PONTA DELGADA A FALIR

INSOLVÊNCIAS DISPARAM EM PONTA DELGADA PARA 70%
nos primeiros quatro meses deste anoAs insolvências no país tiveram um aumento global de 44% nos primeiros quatro meses de 2021 face ao período homólogo de 2020, com um valor absoluto acumulado de 2.045 insolvências, motivado em grande parte pelo encerramento de processos, segundo os números da Iberinform.
Apenas no mês de Abril registaram-se 508 insolvências, mais 272 que no ano transacto (aumento de 115%), das quais 319 são processos encerrados, 62,8% do total de insolvências apresentado.
Por tipologia de acções, no primeiro quadrimestre deste ano foi requerida a insolvência de 432 empresas, o que retrata um aumento de quase 69% face ao período homólogo de 2020, enquanto as declarações de insolvência apresentadas pelas próprias empresas passaram de 363 para 421 (+16%).
No período em análise, foi declarada a insolvência a 1.173 empresas (+49%) e foram aprovados 19 planos de insolvência (+5,6%).
Em termos absolutos, os distritos do Porto e de Lisboa são os que apresentam maior número de insolvências: 503 e 408, respectivamente. Seguem-se Braga, com 249, Aveiro (161), Setúbal (119) e, a alguma distância, o distrito de Faro (70).
Na Madeira foram registadas 50 insolvências (+39%), enquanto nos Açores: Ponta Delgada teve um aumento de 70% face a 2020 (total de 17 insolvências), Horta manteve um único registo em ambos os anos e em Angra do Heroísmo é de assinalar um decréscimo de 50% face a 2020 (total de quatro insolvências).
Em termos percentuais, as maiores variações no primeiro quadrimestre deste ano pertencem aos distritos de: Vila Real (+300%), Guarda (+217%), Setúbal (+109%), Castelo Branco e Portalegre (ambos com aumentos de 100%), Lisboa (+71%), Ponta Delgada (+70%), Viana do Castelo (+68%) e Coimbra (+66%).
Apesar da maioria dos distritos (68%) apresentar aumentos neste indicador, há decréscimos a registar em: Angra do Heroísmo (-50%), Bragança (-40%), Santarém (-18%), Faro (-15%), Évora (- 6,7%) e Leiria (-1,5%).
No acumulado por sectores, assinalam-se aumentos em todas as áreas de actividade, excepto no sector da Agricultura, Caça e Pesca, sendo os mais significativos os que se registam nos sectores de: Telecomunicações (+400%), Hotelaria e Restauração (+140%), Electricidade, Gás, Água (+100%), Comércio de Veículos (+81%), Indústria Extractiva (+50%), Construções e Obras Públicas (+48%), Comércio por Grosso (+45%) e Outros Serviços (+44%).
Constituições de empresas aumentam na Horta As constituições em abril tiveram um crescimento homólogo de 194% face a 2020, evoluindo de um total de 1.185 para 3.481 novas empresas.
(diario dos Açores
May be an illustration
1
1 share
Like

Comment
Share
0 comments