jacques attalli e o extermíniuo dos excedentários 1987

Verdades que incomodam e que nos devem fazer reflectir!
COR******US / CO**D – XIX / CRISE ECONÓMICA E SOCIAL…
Isto é de arrepiar!
Agora digam lá se não é isto que se está a passar no mundo inteiro. Leiam o seguinte texto:
Assim escreveu Jacques Attali em 1981, então assessor de François Mitterrand:
“ O futuro será encontrar uma forma de reduzir a população. Começamos com os idosos, porque assim que ultrapassarem os 60-65 anos, as pessoas vivem mais do que produzem e isso custa caro à sociedade.
Depois os fracos, depois os inúteis, que não têm utilidade para a sociedade porque sempre haverá mais deles e, sobretudo, finalmente, os estúpidos. Eutanásia visando esses grupos. A eutanásia deverá ser uma ferramenta essencial em nossas sociedades futuras, em todos os casos. Claro que não poderemos executar pessoas ou construir acampamentos.
Retenção do conhecimento:
Nós nos livramos deles fazendo-os acreditar que é para o seu próprio bem. A sobrepopulação, é principalmente inútil, é algo que economicamente é muito dispendioso. Também socialmente, é muito melhor quando a máquina humana chega a uma paralisação abrupta do que quando ela se deteriora gradualmente.
Também não seremos capazes de testar a inteligência de milhões e milhões de pessoas, você pode apostar nisso! Encontraremos ou causaremos algo, uma pandemia que atinge certas pessoas, uma crise económica real ou não, um vírus que afectará os velhos ou os gordos, não importa, os fracos sucumbirão a ela, os medrosos e estúpidos acreditarão nisso e buscarão tratamento. Vamos nos assegurar, que esse tratamento é previsto. Um tratamento que será a solução.
Retenção de conhecimento:
A selecção de idiotas então toma conta de si mesma: eles vão para o massacre sozinhos.
FONTE: “[O futuro da vida – Jacques Attali, 1981] Entrevistas com Michel Salomon, colecção Les Visages de l’avenir, éditions Seghers.” “
May be an image of 1 person and beard
Helena César and 129 others
37 comments
68 shares
Like

Comment
Share

37 comments