Brasil: um novo país aos olhos dos europeus

Brasil: um novo país aos olhos dos europeus

8:00, 5 de abril de 2012

Redação PEGN

Empreendedorismo Tags: , , ,

Por Fátima Rocha
Sempre fui uma pessoa muito patriota, amo o Brasil e tenho orgulho de ter nascido aqui, apesar de todos os problemas que o nosso país enfrenta. Quando viajo para o exterior, costumo reparar na forma com que os cidadãos brasileiros são tratados e me informar sobre a percepção do brasileiro de acordo com os estrangeiros.
Digo isso porque, faz exatos cinco anos, participo da Expo Franchising Paris, a maior feira de franquias do mundo. Em minha primeira participação, percorri toda a feira e me apresentei como brasileira em muitos estandes – eu e a minha mania de analisar a forma com que somos “analisados”. Confesso que me decepcionei um pouco com a percepção de que éramos apenas uma “mão de obra interessante”, que tínhamos samba no pé e, lógico, o melhor jogador de futebol do mundo: Ronaldo, o fenômeno.

Nas edições seguintes, a crise na Europa emergia, e o Brasil começou a aparecer mais no cenário internacional, especialmente no que diz respeito à geração de negócios. Pois bem, acabo de retornar dessa mesma feira e, como diz o ditado popular, nessa minha última visita eu “lavei minha alma”! Logo no primeiro dia, ainda no hotel, já notei que as coisas mudaram.
Fui recebida com muita atenção. Na recepção, passava um filme sobre o Brasil, com imagens das nossas paisagens, falando da natureza cercada de mares e montanhas e, incrivelmente, até mesmo das oportunidades de negócios que estão surgindo no país. Em poucos anos, os brasileiros passaram de “pedintes” a empresários aos olhos dos europeus, uma clara demonstração de que nosso país realmente está prosperando.
Na feira, tive a mesma percepção. O pavilhão brasileiro cresceu muito e ficou mais organizado, contando inclusive com uma recepcionista francesa que falava português com fluência. Atendi muitas pessoas com objetivos completamente diferentes, mas com algo em comum: todos estavam convictos da força do empreendedorismo brasileiro. Além disso, alguns chegaram a esboçar um desejo por trabalhar no Brasil ou representar alguma marca brasileira em outro país, tamanha a crença em nosso potencial.
Uma pessoa que atendi me despertou uma atenção especial: era uma francesa que iria morar na África do Sul e gostaria de levar uma marca brasileira para aquele país – uma mistura total de culturas. Não preciso compartilhar o tamanho do meu orgulho em perceber que, enfim, estamos evoluindo para nos tornarmos uma referência mundial em empreendedorismo, tecnologia e, por que não, no sistema de franchising.
Paris que se cuide. Se todas as previsões derem certo, não só “roubaremos” a admiração dos franceses como também teremos a maior feira de franquias do mundo no Brasil, a ABF Franchising Expo!
Fátima Rocha é formada em Direito e Ciências Contábeis e sócia e diretora executiva da MegaMatte. É também presidente da Seccional Rio de Janeiro da Associação Brasileira de Franchising.

>Brasil: um novo país aos olhos dos europeus

>

Brasil: um novo país aos olhos dos europeus

Por Fátima Rocha
Sempre fui uma pessoa muito patriota, amo o Brasil e tenho orgulho de ter nascido aqui, apesar de todos os problemas que o nosso país enfrenta. Quando viajo para o exterior, costumo reparar na forma com que os cidadãos brasileiros são tratados e me informar sobre a percepção do brasileiro de acordo com os estrangeiros.
Digo isso porque, faz exatos cinco anos, participo da Expo Franchising Paris, a maior feira de franquias do mundo. Em minha primeira participação, percorri toda a feira e me apresentei como brasileira em muitos estandes – eu e a minha mania de analisar a forma com que somos “analisados”. Confesso que me decepcionei um pouco com a percepção de que éramos apenas uma “mão de obra interessante”, que tínhamos samba no pé e, lógico, o melhor jogador de futebol do mundo: Ronaldo, o fenômeno.

Nas edições seguintes, a crise na Europa emergia, e o Brasil começou a aparecer mais no cenário internacional, especialmente no que diz respeito à geração de negócios. Pois bem, acabo de retornar dessa mesma feira e, como diz o ditado popular, nessa minha última visita eu “lavei minha alma”! Logo no primeiro dia, ainda no hotel, já notei que as coisas mudaram.
Fui recebida com muita atenção. Na recepção, passava um filme sobre o Brasil, com imagens das nossas paisagens, falando da natureza cercada de mares e montanhas e, incrivelmente, até mesmo das oportunidades de negócios que estão surgindo no país. Em poucos anos, os brasileiros passaram de “pedintes” a empresários aos olhos dos europeus, uma clara demonstração de que nosso país realmente está prosperando.
Na feira, tive a mesma percepção. O pavilhão brasileiro cresceu muito e ficou mais organizado, contando inclusive com uma recepcionista francesa que falava português com fluência. Atendi muitas pessoas com objetivos completamente diferentes, mas com algo em comum: todos estavam convictos da força do empreendedorismo brasileiro. Além disso, alguns chegaram a esboçar um desejo por trabalhar no Brasil ou representar alguma marca brasileira em outro país, tamanha a crença em nosso potencial.
Uma pessoa que atendi me despertou uma atenção especial: era uma francesa que iria morar na África do Sul e gostaria de levar uma marca brasileira para aquele país – uma mistura total de culturas. Não preciso compartilhar o tamanho do meu orgulho em perceber que, enfim, estamos evoluindo para nos tornarmos uma referência mundial em empreendedorismo, tecnologia e, por que não, no sistema de franchising.
Paris que se cuide. Se todas as previsões derem certo, não só “roubaremos” a admiração dos franceses como também teremos a maior feira de franquias do mundo no Brasil, a ABF Franchising Expo!
Fátima Rocha é formada em Direito e Ciências Contábeis e sócia e diretora executiva da MegaMatte. É também presidente da Seccional Rio de Janeiro da Associação Brasileira de Franchising.

homenagem concerto GUERRA DA CAL

‎8 de maio, 20h no auditório do CMUS de Santiago de Compostela:
CONCERTO HOMENAGEM A E. GUERRA DA CAL
Soará a música de Camargo Guarnieri, Vicente Asencio, Matilde Salvador, José Evangelista e Xoán Rubia, sobre textos do poeta e intelectual galego Ernesto Guerra da Cal.
A música de Guerra da Cal será tocada pelos alunos e alunas do conservatório: seis canções para canto com guitarra, piano e conjunto instrumental dirigido pelo maestro Joám Trillo Peres.
O neno da tenda 
Letra: Lorca/Guerra, Música: Xoán Rubia (1947)
Canto: Noa Outumuro González (prof.ª Aida López)
Guitarras: Antía Muíño Sánchez (prof. Xosé Antonio), Pablo Terraga Liñares (prof.ª Isabel Rei)
Cantiga antiga 
Letra: Guerra da Cal, Música: Matilde Salvador (1918-2007)
Canto: Felipe Céspedes Sánchez (prof.ª Aida López)
Guitarras: Antía Muíño Sánchez (prof. Xosé Antonio), Pablo Terraga Liñares (prof.ª Isabel Rei)
Instante 
Letra: Guerra da Cal, Música: José María Evangelista 
Canto: Cristina Suárez Silva (prof.ª Aida López)
Piano: Laura Cuñarro (prof. Miguel Vizoso)
Mais uma vez
Letra: Guerra da Cal, Música: José María Evangelista 
Canto: Aida Cruz Estévez (prof.ª Aida López)
Piano: Rosalia Becoña (prof. Jorge Valdés)
Desespero
Letra: Guerra da Cal, Música: Vicente Asencio (1908-1979)
Canto: Anais Fernández (prof.ª Aida López)
Piano: Alicia Rioboo (prof. Borja Cao)
Colóquio
Letra: Guerra da Cal, Música: Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993)
Diretor: Joám Trillo Peres 
Flauta: Clara Otero Fernández (prof.ª Carmen Ferreiro)
Oboé: Lidia Iglesias (prof. Guillermo Pérez)
Clarinete: Francisco Cardama (prof. Antonio García)
Fagote: Tania Otero (prof. Alex Valcárcel)
Trompa: Jesús Iglesias (prof. Carlos Tilve)
Percussão: Sergio Suárez e Óscar Justo (profes. Ton Risco e Juan Collazo)
Canto: Aida Cruz Estévez (prof.ª Aida López)
Piano: Lidia González Peñas (prof. Iolanda Delgado)

>homenagem concerto GUERRA DA CAL

>

‎8 de maio, 20h no auditório do CMUS de Santiago de Compostela:
CONCERTO HOMENAGEM A E. GUERRA DA CAL
Soará a música de Camargo Guarnieri, Vicente Asencio, Matilde Salvador, José Evangelista e Xoán Rubia, sobre textos do poeta e intelectual galego Ernesto Guerra da Cal.
A música de Guerra da Cal será tocada pelos alunos e alunas do conservatório: seis canções para canto com guitarra, piano e conjunto instrumental dirigido pelo maestro Joám Trillo Peres.
O neno da tenda 
Letra: Lorca/Guerra, Música: Xoán Rubia (1947)
Canto: Noa Outumuro González (prof.ª Aida López)
Guitarras: Antía Muíño Sánchez (prof. Xosé Antonio), Pablo Terraga Liñares (prof.ª Isabel Rei)
Cantiga antiga 
Letra: Guerra da Cal, Música: Matilde Salvador (1918-2007)
Canto: Felipe Céspedes Sánchez (prof.ª Aida López)
Guitarras: Antía Muíño Sánchez (prof. Xosé Antonio), Pablo Terraga Liñares (prof.ª Isabel Rei)
Instante 
Letra: Guerra da Cal, Música: José María Evangelista 
Canto: Cristina Suárez Silva (prof.ª Aida López)
Piano: Laura Cuñarro (prof. Miguel Vizoso)
Mais uma vez
Letra: Guerra da Cal, Música: José María Evangelista 
Canto: Aida Cruz Estévez (prof.ª Aida López)
Piano: Rosalia Becoña (prof. Jorge Valdés)
Desespero
Letra: Guerra da Cal, Música: Vicente Asencio (1908-1979)
Canto: Anais Fernández (prof.ª Aida López)
Piano: Alicia Rioboo (prof. Borja Cao)
Colóquio
Letra: Guerra da Cal, Música: Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993)
Diretor: Joám Trillo Peres 
Flauta: Clara Otero Fernández (prof.ª Carmen Ferreiro)
Oboé: Lidia Iglesias (prof. Guillermo Pérez)
Clarinete: Francisco Cardama (prof. Antonio García)
Fagote: Tania Otero (prof. Alex Valcárcel)
Trompa: Jesús Iglesias (prof. Carlos Tilve)
Percussão: Sergio Suárez e Óscar Justo (profes. Ton Risco e Juan Collazo)
Canto: Aida Cruz Estévez (prof.ª Aida López)
Piano: Lidia González Peñas (prof. Iolanda Delgado)

Número de imigrantes no Brasil cresceu 86,7% em dez anos

Número de imigrantes no Brasil cresceu 86,7% em dez anos
São Paulo – O Censo Demográfico 2010 registrou 286.468 imigrantes que, vindos de outros países, viviam no Brasil há pelo menos cinco anos e em residência fixa. O número foi 86,7% maior do que o encontrado pelo Censo Demográfico 2000, quando foram registrados 143.644 imigrantes na mesma situação. Os dados são do Censo Demográfico 2010, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).   Leia mais            

>Número de imigrantes no Brasil cresceu 86,7% em dez anos

>

Número de imigrantes no Brasil cresceu 86,7% em dez anos
São Paulo – O Censo Demográfico 2010 registrou 286.468 imigrantes que, vindos de outros países, viviam no Brasil há pelo menos cinco anos e em residência fixa. O número foi 86,7% maior do que o encontrado pelo Censo Demográfico 2000, quando foram registrados 143.644 imigrantes na mesma situação. Os dados são do Censo Demográfico 2010, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).   Leia mais            

O programa “Bom Dia Açores”

O programa “Bom Dia” do Pedro Moura corre o risco de desaparecer.
Pelos relevantes serviços que o mesmo tem prestado aos Açores, e a todos os que nestas Ilhas tentam em diversas áreas trabalhar em prol da Região e suas gentes, não podemos permitir que o mesmo desapareça.
Assim, agradecia que no facebook do Bom Dia
https://www.facebook.com/groups/311948805541416/
manifestasse o desacordo e passasse a palavra aos seus contactos. 

5 de Maio – Dia da Língua Portuguesa

5 de Maio – Dia da Língua Portuguesa e da Cultura nos Países Lusófonos | 10pt

www.10pt.org

De que cor é a lusofonia? A que sabe a Língua Portuguesa? Que cultura é esta que temos em comum: nós…
VER.
http://www.10pt.org/2012/04/5-de-maio-dia-da-lingua-portuguesa-e-da-cultura-nos-paises-lusofonos/

+INFO.
www.10pt.org/aimaria
www.facebook.com/10pt.aiMaria 

>5 de Maio – Dia da Língua Portuguesa

>

5 de Maio – Dia da Língua Portuguesa e da Cultura nos Países Lusófonos | 10pt

www.10pt.org

De que cor é a lusofonia? A que sabe a Língua Portuguesa? Que cultura é esta que temos em comum: nós…
VER.
http://www.10pt.org/2012/04/5-de-maio-dia-da-lingua-portuguesa-e-da-cultura-nos-paises-lusofonos/

+INFO.
www.10pt.org/aimaria
www.facebook.com/10pt.aiMaria 

Livro digital sobre o 25 Abril em BD

Livro digital sobre o 25 Abril em BD muito bom…PORTUGAL

Passar as páginas na seta ou nos cantos das páginas. Para ouvir o
narrador carregar em ler+ giro.

Ganhem uns minutos, mas vale a pena.

http://e-livros.clube-de-leituras.pt/elivro.php?id=otesouro