exterior, Aung San Suu Kyi defendeu ontem a condenação a sete anos de prisão de dois jornalistas da agência Reuters, acusados de espionagem enquanto investigavam o massacre de muçulmanos “rohingyas”.

“(A sentença) não tem nada a ver com a liberdade de expressão, mas com a Lei de Segredos Oficiais”, disse a líder birmanesa, durante o Fórum Económico Mundial para o Sudeste Asiático, que terminou ontem em Hanói, capital do Vietname.

“Eles não foram condenados por serem jornalistas, mas porque a Justiça decidiu que violaram a Lei de Segredos Oficiais”, insistiu a vencedora do prémio Nobel da Paz, apelando ao respeito pelo funcionamento do Estado de Direito e assegurando que os dois jornalistas têm o direito de recorrer da sentença.

Os repórteres Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram presos na noite do dia 12 de Dezembro, após um encontro com dois agentes policiais que, segundo os acusados, lhes entregaram documentos supostamente confidenciais. Na altura, os jornalistas, que foram condenados no início deste mês, investigavam um massacre de membros da minoria muçulmana “rohingya” na aldeia de Inn Dinn, no estado de Rakhine.

Foram acusados pelas autoridades de terem obtido documentos secretos sobre a operação militar em Rakhine, que o Exército de Myanmar lançou há um ano, após uma série de ataques de um grupo insurgente “rohingya” contra postos de fronteira. Mais de 700 mil “rohingyas” fugiram para o Bangladesh devido a esta ofensiva militar, sendo que investigadores da ONU encontraram elementos de “genocídio intencional”.

Por outro lado, Suu Kyi admitiu que o Exército birmanês poderia ter “gerido melhor” a crise dos “rohingyas”, que provocou o êxodo para o Bangladesh. “Claro que há coisas nas quais, ‘a posteriori’, a situação poderia ter sido melhor tratada”, admitiu, ao ser questionada pelo seu apresentador no Fórum.

“Mas, acreditamos que, para garantir a segurança e a estabilidade a longo prazo, devemos ser justos com todas as partes, e o Estado de Direito deve ser aplicado a todos. Não podemos escolher quem deve ser protegido pelo Estado de Direito”, acrescentou.

Myanmar não reconhece a cidadania dos “rohingyas”, que são considerados imigrantes bengalis e, por isso, sujeitos a discriminação, incluindo restrições à liberdade de movimentos.

Jornal Tribuna de Macau com agências internacionais |14.09.2018

Na foto: A líder de facto de Myanmar manifestou apoio à decisão da Justiça birmanesa de condenar dois jornalistas da agência Reuters, assegurando que o veredicto não envolve a liberdade de expressão

Sai Lideransa, Presiza Kuda Étika no Morál

Posted: 15 Sep 2018 10:47 AM PDT

DILI: Atu sai lideransa di’ak iha futuru, Juventude sira presiza kuda valór étika no morál hodi lori susesu ba nia aan, família, sosiedade no nasaun.

Étika hanesan norma ba fundu ema ida-idak ka grupu atu organiza nia lala’ok moris nian. Tan ne’e, Prezidente DEJUCDIL Padre Noé Martins husu ba juventude sira atu Haraik aan, pasiénsia, dixiplina no onestu mak xave ba susesu.

Amu hato’o liafuan inspirasaun ne’e bainhira sai oradór iha formasaun lideransa ba juventude dalimak realiza husi Rotary Youth Leadership Awards-Timor Leste (RYLA-TL) ba loron dalimak ho nia tópiku “étika no lideransa”.

Atu sai lider di’ak iha futuru, nia dehan, juventude sira presiza iha valores no étika ne’ebé di’ak hodi valoriza ema seluk no iha prinsípiu haraik aan no pasiénsia hodi bele lori susesu nia aan rasik, família, sosiedade no nasaun.

Liberta Povu, nia dehan sai lider ne’ebé laran moos, transparante, seriedade atu labele uza ema seluk hanesan xave ba susesu.

Tanba, nia dehan, Étika hanesan objetu ida ne’ebé liga ba valór morál ne’ebé fó mudansa ba sosiedade, kultura no nasaun nian.

Nia hatete, Juventude sira ne’e kandidatu ba lideransa iha futuru, tan ne’e tenke sai lider di’ak hodi fó mahon ba ema hotu.

‘’Valores étika tenke sai hanesan mata dalan ba lider sira nune’e lider sira iha seriedade ka verdade atu nune’e bele lori bem komum ba ita hotu,’’ dehan nia iha Maloa-Dili, horisehik.

Iha sosiedade hahú mosu mudansa no interkámbiu kulturál, tanba ne’e nia husu ba juventude sira presiza kaer metin prinsípiu étiku husi bei’ala sira ne’ebé maka fó hela mai ita atu kultura timor labele lakon.

Iha fatin hanesan, Formadu Moisés Soares Magno sente haksolok tebes ho oportunidade ne’ebé maka Rotary Youth Leadership Awards (RYLA) oferese ona ba juventude sira atu aprende kle’an kona ba lideransa nian.

Nia dehan, ho oportunidade ida ne’e bele hakle’an juventude sira nia hanoin kona ba lideransa nia tanba juventude barak mak sei hamlaha hela ba formasaun lideransa nian.

Tanba ne’e, nia dehan, iha kometimentu boot atu aprende saida de’it maka oradór sira oferese ona ba juventude sira.

Tuir oráriu, ohin (14/09), tama ona ba loron da-neen formasaun lideransa ba juventude 86 husi RYLATL ne’e, sai oradór maka Diretór Ezekutivu CNC Hugo Maria Fernandes ho nia tópiku “rekonsiliasaun no lideransa”, Bruder Nico Lay ho nia tópiku “lideransa no espirituál”, Juvita Faria Pereira ho nia tópiku “servisu no sakrifísiu”, Empreza Di’ak ho nia tópiku “hakbiit ekonomia komunidade” no Constâncio Da Conceição Pinto ho nia tópiku “ diversidade lideransa ba kontribuisaun iha TimorLeste”.

Independente

KAK sei Halo Inspesaun Ba Karreta Prado

Posted: 15 Sep 2018 10:36 AM PDT

DILI: Komisaun Anti Korrupsaun KAK iha ona kooperasaun atu hala’o inspesaun ba patrimóniu estadu iha Parlamentu Nasionál (PN) liu-liu ba karreta Prado ne’ebé deputadu sira uza hela no balun ne’ebé to’o agora eis-deputadu sira sei ‘asegura’.

Diretór Jerál Prevensaun KAK, Rosário Salsinha Araújo hatete, sira sei halo kooperasaun di’ak ho Konsellu Administrasaun PN atu bele fasilita di’ak liután KAK hodi halo inspesaun ba karreta iha PN, inklui deputadu sira-nia karreta hotu.

“Ami ko’alia ona ho Prezidente PN rasik nia mós foti ona medida hodi lori ona karta ba eis-deputadu sira, maibé seidauk entrega. Tanba ne’e, ba oin ita sei koopera oinsá atu bele lori karreta hirak ne’e mai” dehan nia, iha Uma Fukun PN, horisehik.

Asuntu prevensaun ne’e kompeténsia KAK nian atu halo, tanba ne’e kontinua fó hanoin nafatin ba instituisaun Estadu sira atu oinsá bele uza sasán estadu nian tuir dalan loos.

Komisaun Anti Korrupsaun sei la pronunsia kona-ba lala’ok husi eis-deputadu sira ne’e, maibé kompeténsia tribunál nian atu fó sai.

Nu’udar instituisaun independente ne’ebé atu kontrola ba patrimóniu estadu, Rosário hatete, sasán Estadu nian tenke nafatin ba Estadu ema ida labele privatiza.

Nia hatete, Orsamentu Jerál Estadu (OJE) 2018 aprova ona, tanba ne’e kuandu la’o ona iha fulan ida mai tan KAK bele halo ona inspesaun ba karreta parlamentu Nasionál nian hotu.

Sosiedade Sivíl Apoia Desizaun PN

Kona-ba karreta Prado ne’ebé eis deputadu sira la entrega, Judicial System Monitoring Programme (JSMP) apoiu desizaun husi Presidente PN nian hodi lori polisia atu bele rekolla hikas karreta hirak ne’e.

Diretór Ezekutivu JSMP, Luis de Oliveira Sampaio hatete, prosesu ne’e komplikadu tanba eis-deputadu aprezenta razaun la’o tuir prosesu. Maibé desizaun alienasaun karreta Prado kansela hafoin PN hetan presaun husi públiku.

“Prezidente Parlamentu Nasionál tenke buka aprosimasaun beibeik, embora hasai tiha karta ba eisdeputadu sira atu entrega karreta Prado ne’e”, dehan nia.

Nia dehan, solusaun ne’e bele aplika nesesidade tanba agora daudaun atu sosa karreta foun deputadu sira la tau iha OJE. Ne’e duni, deputadu sira laran metin liu ba karreta ne’ebé eis-deputadu sira seidauk entrega.

Deputadu sira tenke halo diálogu barak atu eis-deputadu sira entrega karreta ne’ebé oras ne’e troka ba xapa matríkula privadu.

Entretantu, observadór polítika, Vitor Soares, louva Prezidente PN nia hanoin hodi hili desizaun ne’ebé di’ak atu prevene gastu sosa karreta foun.

“Hola karreta foun karun liu, di’ak liu maka karreta ne’ebé uza too mandatu tinan lima remata ona bele entrega fali ba deputadu foun bele kontinua uza ba halo servisu”, tenik nia.

Deklarasaun hanesan mós hato’o Diretór Ezekutivu Luta Hamutuk, José Alves da Costa. Aseita polítika PN nian atu uza forsa polítika liu husi PNTL hodi hadau karreta Prado ne’e.

Karreta ne’e patrimóniu estadu tanba uza osan povu nian mak hodi hola, tan ne’e eis-deputadu ne’ebé lakohi entrega tenke uza forsa hodi hadau dunI.

Independente

Pelo menos 13 mortos em naufrágio na costa da Indonésia

Posted: 15 Sep 2018 10:23 AM PDT

Jacarta, 15 set (Lusa) — Pelo menos 13 pessoas morreram e outras oito continuam desaparecidas após o naufrágio de um ferry numa zona central da costa da Indonésia, na sequência de um incêndio a bordo, anunciaram hoje as autoridades locais.

A embarcação transportava cerca de 150 passageiros, quando o incêndio começou, na sexta-feira, ao largo da zona costeira da província de Sulawesi, no centro da Indonésia.

As operações de busca e salvamento prosseguem para tentar encontrar os desaparecidos, de acordo com informação prestada à France Presse por um porta-voz do Ministério dos Transportes da Indonésia.

Entre os 13 mortos estão duas crianças.

A forte ondulação complicou as operações de socorro, mas já hoje foram resgatadas 126 pessoas, sendo que a maior parte usava colete salva-vidas, ainda segundo informação da France Presse.

No início de julho, mais de 30 pessoas morreram no naufrágio de um ferry que ligava a ilha de Sulawesi à ilha vizinha de Selayar, enquanto 155 passageiros foram resgatados.

Já em junho, mais de 160 pessoas morreram no naufrágio de um ferry que naufragou na ilha de Sumatra, no Lago Toba, lago turístico e um dos mais profundos do mundo.

A embarcação em causa terá alegadamente feito o serviço de transporte de forma ilegal, sem uma lista de passageiros declarada e com um número limitado de coletes salva-vidas a bordo.

ARP // ROC

Sinal 8 de tempestade tropical vai ser içado em Macau às 02:00 de domingo

Posted: 15 Sep 2018 10:17 AM PDT

Macau, 15 set (Lusa) – O sinal 8 de tempestade tropical vai ser içado às 02:00 de domingo em Macau (19:00 de sábado em Lisboa), anunciaram hoje as autoridades.

O anúncio foi feito às 23:00 locais, quando o supertufão Mangkhut se encontrava ainda a cerca de 500 quilómetros a sudeste do território.

O sinal 8 de tempestade tropical implica o encerramento de parques de estacionamento, das pontes entre a península de Macau e a Taipa, dos transportes públicos e das ligações marítimas e aéreas.

A aproximação do Mangkhut, que causou pelo menos 12 mortos ao passar pelo norte das Filipinas, obrigou já ao cancelamento de cerca de 150 voos, de acordo com a página da internet do Aeroporto Internacional de Macau.

“O supertufão Mangkhut estará mais próximo de Macau pelas 12:00 de domingo e na altura será içado o sinal 10”, o máximo na escala de tempestades tropicais, composta pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, afirmou, no sábado, em conferência de imprensa, o diretor dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos.

De acordo com Raymond Tam, o sinal 10 poderá permanecer içado entre as 12:00 e as 18:00 e, tendo em conta as últimas estimativas, o nível de maré poderá atingir aproximadamente os cinco metros, durante o mesmo período.

O responsável acrescentou esperar, segundo as previsões, “inundações mais prolongadas relativamente ao tufão passado”, numa referência ao Hato, cuja passagem por Macau, em 23 de agosto de 2017, deixou 29% da área total da cidade inundada, originando cortes no fornecimento de água e de eletricidade.

Às 21:00 de sábado, as autoridades emitiram o aviso alerta vermelho de inundações (“storm surge”) e ativaram o plano de evacuação das zonas baixas da cidade.

Os residentes serão retirados para 16 centros de acolhimento, com capacidade para 24 mil pessoas.

Foram também disponibilizados veículos para efetuar o transporte dos residentes de quatro pontos de encontro, previamente definidos, para os abrigos, indicou Ma Io Kun, comandante-geral dos Serviços de Polícia Unitários.

Ao todo, nove corporações e serviços de segurança integram a estrutura da proteção civil do território, composta também por 13 serviços públicos e nove organismos privados.

Na zona do Porto Interior, comerciantes e residentes colocaram sacos de areia e taipais junto a portas e janelas para prevenir inundações. O alerta vermelho indica que as águas podem subir entre 1,5 e 2,5 metros.

Pelo menos mais de duas mil pessoas podem ser afetadas diretamente pelas inundações nos andares mais baixos, até um total de mais outras 20 mil pessoas.

De acordo com um comunicado do Gabinete de Comunicação Social (GCS), quatro casinos – Casino Taipa, Casino Babylon, Casino Legend Palace e o Mocha Porto Interior – suspenderam o funcionamento, dois dos quais só a partir das 02:00 locais.

Durante a passagem do tufão Hato, considerado o pior em mais de 50 anos, dez pessoas morreram, mais de 240 ficaram feridas e os prejuízos em habitações, veículos, estabelecimentos comerciais, equipamentos e instalações municipais e também o impacto no volume de negócios das empresas foram avaliados em 1,3 mil milhões de euros.

EJ (JMC) // ROC

Lei Orgánika Foun Ameasa Ita-nia Ambiente ho Konflitu Interese

Posted: 15 Sep 2018 01:53 AM PDT

DILI, (TATOLI) – Organizasaun Naun-governamentál La’o Hamutuk ezije Governu foun atu altera lalais Dekretu-Lei No. 14/2018, 17 Agostu Orgânica do VIII Governo Constitucional, ne’ebé esplika estrutura, objetivu no kompeténsia sira ba kada Ministériu, tanba lei ida-ne’e mak ameasa povu nia futuru liuhosi hafraku protesaun ba Timor-Leste nia ambiente.

“La’o Hamutuk haree katak fó podér ba Ministériu Petróleu no Mineiru (MPM) atu emite lisensa ambientál la tuir prinsípiu boa governasaun no sei sakrifika integridade Autoridade Ambientál RDTL nian,” haktuir komunikadu La’o Hamutuk diri mai redasaun TATOLI, ohin.

Tuir La’o Hamutuk, dekretu-Lei No. 14/2018 fó kbiit ba MPM (uluk MPRM) atu aprova lisensa ambientál ba projetu dezenvolvimentu boot sira iha setór petróleu no mineiru, nomós alista MPM nia knaar hanesan atu dezenvolve, promove no atrai investimentu husi rai-li’ur iha setór ida-ne’e. MPM mós hetan knaar atu koordena implementasaun Projetu Tasi Mane no deside termu kontratuál ho kompañia sira ne’ebé halo prosesu atu buka no atu esplora ita nia rekursu naturál sira.

La’o Hamutuk ezije katak podér MPM nian la bele inklui aprova no emite lisensa ambientál ba sira-nia projetu rasik tanba konflitu interese. Prosesu lisensamentu ambientál tenke independente, iha kontabilidade no transparénsia hodi proteje ita nia natureza no ambiente. Governu la bele fó espasu hodi ema ruma bele hasees an husi rekerimentu prosesu legál kona-ba lisensamentu ambientál ne’ebé iha tiha ona.

Regulamentu ambientál iha ona ninia prinsípiu, mekanizmu no prosesu liuhosi Lei Base ba Ambiente (Dekretu-Lei No. 26/2012) no Lei Lisensamentu Ambientál (Dekretu-Lei No. 5/2011). Lei sira ne’e define Autoridade Ambientál nia knaar atu lider prosedimentu Avaliasaun Impaktu Ambientál no atu emite Lisensa Ambientál ba projetu sira inklui iha setór petrolíferu no mineiru.

Tuir lei ambientál, ba projetu boot ne’ebé bele iha impaktu signifikante iha ambiente (Kategoria A), proponente projetu tenke halo estudu hodi avalia impaktu ambientál husi projetu ne’e, halo konsultasaun públiku hodi komunidade lokál komprende no bele hatán ba projetu, no aprezenta dokumentu sira ba Autoridade Ambientál.

Autoridade Ambientál ne’ebé iha kompeténsia atu regula no lidera prosesu aprovasaun no hasai lisensa ambientál mak Sekretariadu Estadu ba Ambiente liuhosi Diresaun Nasionál Kontrolu Poluisaun no Impaktu Ambientál (DNCPIA). Tuir La’o Hamutuk nia observasaun, entidade DNCPIA iha esperiénsia ona nu’udar entidade tékniku ho kompeténsia hodi implementa polítika no lei sira liga ba promove no prezerva ita nia meiu ambiente.

Tan ne’e, La’o Hamutuk ezije atu uza matenek, esperiénsia no kompeténsia Autoridade Ambientál nian ne’ebé iha ona, no haforsa liután sira nia servisu liuhosi investimentu ba DNCPIA tuir sira-nia nesesidade. Nune’e bele implementa ho di’ak lei ambientál sira no tau matan ba dezenvolvimentu hodi asegura ninia sustentabilidade.

La’o Hamutuk esplika katak hodi regulasaun ambientál sai efetivu, tenke lidera husi entidade Estadu ne’ebé independente no la’ós entidade ne’ebé promove no implementa projetu. Mekanizmu ida ne’e mak sei ajuda prosesu kontabilidade (check and balance), transparénsia no asegura laiha intervensaun polítiku ba implementasaun lei sira ne’e. Nune’e bele garantia sustentabilidade ba ita-nia rekursu naturál sira no fó benefísiu ba povu Timor-Leste agora no iha futuru.

Lisensamentu Ambientál maka maneira importante Estadu nian atu asegura ita bele proteje ita-nia ambiente nia kondisaun moos no saudável agora no ba oin tempu naruk. Nu’udar ezemplu: molok governu halo estrada, aeroportu ka edifísiu boot ruma, no molok kompañia privadu halo fábrika, otél boot, planu turizmu iha foho ka tasi ibun, tuir lei sira tenke aprezenta sira-nia dokumentu projetu sira hodi iha avaliasaun hafoin hetan lisensa husi Autoridade Ambientál.

Nune’e, Autoridade Ambientál bele kontrola prosesu dezenvolvimentu hodi asegura projetu sira la’o tuir planu ne’ebé di’ak, sustentável no la iha impaktu negativu ba ema nia ambiente no moris.

Jornalista: Rafy Belo | Editór: Manuel Pinto

PR timorense cancela participação na Assembleia-Geral da ONU para analisar Orçamento

Posted: 15 Sep 2018 01:33 AM PDT

Díli, 15 set (Lusa) – O Presidente da República timorense cancelou a sua visita prevista a Nova Iorque para participar na Assembleia-Geral das Nações Unidas, prevista para o final deste mês, enquanto continua a analisar o Orçamento Geral do Estado para 2018.

Fonte da Presidência confirmou à Lusa que as “viagens e o hotel foram cancelados” e que Francisco Guterres Lu-Olo continua a analisar o conteúdo do OGE para este ano, que se torna urgente para financiar a máquina do Estado, que está novamente sem fundos.

Timor-Leste tem estado em regime de duodécimos desde 01 de janeiro e os cofres do Estado estão praticamente vazios, com dívidas acumuladas e o risco de falta de financiamento para o pagamento de todas as contas em setembro.

Aprovado de forma urgente e por ampla maioria (42 votos a favor), o OGE foi enviado para o Presidente na passada segunda-feira e o chefe de Estado tem, segundo a lei, 30 dias para analisar o documento.

Na prática, pode solicitar fiscalização da constitucionalidade do documento ao Tribunal de Recurso, exercer o poder de veto político ou promulgar o documento.

A viagem de Lu-Olo a Nova Iorque, como outras do seu calendário de deslocações previsto para este ano, está inscrita no OGE para 2018.

Independentemente do cancelamento da viagem, a deslocação poderia não se realizar com ameaças de deputados das bancadas da coligação do Governo a indicar que, tal com ocorreu com o pedido de uma visita a Portugal em julho, o parlamento pode voltar a não autorizar Lu-Olo a sair do país.

Ainda que esse pedido de autorização para a saída tenha sido feito há algum tempo, o debate sobre a autorização só deverá ocorrer na segunda-feira no plenário.

Na altura, os deputados chumbaram a visita a Portugal por causa do impasse na nomeação de nove membros do Governo, alguns por terem processos na justiça e outros por possuírem “um perfil ético controverso”.

A situação mantém-se, não havendo ainda solução para o impasse, com a Presidência e o Governo a declararem que o diálogo continua. O executivo cedeu já em três dos nove, apresentando alternativas já aceites por Lu-Olo, mas continua a não haver solução para os seis que incluem os ministros das Finanças, Saúde e Interior, entre outros.

O Governo está já, entretanto, a começar a preparar o Orçamento para 2019, que espera levar ao Parlamento em outubro.

ASP // VM

Macau admite içar o segundo sinal mais elevado de alerta com aproximação de tufão

Posted: 15 Sep 2018 01:28 AM PDT

Macau, China, 15 set (Lusa) – As autoridades de Macau admitiram hoje uma “probabilidade alta” de içar o sinal 9 de tempestade tropical, o segundo mais elevado, quando o tufão Manghkut atingir o ponto mais próximo do território, este domingo.

Em comunicado, os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG), referem uma “probabilidade muito alta” de içarem o sinal 8 entre a noite de hoje e a madrugada de domingo, dia em que são esperados “ventos muito fortes e inundações graves” e o alerta pode ser elevado para 9.

O aviso de “storm surge” [maré de tempestade] de nível vermelho pode também ser emitido hoje à tarde, admitem as autoridades, que apontam para uma subida do nível das águas entre um e 2,5 metros.

Pelas 11:00 (04:00 em Lisboa), a tempestade tropical encontrava-se a cerca de 790 quilómetros a sudeste de Macau, encaminhando-se para a costa oeste da província de Guangdong, no sul da China.

O sinal 1, em vigor desde as 11:00 (04:00 em Lisboa), vai ser substituído pelo sinal 3 às 18:00 (11:00 em Lisboa), indicaram os SMG.

O super tufão, o mais forte da temporada, atingiu a costa filipina pelas 01:40 (14:40 em Lisboa), com ventos de até 240 quilómetros por hora.

Apesar de ter enfraquecido ao entrar em terra, as autoridades acreditam que a tempestade ainda representa uma “grande ameaça” a Macau e às regiões da foz do Rio das Pérolas.

O Observatório de Hong Kong já admitiu içar o sinal 10, o mais elevado na escala de alerta. As províncias chinesas de Guangdong, Guangxi e Hainan já suspenderam transportes e estão a retirar parte da população.

Na sexta-feira, o Governo de Macau garantiu o abastecimento de bens e essenciais para a população, tais como água, combustível e produtos alimentares, bem como a “estabilidade dos preços das mercadorias”.

O tufão Hato, o pior nos últimos 53 anos, atingiu Macau a 23 de agosto passado e causou dez mortos, mais de 240 feridos e prejuízos avaliados em 1,3 mil milhões de euros.

FST // FST

Guerra comercial China/EUA pode bipolarizar a cena internacional — analistas

Posted: 15 Sep 2018 01:24 AM PDT

Pequim, 15 set (Lusa) – Analistas alertam para uma possível bipolarização gerada pela guerra comercial entre Pequim e Washington, à medida que os EUA procuram uma aliança com a Europa e o Japão para contrariar as ambições chinesas no setor tecnológico.

O jornal Financial Times avançou que o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, quer reunir-se com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, numa altura em que Washingtonprepara taxas alfandegárias sobre um total de 200 mil milhões de dólares (172 mil milhões de euros) de importações oriundas do país asiático.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, impôs já taxas de 25% sobre 50 mil milhões de dólares (43 mil milhões de euros), e Pequim retaliou com impostos sobre o mesmo montante de bens importados dos EUA.

No entanto, em entrevista à agência Lusa, Gao Zhikai, um dos mais conhecidos comentadores da televisão chinesa, lembra que, para “um país como a China”, ceder às exigências de Trump “não é uma opção”.

“A China não está para receber lições dos EUA”, diz. “Se a Casa Branca está à espera que a China sucumba, se ajoelhe, está a ser totalmente irrealista”.

Em causa está a política de Pequim para o setor tecnológico, nomeadamente o plano “Made in China 2025”, que visa transformar o país numa potência tecnológica, com capacidades em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial, energia renovável, robótica e carros elétricos.

Os EUA consideram que aquele plano, impulsionado pelo Estado chinês, viola os compromissos da China em abrir o seu mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao atribuir subsídios às empresas domésticas, enquanto as protege da competição externa.

Antigo intérprete de Deng Xiaoping, formado em língua inglesa e com um mestrado em Ciências Políticasna Universidade de Yale, Gao Zhikai admite que a guerra comercial instalada é “algo sem precedentes”, mas “não é aquilo que a China quer”.

“Os EUA, basicamente, impuseram-nos isto”, diz.

Mas as queixas de Washington são também partilhadas pela União Europeia e o Japão, que ficam com a maior margem de lucro na cadeia de distribuição global – a China fabrica 90% dos telemóveis e 80% dos computadores do mundo, por exemplo, mas continua dependente de tecnologia e componentes oriundos daqueles países.

Após um período em que Trump confrontou todos os seus principais parceiros comerciais, têm agora surgido sinais de apaziguamento e até de uma possível aliança entre as diferentes partes, visando impedir a China de quebrar com o ‘status quo’.

Em dezembro passado, o representante do Comércio norte-americano, Robert Lighthizer, reuniu-se com os homólogos da União Europeia e do Japão, para discutir estratégias comuns no combate a “práticas comerciais injustas” por “terceiros países” através de “vastos subsídios, que distorcem a livre concorrência, e grandes grupos estatais, que forçam a transferência de tecnologia”.

Em julho passado, durante a cimeira China – UE, as autoridades europeias defenderam que “há melhores formas de lidar com os problemas” do que a estratégia seguida por Trump, mas que Bruxelas “partilha das mesmas preocupações que os EUA” sobre a falta de acesso a vários setores da economia chinesa.

Citado pelo jornal Financial Times, Eswar Prasad, antigo diretor do Fundo Monetário Internacional para a China, considera que um possível ataque coordenado ao modelo chinês de “capitalismo de Estado”, deixa Pequim “muito ansioso”.

Em reação, as autoridades chinesas têm procurado o apoio dos seus aliados tradicionais, nomeadamente a Rússia.

Esta semana, o Presidente chinês, Xi Jinping, e o seu homólogo russo prometeram trabalhar em conjunto para enfrentarem o protecionismo, unilateralismo e “ações económicas hostis”, numa referência a Trump.

“O risco de a China e os EUA entrarem numa nova guerra fria está a aumentar”, admite Tu Xinquan, professor na Universidade de Economia e Negócios Internacionais de Pequim.

Uma renovada bipolarização na cena internacional preocupará também uma classe média chinesa habituada a viajar, consumir e estudar no ocidente.

“Receamos que a China se volte a isolar”, comenta à Lusa uma jornalista chinesa. “Seria um retorno indesejado”.

JPI // FPA

Bankada FRETILIN Soru-mutu Ho Xefe Estadu

Posted: 15 Sep 2018 12:40 AM PDT

DILI, (TATOLI) – Reprezentante bankada Frente Revolusionária Timor-Leste Independente (FRETILIN) iha Parlamentu Nasionál enkontru ho Prezidente Repúblika, Francisco Guterres Lú Olo, hodi fahe hanoin kona-ba Orsamentu Jerál Estadu (OJE) 2018 ne’ebé foin lalais hetan ona aprovasaun hosi deputadu sira.

“Bankada FRETILIN preokupa kona-ba polítika fiskál no divida naun finanseira ne’ebé to’o agora lahatene totál ne’e hira, nia orijen ne’e halo nusa no projetu sira ne’e eziste duni ka la’e. Prezidente Repúblika mós preokupa ho ida ne’e”, Xefe bankada FRETILIN, Aniceto Guterres, ba jornalista sira iha Palásiu Prezidente Nicolau Lobato, Bairru Pité, sesta ne’e.

Nia hateten Prezidente Repúblika (PR) sei iha tempu loron 30 atu estuda diploma ne’e sura hosi loron ne’ebé entrega diploma OJE ba Prezidente Repúblika.

Kona-ba vizita PR ba rai liur, nia haktuir Parlamentu maka iha kompeténsia atu autoriza ka la’e no Prezidente prontu simu desizaun, hodi realsa Prezidente lakohi ho viajen ida ne’e atu kesi fali Prezidente Repúblika tenke promulga orsamentu.

“PR la ezije tenke aprova autorizasaun konsientementu atu ba viajen no PR fó hikas fali ba iha Parlamentu atu deside”, katak tan.

Jornalista: Xisto Freitas | Editora: Rita Almeida

Imajen: Soru-mutu entre reprezentante bankada FRETILIN iha Parlamentu Nasionál ho Prezidente Repúblika, Francisco Guterres Lú Olo. Imajen Mídia PR

ONG timorense questiona autorização do Ministério do Petróleo para dar licenças ambientais

Posted: 15 Sep 2018 12:01 AM PDT

Díli, 15 set (Lusa) – A organização timorense La’o Hamutuk apelou hoje ao Governo para que altere de imediato a lei orgânica do executivo que dá poder ao Ministério do Petróleo e Minerais (MPM) para emitir licenças ambientais para atividades da sua tutela.

Num carta enviada ao primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, a organização considera que essa decisão “ameaça o futuro da população timorense ao enfraquecer as proteções ambientais”.

Dar esse poder ao MPM, argumenta a organização, “vai contra os princípios básicos de boa governação e ameaça a integridade da autoridade ambiental nacional”.

Em causa está um dos artigos do decreto-lei da orgânica do VIII Governo que dá ao MPM o poder “de levar a cabo o processo de licenciamento ambiental, incluindo a aprovação de licenças ambientais no setor de petróleo” e minerais.

“A La’o Hamutuk insiste que o MPM não deve ter o poder de aprovar licenças ambientais para esses projetos devido a conflitos de interesse”, considera.

“O processo de licenciamento ambiental deve ser independente e manter a responsabilidade e a transparência para garantir a proteção do nosso ambiente natural. O Governo não pode dar espaço a ninguém para evitar os requisitos legais existentes do processo de licenciamento ambiental”, considera.

O decreto-lei da orgânica do Governo coloca sob a tutela do ministro Coordenador dos Assuntos Económicos a responsabilidade por “efetuar a avaliação ambiental estratégica de políticas, planos, programas e legislação e coordenar os processos de avaliação de impacto ambiental de projetos a nível nacional”.

Porém, ao mesmo tempo, deixa na tutela do MPM a responsabilidade de, “considerando a complexidade e especialidade técnica do setor do petróleo e recursos minerais, conduzir os respetivos procedimentos de licenciamento ambiental e aprovar as correspondentes licenças ambientais nesse setor.

Na carta ao chefe do Governo a ONG recorda que instrumentos como a Lei de Bases do Ambiente e a Lei de Licenciamento Ambiental determinam os procedimentos a seguir nas avaliações de impactos ambientais e para a emissão de licenças ambientais para grandes projetos de desenvolvimento, inclusive no setor de petróleo e minerais.

“De acordo com a lei, grandes projetos que possam ter um impacto significativo no meio ambiente (Categoria A) exigem que o proponente do projeto apresente documentos à Autoridade Ambiental, incluindo um estudo de possíveis impactos ambientais”, recorda.

“Há também uma exigência de consulta pública para que a comunidade local possa entender e responder ao plano do projeto”, sublinha.

No caso timorense, a Direção Nacional de Controle de Poluição e Impacto Ambiental (DNCPIA), vinculada à Secretaria de Estado do Ambiente, “é a Autoridade Ambiental existente com competência para regulamentar e liderar o processo de avaliação e aprovação de licenciamento ambiental”.

“Por isso, a La’o Hamutuk incentiva o Governo a desenvolver e investir no conhecimento, experiência e habilidades técnicas já existentes na Autoridade Ambiental, e abordar quaisquer limitações específicas, conforme necessário. Isso garantirá a implementação adequada e sustentável das leis ambientais”, sublinha.

A eficácia de regulamentação ambiental, escrevem, exige uma entidade independente e “não uma cujas metas incluam a promoção e a implementação desses projetos”, garantindo “responsabilização, transparência e a proteção contra intervenções políticas na implementação da lei, devido ao claro conflito de interesses”.

A La’o Hamutuk alerta para o facto de as leis de licenciamento ambiental procurarem “garantir o uso sustentável dos recursos naturais e garantir um ambiente limpo e saudável para as gerações atuais e futuras de timorenses”.

ASP // VM

Içado sinal 1 de tempestade tropical em Macau com aproximação do Mangkhut

Posted: 14 Sep 2018 11:57 PM PDT

Macau, 15 set (Lusa) – As autoridades de Macau emitiram hoje o sinal 1 de tempestade tropical devido à aproximação do super tufão Mangkhut, que entrou em terra durante a madrugada no nordeste das Filipinas.

Pelas 11:00 (04:00 em Lisboa), a tempestade tropical encontrava-se a cerca de 790 quilómetros a sudeste de Macau, encaminhando-se para a costa oeste da província de Guangdong, no sul da China, indicaram os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG).

De acordo com o serviço de meteorologia PAGASA, o super tufão Mangkhut, o mais forte da temporada, enfraqueceu ligeiramente ao entrar em terra nas Filipinas, movendo-se agora para o mar do sul da China “com ventos de 185 quilómetros por hora”.

Em Macau, é no domingo que o Mangkhut vai “passar pelo ponto mais próximo” do território, dia em que são esperados “ventos muito fortes e inundações graves” nas zonas baixas, provocadas por “storm surge” [maré de tempestade], segundo os SMG. O nível da água pode subir entre um e 2,5 metros, alertaram.

Na sexta-feira, as autoridades de Macau garantiram o abastecimento de bens e essenciais para a população, tais como água, combustível e produtos alimentares, bem como a “estabilidade dos preços das mercadorias”.

O tufão Hato, o pior nos últimos 53 anos, atingiu Macau a 23 de agosto passado e causou dez mortos, mais de 240 feridos e prejuízos avaliados em 1,3 mil milhões de euros.

FST // FST

You are subscribed to email updates from TIMOR AGORA.
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google, 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, CA 94043, United States

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.