o homem que salvou um golfinho

Via Luisa Fragoso

“Para reflexão!

Enzo Maiorca (Siracusa, Sicília, 21 de junho de 1931 – Siracusa, 13 de novembro de 2016), mergulhador italiano famoso, estava imerso no mar quente de Siracusa e conversava com sua filha Rossana que estava no barco. Pronto para mergulhar, de repente se sentiu bater ligeiramente pelas costas, virou-se e viu um golfinho. Ele percebeu logo que o animal não queria jogar, mas sim expressar outra coisa. O golfinho se afastou e Maiorca seguiu-o a natação. Então o animal mergulhou e o mesmo Enzo fez, a cerca de 12 metros de profundidade preso em uma rede de uma spadara abandonada havia outro golfinho. Maiorca emergiu rapidamente e chamou a filha em voz alta para que o alcançasse com as duas facas de mergulho que estavam no barco.

Em poucos minutos, os dois especialistas sub conseguiram libertar o golfinho preso na rede, que no limite das suas forças conseguiu emergir e emitindo um quase “grito humano”, assim Maiorca o descreveu, conseguiu respirar. (Um golfinho pode resistir debaixo de água até 10 minutos, depois afoga-se).

O golfinho libertado ficou um pouco atordoado na água, controlado por Enzo, Rossana e o outro golfinho. Depois ele filmou e surpresa! Descobriu-se que era uma delfina porque dai a pouco deu à luz um pequeno.
Mamãe e filhote se afastaram enquanto o golfinho macho deu uma volta dos dois humanos e parou um momento na frente de Enzo Maiorca e lhe tocou na bochecha, como se fosse um beijo, como um gesto de gratidão e depois se afastou.

Esta maravilhosa história comoveu todos os presentes que se levantaram por uma longa e calorosa salva de palmas. Enzo Maiorca terminou sua intervenção dizendo que: “até que o homem aprenda a respeitar e a dialogar com o mundo animal, nunca poderá conhecer o seu verdadeiro papel nesta Terra.”

.