paula sousa lima e os pronomes

2tu2hSponnsoremdst

E mais uma crónica, hoje, no Açoriano Oriental (insistindo):
Acerca das palavras X: pronomes pessoais (2)
Caríssimos leitores, correndo o risco de me tornar enfadonha, por repetir o tema, digo-vos: não consigo eximir-me a voltar a falar de pronomes. É que, a cada dia, a cada hora, a cada minuto, e não estou a ser hiperbólica, tropeço com autênticas pérolas da ignorância popular, no que se refere a estas palavrinhas tão úteis, como o são os pronomes. Confesso que sinto um verdadeiro arrepio na coluna sempre que oiço ou leio a nossa língua deturpada, maltratada, negligenciada, vituperada, será coisa minha, lá diz o povo que cada doido com a sua mania. Creio, contudo, que esta minha mania pode ter a sua utilidade, nem que seja entreter os leitores ou, quem sabe, ajudar a melhorar o uso da língua.
Permitam-me que transcreva as mais (im)perfeitas pérolas com que me tenho deparado, no respeitante ao uso indevido dos pronomes pessoais: 1. “Já vi ela.”, 2. “Já la vi.”, 3. “Já lhe vi.”, 4. “Isto é para mim comer.”, 5. “Eu disse a ela…”. Sim, sim, querido leitor que, como eu, preza a nossa língua, ouvem-se estas sentenças a cada instante, cada uma pior do que a outra. Eu oiço-as dentro da sala de aula, sobretudo, num espaço que devia ser de aprendizagem, mas que, quantas vezes, não o é, pelo menos não tanto quanto seria desejável, pois que os nossos alunos trazem de casa, da rua, sei lá de onde, construções gramaticais transviadas e já entranhadas, portanto muito difíceis de corrigir, conquanto lhes ensinemos a gramática correta da nossa língua. Vamos, então, como se estivéssemos na sala de aula, analisar estes erros.
O caso 1. é, pura e simplesmente, uma barbaridade e uma terrível falta de conhecimento gramatical. De facto, o verbo “ver” seleciona Complemento Direto, e o pronome pessoal de Complemento Direto, na primeira pessoa, é “a” ou “o”, nunca, jamais, em tempo algum “ela” ou “ele”. Estas formas usam-se como sujeito ou são selecionadas por preposições como “com”, “por” e outras. Portanto, o caso 1. deve ser corrigido, tomando a seguinte configuração: “Já a vi.” Isto é óbvio, não é? Olhe que não, caríssimo leitor.
Nada parece óbvio para quem mal utiliza a língua portuguesa. E outro erro recorrente é o que está registado em 2. Segundo tenho averiguado, é um erro regional, o que não faz dele um regionalismo admissível. A forma “la” ou “lo”, de facto, surgem quando o verbo termina nas consoantes “r”, “s” ou “z”, que caiem, sendo aposto o “l” ao pronome, como no exemplo que se segue: “A Maria vai comer a sopa.”, “A Maria vai comê-la.”
No caso 3., o que acontece é a (infelizmente) vulgar confusão entre Complemento Direto e Complemento Indireto. Com efeito, “lhe” é a forma do pronome pessoal de Complemento Indireto, na terceira pessoa, a qual substitui, erroneamente, a do Complemento Direto, que seria “a” ou “o”, como se segue: “Já a vi.” Neste caso, uma revisão das funções sintáticas é fundamental. Isso e muito cuidado ao usar a língua.
A frase 4. é feíssima, está erradíssima, mas configura um erro cuja causa se pode compreender. De facto, a preposição “para” seleciona o pronome “mim” – “Isto é para mim, não para ti.” No caso em apreço, no entanto, o pronome pessoal está a servir de sujeito, logo o pronome devia ser “eu”. Permitam-me o desabafo, queridos leitores: todos os dias, ou quase, corrijo este feíssimo erro e muitas melhoras não vejo.
A última frase também configura um erro muito comum, e creio que muito nosso, sem que mérito daí nos advenha. “Dizer a…” é correto, mas “Dizer a ela/a eles/a vocês.” Não o é. Estamos perante o Complemento Indireto, e o forma correta é “Eu disse-lhe.” Certo? Certíssimo, aprendido é que me parece que não. Ai.
Enfim, caros leitores, esta foi uma lição de gramática, espero que não muito fastidiosa, espero que útil, e espero ainda que desnecessária para a maioria dos mês distintos leitores. Que se vos pegue, queridos leitores, o (meu) bichinho da correção sistemática. Conquanto eu não seja forte adepta de provérbios, sempre vou crendo que água mole em pedra dura… Oxalá.
Pedro Paulo Camara, Pedro Almeida Maia and 3 others
1 comment
1 share
Like

Comment
Share
Comments