Preservação do legado açoriano no Brasil Jornal Diário

Jornal Diário.

Preservação do legado açoriano no Brasil

O subsecretário regional da Presidência para as Relações Externas reafirmou a importância da preservação do legado açoriano no sul do Brasil.

O subsecretário regional da Presidência para as Relações Externas reafirmou, em S. José, no estado brasileiro de Santa Catarina, a importância de se aprofundar a cooperação, em várias dimensões, no âmbito da “preservação, dinamização e divulgação do legado identitário açoriano existente no sul do Brasil”.

Rodrigo Oliveira, que falava no final de um encontro com a Prefeita de S. José, Adeliana Dal Pont, elogiou o trabalho que ali está a ser desenvolvido para “manter viva a cultura local, como é exemplo a arte da olaria que, passados vários séculos depois da chegada dos Açorianos, é considerada o ícone do artesanato de S. José”, município com mais de 210 mil pessoas onde existe uma forte presença da herança açoriana, “em tantas outras dimensões culturais, mas também hoje lembrada através do impressionante Monumento aos Açorianos, na principal praça histórica da cidade”.

“É um orgulho para o povo açoriano saber que esta cidade, fundada por um grupo de 182 açorianos em 1750, ainda mantém viva as tradições e a herança das origens açorianas”, afirmou o subsecretário regional, acrescentando que “é impossível ficar indiferente a esta afectividade que resiste ao tempo e ao espaço”.

Durante o encontro, no qual participaram o director regional das Comunidades, Paulo Teves, e o Superintendente da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de S. José, Carlos Eduardo Martins, Rodrigo Oliveira salientou que “os fortes laços afectivos e culturais que unem o município de São José à Região contribuem para a afirmação dos Açores de hoje no mundo”, manifestando a vontade do Governo dos Açores em aprofundar a cooperação institucional com S. José.

Neste primeiro dia da deslocação ao Brasil, Rodrigo Oliveira deslocou-se depois à Igreja Matriz de São José, onde se encontram as insígnias do Divino Espírito Santo que, em Abril de 2013, foram oferecidas pelo Governo dos Açores à comunidade deste município do litoral de Santa Catarina, que integra a região metropolitana de Florianópolis.

“O culto ao Divino Espírito Santo constitui, inequivocamente, um dos pilares identitários do Povo Açoriano, independentemente da distância geográfica e temporal, e representa o este espírito comunitário e solidário que desde sempre tem norteado a forma de ser e estar no mundo dos açorianos”, afirmou Rodrigo Oliveira, que visitou depois a comunidade de Santo António de Lisboa, onde os açorianos chegaram em 1748 e que foi elevada a cidade por D. João V com o nome de Nossa Senhora das Necessidades da Praia Comprida.

Rodrigo Oliveira teve a oportunidade de falar com açor-descendentes que ainda hoje mantêm diversas tradições açorianas, como a renda de bilro e a olaria, e tomou contacto com a recuperação cuidada de edifícios históricos, bem como com iniciativas de preservação de técnicas levadas pelos Açorianos, como é o caso dos engenhos de farinha.

Ao final do dia, o subsecretário regional da Presidência participou na sessão solene comemorativa do 289.º aniversário de Florianópolis, cerimónia que contou com a presença do Ministro do Trabalho e Emprego do Brasil, Manoel Dias, e do Senador Federal Dário Berger, entre outras autoridades locais, estatuais e nacionais, além de centenas de convidados.

No início da cerimónia, antes da entrega de distinções a diversas individualidades da cidade, elementos da Casa dos Açores, vestidos com trajes tradicionais regionais, entraram no hemiciclo com as bandeiras da Região Autónoma dos Açores e da República Portuguesa, ao som do Hino Nacional português, tendo sido exibido um vídeo com diversas referências à herança açoriana.

“Foi uma cerimónia que demonstrou e honrou, ao mais alto nível e com grande solenidade, a amizade e proximidade entre os Açores e Florianópolis e foi, naturalmente, com grande emoção que presenciamos tantas referências aos Açores e aos Açorianos e a toda a herança que os nossos antepassados comuns aqui deixaram” afirmou o subsecretário regional.

Hoje, Rodrigo Oliveira participa na sessão de abertura do colóquio Núcleo de Estudos Açorianos: 30 anos de História. Preservando a Herança Cultural Açoriana em Santa Catarina e terá encontros com o Secretário de Estado da Cultura e Turismo do governo do estado, Felipe Melo, com o Prefeito de Florianópolis, César Souza Júnior, e com a Direcção da Casa dos Açores da Ilha de Santa Catarina.

JornalDiario

2015-03-24 15:00:00

Please follow and like us:
error

Publicado por

chrys chrystello

Chrys Chrystello presidente da direção e da comissão executiva da AICL