Estão a matar a Lusofonia | 27º COLÓQUIO EM BELMONTE | Notícias de Angola

Fonte: Estão a matar a Lusofonia | Folha 8 Jornal Angolano Independente | Notícias de Angola

A QUEM DESCONHECE A AICL: ESCUSAM DE TENTAR COMENTAR AQUI OU EM MENSAGEM PRIVADA, SEM LEREM OS NOSSOS ESTATUTOS, O NOSSO HISTORIAL, AS ATAS E CONCLUSÕES E OS DETALHES DE CADA UM DOS 26 COLÓQUIOS JÁ EFETUADOS

esta notícia injusta mereceu a seguinte resposta
SÓ QUEM NÃO SABE OU NÃO SE INFORMOU PDOERÁ ESCREVER O QUE ACIMA ESTÁ ESCRITO. a academia angolana fará parte dos colóquios a partir do 28º em outubro na ilha de sanat maria açores…todos os anos desde 2002 se fizeram tentativas de trazer angolanos a estes eventos que não são subsidiados e por isso são autossuficientes… não podemos pagar viagens ou estadias… mas tivemos já presenças regulares de Cabo verde, Moçambique, Índia, Malaca, Macau, etc…bastava ler o nosso historial em www.lusofonias.net. Nem o governo angolano nem algumas das instituições contactadas alguma vez quiseram fazer-se representar à exceção de um jornalista que não foi autorizado a deslocar-se…
Chrys Chrystello Presidente da Direção

POSTERIORMENTE REMETI O NOSSO HISTORIAL COMO SUGERIDO PELO PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL DA AICL, FRANCISCO MADRUGA

PESSOAS QUE NÃO CONHECEM A AICL ESCUSAM DE TENTAR COMENTAR AQUI OU EM MENSAGEM PRIVADA, SEM LEREM OS NOSSOS ESTATUTOS, O NOSSO HISTORIAL, AS ATAS E CONCLUSÕES E OS DETALHES DE CADA UM DOS 26 COLÓQUIOS JÁ EFETUADOS

2 comentários a “Estão a matar a Lusofonia | 27º COLÓQUIO EM BELMONTE | Notícias de Angola

  1. Bom dia a todos. Realmente, o artigo limita-se a transcrever declarações e não tem qualquer trabalho de investigação. Isto, no tempo em que eu andava pelos jornais e faltavam os meios chamava-se “jornalismo de secretária”. Bastava uma simples consulta ao Sr. Google para se saber algo de mais substancial em relação aos Colóquios e á AICL. Claro que quem considera a Lusofonia como exclusiva não pode perceber a importância de todos aqueles que pelo mundo fora estudam, ensinam e divulgam a Lingua Portuguesa independentemente da sua nacionalidade. Angola faz parte da Lusofonia como todos os outros países citados. Neste contexto sugiro que a direção envie para o jornal um historial da AICL de modo a esclarecer a direção editorial e o jornalista.

Os comentários estão fechados.