Peixe do meu quintal José Soares Perscrutando o Sonho

Peixe do meu quintal José Soares

Perscrutando o Sonho

“Não acredito que Portugal traga o famigerado troféu mundial. Mas já se vê que Cristiano Ronaldo quer ir mais além e nota-se que tudo fará, tudo dará neste mundial de futebol, porque a idade não perdoa e em futebol a velhice chega mais cedo! Ele sabe que esta é a sua última oportunidade…”

Os três melhores jogadores de todos os tempos que até agora marcaram três golos num jogo pela seleção portuguesa durante o Campeonato Mundial, ou mesmo os melhores marcadores da seleção lusa, são todos oriundos de territórios fora do retângulo ibérico.

Foram eles e pela ordem que apareceram: Eusébio, nascido em Moçambique, Pauleta, nascido nos Açores e agora Cristiano Ronaldo, nascido na Madeira.

Os três vieram de famílias do povo, com imensas limitações financeiras e sociais. Ousaram “brincar com uma bola” e tornaram-se mágicos do futebol, verdadeiras atrações de multidões.

Na global alegria competitiva que o mundo vive durante cerca de um mês, as luzes da gigantesca ribalta futebolística estão focadas em Cristiano Ronaldo. Os estádios onde o craque joga enchem-se de fãs, admiradoras e apaixonadas, numa histeria que atinge os píncaros orgásticos em muitos casos. Cristiano é aquela figura do atleta olímpico segundo os padrões estabelecidos na antiga Grécia, à beira de entrar na mitologia dos próximos quinhentos anos.

Até agora poderíamos quase afirmar que a seleção portuguesa é composta por CR7 e mais dez, tão fracos têm sido os jogos do conjunto. Se não fosse a eficácia ronaldesca já demonstrada, a seleção teria derrotas registadas nas malas de regresso. Contudo, a ambição desportiva do craque é demonstrar no grande palco mundial que é incontestavelmente o melhor. Tanto mais que um dos seus rivais provou a humilhante derrota diante da Croácia. A Argentina de Lionel Messi está muito aquém do que era de esperar. Não que Portugal esteja melhor, mas porque o CR7 tem estado à altura e nas alturas…

Não acredito que Portugal traga o famigerado troféu mundial. Mas já se vê que Cristiano Ronaldo quer ir mais além e nota-se que tudo fará, tudo dará neste mundial de futebol, porque a idade não perdoa e em futebol a velhice chega mais cedo! Ele sabe que esta é a sua última oportunidade para entrar na eternidade e colocar-se no panteão dos poucos, melhores de entre os melhores.

Com 33 anos de idade Cristiano Ronaldo é o jogador que mais tempo aguentou no auge de uma fama contínua. No próximo mundial de 2022, CR7 terá 37 anos e a estrela estará em natural decadência.

Por agora, os cerca de trinta milhões de euros por época continuam (cerca de 2,5 milhões por mês). O contrato com a Nike vale 25 milhões de euros anuais (2 milhões por mês). Temos depois uma quantidade de pequenas promoções que adicionam alguns milhões anuais. CR7 estará a rentabilizar 100 milhões/ano (8 milhões ao mês). É um enorme peso em cima de duas pernas…

Não admira que os fiscos de todo o mundo desejem tê-lo como cidadão…

“Ainda tenho alguns anos como futebolista e o meu objetivo é seguir assim. Fiz um grande acordo com a Nike e outro grande acordo com o Real Madrid. Estou muito contente em ter dois contratos enormes com a minha idade e isso motiva-me para seguir no trabalho duro, manter o meu nível e fazer o que gosto”.

Sobre AICL lusofonias.net

Chrys Chrystello presidente da direção e da comissão executiva da AICL
Esta entrada foi publicada em AICL no tag com as tags , . ligação permanente.