Topônimos de origem Árabe com indicação do seu significado

(http://historiasdeportugalemarrocos.wordpress.com/2014/02/04/influencias-da-lingua-arabe-no-portugues/)
Topônimos de origem Árabe com indicação do seu significado

Albarraque (Albarrak, o brilhante), Albufeira (Albuhaira, a pequena barragem), Alcabideche(Alqabidaq, a “mãe de água”), Alcácer (Alqassr, o castelo), Alcáçovas (Alqassba, a cidadela fortificada), Alcalar (Alqalaa’, o forte), Alcaidaria (a chefia), Alcaide (o chefe), Alcains(Alkanissa, a igreja), Alcanena (Alqanina, a cabaça), Alcântara (a ponte), Alcantarilha(diminutivo de Alcântara), Alcaria (a aldeia), Alcobaça (Alkubasha, os carneiros), Alcochete(Alqucha, o forno), Alcoentre (Alqunaitara, a ponte pequena), Alcoitão (Alqaiatun, a tenda),Alcongosta (Alkunasa, o areal), Alcoutim (Alkutami, o falcão), Alfama (Alhamma, a fonte),Alfambras (Alhamra, a vermelha), Alfarelos (Alfahar, a louça), Alfeizerão (Alhaizaran, o canavial), Alfarim (Alfaramin, os decretos), Alfarrobeira (Alharruba, o mesmo que em português), Alferce (Alfarz, o que separa, entre duas colinas), Algarve (Algharb, o Ocidente),Algeruz (o canal), Algés (Aljaich, o exército), Algueirão (Aljairan, as grutas), Alhandra(Alandar, a debulha), Alijó (Alaja, telhado plano), Aljezur (Aljuzur, as ilhas), Almacave(Almaqabara, os cemitérios), Almada e Almádena (Almadana, a mina), Almansil (a estalagem),Almargem (Almarj, o prado), Almarjão (Almarjun, o pedregal), Almedina (a cidade), Almeida (a mesa), Almeirim (Almirin, o limite), Almoçageme (a água que corre), Almodôvar (Almuduar, o meandro), Almoster (Almustar, lugar de aprovisionamento), Alpedrinha (Albadri, luarento),Alpiarça (Albiraz, o duelo), Alqueidão (Alhaima, a tenda), Alte (Altaf, elegante), Alvaiázere(Albaiaz, o falcoeiro), Alvalade (Albalad, o campo), Alverca (Albirka, o pântano), Alvor (Albur, a charneca), Alvorge (Alburj, a torre), Anadia (delicada), Arouca (Aruqa, a bela), Arrábida(edifício religioso fortificado), Arrifana (Arihana, a murta), Arronches (Arauxan, as penhoras),Arruda (Aruta, planta silvestre), Asseca (o caminho recto e plano), Atalaia (lugar alto de onde se exerce vigilância), Aveiro (Aluarai, retirado, resguardado), Azambuja (o zambujeiro), Azeitão(Azeitun, a oliveira), Azóia (Azauia, a ermida).
Belamandil (Banu Mandil, nome de tribo), Bela Salema (Banu Salam, filhos da paz, nome de tribo), Belixe (garça), Benaciate (Ben sayyad, lugar ou filho do caçador), Benaçoitão (Ben As-Sultan, filho do poder), Benafin (Ben ‘Affan, filho do puro), Benagil (Ben Ajawid, filho do generoso), Benamor (Ben ‘Ammar, filho do devoto), Benavente (Ben ‘Abbad, lugar do devoto),Bencatel (Ben Qatil, filho da vítima), Benevides (Ben ‘Abid, lugar do adorador), Benfarras (Ben Farraj, filho da consolação), Benfica (Ben Fiqa, filho da calmeirona ou da mulher alta), Bensafrim(Ben Saharin, lugar dos feiticeiros), Beringel (beringela), Birre (Bir, poço), Bobadela (Bu abdallah, pai do escravo de Deus), Boliqueime (Bu Alhakim, nome próprio), Borba (Birba, labirinto), Bucelas (Basala, cebola), Budens (Bu Danis, nome de tribo que governou Alcácer do Sal), Burgau (Burqa, zona com o solo pedregoso).
Cacela (Qassila, seara), Cacém (Qassim, nome próprio, que significa aquele que testemunha),Cacilhas (Hasila, lixeira), Caneças (Kanissa, igreja), Cartaxo (Qar at-Taj, residente do Tejo),Caxias (Kashih, inimigos), Charneca (Xarnaqa, terreno inculto), Chelas (Xila, arco), Colares (Kula, pequeno lago), Coruche (Quraichi, nome de tribo), Cuba (cúpula), Elvas (Ilbax, risonha),Estoi (Ustul, esquadra), Estômbar (Ustuwanat, arcos), Falacho (solo gretado), Faro (Harun, nome próprio), Fatela (Fath Allah, vitória de Deus), Fátima (nome da filha do Profeta Muhammad),Golegã (Ghalghal, entrar ou penetrar), Leça (Laza, ferrolho), Loulé (Al’ulia, a elevada), Loures (Lawr, lira), Lousã (Lawha, ardósia), Luz (amêndoa).
Mafamede (Muhammad, muçulmano), Mafamude (Mahmmud, louvável), Mafra (Mahfra, cova),Magoito (Maqhut, árido), Malhada (lugar de travessia de um rio), Marateca (Mar’a at-Taqia, mulher devota), Marvão (Marwan, nome próprio), Massamá (Maa as-Sama’, água do céu),Mesquita (Massjid, o mesmo que em português), Messejana (prisão), Messines (elogioso), Mora (Murah, pastagem), Moscavide (Maskbat, sementeira), Mucifal (Mussafa, vale inundável), Muge (Muhja, alma), Murça (Mussa, nome do conquistador Árabe do Gharb Al-Andalus), Nexe (Naxa, juventude), Niza (disputa).
Odeceixe (Ued Sayh, rio da torrente), Odeleite (Ued Layt, rio do eloquente), Odelouca (Ued Luqat, rio das sobras), Odemira (Ued Amira, ou rio da princesa), Odiáxere (Ued Arx, rio da punição), Odivelas (Ued Ballas, rio da terracota), Oeiras (Urwah, moitas), Olhão (‘Ullyah,elevado), Oura (Awra, esconderijo), Ourén (Wahran, nome de cidade na Argélia), Ourique (Wariq, verdejante), Ovar (‘Ubr, curso de água), Palmela (Bismillah, ou em nome de Deus),Parchal (Barjal, circuito), Penela (Ben Allah, filho de Deus), Peniche (Ben ‘Aixa, filho de Aixa),Quelfes (Kallaf, moço de estrebaria), Queluz (vale da amendoeira), Retaxo (Ritaj, entrada).
Sacavém (Xaqaban, próximo), Safara (Sahara, deserta), Salema (Salama, paz), Sameiro (Samar, junco), Samouco (Samuq, alto), Sargaçal (Xarqwasi, arbusto), Serpa (Xarba, poção),Sertã (Saratan, caranguejo), Setil (Sabtil, de Ceuta), Sever (Sabir, colina), Sines (Sin, fortaleza),Sor (Sur, cerca), Tarouca (Turuq, caminhos), Tavira (Tabira, ruína), Tercena (Dar as-Sina, casa da industria), Trofa (Taraf, extremidade), Valada (Balat, planície), Vau (Wad, rio), Vieira (Bayara, concha), Xabregas (desfazer), Zambujal (de Zabbuj, oliveira brava), Zavial (Zauia, azóia), Zêzere (Za’za’a, agitação).
Bibliografia
ALVES, Adalberto . “Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa” . Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2013
CORRIENTE, F. . “Diccionario Arabe-Español” . Instituto Hispano-Arabe de Cultura, Madrid, 1977
CONDE, Manuel Sílvio Alves . “Ocupação Humana e Polarização de um Espaço Rural do Gharb Al-Andalus . O Médio Tejo à Luz da Toponímia Arábica” . In “Horizontes do Portugal Medieval”, Cascais, 1999
CUNHA, António Geraldo . “Dicionário Etimológico” . ISBN: 9788586368639, Lexikon, 2010
FERNANDES, Maria Alice, KHAWLI, Abdallah . FRAGA DA SILVA, Luís . “A Viagem de Ibn ‘Ammar de S. Brás a Silves” . Comunicação às I Jornadas “As vias do Algarve, da época romana à actualidade”, São Brás de Alportel, 21 e 22 de Abril de 2006, Câmara Municipal de São Brás de Alportel, 2007
RIBEIRO, Carlos Leite . “Distritos e Concelhos de Portugal” http://www.carlosleiteribeiro.caestamosnos.org/Distritos_Portugueses/
SABBAGH, Alphonse Nagib . “Dicionário Árabe-Português-Árabe” . Editora da UFRJ, Rio de Janeiro, 1988
SILVA, José Pereira . “Contribuição Árabe na Formação do Português” http://www.filologia.org.br/revista/artigo/2(5)21-46.html
SOUSA, Frei João de . A. Farinha de Carvalho, 1981
ZEKRI, Mostafa, BAPTISTA, Jorge . “Manual de Iniciação ao Árabe” . Universidade do Algarve, Faro, 2002

__extraido de diálogos lusófonos._,_.___
> Enviado por: Margarida Castro
>
>

__,_._,___

Deixe um comentário