fotos amargas do Varadouro , patri,ónio esquecido

FOTOGRAFIAS (AMARGAS!) DESTE FERIADO
Hoje, dia 8 de Dezembro, Dia Feriado, peguei na máquina e fui construindo uma ideia para vos tentar transmitir aqui.
No titulo digo que as fotografias que vos vou mostrar são “amargas” e de facto são! Dizem respeito à Hidroeléctrica do Varadouro, que há muito está sem actividade, ao Balneário do Varadouro, que há muito está fechado e abandonado e ao Porto do Varadouro, que há anos foi alvo de uma obra que nada resolveu, bem pelo contrário.
A Hidroeléctrica do Varadouro, construída no inicio dos anos 60, foi uma obra importante, com um depósito de retenção de água no Cabeço do Trinta, uma longa e difícil conduta desde esse local até ao fundo do Varadouro e o edifício da Central, com as suas duas turbinas. Trabalhou, penso que até aos anos 80 ou 90 e depois parou, sem que ninguém explique porquê (fotos 1, 2, 3 e 4). O Governo Regional e a EDA têm que explicar isto muito bem.
O Balneário do Varadouro, construído nos anos 50, com um belo projecto do Arquitecto Read Teixeira, foi um excelente edifício para aproveitamento e tratamentos com as águas termais ali existentes, funcionou, com procura e eficiência, durante muitos anos e era propriedade da Junta Geral do Distrito da Horta até 1974. Passou depois para a RAA e está fechado há já muitos anos, por falta de investimento e por decisões tontas tomadas por decisores políticos regionais e municipais, que desbarataram recursos públicos e nada de construtivo resolveram. De facto, depois de 2000, foi resolvido promover uma PPP, com um auto proclamado investidor, que iria fazer um Hotel de várias estrelas, com Termas de alta qualidade. Como o tal projecto precisava de mais espaço, quer em área, quer em altura, foram compradas as propriedades dos lados leste e nordeste do balneário e chegou a ser suspenso o PDM do Concelho da Horta para que ali pudesse ser construído um edifício com três andares! As duas casas de apoio aos banhistas, construídas em simultâneo com o Balneário, são propriedade publica e estão há muito em ruínas, para vergonha de todos nós! O Governo Regional e a Câmara Municipal não podem “olhar para o lado” mais tempo, não se podem esquecer que já foram gastos ali, por erro grosseiro que foi cometido, centenas de milhares e euros, sem qualquer proveito e têm que encontrar uma solução para este enorme problema (fotos 5,6,7 e 8).
O Porto do Varadouro, também conhecido por porto da Lapa, teve vária configurações, sempre com o mesmo conceito: um portinho, sem bacia de abrigo, com um pequeno cais e inicialmente, uma pequena rampa depois tapada. Hoje tem um cais mais alto e um pouco mais comprido e uma grua eléctrica. Para todos os efeitos, este portinho, que até tem direito a placa de azulejos com o nome do então Presidente do Governo C. César, que inaugurou a “obra” feita em 2012, só serve com muito bom tempo e pouco préstimo tem na realidade. Teria que haver aqui no Varadouro, um pequeno porto que permitisse, na época própria, o estacionamento de algumas embarcações marítimo turísticas (para passeios no mar, whale whatching, mergulho e outras actividades), que fosse um verdadeiro ponto de apoio aos desportos náuticos e que apoiasse a pesca artesanal, tudo isto porque o Varadouro está numa ponta da ilha muito apta para as actividades referidas (fotos 9,10,11 e 12).
Peço que interpretem estas minhas “fotos amargas” e o texto junto como uma verdadeira reclamação por soluções para estes arrastados problemas!
+7
Aníbal C. Pires, Souto Gonçalves and 43 others
11 comments
6 shares
Like

 

Comment
Share
Comments
View 6 more comments
  • Caro José. Eu esperava pela camioneta junto aos Balneários para receber o pão fresco que vinha da Padaria Popular.

    2

    • Like

       

    • Reply
    • 14 m

Someone is typing a comment…

 

 

 

Publicado por

lusofonias.net

Chrys Chrystello jornalista, tradutor e presidente da direção e da comissão executiva da AICL