cursos superiores mais curtos

há anos que propus uma “Simplex” fabulosa, quando a criança nasce além do oficial do Registo Civil a recolher dados para o Cartão de Cidadão devia estar lá um funcionário do Ministério da Educação a dar o diploma do 12º ano e representantes das uni-versidades a angariar o recém-nascido para as suas instituições, pode-se mudar e dar logo a licenciatura e mestrado à nascença sem discriminar

 

Ana Maria Ramalheira and Jose Antonio Salcedo shared a link.
Manuel Heitor entende que cidadãos não devem “tirar apenas um curso longo, mas tirarem vários cursos, uns mais curtos do que outros”.

 

Manuel Heitor entende que cidadãos não devem “tirar apenas um curso longo, mas tirarem vários cursos, uns mais curtos do que outros”.
  • For my Portuguese friends: Caro Heitor, talvez umas aulitas às Quartas e Quintas apenas, para não cansar os cérebros jovens e não estragar os fins de semana prolongados dos meninos e das meninas? Assim, também fica mais fácil endoutriná-los para uma vida de escravidão, o que dá sempre jeito a tantos parasitas. Por outro lado, quando alguns chegarem a um governo futuro talvez consigam ler meia dúzia de linhas seguidas sem se cansarem demasiado?

    PS: O Heitor tem razão em alguns aspectos, claro. Há cursos absurdamente longos que deveriam ser modernizados e há demasiadas horas semanais de aulas teóricas na maior parte dos casos. A Universidade não pode continuar a funcionar como há centenas de anos. Considero que nas áreas de Humanidades isso é especialmente evidente.

Please follow and like us:

Publicado por

lusofonias.net

Chrys Chrystello jornalista, tradutor e presidente da direção e da comissão executiva da AICL