14.6.18 timor agora

TIMOR AGORA

Pe. Jovito Rego: “Ukun Ami Ho Dignidade”

Posted: 13 Jun 2018 11:22 AM PDT

DILI – Eis Komisaun CAVR, Pe. Jovito Rego hateten, igreja laos komponente neebe hamrik mesak, maibe hamrik hamutuk ho governu, tanba nee husu ba Nai ulun sira ida ukun rai, no povu ho dignidade, labele ukun povu ho laran kanek ba malu.

Hau mai iha nee hanesan Pe. Jovito deit, tanba bispu la fo autorizasaun ba hau atu kolia hanesan parte igreja nian, se imi hakarak bele ba hasoru direta ho Amo Bispo. Hau seidauk bele mai kolia nudar igreja nia naran, tanba nee hanesan sidadaun husu atu ukun nain sira neebe maka atu ukun, favor ida ukun povu ho dignidade, konsiensia no tane aas nafatin interese povu nian. Nai ulun sira ida ukun rai no povu ho dignidade, labele ukun povu ho laran kanek ba malu,” dehan Pe.Jovito Rego ba Jonalista sira iha Palasiu Governu, Segunda, (11/06/2018).

Pe.Juvito hatutan, sidadaun hakarak buat hotu lao diak, ho boavontade politika neebe diak, tanba povu mos kolen ona no hakarak halao vida normal ba oin nafatin.

Iha parte seluk Observador Sosiologia no Politika Nasional, Cancio Monteiro hateten, VIII Governu neebe mai nia fiar sei fo ukun nebe maka dignu ba povu tomak no povu hotu sei moris diak.

Notisia kompletu lee iha jornal STL edisaun Tersa, (12/06/2018)

Maria Lay/Carme Ximenes | Suara Timor Lorosae

Fretilin Sei Hatuur Aan Opozisaun Loos, Hadia Buat Laloos

Posted: 13 Jun 2018 11:17 AM PDT

DILI – Partidu Fretilin sei hatuur aan nudar opozisaun loo-loss, tanba nee sei halao knaar nee ho responsabilidade hdoi halo koresaun ba buat neebe laloos.

Kestaun nee hatoo husi Xefe Bankada Fretilin, Francisco Branco katak, Fretilin sei sai opozisaun neebe ho responsabilidade, hodi haree buat neebe laloos atu hadia, no tenke tuir konstituisaun no regras PN nian.

Opozisaun desde uluk kedas tuir ami nia prinisipiu neebe sei hatuu aan nudar opozisaun lolos no halao ami nian knar ho responsabilidade ba nasaun, estadu ba povu, eleitores sira no partidu. Signifika katak sei hatuur buat hotu ho regras konstitusionais, regras legais, rejimentais neebe funsionamentu iha PN, i ami nia pozisaun sei halo koresaun ba sasan neebe laloos,” Branco ba Jornalista iha PN Segunda, (11/06/2018).

Nia hatete, atu sai opozisaun tuir dalan maibe informasaun mos katak ba oin governu aprezenta nia programa atu halao votasaun Fretilin sei walk out Branco dehan Fretilin sei lahalo ida nee, karik presiza iha kestaun importante ruma, binhira partidu deside ami sei halo tuir desizaun partidu nian.

Nunee mos Koordenador Juridisaun AMP, atual Xefe Bankada CNRT, Arao Noe katak, bainhira Prezidente Republika veta orsamentu Arao dehan nee kompetensia PR nian, agora koalia ba iha orgaun lejislatura nian, tanba haree ba kadeira neebe mak AMP iha laiha impaktu ba desizaun iha PN bainhira atu foti desizaun, neebe labele hanoin too iha PR atu veta deit.

Notisia kompletu lee iha jornal STL edisaun Tersa, (12/06/2018)

Guilhermina Franco / Jacinta Siqueira | Suara Timor Lorosae

Trump ho Kim asina dokumentu hamutuk bainhira hakotu simeira

Posted: 13 Jun 2018 11:11 AM PDT

Prezidente Estadus Unidus nian ho líder norte-koreanu asina, iha loron-tersa ne’e, iha Singapura “dokumentu detalladu ho importante ida”, haktuir hosi Donald Trump, no ne’ebé sei permiti ba “mundu haree mudansa boot ida”, subliña hosi Kim Jong-un.

Iha simeira nia rohan, Prezidente Estadus Unidus anunsia konferénsia imprensa ida ba oras hirak tuirmai hodi hato’o detalle ba konteúdu hosi dokumentu ne’ebé asina hosi líder na’in rua ne’ebé iha ona diskursu final ida marka ho sintonia: “parte rua sei senti impresionadu ho rezultadu sira”, sira destaka.

Kim Jong-un klasifika ona simeira hanesan “enkontru ida no dokumentu istóriku ida”, hodi garanti katak “mundu sei haree mudansa boot ida”.

Donald Trump asegura katak “relasaun ho Koreia-Norte no península koreanu sei sai di’ak liu”.

Simeira istóriku entre Prezidente Estadus Unidus nian ho líder Koreia-Norte hala’o iha loron-tersa ne’e, iha Singapura, no hahú ho apertu liman simbóliku entre Donald Trump ho Kim Jong-un.

Ne’e hanesan enkontru dahuluk entre líder sira hosi nasaun rua ne’e hafoin kuaze tinan 70 nia laran hosi konfrontu polítiku sira tanba Funu Koreia no tinan 25 nia laran nakonu ho tensaun kona-ba programa nuklear hosi Pyongyang.

Reuniaun ne’e akontese hafoin, iha tinan 2017, tensaun sira aumenta to’o iha nível inéditu sira dezde final hosi Funu Koreia (1950-53), hasoru teste nuklear oioin ne’ebé halo hosi Pyongyang no liafuan funu sira nian hosi Washington.

Simeira hahú hafoin tuku 09:00 iha loron-tersa (oras lokal), iha hotel ida iha Singapura, hafoin atividade diplomátiku maka’as iha Washington, Singapura, Pyongyang ho iha fronteira entre Koreia rua, ne’ebé iha ona anúnsiu, ameasa sira, kanselamentu ho retratasaun derepente.

SAPO TL ho Lusa

Ramos-Horta dezafia Casa de Portugal hodi apoia fortalesimentu ba portugés iha Timor-Leste

Posted: 13 Jun 2018 11:08 AM PDT

Eis-Prezidente Repúblika timoroan dezafia Casa de Portugal iha Timor-Leste, aprezenta ona ofisialmente ba públiku, iha loron-domingu, hodi asosia ba esforsu sira hosi Governu timoroan no ba apoiu hosi Governu portugés hodi hametin lian luzu iha nasaun.

“Casa de Portugal sei apoia esforsu sira hosi Governu timoroan no Governu portugés hodi aumenta lian portugés. Portugés la lakon iha Timor maibé hahú lakon ona. Iha tinan 1975 kuaze laiha lian portugés no ohin loron estatístika ofisial sira hatudu katak 23% ko’alia portugés”, nia hatutan.

José Ramos-Horta ko’alia iha asaun aprezentasaun públiku hosi Casa de Portugal Timor-Leste nian, ne’ebé akontese iha loron-domingu iha Sentru Kultural hosi Embaixada Portugal nian iha Díli, fatin ne’ebé simu, temporáriu, asosiasaun portugeza dahuluk iha Timor-Leste.

Serimónia marka hosi asinatura ba adezaun formal hosi fundador dahuluk na’in 25 ba asosiasaun, entre sira maka José Ramos-Horta rasik.

Ba Nobel Dame nian asosiasaun foun bele ajuda esforsu, ne’ebé tenki hanesan “hamutuk” hasoru “avansu” hosi Indonézia, nasaun viziñu ne’ebé iha estasaun televizaun hamutuk 100 resin, estasaun rádiu hamutuk rihun resin no imprensa eskritu barak, ho konteúdu barak ne’ebé maka to’o iha Timor-Leste.

“Imajina avansu ne’ebé akontese iha ne’e hosi buat ne’ebé mai hosi Indonézia. Ita iha situasaun fraku no vulnerável ida duké Guiné-Bissau bainhira ko’alia influénsia hosi lian fransés”, hatete hosi eis-xefe Estadu no atual ministru Estadu nian.

“Iha Timor-Leste ami iha frakeza ne’e. Ema sira la aprende lian ida tanba saudozismu ka tanba romantizmu, aprende tanba nesesidade no nesesidade interna hosi komunikasaun”, nia konsidera.

Ramos-Horta defende ona katak Governu timoroan tenki aumenta esforsu sira iha área ne’e hodi obriga, hanesan ezemplu, ba embaixada sira hodi haruka de’it mensajen sira ba ezekutivu ho lian portugés ka lian tétun, lian ofisial rua.

Fernando Figueiredo, prezidente hosi diresaun Casa de Portugal, fó sai kona-ba objetivu sira ho estatutu sira hosi asosiasaun.

Lahó final lukrativu no kria hosi grupu dahuluk ida ho ema na’in 25, asosiasaun foun mosu, haktuir hosi nia estatutu sira, hodi haree ba “prezervasaun hosi identidade hosi komunidade no nia patrimóniu kultural, liuliu lian ho kultura portugeza sira”, no kontribui ba dezenvolvimentu Timor-Leste nian.

Objetivu seluk maka asosiasaun bele sai hanesan “interlokutor privilijeadu ida hodi buka solusaun ba problema espesífiku sira ne’ebé afeta komunidade portugeza iha Timor-Leste”.

Promove solidariedade iha komunidade portugeza ho hametin relasaun sira ho komunidade sira hanesan objetivu sira seluk hosi asosiasaun, ne’ebé hakarak harii mós núkleu hosi asaun kultural ho formasaun nian.

Objetivu dahuluk ida hosi asosiasaun maka hetan sede ida hodi dezenvolve sira nia atividade, Ramos-Horta sujere uzu hosi edifísiu hosi antigu Sporting Clube de Timor ne’ebé mamuk durante dékada barak nia laran, lokaliza iha Embaixada Portugal nian iha Díli nia sorin.

“Iha entuziasta timoroan balun ne’ebé maka reklama ezisténsia hosi Sporting. Maibé la ezisti. Ha’u nia maluk sira laiha sapatilla ida”, Ramos-Horta hatete.

“Ita bele ko’alia ho di’ak ho sira no haree oinsá bele uza hanesan Casa de Portugal. Mai ita halo ne’e no hafoin ne’e hetan ema ne’ebé iha osan iha Timor-Leste ne’ebé bele ajuda iha obra sira hodi halo Casa de Portugal”, afirma hosi Ramos-Horta.

Intervensaun ne’ebé halo iha serimónia, José Pedro Machado Vieira, embaixador Portugal nian iha Díli no ne’ebé sai, iha loron-domingu, hanesan sósiu honoráriu dahuluk hosi Casa de Portugal, le ona parte balun hosi karta ida ne’ebé haruka hosi sekretáriu Estadu Komunidade Portugal nian, José Luís Carneiro.

Karta felisita inisiativu ne’ebé konsidera “hanesan espresaun ida vitalidade nian, dinamizmu ho kapasidade hosi mobilizasaun” hosi diáspora portugeza.

Diplomata defende ona esforsu ida hodi envolve joven sira iha asosiasaun ne’ebé tenki buka “komplementaridade sira” no adapta ba realidade hosi komunidade portugeza iha Díli – besik ema rihun resin, haktuir hosi rejistu konsular nian.

Komunidade ida ne’ebé “iha beibeik renovasaun” ho barak maka hela de’it durante períudu badak ida.

SAPO TL ho Lusa

Ramos-Horta defende renovação e transição na liderança da Fretilin

Posted: 13 Jun 2018 11:03 AM PDT

Díli, 13 jun (Lusa) – O líder histórico timorense José Ramos-Horta defendeu hoje que o secretário-geral da Fretilin, Mari Alkatiri, deve iniciar um processo de “renovação da liderança” do partido que deve ocorrer “muito rapidamente” para bem do partido e da nação.

“A idade não perdoa e esses anos desgastam-nos pessoal e politicamente”, disse Ramos-Hora em entrevista à Lusa.

“É altura, sobretudo depois de o presidente Lu-Olo ter sido eleito, é urgente que Mari Alkatiri lidere um processo de transição que tem de acontecer muito rapidamente. É altura de pensar na renovação da liderança”, sublinhou.

Ramos-Horta falou com a Lusa em jeito de balanço do curto mandato do VII Governo constitucional, de que fez parte como ministro de Estado, depois de ter ele próprio regressado à militância ativa da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin).

Nas eleições legislativas antecipadas de 12 de maio, a Fretilin foi a segunda força política mais votada – atrás da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), uma coligação de três partidos, encabeçada por Xanana Gusmão (CNRT) e Taur Matan Ruak (PLP), que inclui ainda o KHUNTO.

Para Ramos-Horta, o período pós-eleições é oportuno para repensar o futuro da liderança da Fretilin, permitindo assim a Mari Alkatiri ficar “mais liberto” para eventualmente exercer outras funções no aparelho de Estado, se assim o entender o próximo Governo.

Nesse sentido, Horta disse esperar que os líderes da AMP, Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak, “façam justiça ao seu próprio estatuto de grandes líderes”, e “convidem Mari Alkatiri para um diálogo franco, aberto, entre os três, para verem como vão ser os próximos cinco anos”.

Esse diálogo, disse, é necessário, porque os próximos cinco anos “vão ser difíceis” para a coligação de Governo “sobreviver enquanto coligação, e se [quiser] executar programas e garantir governabilidade, integridade, transparência e competência”.

“Vão precisar do contributo da Fretilin. Se fosse eu, Xanana e Taur Matan Ruak, tendo ganho, façam o que os vencedores inteligentes fazem: dialoguem com quem perdeu, mas que ainda detém uma grande força no parlamento. A Fretilin continua a ser o partido mais votado”, disse Horta.

Referindo-se à AMP, em concreto, Ramos-Horta disse que “é difícil governar com coligações desta natureza”, e que seria útil dialogar com Alkatiri para “verem qual é a melhor forma de contribuírem para assegurar estabilidade governativa e garantir tranquilidade e segurança no país”.

“Os três juntos, com a força que reúnem, podem depois fazer saneamento contra a corrupção, os abusos, os desperdícios. Porque o país não pode continuar assim, a gastar tanto dinheiro sem resultados concretos visíveis”, afirmou.

Nesse cenário, Alkatiri poderia ter um papel, replicando, por exemplo, o modelo do enclave de Oecusse-Ambeno noutras zonas do país, o que exigirá “dedicação”.

“Para ele estar livre e poder dedicar-se a tempo inteiro a esse ou outro papel, se for convidado a contribuir, não pode dirigir o partido e, ao mesmo tempo, tomar conta de grandes projetos como Oecusse ou outros”, afirmou.

José Ramos-Horta falava à Lusa antes de partir para uma visita a título individual a vários países, que arranca em Myanmar, e que o vai afastar de Timor-Leste, cerca de dois meses.

Ramos-Horta comentou ainda o seu próprio envolvimento no VII Governo – onde era ministro de Estado – e na campanha eleitoral – onde voltou a vestir, várias décadas depois, a camisola do partido que ajudou a fundar, a Fretilin.

O apoio ao partido e ao seu líder, Mari Alkatiri, traduziu uma “obrigação política, ditada pela consciência”.

“Não me teria sentido bem comigo próprio se me tivesse mantido neutral nesse combate político”, explicou o Nobel da Paz.

Apesar da curta vida do VII Governo, Ramos-Horta disse ter sido “um privilégio observar a liderança de Mari Alkatiri”, tendo o Governo, mesmo sem orçamento, conseguido pagar salários e outras despesas a horas.

ASP // MAG

Arão Noé Amaral eleito novo presidente do Parlamento Nacional timorense

Posted: 13 Jun 2018 10:58 AM PDT

Díli, 13 jun (Lusa) – Arão Noé Amaral, que já foi deputado dos dois maiores partidos timorenses, a Fretilin e o CNRT, foi hoje eleito 5.º presidente do Parlamento Nacional, com 36 votos a favor, numa reunião que marcou o arranque da 5.ª legislatura.

Chefe da bancada do CNRT desde 2012, Arão Noé Amaral, cuja eleição secreta teve 29 votos contra, sucede a Aniceto Guterres Lopes que teve a presidência mais curta do parlamento, de menos de um ano.

Terceiro presidente do parlamento a sair das fileiras do CNRT (depois de Vicente Guterres e Adério Hugo da Costa), Noé Amaral, 63 anos, e que só completou a 4.ª classe, é natural de Fatuberliu, no município de Manufahi.

Arão Noé Amaral é um dos deputados veteranos, tendo, ainda nas fileiras da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), integrado a Assembleia Constituinte e sido eleito deputado na primeira legislatura (2002 a 2007).

Depois de 2007, a partir da 2.ª legislatura, passou a fazer parte da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), partido criado nesse ano. A sua candidatura à presidência foi a única apresentada ao cargo.

Antes da eleição, o presidente cessante, Aniceto Guterres Lopes abriu a primeira reunião da 5.ª legislatura, que começou com o hino nacional, agradecendo aos deputados que terminaram o seu mandato, depois de uma legislatura curta, mas intensa.

Um período, relembrou, que ficará na história do parlamento, com uma “conjuntura política particularmente exigente” e de confrontação e que termina com a maioria dos deputados reeleitos.

Num curto discurso, antes de sair do cargo – como define o regimento – Aniceto Guterres Lopes deixou um apelo a todos os deputados, para que lutem pela nação.

“Timor-Leste precisa de estadistas e políticos com sentido de Estado. Que lutem pelos interesses da nação à frente dos interesses pessoais, de um grupo ou do partido”, afirmou.

Os trabalhos ficaram emperrados durante a manhã, com um debate sobre a composição de uma “comissão de verificação de poderes” dos deputados, que finalmente foi aprovada.

Depois de almoço, em conjunto, os 65 deputados prestaram juramento: “Juro por Deus, pelo Povo e por minha honra, cumprir com lealdade as funções em que sou investido, cumprir e fazer cumprir a Constituição e a Lei e dedicar toda a minha energia e capacidade à defesa e consolidação da independência, unidade e integridade nacionais”.

Ausente da sessão de hoje estiveram os líderes dos do CNRT, Xanana Gusmão, e do PLP, Taur Matan Ruak, que eram cabeças de lista da AMP e que renunciaram ao seu mandato.

Xanana Gusmão já foi, no passado, deputado, enquanto Taur Matan Ruak renunciou pela segunda vez consecutiva ao cargo para o qual foi eleito, a primeira depois das eleições 2017. Foram substituídos respetivamente por Óscar de Araújo (NCRT) e Sabino Soares (PLP).

A sessão foi suspensa para uma ‘foto de família’ dos deputados e depois para a entrada de vários requerimentos de substituição temporária de Mari Alkatiri (Fretilin), antes de ser retomada para a eleição de Arão Noé Amaral.

A disposição dos 65 deputados – 42 homens e 23 mulheres – reflete a nova composição do Parlamento Nacional que terá seis bancadas, ainda que só tenham sido eleitas quatro forças políticas: AMP, Fretilin, PD e FDD.

Do lado esquerdo estão, do ponto de vista do público, as bancadas dos dois partidos mais pequenos da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), nomeadamente os cinco deputados do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) e os oito do Partido Libertação Popular (PLP).

No centro estão os 21 deputados do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) e do lado direito estão os 23 da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), os cinco do Partido Democrático e os três da Frente de Desenvolvimento Democrático (FDD) – que se estreia no Parlamento Nacional.

Nas próximas sessões, serão eleitos os restantes membros da mesa.

Com a tomada de posse dos deputados abre-se a porta para a indigitação do próximo primeiro-ministro a quem caberá formar o VIII Governo constitucional, algo que pode ocorrer nas próximas semanas.

ASP // MAG

You are subscribed to email updates from TIMOR AGORA.
To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.
Email delivery powered by Google
Google, 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, CA 94043, United States