os malandros dos voluntários a estragar lucros à celulose…

“Em Vouzela, dezenas de voluntários estão a arrancar eucaliptos que começaram a crescer desordenadamente depois dos incêndios de Outubro do ano passado. A autarquia lamenta que o governo não tenha delineado uma estratégia de combate às espécies invasoras.”

SICNOTICIAS.SAPO.PT
Em Vouzela, dezenas de voluntários estão a arrancar eucaliptos que começaram a crescer desordenadamente depois dos incêndios de Outubro do ano passado. A autarquia lamenta que o governo não tenha delineado uma estratégia de combate às espécies invasoras.

A sabedoria do passado na proteção ao mau tempo nos Açores | Mente Livre

Meu artigo de hoje no diário Incentivo. PREVENÇÃO NA SABEDORIA DOS NOSSOS ANTEPASSADOS Apesar de algumas pessoas nos últimos dias terem dito: o verão acabou e começaram os furacões! a verdade é que…

Source: A sabedoria do passado na proteção ao mau tempo nos Açores | Mente Livre

tomás quental: a calheta

Tomás Quental shared a post.

10 mins

A Calheta Pêro de Teive, em Ponta Delgada, está assim neste momento, como mostram estas fotografias do meu amigo José Silva. Há aproximadamente doze anos que este empreendimento imobiliário não concluído e abandonado – esta construção, aliás, é um processo de atropelos à legalidade – envergonha a cidade de Ponta Delgada, constituindo um “cemitério” de betão e ferro, com lixo, ervas e ratos à mistura. Até um cadáver humano já foi aqui encontrado. As promessas de solução têm sido muitas e os projectos de requalificação deste espaço público concessionado a um privado também têm sido vários, mas “tudo continua na mesma como a lesma”. Quando se aproximam eleições, a Calheta é sempre “bandeira” de campanha partidária, para depois tudo se arrastar no segredo dos gabinetes políticos, sob os mais diversos argumentos. Antigamente o povo fazia revoltas quando faltavam milho e trigo para o pão de cada dia. Actualmente, apesar de várias dificuldades, estão todos mais ou menos no conforto das suas vidas. E, portanto, mais ou menos ruínas na Calheta pouco importa. Temos, afinal, o que merecemos!

Image may contain: plant, sky and outdoor
Image may contain: plant, outdoor and nature
Image may contain: house and outdoor
José Silva

A Calheta Pêro de Teve, está virada em lixeira, e com cheiro a podre..

~MIGUEL REAL novo livro do nosso sócio

A QUEM POSSA INTERESSAR…
Acaba de sair mais um livro de MIGUEL REAL,
a não perder.

Sinopse
Historicamente, Fátima não está sozinha, ela constitui-se como o cume da história mítica portuguesa e representa-se, no século XX, ao nível da religião popular, como Fernando Pessoa ao nível de um cristianismo esotérico e sófico. De certo modo, na contemporaneidade, a Senhora, Aquela por quem os portugueses sempre esperam e que os ampara nas horas difíceis, veio substituir, no imaginário popular e segundo a estética de um espectáculo barroco, o mito sebastianista, o rei que, regressado, implantaria em Portugal um reino de justiça e abastança.

«… mais do que optar entre milagre e maquinação, o importante é perceber que Fátima é produto de uma mistura contingente entre a tradição mítica, profética e messiânica portuguesa, a mentalidade religiosa católica historicamente debilitada em 1917, a oportunidade social circunstancial e a experiência assombrosa das três crianças.»

Image may contain: text

o esquecido genocídio filipino pelos EUA

Pierre Cronaux shared a link.

1 hr

BRITSINTHEPHILIPPINES.TOP
The most horrific event in Philippines history. The Philippines Genocide is the genocide history forgot, you will find in history books the Filipino-American War of 1899-1902 but they fail to mention the genocide carried out by the United States of America on the people of the Philippines.

Parque de estacionamento dos professores da minha escola.

Parque de estacionamento dos professores da minha escola.
O helicópteeeeeero é meu!!!!

Image may contain: car, cloud, sky, outdoor and nature
Samuel Mendonça

Parque de estacionamento dos professores numa qualquer escola portuguesa…🤨


JOEL NETO E MERIDIANO 28 NO 30º COLÓQUIO NO PICO

dia 4 de outubro pela manhã teremos o Joel a falar do seu livro em plena sessão de abertura do 30º colóquio da lusofonia na Madalena do Pico…

finalmente tive algum tempo para o ler e estou a adorar, até parece que já pertenço à trama da família e amigos do José Filemon e estou a viver no faial na 2ª grande guerra. Não percam, adquiram o livro e vão ao Pico ouvi-lo dia 4 pelas 12 e pico

http://coloquios.lusofonias.net/XXX/

http://coloquios.lusofonias.net/XXX/30%20HORARIO%20MADALENA.pdf

http://coloquios.lusofonias.net/XXX/rota%20cultural.htm