coronavirus covid19 alastra

A epidemia avança

Falemos então da outra árvore do Jardim do Éden, a do conhecimento do bem e do mal, numa geografia distante da nossa. Na China, enquanto a epidemia avança, vão desaparecendo cada vez mais pessoas por causa dela. Muitas – mais de 1360 até quinta-feira – morrem infectadas pelo coronavírus – na quinta-feira, uma alteração ao diagnóstico fez disparar o número de infectados e mortes. Outras, não se sabe quantas, desaparecem simplesmente após terem provado do fruto proibido chamado liberdade de expressão. Outras ainda são expulsas dos cargos que ocupavam, numa prova de que a metáfora bíblica do castigo para o autodiscernimento também se aplica em territórios livres de religião. Um vírus microscópico está a fazer tremer o dragão asiático e o seu regime.

De Bruxelas, onde os ministros da Saúde da EU se reuniram esta quinta-feira, saiu uma mensagem de calma e ponderação, destinada a contrariar o alarmismo que voltou a manifestar-se depois de a China rever em alta o número de novos casos de infecção com coronavírus. “O risco aqui é muito baixo”, desdramatizou o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic. “Mas o risco existe, e por isso estamos a preparar-nos para todos os cenários”, garantiu.

A ilustradora Wei Man Kow, que trabalha em Hong Kong e Singapura, quis juntar-se ao esforço colectivo de combate à epidemia do novo coronavírus e fez 17 ilustrações sobre como podemos proteger-nos deste vírus que pode provocar problemas respiratórios graves. As ilustrações foram distribuídas na China e chegam agora a Portugal.

Please follow and like us:

Publicado por

lusofonias.net

Chrys Chrystello jornalista, tradutor e presidente da direção e da comissão executiva da AICL