um mundo desconhecido está a surgir

Entre tudo o que nos está a acontecer no planeta, há algumas coisas que, no meio de toneladas de notícias, e para desanuviar um pouco, eu fui notando. Nem todos concordarão com todas. E isto não pretende ser nada mais que um farol para alguns efeitos interessantes deste bicho.
Aqui fica, para já, uma lista de “Dezasseis coisas sobre o Covid-19” ou “Algumas das coisas que mudaram”.
1. Países em desenvolvimento passam a proibir a entrada de cidadãos de países desenvolvidos.
2. O mundo mais conectado de sempre vive, coletivamente, o maior isolamento de sempre.
3. Quando muitos questionavam o impacto que a vida normal estava a ter nas famílias, a vida em família é intensificada para níveis dos quais a nossa geração mal se lembra.
4. Passear o cão, outrora algo que em muitas famílias era uma tarefa – que alguns tentavam evitar -, passa a ser hoje um dos momentos para que todos se querem oferecer.
5. Golfinhos substituem cruzeiros em Veneza.
6. O mundo que mais viajou é obrigado a ficar o mais quieto que esteve no último século.
7. A economia mundial é, pela primeira vez, deitada abaixo não pelos humanos, mas pela própria natureza.
8. Um bicho que não se vê transforma seres pseudocivilizados em idiotas que lutam por papel higiénico.
9. Aliás, em 2020, supostamente no momento de mais avanço humano, as recomendações mais ouvidas são as mesmas que as avós recomendam há anos: lava as mãos, tapa a boca quando tosses, não gastes tanto papel a limpar o rabo.
10. O momento mais avançado da história do desenvolvimento científico e médico, com o maior número de máquinas de sempre, enfrenta, em alguns países, o esgotamento das capacidades existentes, obrigando sistemas ditos avançados a ter de escolher entre quem vive e quem morre por falta de máquinas.
11. Num instante passamos de ter o maior número de aviões de sempre a voar, para ter o maior número de sempre de aviões estacionados.
12. Dois dos países onde mais tempo se passa na rua – Itália e Espanha – passam a ser daqueles onde mais tempo se passa em casa.
13. O Covid pode acabar por salvar mais pessoas pela redução da poluição do que as que mata por infeção.
14. Depois de décadas de grandes movimentações religiosas, de grande conflito religioso, passa-se a um momento em que pela primeira vez em muito tempo – talvez desde sempre – os principais espaços das várias religiões estão vazios
15. O grande movimento económico neoliberal e liberal, que andava há décadas a vender-se como a panaceia da vida em sociedade, regressa de joelhos ao Estado a quem pede tudo, inclusive aquilo que tem vindo a demolir e a ‘privatizar’ nesse Estado. Seja para nos proteger, para nos tratar, para nos defender ou até para nos vir buscar das férias no outro lado do planeta.

Haverá mais. Pelo que a lista irá, certamente, crescendo.
Antonio Sampaio

Image may contain: possible text that says 'sometimes the things we can't change end. changing up us'

Publicado por

lusofonias.net

Chrys Chrystello jornalista, tradutor e presidente da direção e da comissão executiva da AICL