DÍLI, TIMOR , IMPASSE COM MORTO COVID E XANANA

Covid-19: Impasse continua em redor de centro de isolamento em Díli
Díli, 13 abr 2021 (Lusa) – O protesto de Xanana Gusmão em frente ao centro de isolamento em Díli, continua hoje, 24 horas depois, sem que haja uma solução final para o impasse sobre o funeral de um homem que morreu com covid-19.
Depois de dormir algumas horas no chão, ao lado da carrinha onde está um caixão preparado para a família, que quer reaver o corpo para os rituais fúnebres, Xanana Gusmão permanece no local, insistindo que não sairá até que a vontade da família se cumpra.
Durante a madrugada uma ambulância que deveria transportar o corpo chegou ao local mas o próprio Xanana Gusmão impediu que o veiculo entrasse no recinto de Vera Cruz.
Numa tentativa de ajudar a resolver o problema, o comandante das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), Lere Anan Timur, deslocou-se hoje ao local para dialogar com Xanana Gusmão, que se mantém intransigente na sua posição.
Lere Anan Timur apelou a Xanana Gusmão para colaborar e permitir a resolução do caso que continuou, porém, a insistir que o Governo deve corrigir a decisão de obrigar a que o funeral decorra num local preparado para pessoas que morreram com covid-19.
“Eu apoio o Governo no combate à covid. Mas as pessoas não confiam. O homem morreu de outros problemas, mas agora dizem que morreu de covid. E as pessoas não confiam, não acreditam”, reiterou na conversa com o responsável militar.
Xanana Gusmão insiste que não quer impedir os protocolos, mas apenas corrigir a forma como estão a ser implementados.
“Peço desculpa, este senhor morreu devido a um AVC. Eu respeito o estado de direito de democrático. Mas eu vou continuar aqui”, afirmou.
Durante a tarde de segunda-feira chegou a haver sinais de um acordo de compromisso que permitiria à família enterrar o homem, de 46 anos, no cemitério onde pretendiam, Manleuana, em Díli, desde que cumprindo os protocolos sanitários, em vez de o funeral ocorrer no cemitério preparado para casos positivos da covid-19 em Metinaro, a leste de Díli.
Fontes envolvidas no processo explicaram à Lusa que a solução de compromisso, negociada pelo Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), poderá não ter tido o acordo do Ministério da Saúde e do Governo, que não quer abrir aqui um precedente.
A Lusa tentou confirmar esta informação junto de fonte oficial, mas até agora sem sucesso.
Desde final da manhã de segunda-feira que vários responsáveis timorenses visitaram o local ou telefonaram para Xanana Gusmão para resolver o impasse, incluindo a ministra da Saúde, Odete Belo, o número dois da Sala de Situação do CIGC, Aluk Miranda, e outro dos coordenadores, o comodoro Pedro Klamar Fuik.
Todos tentaram argumentar sobre a necessidade de respeitar o protocolo definido para mortes de pessoas infetadas, mas Xanana Gusmão rejeitou os argumentos, insistindo que a postura das autoridades não fazia sentido e que o homem tinha morrido de outras doenças.
As negociações têm decorrido à frente de câmaras e vídeos em direto, com jornalistas e outras pessoas a transmitirem em direto para as redes sociais os debates entre Xanana Gusmão e os vários enviados das autoridades timorenses.
“Não quero impedir o Governo de aplicar as medidas, mas apenas quero que o Governo corrija a forma como está a aplicar as medidas.
ASP//MIM
Lusa/FIm
May be an image of one or more people, people standing and outdoors
Rosa Horta Carrascalao, Rosely Forganes and 192 others
15 comments
29 shares
Like

Comment
Share
15 comments
Most relevant

  • O defunto é familiar dele ?
    1
    • Like

    • Reply
    • 9 h
  • Active
    • Like

    • Reply
    • 6 h
  • Não consigo compreender por que razão as vítimas de covid têm de ser sepultadas num cemitério particular. Em todo o lado, os defuntos ficam nos cemitérios habituais e existentes, escolhidos pelas famílias.
    Ainda assim, esta situação é completamente des…

    See more
    • Like

    • Reply
    • 7 h
    • Edited
    1 reply
  • Que argumento mais teimoso! E não há quem lhe consiga explicar (nem com um desenho) que, apesar de não ter morrido exclusivamente por causa do covid, o senhor estava infetado e o corpo tem vírus?!
    6
    • Like

    • Reply
    • 8 h
    1 reply
  • Um Lutador pela Liberdade é sempre um Lutador pela Liberdade.
    2
    • Like

    • Reply
    • 2 h
  • Casos de famílias na mesma convivência em termos de espaço, 2 membros infetados, 3 não. Os 2 ‘curam-se’ e os outros 3 seguem vida normal. Não percebo a histeria com a possível propagação do vírus por parte de um ‘morto’…mas já percebi há muito tempo …

    See more
    • Like

    • Reply
    • 2 h
    • Edited
  • Muito complicado! Mesmo si não morreu do COVID, pode ser infectado e contagioso! Mais Covid no hé pesta! Si bem colocado num plástico dentre do cachão fechado,porque deve ser enterrado num lugar especial?
    • Like

    • Reply
    • 4 h
  • Avatar grinning and gesturing at neon sign that spells out the word no
    • Like

    • Reply
    • 7 h
  • if they don’t want to create precedents why did the let Naimori out of isolation prematurely? To save the government from defeat?
    • Like

    • Reply
    • 9 h